terça-feira, 31 de maio de 2011

Torneio Dom Bosco de Voleibol 2011

No período de 23 a 30 de maio foi realizado mais um torneio de voleibol no Colégio Dom Bosco envolvendo mais de 100 alunos do ensino fundamental e médio. Este torneio teve o objetivo de escolher os alunos que representarão à escola nos Jogos da Primavera, no mês de agosto e nos Jogos das Escolas Particulares de Itabaiana, em setembro.






“Os esportes são meios eficazes para promover a saúde, a disciplina e a honestidade”. Dom Bosco

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Culturas africanas influenciaram nosso idioma

O português que falamos no Brasil tem muitas palavras de origem africana, você sabia? Isso acontece porque - principalmente durante o período colonial - os negros foram trazidos da África como escravos, para trabalhar na lavoura.

Os africanos trouxeram consigo sua religião - o candomblé - e sua cultura, que inclui as comidas, a música, o modo de ver a vida e muitos dos seus mitos e lendas. Trouxeram ainda - é claro - as línguas e dialetos que falavam.

Os povos bantos, que habitavam o litoral da África, falavam diversas línguas (como o quicongo, o quimbundo e o umbundo). Muitos vocábulos que nós usamos frequentemente vieram desses idiomas. Quer exemplos? "Bagunça", "curinga", "moleque", "dengo", "gangorra", "cachimbo", "fubá", "macaco", "quitanda"...

Outras palavras do português falado no Brasil também têm raízes africanas. Muitas delas vêm de diferentes povos do continente, como os jejes e os nagôs (que falavam línguas como o fon e o ioruba). Palavras como "acarajé", "gogó", "jabá" e muitas outras passaram a fazer parte do nosso vocabulário, foram incorporados à nossa cultura. Em geral, trata-se de nomes ligados à religião, à família, a brincadeiras, à música e à vida cotidiana.

Quer um exemplo bem trivial? "Bunda". Essa palavra também é africana, pode ter certeza. Se não fosse por ela, teríamos que dizer "nádegas", que é efetivamente o termo português para essa parte do corpo humano. Da mesma maneira, em vez de "cochilar", teríamos que dizer "dormitar". Em vez de "caçula", usaríamos uma palavra bem mais complicada: "benjamim". Empolado, não é?

Dizem que a língua banta tem uma estrutura parecida com o português, devido ao uso de muitas vogais e sílabas nasais ou abertas. Deve ser verdade, observe os sons da palavra "moleque" e de "gangorra". Parece também que o jeito malemolente (isto é, devagar e cheio de ginga) de falar facilitou a integração entre o banto e o português.

A verdade é que hoje a gente usa tantas palavras africanas que nem repara em sua origem. Quer ver? O que seria do Brasil sem o "samba"? E tem mais: "cachaça", "dendê", "fuxico", "berimbau", "quitute", cuíca", "cangaço", "quiabo", "senzala", "corcunda", "batucada", "zabumba", "bafafá" e "axé". Para quem não sabe, "bafafá" significa confusão. E "axé" é uma saudação com votos de paz e felicidade.

Fonte: UOL – por Heidi Strecker, filósofa e educadora.

Glaucoma atinge 65 milhões de pessoas no mundo


Prevenção do glaucoma

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 65 milhões de pessoas já foram diagnosticadas com glaucoma em todo o mundo - dessas, 900 mil são brasileiras.
Provocada pela elevação da pressão ocular, a doença não tem cura e, quando não é tratada, pode levar à cegueira.

O vice-presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, Alípio de Sousa Neto, explicou que a principal barreira a ser vencida no país é o hábito de procurar um médico somente diante da presença de sintomas.

"A pessoa não vai sentir nada. Só vai sentir na fase mais avançada, quando começa a esbarrar nas coisas", explicou.

Isso porque, segundo ele, a doença pode se desenvolver durante meses ou anos sem apresentar nenhum sintoma. A saída é investir em exames periódicos - pelo menos uma vez ao ano.

Risco de glaucoma

Pessoas que têm parentes portadores de glaucoma, indivíduos com mais de 40 anos, pacientes com alto grau de miopia e diabéticos devem estar ainda mais atentos à realização dos testes de rotina.

Após o diagnóstico, o tratamento vai desde a utilização de colírios, que baixam a pressão ocular, a cirurgias e ao uso do laser.

"Uma gota por dia de colírio já é suficiente para resolver o problema. Pela vida toda. Mas tem que estar controlado", destacou Neto. O oftalmologista alertou para que as pessoas não façam uso indiscriminado de medicamentos para os olhos, já que eles podem, inclusive, agravar o glaucoma se mal utilizados.

De acordo com a OMS, a cada ano são registrados 2,4 milhões de novos casos de glaucoma no mundo. A doença pode se manifestar de diferentes maneiras: de ângulo aberto (80% dos casos), de ângulo fechado, de pressão normal, pigmentar, secundário e congênito e é responsável por cerca de 13% da cegueira derivada de enfermidade.

Fonte: Diário da Saúde – por Paula Laboissière - Agência Brasil

domingo, 29 de maio de 2011

O que a ioga faz por você?


Posturas, técnicas respiratórias, meditação ou relaxamento são as estratégias da prática que se encontra entre as dez terapias mais utilizadas em todo o mundo

Ao longo de sua história, o objetivo dos praticantes era materializar o significado da palavra sânscrita yuj, isto é, união com Deus, ou juntar o que está disperso. Hoje, a ioga é considerada uma terapia complementar do tipo mente/corpo e combina posturas, técnicas respiratórias, meditação ou relaxamento. A finalidade é promover equilíbrio físico, mental, psíquico e espiritual. "A Hatha Yoga é tão popular porque atende às demandas do homem moderno, cujo estilo de vida esgota o sistema nervoso, especialmente o simpático. Todos vivem em estado de agitação permanente. Não há tempo para o reequilíbrio. Essa prática é a oportunidade de juntar o esforço (esgotado ou não) com o não esforço (relaxamento e tonicidade). O resultado é o rejuvenescimento e o equilíbrio", explica Amândio Albertino Figueiredo, presidente da Federação Portuguesa de Yoga.

Como funciona?

Ainda não se compreende exatamente como isso é possível, mas sabe-se que a ioga proporciona controle do estresse e maior consciência física e mental. Assim como a mente influencia o corpo, acredita- se que o corpo influencia a mente. A condição primeira da ioga é permitir ao praticante conhecer seu estado de saúde. A partir daí, cada um evoluirá para a boa saúde, ou a manterá. O ponto mais importante é o fortalecimento da imunidade. E é aqui que a ioga é rainha.

A proposta de boa saúde da ioga parte do corpo, que é estimulado por meio de exercícios de alongamento, onde se permanece numa posição de relaxamento de esforço por período determinado de tempo. Alcançado o aprimoramento físico, inicia-se o trabalho respiratório, mais importante via de ligação com as emoções. É assim que o Hatha Yoga entende ser possível atingir um estado calmo da mente: interferência na postura, tônus muscular e padrão respiratório. O próximo passo é a meditação.

Trace seu caminho para a meditação

A ioga pode levar a um determinado estado mental que todos podem atingir. "Os textos mais tradicionais descrevem essa capacidade meditativa como condição natural de atenção plena, que se resume em se manter onde se está, focando a mente naquilo que se faz", descreve Marcos Rojo Rodrigues, professor de ioga da Universidade de São Paulo (USP).

Os cientistas garantem

A prática regular aumenta a sensação de bem-estar, combate o estresse, reduz a pressão arterial e sanguínea, melhora a capacidade respiratória, relaxa músculos, auxilia no controle da ansiedade, depressão e insônia, além de aprimorar a flexibilidade e força físicas, bem como os níveis da química cerebral e sanguínea. Se pensarmos que grande parte das doenças possuem fundo emocional, concluiremos que o ato do relaxamento pode ser altamente benéfico para a saúde em geral.

5 motivos para praticar ioga

1. Existem várias escolas que combinam os seguintes princípios: yama (comportamento moral), niyama (hábitos saudáveis), asana (posturas físicas), pranayama (exercícios respiratórios), pratyahara (sensação de desligamento), dharana (concentração), dhyana (contemplação) e samadhi (consciência elevada). Você pode experimentar até encontrar aquela que ofereça bem-estar.
2. Segundo dados do Instituto Nacional de Saúde americano (NIH), mais de 13 milhões de pessoas praticaram ioga em 2006. No período entre 2002 e 2007, a busca por ela teve um aumento de 1%, inclusive entre as crianças, que somam 1,5 milhão de praticantes.
3. Qualquer pessoa pode fazer ioga, e quanto mais cedo começar, melhor. Mas há um pré-requisito para o qual os especialistas chamam a atenção: disciplina. Mesmo que não seja possível fazê-lo por uma hora diariamente, dedicar-se a ela por 15 minutos todos os dias é melhor do que 1 hora duas vezes por semana.
4. De acordo com o empenho do praticante, os primeiros resultados se observam no corpo: diminuição de dores nas costas; melhora da postura; melhora do sono; menor irritação e tolerância.
5. Postura, relaxamento e um estado meditativo são fatores que não possuem contraindicações na prática segura da ioga.

A ioga pode levar a um determinado estado mental que todos podem atingir. "A tradição fala dessa capacidade meditativa como condição natural de atenção plena, que se resume em se manter onde se está, focando a mente naquilo que se faz. O mais curioso é que a Hatha Yoga entende que isso é possível por meio do trabalho corporal", diz Marcos Rojo Rodrigues, professor de ioga da Universidade de São Paulo (USP)

Fonte: Revista Viva Saúde - Por Cristina Almeida

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Qual é o país mais verde do mundo?


É a Islândia, que lidera o EPI (sigla em inglês para Índice de Performance Ambiental). Nesse ranking, publicado a cada dois anos pelas universidades Columbia e Yale, nos EUA, os países são classificados de acordo com as medidas adotadas para proteger o meio ambiente. A avaliação considera 25 critérios, divididos em oito categorias, cada uma com um peso, e a maioria dos dados vem de organizações internacionais, como a ONU e o Banco Mundial. A especialista em políticas ambientais Angel Hsu, gerente do EPI, porém, adverte que "o índice não responde se as medidas de preservação estão melhorando ou piorando". Apesar das deficiências, o EPI é a avaliação ambiental mais abrangente, com 163 países estudados. Alguns deles, como a China, mantêm contato com os pesquisadores do índice para melhorar os indicadores ambientais.

Pela própria natureza

Comparamos oito países nos principais critérios de avaliação ambiental

1º Islândia - Nota 93,5
7º França - Nota 78,2
61º EUA - Nota 63,5
62º Brasil - Nota 63,4
69º Rússia - Nota 61,2
70º Argentina - Nota 61
121º China - Nota 49
163º Serra Leoa - Nota 32,1

• Na Islândia, 96% da água para consumo humano vem de minas e poços
• Segundo a OMS, a exposição a fatores ambientais é parcialmente responsável por 85 doenças
• Cada barco pesqueiro da Islândia tem uma cota máxima para explorar e a fiscalização é rígida
• Em Reykjavík, capital islandesa, um sistema com água quente natural aquece os prédios desde 1930

Passo a passo

Entenda os critérios de avaliação do EPI

BIODIVERSIDADE

A porcentagem de território em que a natureza é protegida é avaliada. A Islândia tem cerca de 100 reservas, com área total de 20 mil km2. Como mais de 60% da população vive na capital, Reykjavík, há vastas áreas com pouca presença humana.

ÁGUA

O impacto do líquido é medido pelo acesso da população a saneamento adequado e a água potável. Em relação ao ambiente, avaliam-se a qualidade da água, a porcentagem de território com excesso de demanda por água e o nível de escassez.

POLUIÇÃO DO AR

Calculam-se as emissões tóxicas em ambientes externos e internos - vindas de eletrodomésticos, produtos químicos etc. Para medir o efeito da poluição no ecossistema, são analisados os níveis de emissão de compostos químicos específicos.

FARDO AMBIENTAL DE DOENÇAS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima quantos anos de vida são perdidos por doenças relacionadas a fatores ambientais. Entram na conta, por exemplo, pessoas com expectativa de 70 anos que tenham morrido aos 20 por malária.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Avalia a emissão de gases causadores do efeito estufa, além do gás carbônico gerado para produzir eletricidade. Na Islândia, como 95% da energia é de origem geotérmica, o país já deixou de emitir mais de 100 milhões de toneladas de CO2 desde 1944.

AGRICULTURA

A nota é formada pela quantidade de água usada em lavouras, incentivos públicos que interferem na agricultura e a legislação sobre o uso de agrotóxicos. A agricultura na Islândia quase não polui, já que apenas 1% do território é usado para cultivo.

PESCA

Mede-se quanto a pesca avança na cadeia alimentar. O normal é caçar os peixes mais robustos - se existe necessidade de pescar os menores, há um desequilíbrio. Outro aspecto analisado é a pesca com redes, que devasta a fauna marinha.

SILVICULTURA

Avaliam-se o volume de árvores e a extensão de área florestada. Desde o início do século 20, a Islândia tem leis contra a degradação do solo e das florestas. Existe até um órgão especial para isso: o Serviço Estadual de Conservação do Solo.

Fonte: Revista Mundo Estranho - por Victor Bianchin

Quem inspirou a Lei Maria da Penha?

A lei sobre violência doméstica ganhou o nome da biofarmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, que ficou paraplégica após levar um tiro de espingarda do marido, enquanto dormia, em 29 de maio de 1983. Apesar da barbárie desse e de outros abusos, o caso tramitou lentamente na Justiça – o que repercutiu negativamente na imprensa mundial.

Em 2001, o Brasil foi condenado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos devido à negligência com que tratava a violência contra a mulher. Só em outubro de 2002 o agressor, enfim, foi preso. Pegou pena de dez anos, cumpriu dois e hoje está livre.

A maior vitória de Maria da Penha viria em 2006, com a promulgação da lei. “Antes, os casos eram tratados com base em uma legislação que caracterizava a violência contra a mulher como um crime de baixo potencial ofensivo. A Lei Maria da Penha aborda-os com mais rigor”, explica a biofarmacêutica.

EM NOME DA LEI

60% das brasileiras acham que a proteção contra a violência doméstica aumentou após a lei, segundo pesquisa do DataSenado.

FONTES: Revista Mundo Estranho, Instituto Maria da Penha, Projeto AME – Maria da Penha e DataSenado

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Uso de telefone celular pode afetar fertilidade masculina


Homens diagnosticados com má qualidade do esperma devem limitar o uso de telefones celulares. Segundo pesquisadores da Universidade de Queens, no Canadá, embora o uso do telefone celular pareça aumentar o nível de testosterona circulando no organismo, ele pode também levar à baixa qualidade do esperma e a uma diminuição na fertilidade.

Analisando um grupo de homens, os pesquisadores observaram que aqueles que relataram maior uso de telefones celulares tinham maiores níveis de testosterona circulante, mas apresentavam níveis menores do hormônio luteinizante (LH), um importante hormônio reprodutivo que é secretado pela glândula pituitária no cérebro.

Os pesquisadores acreditam que as ondas eletromagnéticas emitidas pelos telefones celulares podem ter um duplo efeito sobre os níveis dos hormônios masculinos e sobre a fertilidade. Ondas eletromagnéticas podem aumentar o número de células dos testículos que produzem testosterona, mas também diminuir os níveis de hormônio luteinizante excretada pela glândula pituitária.

Fonte: Blog da Saúde

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Programação da Festa de Santo Antônio em Itabaiana 2011


O Trezenário e a Festa em homenagem a Santo Antônio, padroeiro de Itabaiana começa dia 31/05. Esse ano, o tema geral é “Missionários que à Luz da Palavra de Deus buscam preservar a Vida no Planeta”. A abertura da programação religiosa será com Dom Carlos Alberto (Teixeira de Freitas/BA) e a comunidade sairá em procissão, às 19h20, do Abrigo Nossas Vidas em Suas Mãos.

No sábado 05/06, a celebração é voltada para os motoqueiros e a procissão sairá do Posto Serrano. No dia 12/06, acontece a celebração em homenagem aos caminhoneiros e terá a participação do Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Aracaju, Dom Henrique Soares. Já no dia 13/06 (Dia Festivo) além da missa solene presidida por Dom José Palmeira Lessa, acontece o show católico com o Padre João Carlos.

Confira a programação completa:

Terça (31/05)
Tema: A Boa Nova da Dignidade humana (DA 104-105)
Pregador: Dom Carlos Alberto (Teixeira de Freitas/BA)
Homenageados: Idosos
Responsáveis: Legião de Maria, Ministros da Comunhão e Pastoral Missionária
19h20 – Procissão: Saída do Abrigo Nossas Vidas em Suas Mãos
20h – Santa Missa
21h – Coral do Bené

Quarta (01/06)
Tema: A Boa Nova da Vida (DA 106-113)
Pregador: Padre Raimundo Diniz (Lagarto/SE)
Homenageados: Garis e Margaridas
Responsáveis: Pastoral da Liturgia, Canto e Coroinhas
19h30 – Procissão: Saída da Empresa Torre (Vizinho a Creche Vovó Nininha)
20h – Santa Missa
21h – Coral de Capoeira Molas

Quinta (02/06)
Tema: A Boa Nova da Dignidade humana (DA 114-119)
Pregador: Padre Gilvan Carvalho (Aracaju/SE)
Homenageados: Professores
Responsáveis: Pastoral da Esperança e Pastoral do Acolhimento
19h15 – Procissão: Saída da Secretaria de Educação
20h – Santa Missa
21h – Grupo de Dança Arte Livre

Sexta (03/06)
Tema: A Boa Nova da Dignidade humana (DA 120-124)
Pregador: Padre Geofredes Alves (Aracaju/SE)
Homenageados: Médicos
Responsáveis: Apostolados da Oração e Pastoral dos Idosos
19h – Procissão: Saída da Secretaria de Saúde
20h – Santa Missa
21h – Grupo Abadá – Maculelê

Sábado (04/06)
Tema: A Boa Nova do destino universal dos bens e da ecologia (DA 125-126)
Pregador: Padre Mardônio Alves (Itabaiana/SE)
Homenageados: Associação Olímpica de Itabaiana
Responsáveis: Pastoral Catequética (Eucaristia, Crisma, Batismo)
19h – Procissão: Saída do Estádio de Futebol Presidente Médici
19h30 – Santa Missa
20h30 – Quadrilha Junina Balança Mais Não Cai

Domingo (05/06)
Tema: O continente da esperança e do amor (DA 127-128)
Pregador: Padre Hélio de Oliveira Alves (Tucano/BA)
Homenageados: Motoqueiros
Responsáveis: Movimento Alerta e Pastoral da Família
18h40 – Procissão: Saída do Posto Serrano
19h30 – Santa Missa
20h30 – Grupo de Dança Arte Livre

Segunda (06/06)
Tema: Biodiversidade, Ecologia, Amazônia e Antártida (DA 83-86)
Pregador: Padre José Regivaldo (João Pessoa/PB)
Homenageados: Industriais
Responsáveis: Renovação Carismática Católica, Cursilho e Pastoral dos Enfermos
19h30 – Procissão: Saída da HM Calçados
20h – Santa Missa
21h – Chegança Santa Cruz

Terça (07/06)
Tema: Chamados ao seguimento de Jesus Cristo (DA 129-135)
Pregador: Padre Gilvan Rodrigues (Aracaju/SE)
Homenageados: Polícia Militar
Responsáveis: Pão dos Pobres e Grupo Nossa Senhora de Fátima
19h – Procissão: Saída do 3° Batalhão
20h – Santa Missa
21h – Grupo de Dança Xamã

Quarta (08/06)
Tema: Parecidos com o Mestre ( DA 136-142)
Pregador: Padre Melquíades de Jesus (Rosário do Catete/SE)
Homenageados: Meios de Comunicação
Responsáveis: Movimento Serra e Movimento Focolares
19h30 – Procissão: Saída do Restaurante Carminha II
20h – Santa Missa
21h – Grupo de Dança “Arte Dance”

Quinta (09/06)
Tema: Enviados a anunciar o Evangelho do Reino da Vida (DA 143-148)
Pregador: Padre Adilson do Patrocínio (Itabaiana/SE)
Homenageados: Comerciantes e Feirantes
Responsáveis: Equipistas da ENS e Encontreiros do ECC
19h20 – Procissão: Saída do Mercadão
20h – Santa Missa
21h – Cangaço

Sexta (10/06)
Tema: Animados pelo Espírito Santo (DA 149-153)
Pregador: Padre Francisco de Assis (Itabaiana/SE)
Homenageados: Agricultores
Responsáveis: Movimento Fé e Luz e Pastoral da Criança
19h30 – Procissão: Saída da Distribuidora Tio Luiz
20h – Santa Missa
21h – Coral Filarmônico

Sábado (11/06)
Tema: Chamados a viver em comunhão (DA 154-163)
Pregador: Padre Manoel Barbosa (Aracaju/SE)
Homenageados: Advogados
Responsáveis: Equipe de Andor e Procissão e Movimento Mãe e Rainha
19h – Procissão: Saída da OAB
19h30 – Santa Missa
20h30 – Orquestra Sinfônica

Domingo (12/06)
Tema: É o mesmo Deus que realiza tudo em todos (1 Cor 12, 3b-7)
Pregador: Dom Henrique Soares (Bispo Auxiliar)
Homenageados: Caminhoneiros
Responsáveis: Pastoral do Dízimo e Irmandade das Almas
18h – Procissão: Saída do Povoado Candeias
19h30h – Santa Missa

Dia Festivo (13/06)
5h – Alvorada Festiva
6h – Santa Missa
8h – Santa Missa
10h – Missa Solene presidida pelo Arcebispo Dom José Palmeira Lessa
16h30 – Procissão e bênção
Show com o Padre João Carlos

Fonte: FM Itabaiana

terça-feira, 24 de maio de 2011

25 Dicas para evitar o desperdício de alimentos


1 – Quando for usar uma metade do abacate, deixe a outra com caroço. Isto evita que ele deteriore com rapidez.

2 – Não jogue fora os talos do agrião, pois eles contêm muitas vitaminas. Limpe, pique e refogue com tempero e ovos batidos.

3 – Todas as folhas verde-escuro são ricas em ferro. Não deixe de aproveitá-las.

4 – Os talos de couve, espinafre, etc, contêm fibras e devem ser aproveitados em refogados, no feijão, na sopa.

5 – Sobras de bolacha não devem ir para o lixo. Despedace-as e guarde-as em vidro fechado, para usar como cobertura de bolos ou mesmo fazer tortas.

6 – O vinho azedado pode ser aproveitado como vinagre.

7 – Se sobrou purê de batatas, forme pequenas bolinhas, polvilhe com farinha-de-rosca e frite como croquetes.

8 – A abóbora é altamente nutritiva. Lembre-se de aproveitá-la inteira: casca, polpa, folhas.

9 – Folhas de nabo, rabanete e beterraba têm maior concentração de carboidratos, cálcio, fósforo e vitaminas A e C, se comparadas com a raiz, que estamos acostumados a comer. Pique-as bem e sirva em saladas, refogadas ou em conserva.

10 – As folhas da cenoura são riquíssimas em vitamina A e devem ser aproveitadas para fazer bolinhos, sopas, ou picadinhas em saladas. O mesmo se pode dizer das folhas duras da salsa.

11 – Evite as perdas de alho, transformondo-o em pasta.

12 – Somente depois de assado o peixe é que se deve tirar-lhe a cabeça, pois a parte cortada fica seca e dura.

13 – Cozinhe as verduras num cuscuzeiro, aproveitando o vapor. Assim, elas não perderão o valor nutritivo.

14 – Rale as sobras de queijo e use em molhos e sopas.

15 – Se a maioneze talhar, não jogue fora, pingue água quente até que ela volte ao ponto.

16 – Se for cozinhar batatas para usar durante alguns dias, acrescente uma cebola na água do cozimento para que elas não escureçam.

17 – A água do cozimento das batatas acaba concentrando todas as vitaminas. Aproveite-a, juntando leite em pó e manteiga para fazer purê.

18 – Adicione batatas cruas cortadas a sopas que tenham ficado salgadas demais. As batatas vão absorver o sal durante o cozimento.

19 – A parte branca da melancia pode ser usada para fazer doce, que se prepara como o doce de mamão verde.

20 – A casca de laranja fresca pode ser usada em pratos doces à base de leite, como arroz-doce e cremes.

<21 – Para conservar a metade do limão que ainda não foi usada, coloque-a no pires com água, com a parte cortada para baixo, e leve à geladeira.

22 – Para não desperdiçar o suco que a fruta pode dar, bata o limão com um martelinho antes de cortá-lo.

23 – A cebola tira o gosto de queimado do feijão.

24 – Se quizer guardar a farinha de trigo por muito tempo, deixe-a na geladeira ou no congelador, para que não fermente.

25 – Para se tornar fresco o pão amanhecido, basta umedecê-lo levemente com água ou leite e levar ao forno quente por alguns minutos.

Fonte: Revista Carta O Berro

Guia de saúde para adolescentes


Diversão, estudo, esportes e... muitos problemas. A vida nessa idade é mais difícil do que parece, e nada melhor do que um passo a passo para ajudar esses jovens numa fase cheia de dúvidas e acontecimentos

Eles precisam estudar muito, mas também necessitam de momentos de lazer e distração. A alimentação não fica de fora, e, ainda que os jovens, entre 12 e 18 anos, sejam loucos por hambúrgueres, os legumes e as frutas devem fazer parte da dieta. Autoestima e busca pelo corpo ideal também são parte dessa etapa em que acontece a formação da identidade. Sendo assim, a VivaSaúde elaborou um guia para que você entenda as principais doenças que atingem os adolescentes, além de descobrir as atividades físicas e o cardápio mais indicados.

As doenças mais comuns
Dor de cabeça, cólica forte, tendinite, bulimia, doenças sexualmente transmissíveis (DST) e gastrite. As dúvidas assolam pais e filhos, e é muito importante saber qual médico consultar em cada situação. Essas ameaças à saúde são frequentemente ignoradas por uma juventude que nem sempre dá a devida importância aos temas relacionados ao corpo e mente. Por isso, muitas vezes, cabe aos progenitores um auxílio redobrado.

Na hora de buscar acompanhamento, o pediatra é preparado para atender crianças e adolescentes. Porém, atualmente, o hebiatra e o endocrinologista pediátrico têm sido mais procurados. No caso das garotas, é comum o surgimento de problemas ginecológicos, como alterações no ciclo menstrual, corrimento ou dores na região pélvica. Além de uma possível gravidez indesejada e os transtornos alimentares. "Independentemente da especialidade, o médico deve ser sensível aos problemas que os jovens enfrentam e estar livre de preconceitos", diz Rita de Cássia Soares, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Já os garotos apresentam mais problemas relacionados a doenças sexualmente transmissíveis ou uso de drogas. Ambos, entretanto, estão expostos a problemas psiquiátricos. "De maneira geral, os distúrbios mais comuns são os transtornos ansiosos e os depressivos. O transtorno de conduta e os relacionados ao uso de álcool ou entorpecentes ocorrem mais em meninos, enquanto que os alimentares são mais comuns entre as meninas", explica Andreas Stravogiannis, psiquiatra, especialista em infância e adolescência do Hospital 9 de Julho (SP).

Algumas características comuns na juventude, como a irresponsabilidade, a procura da identidade, a rebeldia e a insegurança psicológica são parte desse período crítico do desenvolvimento, tanto fisiológico quanto psicológico. É crucial, então, que aconteça um acompanhamento familiar paralelamente ao profissional. A presença e a compressão dos pais serão decisivas para a formação do caráter do adolescente.

Por dentro da cabeça deles
Para os pais, eles sempre serão os mais bonitos, especiais, os mais inteligentes. Esse excesso de autoestima e adoração pode ser bom durante a infância, quando o mimo faz parte da criação. Mais tarde, no entanto, os filhos se deparam com o mundo e com a competição. Eles nem sempre são os mais belos ou espertos. Problemas de aceitação e confiança passam a ser comuns e chega a hora de se conhecer melhor!
A influência do grupo também é grande, uma vez que o adolescente começa a estabelecer prioridades. De acordo com a psicóloga Cecília Zylberstajn, da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), especialista em adolescentes, é importante que eles frequentem cursos extracurriculares, clubes e façam outras atividades. "Assim, serão bonitos em um grupo, engraçados no outro e conseguirão relativizar tais sentimentos. Descobrirão vários aspectos em si mesmos", comenta.
A adolescência é uma fase em que questões existenciais se impõem e a intensidade e o impacto que elas poderão acarretar dependerão de fatores diversos, "como a sua constituição emocional e o meio familiar e social no qual está inserido", garante Andreas Stravogiannis. As pessoas mais próximas poderão perceber mudanças comportamentais, e eventualmente solicitarão os cuidados de algum profissional.

E na hora de comer?
Época de provas na escola, cursinho ou tensão pré-vestibular. Nessa correria toda, como fica a alimentação? Geralmente, eles consomem as chamadas "calorias vazias", presentes em refrigerantes e bolachas, ou pulam refeições e perdem nutrientes signifi cativos para o desenvolvimento do cérebro, o que pode prejudicá-los.
Para evitar tal tipo de situação, é muito importante a supervisão da família. "Não se deve restringir nenhum alimento específico, mas conscientizá-lo sobre o que trará uma vida saudável ou não. Insistir na mudança dos costumes é um desafio possível para os adolescentes, pois ninguém os segura quando isso se torna uma meta de vida", afirma Rita de Cássia.

Bons hábitos alimentares garantem uma vida adulta mais proveitosa e previnem doenças como diabetes, obesidade, hipertensão e infarto. O consumo exagerado de fast food, frituras e doces deve ser evitado e substituído por sucos naturais, frutas, legumes e cereais. "Podem acontecer várias deficiências nutricionais, como o baixo depósito de cálcio nos ossos, com risco maior para osteoporose, e o intestino preso graças à falta de fibras e água na dieta", alerta Lenycia de Cassya Lopes Neri, nutricionista do Ambulatório do Instituto da Criança (HC/FMUSP). O aspecto da comida pode ajudar, e recomenda-se misturar frutas com iogurtes e cereais, ralar legumes no arroz ou fazer sucos que misturam hortaliças, frutas e legumes, adquirindo uma aparência colorida.

Outro fator que merece atenção é a alimentação na hora e no lugar errados. Devorar um pacote de salgadinhos enquanto assiste ao programa preferido não pode estar associado apenas a esse hábito. Os jovens estão mais sedentários e passam horas em frente à telinha ou ao computador, na maioria das vezes, acompanhados por lanchinhos. Tudo isso contribui para que o organismo não receba adequadamente o estímulo de saciedade e leve ao consumo de quantidades exageradas.

Quando vira um transtorno
Atualmente, vemos desfiles de moda, revistas que expõem curvas perfeitas e novelas que priorizam e cultuam a magreza. Num momento da vida em que se busca a formação da identidade e a aceitação do grupo, o corpo ideal torna-se uma das principais metas ou problemas numa geração composta por números alarmantes de anorexia e bulimia.

Os transtornos alimentares podem causar a morte e ocorrem, na maior parte das vezes, entre as garotas. Para evitar tais casos, Mônica Beyruti, diretora do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), recomenda que as instituições de ensino médio e fundamental desenvolvam atividades voltadas para a conscientização da percepção pessoal e social. "Uma das formas em que isso pode ser feito é mediante palestras e plantões de dúvidas, nos quais exista acesso a um 'miniatendimento' individual", completa a especialista.

Um dos contribuintes fundamentais para que os transtornos ganhem popularidade entre as meninas são os blogs. Vários deles, que são a favor da anorexia, cultuam imagens de pessoas excessivamente magras e ensinam a fazer jejum. Os poucos garotos que apresentam distúrbios alimentares têm uma maior prevalência de obesidade pré-mórbida em relação às garotas e passaram a ter o problema por não conseguirem mais conviver com críticas e apelidos relacionados ao excesso de peso.

A mídia e a internet estimulam esse tipo de manifestação, que poderia nem aparecer caso não divulgassem tantas informações ou estipulassem padrões de beleza. "Algumas meninas se inspiram nesses blogs e se tornam anoréxicas purgativas, aquelas que ingerem e vomitam, um grau ainda mais preocupante do distúrbio", alerta Cristiano Nabuco, coordenador da equipe de psicoterapia do ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares e do Grupo de Dependência de Internet, ambos do Instituto de Psiquiatria da FMUSP.

É preciso se exercitar
Correr, dançar, pular. Entre o lúdico e o real, desde criança as brincadeiras e exercícios físicos são parte do desenvolvimento do ser humano. As pessoas precisam dessas atividades para seu bem-estar, e, ainda que tenha início na infância, apenas na adolescência é que as habilidades aparecem e os movimentos se tornam mais elaborados. Nessa fase, a escolha de uma atividade ou de um esporte é essencial para um melhor convívio social e uma vida saudável.

O exercício deve ser feito de maneira adequada, com acompanhamento e avaliação médica. "A manutenção da atividade é válida porque estimula o metabolismo e faz com que o adolescente tenha condições de crescer o máximo que pode", aconselha Arnaldo José Hernandez, chefe do Grupo de Medicina do Esporte e Cirurgia do Joelho, do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas (SP), e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME).

Além disso, outro benefício é o controle da obesidade, doença que afeta cada vez mais pessoas jovens e é agravada pelo gasto excessivo de tempo em frente à televisão ou ao videogame, fator que influencia o consumo de alimentos gordurosos e vazios de nutrientes. Se for elaborado um programa de exercícios associado a um acompanhamento nutricional, o domínio do peso será mais eficaz. Um adulto que não foi obeso na adolescência terá mais facilidade para emagrecer.

O coração e os ossos também saem ganhando com tudo isso, já que ocorre uma melhora na frequência cardíaca e na função do miocárdio e do colesterol, além de o sistema ósseo passar a incorporar mais minerais, como o cálcio. "Se a mulher mantiver atividades físicas nesse período, fará uma espécie de poupança de osso, que poderá ser utilizada na vida adulta e após a menopausa, quando a possibilidade de surgir osteoporose aumenta", recomenda Hernandez.

Lembre-se sempre que exercício físico é igual à saúde, relaxamento físico e psíquico. "Além de trazer disposição diária e melhorar muito a postura", acrescenta a pediatra Rita de Cássia. Então, incentive o adolescente a deixar a preguiça para trás, escolher o quanto antes a atividade que mais lhe agrada e, acima de tudo, praticar com prazer e regularidade!

OS PERIGOS PARA A SAÚDE DELES
Conheça agora quais são as principais doenças que atingem os adolescentes. E, o melhor, saiba como prevení-las!
● Alterações menstruais: Acompanhamento de um ginecologista desde a menarca e frequência de exames.
● Corrimento: Evitar o uso de protetor diário de calcinha, já que ele inibe a respiração da região, e não usar calças muito apertadas, principalmente em dias de calor.
● Doenças sexualmente transmissíveis: Uso de preservativo e acompanhamento ginecológico constante.
● Distúrbios psiquiátricos: Bom convívio familiar e social, com atividades variadas além da escola. Recomenda-se que os pais estejam sempre abertos a diálogos e explicações.
● Obesidade: Dieta equilibrada, acompanhamento nutricional e prática de exercícios físicos são atitudes recomendadas.
● Transtornos alimentares: Alimentação saudável, atenção dos pais em relação ao que os filhos consomem e boa compreensão do jovem sobre o seu corpo, para que não se deixe influenciar por sites e programas de televisão.
● Alcoolismo: No caso de fator genético, indica-se um acompanhamento médico. Se não houver casos na ascendência, é importante que ocorram esclarecimentos contínuos dentro de casa a respeito dos males que a bebida pode proporcionar.

Fonte: Revista Viva Saúde - por Fernanda Emmerik

domingo, 22 de maio de 2011

Alimentos que ajudam a construir os músculos


Eles ajudam na formação e na manutenção do tecido muscular

Começar a fazer aulas de musculação é a primeira medida de quem está procurando um corpo mais definido. Além disso, ter uma alimentação adequada faz diferença para os resultados aparecerem. "Esta questão é incontestável. Uma alimentação deficiente ou desregrada pode afetar diretamente o rendimento e o resultado de um treino, principalmente pelo consumo errado de carboidratos, ou por outro lado, o seu consumo exagerado momentos antes da prática física" explica a nutricionista Maria Luiza Bellotto, especializada em Nutrição Esportiva.

Segunda a especialista, assim como alguns alimentos podem atrapalhar o desempenho, outros ajudam na formação dos músculos, na manutenção da saúde do tecido muscular e aumentam a energia durante o exercício.

O nutriente mais importante para quem está em busca de músculos mais volumosos e definidos é a proteína. "As proteínas têm a função de reparar as microlesões que ocorrem como um processo fisiológico normal quando se pratica atividade física e proporcionar a sua regeneração e formação de novas células musculares. Elas também têm o papel fundamental para a formação de hormônios em geral e transporte de nutrientes pelo corpo", explica Maria Luiza Bellotto.

Por isso, para ficar em forma e melhorar o resultado do treino, escolha os alimentos certos para colocar no prato.

Ovo
Ele possui aminoácidos essenciais para formar o tecido muscular e também para mantê-lo funcionando bem. "A gema do ovo é formada por proteína de alto valor biológico. Assim, ela combate microlesões e ajuda novas células a serem formadas", diz. Além disso, o ovo também é fonte de vitamina D, que aumenta a síntese de proteínas e, consequentemente, ajuda na formação de novos músculos.

Azeite de oliva
Rico em gorduras monoinsaturadas e polifenóis, o azeite de oliva impede a oxidação de tecidos, processo que leva ao envelhecimento dos músculos. Ele também diminui os níveis de colesterol ruim, o LDL, na corrente sanguínea, previne contra acidentes vasculares e infartos e ainda dá mais energia. De acordo com a nutricionista, essas gorduras são fontes de energia para as células de todo o corpo, aumentando a resistência das células musculares.

Abacaxi
Leve e refrescante, o abacaxi é ideal para ser consumido um pouco antes do treino. Ele é fonte de potássio, magnésio e cálcio, minerais diretamente envolvidos na contração muscular. Contém também as vitaminas A, B1 e C, que impedem a oxidação dos músculos. "Alimentos de baixo a médio índice glicêmico, de fácil digestão e com fibras, como as frutas, são ótimas para serem consumidas antes do treino, já que não pesam no estômago e contém nutrientes e vitaminas importantes para o corpo", diz Maria Luiza Bellotto.

Soja
Um estudo feito pela Universidade de Evansville, nos Estados Unidos, concluiu que a proteína da soja atua na síntese e na reposição de proteínas perdidas durante a atividade física. Assim, colocar soja na dieta ajuda não só na formação do tecido muscular como também em sua manutenção.

Cereja
Consumir essa frutinha duas vezes por dia ajuda a reduzir as dores musculares causadas por exercícios físicos, diz um estudo feito pela Universidade de Northumbria, no Reino Unido. "A cereja tem grandes quantidades de potássio, fibras e vitamina C, nutrientes importantes para o corpo, e que podem acelerar o processo de recuperação muscular", diz a nutricionista Carla Fiorillo, da Unifesp.

Espinafre
Quem sempre comeu espinafre pensando no exemplo do Popeye acertou em cheio. Essa verdura tem octacosanol, uma substância presente em vegetais verde-escuros que aumenta a captação de oxigênio pelos músculos. "O octacosanol potencializa o processo de geração de energia pela quebra de açucares, gorduras e proteínas. Portanto, se não aumenta de modo significativo a força muscular, ao menos já sabemos o espinafre participa diretamente no metabolismo de produção de energia para os músculos", explica Maria Luiza Bellotto

Carne vermelha
Ela é a principal fonte da vitamina B12, indispensável para o bom funcionamento das células nervosas e musculares do corpo. Além disso, a carne vermelha é fonte de todos os aminoácidos essenciais para o organismo, ferro, zinco e proteínas. Na hora de escolher a carne, vale a pena escolher os cortes magros, como maminha, lagarto e filé mignon.

Agrião
Fonte de ferro e vitamina C, essa hortaliça diminui a fadiga muscular causada por atividades físicas muito intensas, segundo um estudo feito pela Universidade Cornell, nos Estados Unidos.

Água
Como aproximadamente 70% dos nossos músculos são formados por água, é muito importante manter o corpo hidratado para ter uma musculatura mais volumosa e definida. "Além disso, sem água não há uma síntese proteica eficiente, o que atrapalha a formação de novos tecidos musculares", diz Maria Luiza Bellotto.

Brócolis
Para quem sente muitas dores depois dos exercícios, comer brócolis é fundamental. Um estudo feito pela Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, descobriu que ingerir uma porção de brócolis em pelo menos uma das refeições do dia ajuda a prevenir dores nos músculos, bastante comuns após os exercícios. "Esse estudo mostra um resultado muito possível, já que o brócolis é um alimento rico em vitaminas antioxidantes. Os carotenoides presentes em grandes quantidades no brócolis são o betacaroteno, luteína e zeaxantine. Estes antioxidantes neutralizam os radicais livres, que causam danos às células saudáveis", explica Maria Luiza Bellotto.

Fonte: Minha Vida - por Fernando Menezes

sábado, 21 de maio de 2011

Estou gripado: posso praticar exercícios físicos?


Segundo o cardiologista especialista em medicina do esporte Nabil Ghorayeb, do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, não. De acordo com o médico, é fundamental o afastamento das atividades físicas até a cura total da gripe.

Ghorayeb explica que pessoas que se exercitam com freqüência e excessivamente têm como efeito colateral a diminuição da imunidade, e com isso fica mais suscetível a infecções virais. "Essas infecções conhecidas como viroses podem provocar em algumas pessoas uma inflamação do miocárdio chamada de miocardite, uma doença que tem como possível complicação o aparecimento de arritmia cardíaca benigna ou maligna", diz.

A recomendação médica é tratar os sintomas antes de retomar a rotina de atividades físicas, hidratando o corpo e mantendo uma alimentação correta. “Vale lembrar que a ingestão de vitamina C ou outras vitaminas não tem nenhuma influência na recuperação mais rápida ou na cura de pacientes com viroses", finaliza Nabil.

Fonte: Blog da Saúde

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Valorize os professores

“Conta uma estória, que um correligionário procura um amigo deputado federal para pedir um emprego para o seu filho que tinha acabado de completar o supletivo do 1º grau. O deputado oferece uma vaga de assessor para ganhar 10 mil reais. Ele diz ao deputado que é muito. O deputado oferece outro cargo ganhando 5 mil reais. Ele pergunta se não tem um empreguinho que pagasse 1mil até 2 mil reais. O deputado responde que tem, mas aí é só por concurso e é para quem tem curso superior, pós-graduação ou mestrado, além do mais ele terá que comparecer ao trabalho todos os dias.”

No Brasil é assim, os amigos e apadrinhados dos políticos ganham cargos com altos salários e não precisam trabalhar, enquanto os professores têm que trabalhar bastante planejando aulas, estudando, atualizando-se, ensinando, atualizando diários, realizando avaliações, investindo na profissão, mas ganhando pouco e não têm direito a fazer greve para reivindicar melhoria salarial e condições de trabalho em prol da educação. Para os políticos e algumas pessoas da sociedade os professores devem ser abnegados à profissão, porque já sabem de antemão que vão ganhar mal e por isso não podem reclamar da baixa remuneração, e esta cruz terá que ser carregada pelo resto da vida.

Os professores não desejam fazer greve, apenas querem que a lei do piso do magistério seja cumprida como determinou o STF, quando foi questionado por alguns governadores sobre a inconstitucionalidade do piso. Se a greve ocorrer, a maioria da população apoiará, principalmente os pais e os alunos, porque sabem que ela é legitima e conhecem a luta dos educadores a favor da educação pública.

Não tem nada pior que um empregado mal remunerado, desiludido e desmotivado, e isto vêm acontecendo com os professores há décadas. Com a criação e aprovação do piso salarial do magistério pelo congresso e sancionado pelo Presidente da República, os professores sentiram-se valorizados e ficaram entusiasmados com a possibilidade de melhorar os salários. No entanto, alguns governadores e prefeitos acreditam que os educadores não merecem ganhar um piso de R$ 1.187,08, porque deve ser muito dinheiro para quem tem a responsabilidade de formar integralmente crianças e jovens através da educação.

De quatro em quatro anos, os políticos disputam as eleições, sobem aos palanques e prometem que em seu governo a Educação será prioridade e os professores serão valorizados. Depois que assumem, eles esquecem as promessas e tentam iludir a sociedade, principalmente os mais pobres, dizendo que a educação pública tem qualidade. Então, por que eles só colocam seus filhos para estudarem nas melhores escolas particulares? O Senador Cristovam Buarque encaminhou um projeto ao senado obrigando os filhos de políticos a estudarem em escola pública, eles engavetaram o projeto. Sabe por que os políticos não valorizam os professores das escolas públicas? Porque a maioria deles estudou em escolas particulares e como alunos, eles não conheceram o descaso dos governantes anteriores pela educação pública, pela falta de condições de trabalho, falta de professores nas escolas, prédios deteriorados, falta de quadras esportivas, falta de carteiras, giz e papel e a baixa remuneração dos professores, esta sempre foi a realidade da escola pública. É importante lembrar que todos os profissionais aprenderam e foram formados através dos professores, da Educação Infantil à Universidade e os políticos são incluídos neste contexto.

O professor é de extrema importância para o presente e o futuro da sociedade, pois tem a capacidade de construir um mundo melhor através da formação integral de seus alunos. Sendo o professor um formador de opinião, é através da educação que poderemos formar cidadãos conscientes dos seus direitos e deveres para a construção de uma sociedade mais justa, igualitária e democrática.

Professor vença todos os percalços que surgirem na sua profissão, defenda seus direitos, valorize-se, lute, seja um guerreiro, porque seus alunos precisam que você seja um exemplo, um espelho para toda a vida. Esperamos que nossos alunos atuais sejam os futuros governantes, menos técnicos e mais humanos, e que valorizem quem os ajudam a se tornarem mulheres e homens sábios, dignos, honestos e cristãos, os PROFESSORES.

José Costa
Professor de Educação física
CREF 000245-G/SE

Saúde e os seus porquês


Por que os meus pés incham em dias de calor?

A reação acontece, pois o calor dilata os vasos sanguíneos, sobretudo das extremidades dos membros inferiores. Isso facilita a formação do edema, como se houvesse uma transferência de líquido dos capilares para o subcutâneo. O problema, então, não se caracteriza como doença, necessitando apenas de mudança nas posições e repouso. Se os sintomas persistem, deve-se procurar um especialista.
Quem responde: Pedro Chocair, diretor clínico e nefrologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Por que a drenagem linfática ajuda a combater a celulite?

A má alimentação, estresse, falta de atividade física, cigarro e alterações hormonais contribuem para o processo de retenção de líquidos, que acarreta má oxigenação do tecido e de todos os vasos, incluindo os linfáticos. Quando há problemas de circulação da linfa, a celulite tende a se instalar. A aplicação da drenagem linfática ajuda a diminuir a retenção de líquidos que geralmente está presente nessas áreas, consequentemente contribuindo para diminuir a celulite. A massagem pode e deve ser associada a outros procedimentos estéticos e acompanhada de mudanças de hábitos de alimentação.
Quem responde: Maria José Costa, esteticista da Clínica Aesthera Dermatologia de São Paulo

Mascar chiclete pode causar problemas no organismo?

O hábito de mascar chiclete por um período prolongado pode ser prejudicial à saúde. Quando você está com ele na boca, seu organismo entende que você está se alimentando e aumenta a secreção de enzimas digestivas, tanto na boca, como no estômago. Desta forma, poderá advir um aumento na excreção de ácidos no estômago. A hipercloridia, nome dado ao aumento de secreção ácida nesse órgão, pode ocasionar aftas orais e até ulceras pépticas no duodeno. O bruxismo, que é o ato de ranger os dentes, também tem relação com a mastigação exacerbada.
Quem responde: Henrique Schleinstein, especialista em Cirurgia do Aparelho Digestório e Coloproctologia do Hospital São Camilo

Por que o cansaço provoca olheiras?

As olheiras decorrem de um aumento da pigmentação na área ao redor dos olhos, sobretudo na pálpebra inferior, mas também possui um componente vascular, isto é, os vasos capilares da área ficam mais visíveis, pois a pele nesta área é muito fina. Quando o indivíduo que já tem uma predisposição a olheiras está fatigado, há uma alteração no calibre dos vasos tornando a vascularização (presença, disposição e abundância ou desenvolvimento dos vasos num tecido, numa região do organismo) na região mais visível. A epiderme mais pálida, comum em quem está mais cansado, também colabora para a maior evidenciação das olheiras.
Quem responde: Flávia Addor, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Regional São Paulo

Fonte: Revista Viva Saúde

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A vovó estava certa: as crianças acordam maiores


Crescendo durante o sono

A ciência finalmente aceitou aquilo que todas as vovós já sabiam: as crianças realmente acordam maiores.

Os resultados do primeiro estudo a procurar uma ligação entre o crescimento diário de uma criança e o sono mostram que os dois estão inextricavelmente ligados.

Especificamente, os surtos de crescimento estão vinculados a um aumento no número total de horas diárias de sono e ao número de vezes que a criança dorme por dia.

Surtos de crescimento

"Pouco se sabe sobre a biologia dos surtos de crescimento," diz a Dra. Michelle Lampl, da Universidade Emory (EUA). "Nossos dados abrem o caminho para novos estudos científicos sobre os mecanismos que estão por trás dessas irrupções de crescimento".

Em termos práticos, o estudo ajuda os pais a compreenderem que o comportamento irregular do sono é uma parte normal do crescimento e desenvolvimento dos seus filhos.

"As irregularidades do sono podem ser angustiantes para os pais," diz Lampl. "No entanto, estes resultados dão uma voz aos bebês que ajuda os pais a entendê-los, mostrando que o comportamento aparentemente errático do sono é uma parte normal do desenvolvimento."

Crescimento amplo

Os pesquisadores também descobriram que sonos mais longos em meninas e em meninos antecedem um aumento no peso e na composição de gordura corporal ligada a um aumento da altura.

Em outras palavras, o sono não só prevê um surto de crescimento em altura, mas também prevê um aumento de peso e gordura abdominal, indicando um processo de crescimento anabólico.

Além disso, o estudo mostrou diferenças nos padrões de sono relacionados ao crescimento, dependendo do sexo do bebê.

"Os surtos de crescimento estão mais associados com o aumento da duração do sono nos meninos, e mais com o número de ataques de sono nas meninas," diz Lampl.

Amamentação

Nem o sexo da criança e nem o aleitamento materno tiveram qualquer impacto significativo sobre o tempo total de sono diário - quanto a criança dormiu no total ao longo de um dia.

Por outro lado, o aleitamento materno está associado a mais períodos de sono, cada um deles mais curto, em comparação com os padrões de sono experimentados por crianças que tomam mamadeira.

Ao contrário de estudos anteriores, este estudo não se baseou na lembrança dos pais sobre os padrões de sono dos bebês e do seu crescimento - as crianças foram monitoradas em tempo real ao longo de um período de quatro a 17 meses.

Fonte: Diário da Saúde

terça-feira, 17 de maio de 2011

A alimentação da criança influi diretamente no rendimento escolar


Falta de nutrientes prejudica o aprendizado infantil e preocupa os médicos. Comer bem é o segredo das crianças que apresentam o melhor desempenho escolar.

Cientistas das Universidades de Londres e Bristol, após realizar uma pesquisa com 14 mil crianças, comprovaram que a baixa quantidade de nutrientes causa atrasos no rendimento, prejudicando o aprendizado. Os pesquisadores também levaram em conta outros fatores, que poderiam interferir no desenvolvimento infantil (como a renda e as condições familiares). Mas nenhum deles teve papel tão impactante como a dieta.

E vale lembrar que não se trata de entupir a molecada de comida. Outra pesquisa, realizada este ano na Faculdade de Medicina Estadual do Rio de Janeiro, aponta que os índices de crianças obesas no Brasil não param de crescer.

O pediatra da clinica Faces, Carlos Brunini, afirma que os males causados pelo excesso de peso são enormes. Existem fatores determinantes para a obesidade infantil, entre eles, o desmame precoce, a introdução de alimentos inadequados e relação familiar conturbada. As causas também podem ser psicogenéticas, como rejeição materna e falta de afeto, depressão, culpa, angústias, pais superprotetores ou alcoólatras, diz.

Fonte: Minha Vida UOL

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Escolaridade revela conduta na prática de atividades físicas


O comportamento de uma pessoa em relação à prática de atividades físicas está diretamente associado à sua situação socioeconômica. As pessoas com mais anos de estudo são as que mais praticam atividades físicas de lazer. O assunto foi estudado pela professora e educadora física Evelyn Fabiana Costa em seu mestrado intitulado Prática de atividade física e sua relação com escolaridade em adultos de Ermelino Matarazzo, Zona Leste de São Paulo.

Evelyn esclarece que atividade física é qualquer gasto de energia além do gasto energético basal (aquele usado para manter o organismo vivo). Já o exercício físico é estruturado e tem objetivo definido, periodicidade e sequência. Ambos são fatores para prevenção e tratamento de doenças crônicas, com hipertensão, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, depressão, ansiedade, entre outros.

A pesquisa, realizada entre 2007 e 2009, na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, estava inserida dentro de uma pesquisa maior que avaliou a prática de atividades físicas em relação ao ambiente. Dela saíram várias pesquisas menores, como avaliação da fluência verbal de idosos, qualidade do sono, entre outras. “Utilizamos um questionário internacional, o IPAQ. Ele estabelece que, para o indivíduo se beneficiar da prática de atividade física, precisa praticar cerca de 30 minutos de atividades moderadas por dia, pelo menos 5 dias por semana, ou 20 minutos de atividades vigorosas, 3 vezes por semana. Se a pessoa pratica esse mínimo de atividades, convenciona-se que ela está, teoricamente, protegida do risco de doenças crônicas”, esclarece Evelyn.

A atividade física foi avaliada de forma fragmentada, utilizando quatro domínios: atividade física no lazer, no trabalho, no ambiente doméstico e de locomoção e deslocamento. O objetivo foi associar cada domínio com o nível sócioeconômico dos entrevistados.

Em estudos anteriores, Evelyn observou que o nível socioeconômico de um grupo era medido de três maneiras: pela ocupação profissional, pela renda, e pela escolaridade. “Escolhemos a escolaridade porque é o mais confiável dos três indicadores. Uma pessoa com escolaridade maior, possivelmente tem uma renda maior, um emprego melhor e, provavelmente, tem mais acesso a informações de cuidados com a saúde”, explica.

Os pesquisadores entrevistaram 385 idosos e 505 adultos no distrito de Ermelino Matarazzo, na Zona Leste de São Paulo, que é uma região de nível sócioeconômico baixo. “As entrevistas duraram cerca de 6 meses, nas quais aplicamos o questionário em postos de saúde e em alguns domicílios. Então avaliamos qual seria o impacto do nível de escolaridade do entrevistado dentro de cada um dos quatro domínios de atividade física”, explica Evelyn.

Resultados já esperados

Os resultados mostraram que a prática de atividade física no ambiente doméstico representou a maior proporção de pessoas fisicamente ativas, com 44,8% dos entrevistados, seguido das atividades realizadas como forma de locomoção e deslocamento, com 37,6%. As pessoas ativas na prática de atividades físicas de lazer, que é onde os governos concentram os esforços com políticas públicas de saúde e prevenção, representaram apenas 16% dos entrevistados.

Nas comparações por gênero, os homens foram mais ativos no lazer e no trabalho. Já as mulheres foram mais ativas nas atividades físicas domésticas.

Conclusões

Evelyn observou algumas associações positivas. Independentemente do sexo, quanto maior a escolaridade, maior a pratica mais atividades físicas de lazer, o que reflete o nível socioeconômico da pessoa. Homens mais escolarizados (acima de 12 anos de estudo) são menos ativos em atividades de locomoção do que os menos escolarizados (0 a 3 anos de estudo). E mulheres mais escolarizadas são menos ativas nas atividades domésticas que as menos escolarizadas.

“Os resultados mostram a necessidade de políticas públicas para incentivar a prática de atividades físicas de lazer na população de menor nível socioeconômico, como a construção de praças, parques, etc., principalmente em regiões menos favorecidas, como é o caso do distrito de Ermelino Matarazzo”, analisa a pesquisadora.

A pesquisa teve o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Texto: Paulo Roberto Andrade
Fonte: Agência USP

domingo, 15 de maio de 2011

IV Festival de Música Inglesa do Colégio O Saber


Hi boys and girls, nesta terça-feira, dia 17 de maio de 2011, o Colégio O Saber realizará o IV Festival de Música Inglesa, a partir das 19 horas, na Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB).
Muita diversão, conhecimento e diversidade no mundo mágico da Língua Inglesa. Você não pode faltar, não perca! Convide os amigos e familiares para assistir um festival de música empolgante.

Coordenadora Rosângela

sábado, 14 de maio de 2011

Receita ideal de suco com 7 frutas protege o coração


Suco ideal

Uma pesquisa francesa indica que uma receita que mistura o suco de sete frutas pode diminuir o risco de ataque cardíaco e derrame.

Os cientistas testaram diferentes "vitaminas" com 13 frutas diferentes e descobriram - em testes de laboratório com porcos - que algumas misturas eram mais efetivas em fazer com que as paredes das artérias relaxassem.

A receita ideal, segundo os pesquisadores, inclui frutas fáceis de encontrar no Brasil, como maçã, uva, morango e acerola.

Mas encontrar os demais ingredientes - mirtilo, lingonberry (amora-alpina ou arando-vermelho) e chokeberry (conhecida nos Estados Unidos como aronia)- pode ser uma tarefa complicada.

Polifenóis

Estudos anteriores revelaram que compostos encontrados nas frutas, os polifenóis, protegem o coração e impedem o entupimento das artérias.

Os cientistas franceses decidiram então testar o efeito antioxidante de diferentes misturas de sucos de frutas.

Segundo os pesquisadores da Universidade de Estraburgo, o coquetel de sete frutas mais efetivo testado por eles aumentaria o fluxo de sangue para o coração, garantindo um melhor equilíbrio entre nutrientes e oxigênio.

O estudo, publicado no periódico Food and Function, também descobriu que alguns polifenóis são mais potentes que outros e que sua capacidade de eliminar radicais livres que podem danificar células e DNA é mais importante que a quantidade de polifenóis encontrada em cada fruta.

Frutas e legumes para o coração

Tracy Parker, da organização British Heart Foundation, diz que a pesquisa confirma a evidência de que o consumo de frutas e legumes reduz o risco de doenças cardíacas, mas faz uma ressalva.

"Nós ainda não entendemos por que, ou se, algumas frutas e legumes são melhores que outros. Mesmo este estudo admite que os cientistas não conseguiram estabelecer nenhuma ligação", diz ela.

"O que sabemos é que devemos comer uma boa variedade de frutas e legumes como parte de uma dieta balanceada, e suco de fruta é uma maneira prática e gostosa de fazer isso. Mas precisamos lembrar que sucos contêm menos fibras e mais açúcar que a fruta original."

Fonte: Diário da Saúde

Alterações do sono têm forte impacto no desempenho cognitivo


Sono e envelhecimento

Alterações do sono que ocorrem durante um período de cinco anos na idade adulta afetam fortemente a função cognitiva na terceira idade.

Homens e mulheres que tiveram variações no seu tempo de sono, passando a dormir menos do que 6 e mais do que 8 horas por noite, estão sujeitos a um declínio cognitivo acelerado.

Os efeitos verificados são equivalentes a um período de 4 a 7 anos de envelhecimento.

Dormir mais e dormir menos

As pessoas que passaram a dormir um adicional de 7 a 8 horas por semana tiveram menor pontuação em cinco de seis testes de função cognitiva, com a única exceção sendo o teste de memória verbal de curto prazo.

As pessoas que tiveram uma redução de 6 a 8 horas de sono por semana tiveram uma menor pontuação em três dos seis testes cognitivos - raciocínio, vocabulário e estado cognitivo global.

"O principal resultado do nosso estudo é que mudanças adversas na duração do sono parecem estar associadas com uma piora na função cognitiva em idade mais avançada," afirma a Dra. Jane Ferrie, da Universidade College London, no Reino Unido.

Sono de homens e mulheres

Os pesquisadores também descobriram que, nas mulheres, um sono de 7 horas de duração por noite esteve associado com a maior pontuação para cada teste cognitivo, seguido de perto por seis horas de sono noturno.

Entre os homens, a função cognitiva foi igual para aqueles que relataram dormir 6, 7 ou 8 horas por noite - somente durações menores do que 6 horas ou maiores do que 8 horas parecem estar associadas com menores notas nos testes cognitivos.
Embora os participantes em sua maioria fossem trabalhadores de escritório, o grupo de estudo abrangeu um amplo leque socioeconômico, com uma diferença de 10 vezes no salário.

Os pesquisadores ajustaram os efeitos da educação e da posição ocupacional devido à sua conhecida associação com o desempenho cognitivo.

O nível socioeconômico não responde por todas as associações observadas, indicando ou uma associação direta entre as alterações no sono e a função cognitiva, ou a uma associação mediada ou confundida por outros fatores além da educação e da posição ocupacional.

Importância do sono

Segundo os autores, um sono adequado e de boa qualidade é fundamental para a fisiologia humana e o bem-estar.

A privação do sono e a sonolência têm efeitos adversos sobre o desempenho, os tempos de reação, e problemas de atenção e concentração.

Além disso, a duração do sono está associada com uma vasta gama de medidas de qualidade de vida, tais como o relacionamento social, a saúde mental e física, e a morte precoce.

Fonte: Diário da Saúde

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Quem definiu o tamanho das horas e dos minutos?


Os babilônios, povo que viveu entre 1950 a.C. e 539 a.C., na Mesopotâmia, foram os primeiros a marcar a passagem do tempo. Ao construir o relógio de sol, dividiram o dia em 12 partes e depois em 24, que são as horas que usamos até hoje. “Como usavam os sistemas numéricos duodecimal (baseado no número 12) e sexagesimal (baseado em 60), os babilônios dividiram a hora em 60 partes, ‘inventando’ o minuto”, explica o metrologista (especialista em sistemas de medida) Pedro Luiz Montini, do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-SP). “Dividindo o minuto em 60 partes, eles chegaram à definição do segundo, embora só tenha sido possível detectá-lo com precisão séculos depois”, completa.

UMA BREVE HISTÓRIA DO TEMPO

Grandes civilizações dividiram o tempo em unidades que usamos até hoje.

ANO

Em 46 a.C., o general romano Júlio César adaptou o calendário egípcio – de 3000 a.C. O modelo juliano dividiu o ano em 365 dias – equivalente ao ciclo solar conhecido à época – e 12 meses. Em 1582, o papa Gregório XIII corrigiu imprecisões e estabeleceu o modelo atual, o gregoriano.

MÊS

Babilônios, egípcios e antigos chineses dividiam o ano em dez períodos, nomeados de acordo com seus deuses. Os romanos foram os primeiros a dividir o ano em 12 partes. Os nomes do sétimo e do oitavo mês, porém, eram quinctillis e sextillis – julho e agosto surgiram depois, em homenagem a Júlio César e ao imperador César Augusto.

Em 8 d.C., o senado romano jogou um dia de fevereiro para agosto. É que o mês de César Augusto tinha um dia a menos do que o de Júlio César (julho).

SEMANA

A definição do ciclo de sete dias tem origem dupla. De um lado, os astrólogos de Alexandria, capital do Egito por volta de 300 a.C., organizaram os dias em grupos de sete para seguir a ordem dos sete planetas até então conhecidos. De outro lado, a tradição hebraica do Shabbath, que estabelece um dia de culto a cada sete, no qual os judeus descansavam.

Os sumérios já observavam o ciclo de sete dias – relacionado às fases da Lua – antes de egípcios e hebreus, porém sem formalizar o sistema.

DIA

Os babilônios precisavam medir o tempo em frações menores que o dia e a noite. Para isso, inventaram o primeiro relógio da humanidade, o relógio de sol. Ainda não dava para marcar as horas com precisão, mas a trajetória da sombra separava o dia em 12 partes. Com o mesmo raciocínio, dividiram a noite também.

HORA

A definição de horas, minutos e segundos era conhecida desde os babilônios, mas demorou até alguém medir o tempo com precisão. O relógio mecânico só surgiu no século 14 e atrasava 15 minutos por dia – um dia a cada três meses! Em 1656, com o relógio de pêndulo, o atraso diminuiu para um minuto por semana.

O segundo equivalia a 1/60 do minuto até 1967, quando o Sistema Internacional de Unidades definiu sua duração baseado na radiação do átomo de césio 133.

OUTRAS MEDIDAS

Com o avanço tecnológico, surgiu a necessidade de medir intervalos de tempo menores. É o caso do microssegundo (milionésima parte de um segundo), do femtossegundo (1 quatrilhão de vezes menor que um segundo) e do attossegundo (mil quatrilhão de vezes menor que um segundo), o menor tempo já medido por cientistas.

Membros da Revolução Francesa tentaram emplacar um sistema decimal para medir o tempo – a fim de uniformizá-lo com as medidas de distância.

CONTA OUTRA

Países orientais mantêm calendários bem diferentes do que os usados no Ocidente.

A Índia segue um calendário baseado no ciclo lunar, com o ano zero equivalente a 79 d.C. Para os chineses, o ano tem 354 dias e a medição do tempo é lunissolar, ou seja, considera o movimento da Terra em relação ao Sol e à Lua. Para não perder a sincronia com o ciclo solar, a cada oito anos mais 90 dias entram no calendário. O calendário dos judeus também é lunissolar. Os meses têm 29 ou 30 dias e, para compensar os dias perdidos em relação ao ciclo solar, acrescenta-se um 13º mês em alguns anos.

Fonte: Revista Mundo Estranho - por Sheyla Miranda

Como se forma o chulé?


O chulé - ou bromidrose - é uma espécie de pum emitido por bactérias que se alojam nos nossos pés. Depois de se alimentarem de pedacinhos de pele morta e do suor acumulados no pé, as bactérias eliminam compostos químicos como ácido isovalérico e metanotiol, que causam o fedor característico. O cheirinho dequeijo do chulé não é mera coincidência: bactérias que atacam alguns tipos de queijos também liberam o gás metanotiol. "O ambiente quente, úmido e escuro que envolve os pés de quem usa calçado fechado é ideal para a ação e proliferação de microorganismos nocivos, como fungos e bactérias. E isso vale para a maioria das doenças que se manifestam nos pés", diz a podóloga Lilia Cordeiro, da Associação Brasileira de Podólogos. Portanto, para prevenir o chulé, os melhores meios são: secar bem os pés depois do banho, revezar o uso de tênis e sapatos, calçar meias de algodão, manter o interior dos calçados limpos e andar com os pés ventilados. Além de evitar o chulé esses cuidados podem evitar outras enfermidades nojentas.

Pé na cova
Além das bactérias do chulé, outros microorganismos atacam nossos pés

BICHO GEOGRÁFICO

1. Parasitas como o Ancylostoma brasiliense desenvolvem-se dentro de cães e gatos. Os ovos do verme pegam carona nas fezes dos bichinhos para chegar ao solo e entrar em contato com o ser humano.

2. A larva perfura a camada mais superficial da pele, mas não consegue penetrar mais fundo para colocar seus ovos. Por isso, circula desordenadamente, deixando rastro e causando coceira.

3. Para acabar com o rolê, é preciso aplicar pomadas à base de tiabendazol, que envenenam a larva até a morte.

FRIEIRA

1. Fungos dermatófitos - que se alimentam de pele - como os do gênero Tricophyton e Epidermaphyton adoram ambientes úmidos, como saunas, piscinas e vestiários.

2. Os fungos caem de boca na queratina - substância que forma a pele - provocando rachaduras, descamação, coceira, amolecimento da pele e outras feridas que servem como porta de entrada para infecções bacterianas.

3. Para atacar os fungos, há antifúngicos em creme, pó e spray. Esses medicamentos enfraquecem as membranas das células do fungo, que acabam explodindo.

MICOSE DE UNHA

1. A contaminação é parecida com a da frieira. Mas, além dos dermatófitos presentes em saunas e piscinas, a contaminação pode acontecer em salões de beleza, por fungos alojados em alicates e tesouras mal higienizados.

2. A abundância de alimento - queratina - estimula os fungos a instalar-se por baixo da unha que, enfraquecida, descama, muda de cor e pode até cair.

3. Quando a ferida é inacessível a pomadas e cremes, o jeito é apelar para remédios antifúngicos de uso oral e tentar matar o fungo "por dentro".

OLHO-DE-PEIXE

1. O HPV, vírus causador do olho-de-peixe, entra no organismo através de feridas na pele. A transmissão pode ser indireta, por objetos infectados, ou por contato direto.

2. O vírus faz crescer uma verruga interna (da sola para dentro da pele). Isso é o olho-de-peixe. Vasinhos de sangue dentro da verruga alimentam o vírus e o "olho" cresce.

3. Para exterminar o HPV, a saída é cauterizar (queimar) a pele com produtos químicos ou raio laser, tostando o vírus junto com o tecido.

BICHO-DE-PÉ

1. O "bicho" é, na verdade, uma pulga que vive no solo de pastos e chiqueiros e, de tempos em tempos, procura um hospedeiro para colocar seus ovos.

2. A pulguinha grávida penetra a pele da vítima e alimenta-se de sangue enquanto desova. Ela passa cerca de dez dias por ali. Nesse período, põe de 150 a 200 ovos.

3. Depois de desovar, a pulga mãe morre. Para evitar infecções, o ideal é que ela seja retirada por completo com uma agulha esterilizada, antes de morrer.

Fonte: Revista Mundo Estranho - por Tiago Jokura

Saiba como escolher orquestra, coral e canções para embalar a cerimônia de casamento


Você ainda lembra daquela música que tocou na primeira vez que vocês se beijaram, conversaram ou viajaram juntos. Toda vez que a ouve, instantaneamente vem à cabeça a cena vivida, com direito a todos os detalhes, incluindo o toque, o gosto e até o cheiro que havia naquele momento? É inevitável. Música não é só som. É memória. É trilha sonora. Da vida e, claro, dos casais apaixonados. Assim, se ela marca um relacionamento, imagine então um casamento? Convenhamos, não dá para imaginar a entrada da noiva na igreja sem o som dos clarins triunfais ao fundo. A emoção da cerimônia matrimonial começa e termina pela música. Por isso, é fundamental acertar no repertório para cada momento do casamento e apostar em orquestras e corais de qualidade, com músicos profissionais. Só não vale esquecer da maquiagem a prova d' água.

Número de músicos

Ao contratar a empresa que fará a "trilha sonora" da cerimônia atente-se à quantidade de músicos que o casamento (e o bolso) comporta. Por isso, vale seguir as dicas de especialistas no assunto, como a maestrina Rita del Chiaro, diretora artística do Coral del Chiaro, que realizou o casamento de Scheila Mello e Xuxa (o nadador Fernando Scherer) e da ex-BBB Leka. "Nossa equipe conta com 60 músicos e oito maestros, e só trabalhamos com pacotes a partir de treze músicos para cerimônias em São Paulo. Mas a escolha do 'tamanho' do coral e da orquestra depende muito do tamanho e da acústica do local, da quantidade de convidados e das músicas escolhidas pelos noivos, já que algumas precisam de mais instrumentos e outras de mais vozes", ressalta.

Outro expert no assunto é o maestro Renato Misiuk, do Coral Allegro, que regeu a orquestra de casamentos de famosos, como Luciana Gimenez, Christian Fittipaldi e da atriz Thais Fersoza. "A primeira coisa a ser analisada é o local onde acontecerá a cerimônia. Não adianta colocar trinta músicos em uma capela, onde não haverá espaço suficiente, ou quatro em uma grande catedral. Também não usamos microfones, pois é uma prática que ilude os casais, afinal, dez vozes devem cantar como dez vozes, e não usar microfones para parecerem vinte. Coral com microfones individuais parecem bandas de baile e perdem em credibilidade artística e visual", alerta.

Além da quantidade de músicos, a qualidade da apresentação da orquestra segue a máxima 'a união faz a força'. "Os elementos de uma boa orquestra e coral incluem harmonia entre articulação, pontuação, distribuição equitativa de 'nuances', fraseado, afinação, estilo, timbre vocal, consciência do canto em conjunto e musicalidade de cada componente", enfatiza o maestro Silvio Baccarelli, do Baccarelli Coral & Orquestra.

Instrumentos (e vozes) para emocionar

Violinos, clarins, trompetes, sax, flauta, percussão e campanas são alguns dos instrumentos que podem ser utilizados na escolha das músicas idealizadas. "Cada um tem sua função dentro da orquestra, mas os mais pedidos são violinos e trompetes com clarins, por terem forte efeito visual. Além disso, há a opção de usar só instrumentos, o que ocorre principalmente em cerimônias diurnas ou dentro do ambiente da festa, como em buffets. A música apenas instrumental proporciona um efeito sonoro mais 'clean' e possibilita adaptar músicas modernas sem perder a elegância ou ferir o contexto do ambiente religioso. Já em cerimônias com orquestra e coral juntos, o efeito do som é mais imponente e vibrante. As vozes dos cantores, tenores e sopranos adicionadas à orquestra são perfeitas para enlaces em igrejas e templos religiosos, onde há ainda, o “plus” dos sinos e clarins", explica Rita del Chiaro.

Já o maestro Renato Misiuk, do Coral Allegro, composto por uma equipe de 250 profissionais, avalia os principais instrumentos de uma orquestra. "A harpa é um instrumento lindo, mas não muito apropriado para alguns locais. Já o piano ou órgão é o coração do grupo, e a base de tudo. O 'volume' dele deve estar sempre igualado, para não haver diferença de emoção entre os pianos considerados 'fortes' ou 'leves'. A entrada da noiva e a benção ou comunhão precisam ter a mesma intensidade de som. Outro ponto importante é que cada integrante da orquestra deve exercer apenas uma função. Não existe, por exemplo, pianista que canta e ainda cuida da organização do cortejo na porta da igreja", enfatiza.

Detalhes e cuidados que fazem a diferença

Antes de escolher a orquestra vá assistir a uma apresentação deles ao vivo, e repare na qualidade do som, dos cantores, dos instrumentos, do traje e até da pontualidade dos integrantes. Depois de escolhida a orquestra, contrate a empresa com pelo menos seis meses de antecedência ao casamento ou um ano antes, se a cerimônia for num sábado, o dia mais concorrido na agenda. Já a escolha do repertório deve estar pronta três meses antes do grande dia, para que os músicos ensaiem e preparem os arranjos em tempo hábil. O ideal é escolher mais de uma música para cada momento, afinal, imprevistos podem acontecer.

Verifique também se a orquestra já tocou no local escolhido. Em caso negativo, peça para que façam um teste de som antes do grande dia, para evitar surpresas desagradáveis. Verifique se o local tem toda a aparelhagem de som necessária, o que pode não acontecer em sítios ou buffets. Nesse caso, veja se este item está incluso no orçamento da orquestra. Se a cerimônia for na igreja, que costumam ter normas mais rígidas, informe-se sobre possíveis restrições a determinados estilos musicais e quanto à quantidade de entradas permitidas durante a cerimônia.

O local na igreja destinado à orquestra costuma variar bastante - pode ser um mezanino, uma saleta ou na lateral do altar. Por isso, tenha certeza de que a quantidade de músicos escolhidos cabe no espaço. E, tudo bem que nada supera a tensão dos noivos no dia do casamento, mas os convidados também ficam ansiosos esperando pelo início da cerimônia. Para distraí-los antes do início dos cortejos, selecione músicas suaves e em baixo volume. Mas nada de silêncio.

Fonte: UOL - MILENE SPINELLI

Aulas de educação física melhoram rendimento escolar


Para o corpo e para a mente

Diminuir as atividades físicas e recreativas para que os estudantes fiquem mais tempo na sala de aula, em vez de melhorar as notas, tem um impacto negativo sobre o aprendizado.

A revelação foi feita durante a reunião anual das Sociedades Acadêmicas Pediátricas, que está se realizando em Denver, nos Estados Unidos.

O estudo reforça as evidências de que as atividades físicas são benéficas não apenas para o corpo, mas também para a mente.

Atividades físicas criativas

Kathryn King e Carly Scahill, pediatras do Hospital Infantil da Universidade da Carolina do Norte, testaram um programa de atividades físicas entre crianças do primeiro ao sexto ano, todas apresentando notas abaixo da média.

Antes do programa, as crianças tinham uma única sessão de atividades físicas de 40 minutos, uma vez por semana. As aulas de educação física foram estendidas para toda a semana - 40 minutos por dia, cinco dias por semana.

Mas não se trata apenas de correr, saltar ou fazer polichinelos. O programa envolve atividade de treinamento de movimentos, como traçar formatos no chão com giz ou dar nomes às cores de cada degrau enquanto saltam para baixo ou para cima por uma escada colorida.

Crianças maiores também participaram de exercícios monitorados em aparelhos, como uma esteira que mostrava noções de geografia enquanto a criança corria ou uma parede de alpinismo cujos números vão mudando conforme a criança ascende na escalada.

Mente sã em corpo são

As pesquisadoras compararam as notas dos estudantes em testes padronizados antes e depois do programa de atividades físicas.

Os resultados mostraram que o tempo investido nas atividades físicas e lúdicas tem bom retorno.

O percentual de estudantes que atingiu a nota mínima passou de 55% antes, para 68,5% depois da participação no programa.

Fonte: Diário da Saúde

terça-feira, 10 de maio de 2011

11 motivos para se manter no peso certo


A obesidade, hoje, carrega a menção nem um pouco honrosa de grave problema de saúde pública. Com o intuito de frear essa epidemia, a Editora Abril, com as revistas SAÚDE e BOA FORMA e o site MdeMulher, lança a campanha Emagrece, Brasil. E nada melhor do que dar o pontapé inicial nessa empreitada apontando razões inusitadas para entrar em forma

À primeira vista, veem se poucas semelhanças entre os Estados Unidos, uma das maiores e mais ricas potências do planeta, e a pequena e pobre República de Nauru, ilhota localizada na Oceania. Os dois países, no entanto, se aproximam no quesito índice de massa corporal médio de suas populações: ambas superam de longe o número 25, limite entre a normalidade e o sobrepeso.

Pior é que esse pesado fardo está longe de ser privilégio dos dois povos citados. Afinal, em apenas 30 anos o número de obesos no mundo dobrou. Aqui, mais da metade dos brasileiros tem gordura de sobra no corpo. "A situação é alarmante. Até mesmo os países desenvolvidos não conseguirão lidar com os custos desse fenômeno caso seu crescimento continue no ritmo atual", avisa o endocrinologista carioca Walmir Coutinho, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). "É necessário mudar políticas, comportamentos e investir em atitudes voltadas para um estilo de vida mais saudável", prescreve.

A opinião desse especialista remete a muitos dos objetivos do Emagrece, Brasil. Por meio de ações em escolas, eventos para estimular a prática de atividades físicas, conteúdos em revistas e muito mais, a iniciativa pretende encarar a obesidade de peito aberto. No site da revista, você fica sabendo da programação, além de encontrar informações confiáveis e estratégias para perder eventuais quilos extras. E, sobretudo, terá a oportunidade de passar esse desafio adiante. Essa, aliás, é a principal ideia: que todos ajudem a criar um Brasil saudável, uma causa que SAÚDE! sempre defendeu. Para marcar a estreia da campanha, a gente apresenta 11 vantagens inusitadas de se manter em paz com o ponteiro da balança e oito maneiras de chegar a esse armistício em prol de ficar verdadeiramente em forma.

1. Para se prevenir contra o câncer...
Em uma nova recomendação, associações voltadas ao estudo dessa doença reiteram a importância do porte físico ideal na prevenção contra ao menos 15 tipos de tumor. O de mama, inclusive, foi alvo de cientistas do Centro de Pesquisas em Câncer Fred Hutchinson, nos Estados Unidos. Após analisar dados de 155 mil mulheres, eles concluíram que as donas de curvas muito avantajadas têm 35% mais risco de desenvolver uma forma extremamente agressiva dessa versão do mal. "Os magros produzem menos substâncias precursoras de diversos cânceres", indica a endocrinologista Alessandra Rascovski, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem), na capital paulista.

Incêndio pelo corpo
Sabe-se que uma pança volumosa contribui para as inflamações. E elas, acreditam os especialistas, dificultam as respostas de defesa do organismo contra as células tumorais.

2. ...Manter a visão em dia
Altas taxas de gordura corporal contribuem para o surgimento do diabete tipo 2, uma enfermidade responsável por, entre outras coisas, minar os vasos sanguíneos, inclusive os que irrigam os olhos. Todavia, mesmo barrigudos livres da chateação caracterizada pelos montes de açúcar no sangue estão ameaçados de perder a capacidade de enxergar bem antes da hora. "A hipertensão, típica em pacientes com peso elevado, propicia as complicações na retina", informa Walmir Coutinho, da Abeso. Nesse caso, o sangue chega sob forte pressão e, assim, não alimenta a área adequadamente. Desnutrida, ela começa a definhar — e é aí que as luzes vão se apagando. Quando isso acontece, não tem volta.

3. ...incrementar o sexo
Está aí uma atividade que alia prazer a gasto calórico! Pena que, conforme o umbigo vai pra frente, a libido dos homens recua. É que os gordinhos contam com menos testosterona, hormônio relacionado ao apetite sexual. Mas outro fator influencia tanto marmanjos como mulheres — e não estamos falando da autoestima. Na realidade, a vagina e o pênis contêm vasos capilares por onde o sangue passa intensamente na hora agá. E, como todo o sistema cardiovascular de alguém rechonchudo é prejudicado, esses tubinhos deixam de funcionar direito, o que pode culminar em disfunção sexual.

4. ...não perder o fôlego
Quem está em dia com a balança oferece o espaço necessário para que o diafragma trabalhe confortavelmente. Uma carga enorme de banha, por outro lado, espreme o músculo da respiração, impedindo sua contração normal. "Assim os pulmões não se enchem de ar completamente, o que pode favorecer até infecções como a pneumonia", alerta Alcides José Branco Filho, cirurgião bariátrico do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Curitiba, no Paraná.

5. ...ter uma pele admirável
É impossível negar: em casos drásticos de perda de peso, seja por mudanças de hábito, seja por meio de uma cirurgia de redução de estômago, sobra pele no corpo. Contudo, tecido demais não pode ser confundido com uma epiderme pouco saudável. Muito pelo contrário. Qualquer ser humano que pretende exibir uma tez com maior frescor só tem a ganhar quando atinge a massa corporal adequada. "Isso porque há uma menor fabricação de ácido aracdônico, mediador inflamatório que envelhece a pele", ressalta o médico ortomolecular Cristiano Merheb, do Rio de Janeiro. Em vez de temer uma eventual frouxidão, vale consultar um dermatologista com experiência no tema.

6. ...afastar a depressão
A tristeza sem fim é bem mais recorrente em indivíduos corpulentos. Claro, isso tem a ver com a baixa autoestima que geralmente os acompanha. Só que, infelizmente, esse elo é muito mais profundo. "A obesidade costuma alterar o balanço de neurotransmissores como a dopamina e a serotonina, ligados ao bem-estar", informa a neurologista Sonia Brucki, da Academia Brasileira de Neurologia, em São Paulo. Os derrames, menos comuns em quem apresenta um físico de dar inveja, também podem, sob determinadas condições, originar a melancolia intensa.

7. ...assegurar a memória
"Estudos populacionais mostram que adultos com sobrepeso tendem a desenvolver, na terceira idade, algum problema cognitivo com mais frequência quando comparados a idosos que sempre foram esguios", atesta Sonia. De novo, os acidentes vasculares cerebrais são os culpados. Eles têm o poder devastador de inutilizar regiões da massa cinzenta — entre elas o hipocampo, que apresenta uma relação estreita com nossas recordações. Fora isso, há quem relacione o diabete tipo 2, doença característica do pessoal de cintura larga, com o mal de Alzheimer, um grande inimigo das lembranças.

8. ...dormir bem
Um pescoço de grande diâmetro dificulta a passagem de oxigênio, etapa inicial para a famigerada apneia noturna. Além dos roncos, ela diminui a qualidade do sono por propiciar pequenos despertares, muitas vezes não percebidos, no meio da madrugada. "O indivíduo até dorme o mínimo necessário, porém continua acordando cansado", afirma Stella Tavares, neurofisiologista do Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista. Dobras espalhadas pelas pernas, braços e quadris só pioram a situação, já que limitam as posições na hora de descansar pra valer.

9. ...evitar hérnias e dores nas articulações
Suportar uma grande protuberância abdominal exige contorcionismo. A base da coluna é empurrada para a frente, os joelhos saem do eixo e os membros inferiores, durante uma passada, fazem movimentos em forma de arco, que visam diminuir o atrito entre as coxas. Tais alterações diminuem a capacidade de amortecimento dos ossos e, com isso, favorecem a dolorosa degeneração das articulações. "A mudança do centro de gravidade ainda força as vértebras, aumentando o risco de uma hérnia de disco", completa o ortopedista Lafayette Lage, membro honorário da Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

10. ...diminuir o risco de intoxicação
Bebidas alcoólicas caem no fígado para ser depuradas. Semelhante ação ocorre com alguns medicamentos, processados no órgão para aliviar males ou para preveni-los. Em outras palavras, é responsabilidade dessa fábrica natural converter substâncias potencialmente envenenadoras em outras pouco nocivas ou até benéficas. O que isso tem a ver com quilos a mais? "Obesos podem sofrer com a esteatose hepática, uma infiltração de gordura no fígado", lembra a endocrinologista Alessandra Rascovski. Essa invasão sebosa, por sua vez, prejudica o desempenho desse órgão, que acabará deixando moléculas tóxicas causarem estragos pelo corpo todo.

11. ...manter o sabor das coisas
Pesquisas fresquinhas sugerem um vínculo entre uma menor sensibilidade para determinados gostos, como o doce, e barriga saliente. "Não sabemos se o problema estaria no cérebro ou na língua, mas isso poderia ser um dos motivos por trás do maior consumo de alimentos calóricos nessa população", especula Ivan Araújo, neurocientista da Universidade Yale, nos Estados Unidos. É como se a pessoa compensasse a falta de sabor com uma maior quantidade de comida.

Fonte: Revista Saúde - por THEO RUPRECHT I