quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Para as mulheres depressão e enxaqueca andam de mãos dadas


Um novo estudo demonstrou que as mulheres que têm enxaquecas são cerca de 40% mais propensas a desenvolver depressão do que as mulheres que nunca tiveram enxaquecas.

Na pesquisa, os cientistas analisaram o risco de depressão entre 36.154 mulheres que participaram do Estudo da Saúde das Mulheres. Nenhuma das mulheres tinha depressão no início do estudo.

As pacientes foram divididas em quatro grupos: aquelas com enxaqueca com aura, as com enxaqueca sem aura, as com histórico de enxaqueca, mas que não tiveram no ano passado, e as sem histórico de enxaqueca. Aura são distúrbios visuais, como luzes piscando, às vezes associados com a enxaqueca.

Durante cerca de 14 anos de acompanhamento, 3.971 mulheres foram diagnosticadas com depressão. Os resultados mostraram que mulheres com enxaqueca eram 36% mais propensas a desenvolver depressão em comparação com mulheres sem histórico de enxaqueca. Mulheres com histórico de enxaqueca tinham 41% mais chances de sofrer de depressão.
O risco aumentado de depressão associado à enxaqueca era o mesmo com ou sem aura.

“Este é um dos primeiros estudos grandes a examinar a associação entre enxaqueca e o desenvolvimento de depressão ao longo do tempo”, disse o pesquisador Tobias Kurth. “Esperamos que os nossos resultados encorajem os médicos a falar com seus pacientes com enxaqueca sobre o risco de depressão e as potenciais formas de prevenir a doença”. [WebMD, foto de Patrick Denker]

Fonte: http://hypescience.com/enxaqueca-aumenta-risco-de-depressao-em-mulheres/ - Por Natasha Romanzoti

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Os 10 piores erros para cometer em uma entrevista de emprego

Atender o celular ou parecer desinteressado são com certeza ações muito erradas quando se pretende causar uma boa impressão em uma entrevista de emprego. Mas uma nova pesquisa mostra que isso é apenas a ponta do iceberg, quando o assunto é deixar sua marca em uma seleção.

Além dos comportamentos altamente errados – e comuns – que incluem mandar mensagens de texto durante a entrevista, se vestir de maneira inapropriada, mascar chicletes e falar mal de antigos chefes, o novo estudo revela algumas das experiências mais estranhas que já aconteceram nesse tipo de situação. Entre elas:
• O candidato trouxe um livro de “como entrevistar” junto com ele;
• O candidato perguntou, “qual empresa é essa mesmo?”;
• A candidata pediu para o entrevistador esperar durante uma entrevista por telefone. Quando ela voltou para a linha, disse que tinha conseguido um encontro romântico para sexta-feira;
• O candidato apareceu para a entrevista usando uma roupa de escoteiro, e não explicou por que;
• O candidato falou que pontualidade era um dos seus pontos fortes, mas chegou 10 minutos atrasado;
• No caminho para a entrevista, o candidato ultrapassou e mostrou o dedo do meio para uma pessoa em outro carro, que por acaso era a que ia entrevistá-lo;
• O candidato tirou os sapatos durante a entrevista;
• O candidato pediu um gole de café do entrevistador;
• Quando um candidato não conseguiu um trabalho em uma prisão, ele voltou e pixou o muro;
• O candidato foi preso por autoridades federais durante a entrevista porque uma checagem de antecedentes mostrou que ele era um fugitivo;
• A candidata comentou que ela não tinha certeza se o trabalho valia “ligar o carro”.
“Parece impossível que candidatos atendam um celular durante uma entrevista, ou usem bermuda, mas escutamos essas histórias fantásticas toda hora”, afirma Rosemary Haefner, vice-presidente de recursos humanos da CareerBuilder, responsável pelo estudo.

Para sorte dos entrevistados, ela coloca que ser diferente da massa – de uma maneira certa – é tipicamente um ponto positivo para a maior parte das empresas.

Haefner afirma que uma apresentação de sucesso decorre de uma junção da personalidade do candidato, sua experiência profissional e as necessidades da empresa. Ela recomenda as seguintes dicas:
• Faça a sua pesquisa: antes da entrevista, faça uma pesquisa online das novidades da empresa, a seção “quem somos nós”, com informações da companhia, e a lista de produtos e serviços que ela oferece.
• Mantenha a boa apresentação: durante a entrevista, mantenha-se positivo e evite falar mal de antigos empregos.
• Prepare exemplos e ideias: traga um resumo da sua vida, das situações em que você conseguiu se sair bem e vencer desafios. Esteja pronto para dividir ideias que você pode trazer para o posto almejado.

Essa pesquisa se baseou em conversas com mais de 3 mil profissionais de recursos humanos. [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/os-10-piores-erros-para-cometer-em-uma-entrevista-de-emprego/ - Por Bernardo Staut

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Perigos no salão de beleza


De 2005 a 2010, o número de salões de beleza quase que duplicou no Brasil. Com a melhora na economia e a maior participação feminina no mercado de trabalho, o segmento de beleza cresce vertiginosamente. Segundo pesquisa da Fecomércio-SP, os brasileiros gastam hoje cerca de um bilhão de reais com tratamentos de beleza. Esse valor é o mesmo que é gasto com produtos básicos, como o frango.

Contudo, essa procura pela beleza pode acarretar em problemas graves. Os salões e clinicas de estética são ambientes que podem oferecer riscos à saúde do cliente. Micoses, infecções, hepatite e até HIV podem ser contraídos durante os procedimentos realizados nesses locais.

Segundo especialistas, a limpeza e higiene do local devem ser as primeiras coisas observadas no ambiente. É importante também que o cliente conheça os processos de esterilização que devem ser aplicados em cada instrumento e que fique atento para ver se esses estão sendo realizados corretamente.

Veja abaixo quais os riscos inerentes a cada procedimento realizado nos salões.

Manicure e Pedicure

O perigo mais comum que acomete quem arruma as unhas dos pés e das mãos em salões são as micoses. Essas são infecções causadas por fungos que atingem as unhas e as deixam ocas, quebradas e podendo até provocar sua queda. A onicomicose, como é conhecida essa doença, é contraída através de aparelhos como tesouras e alicates esterilizados incorretamente. Contudo, há ainda outras doenças que podem ser contraídas durante a sessão de manicure. São exemplos as verrugas, alergias, Hepatite C e Aids.

Esse risco não é só para os clientes, mas também para o profissional. Segundo o médico José Mauro Nogueira, para a prevenção, os profissionais deveriam usar luvas descartáveis durante os procedimentos e lavar as mãos antes e depois dos procedimentos, além de esterilizar os equipamentos de forma adequada, inclusive aqueles que podem ser reaproveitados.

Nogueira recomenda que cada cliente leve seu próprio kit-manicure, com equipamentos que serão utilizados apenas por ela. Para montar esse kit, a pessoa pode usar os seguintes materiais: alicate de cutícula, palitos de madeira, lixa de pé, lixa de unha, espátula de ferro, toalhinha, conjunto de algodão, polidor de unha, saquinho para bacia dos pés, tesourinha ou cortador de unha, pó hemostático.

Depilação

Os fungos representam o maior perigo na depilação, pois encontram condições favoráveis ao seu crescimento. A retirada dos pelos pode ser feita com cera (quente ou fria), a laser, com linha, lâmina, pinça, ou produtos químicos. A mais popular nos salões brasileiros é a feita com cera quente.

Muitos salões usam a receita de cera caseira, que leva açúcar, mel e limão na composição. Esses agentes são cheios de microorganismos que podem causar infecções. A Tínea Inguinal (ou Tínea Crural) é uma infecção na virilha e se manifesta por uma imensa coceira e manchas avermelhadas, úmidas ou descamativas que podem se prolongar até as nádegas. Uma dica para evitar essa infecção é usar apenas produtos industrializados, em casa ou em salões. A temperatura da cera também deve ser observada, pois se ela estiver muito quente pode provocar queimaduras na pele e deixá-la flácida com o passar dos anos.

Maquiagem

As maquiagens usadas em salões de beleza podem transmitir micoses e causar alergias, pois são utilizadas em várias pessoas. Assim, os microorganismos podem passar da pele de uma pessoa para outra. A área que mais exige cuidados é a região dos olhos, em especial com produtos como sombras, rímel, lápis e delineador.
Ter seus próprios produtos e guardá-los de forma apropriada, conforme especificações do fabricante, são alternativas para aumentar sua segurança. E sempre respeite as datas de validade, produtos vencidos podem fazer mal à saúde.

Cabelos

Geralmente encontrado em crianças, o piolho é transmitido de uma pessoa para a outra pelo contato, o que pode acontecer também com adultos. A caspa, ao contrário do que muitos imaginam, não é transmitida, e sim um problema desenvolvido individualmente.

Alguns tratamentos capilares merecem cuidados especiais. A busca por cabelos lisos levam mulheres em todo o mundo a utilizar produtos químicos fortes, o que pode causar danos ao couro cabeludo e à saúde em geral. Uma técnica muito comum é a escova progressiva, que leva formol em sua composição. O fato é que o formol é uma substância tóxica ao organismo humano, e pode causar reações que vão desde coceiras até choques anafiláticos e câncer.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) não recomenda a técnica e alega que “a mistura que é aplicada no cabelo para alisá-lo possui em sua composição uma substância tóxica com potencial cancerígeno, o formaldeído, também conhecido como formol. A concentração de formol que é usada para a obtenção do alisamento é um mistério para o consumidor, pois seu preparo é feito de acordo com o tipo de cabelo”.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=5457&LibCatID=5&fromhome=yes

domingo, 26 de fevereiro de 2012

7 exercícios que detonam a gordura para praticar em casa (ou nas redondezas)


Sempre existem aqueles dias em que não dá tempo de ir à academia – e ficamos nos perguntando o que dá para fazer em casa mesmo, ou nas proximidades, para perder algumas calorias de forma rápida. A resposta está nesta lista com os sete campeões mais práticos em queima de gordura e calorias – todos são dicas da treinadora de celebridades Ramona Braganza, que ajudou a esculpir os belos corpos de Jessica Alba, Halle Berry e Anne Hathaway.

Com qualquer um desses exercícios, você vai impulsionar seu metabolismo por até um dia inteiro depois de praticá-los. Pequenas atividades, grandes recompensas!

1. PATINAÇÃO INLINE
Queima 425 calorias em 30 minutos
Sim, patinar! Além de ser tão divertido que você até esquece que está malhando, é também a atividade número um da lista, em termos de destruir gorduras e calorias. A queima vem do movimento de ir de um lado para o outro feito pelas coxas e glúteos (exigindo mais do corpo do que o movimento simples da atividade número dois da lista – correr). O abdômen também trabalha bastante, para manter o corpo em equilíbrio. Todos os benefícios vêm com uma vantagem: baixo impacto para os joelhos.
Patine num ritmo forte e constante. Não esqueça o capacete, os protetores de pulso, as joelheiras e as cotoveleiras.
Potencialize a queima: alterne um minuto de patinação intensa com um minuto em ritmo médio.

2. CORRIDA
Queima 374 calorias em 30 minutos
Não é à toa que os corredores geralmente têm uma forma magra e elegante: os músculos mais usados na corrida – pernas, glúteos e abdômen – por acaso são os maiores queimadores de gordura e calorias do corpo.
Para aproveitar ao máximo cada passada, balance os braços perto do seu corpo, não se incline para frente, e mantenha os pés perto do chão. Para diminuir o impacto, aterrize no meio do pé e deslize até os dedos.
Potencialize a queima: alterne intervalos rápidos e mais lentos, ou corra em aclives.

3. PULAR CORDA
Queima 340 calorias em 30 minutos
Esse exercício não podia faltar na lista – afinal, é um dos favoritos no treinamento de boxeadores profissionais.
Para conseguir o máximo de cada pulo, use uma corda com alças e siga essas dicas: pule com os pés ligeiramente separados, com o corpo na vertical, e pule baixo, próximo do chão. Se não tiver uma corda, não tem problema: faça os movimentos sem ela. O resultado é o mesmo.
Potencialize a queima: mude com frequência sua velocidade (devagar, rápido) e estilo (pular com um pé só, depois com os dois pés), ou pule corda enquanto corre.

4. BAMBOLÊ
Queima 300 calorias em 30 minutos
O bambolê é mais um dos maiores queimadores de gordura e calorias – por isso, beldades como Marisa Tomei e Beyondé costumam bambolear para manter seus corpos esbeltos.
Para fazer o mesmo, use um bambolê tamanho adulto (eles são maiores e mais pesados que os de crianças, o que os torna mais fáceis de girar); você estará com o tamanho certo se ele alcançar a altura do peito quando de pé na sua frente. Não é preciso fazer movimentos extravagantes – apenas mantenha o bambolê girando em torno da sua cintura. Para começar, fique com um pé na frente do outro e transfira o peso para lá e para cá. E não se preocupe se não der muito certo no começo; as calorias serão queimadas de qualquer forma, e você vai melhorar conforme for praticando.
Potencialize a queima: confira um guia para movimentos avançados e malhação divertida em Health.com/hula-hoop.

5. TÊNIS
Queima 272 calorias em 30 minutos
Você não precisa arranjar uma dupla ou peregrinar até uma quadra para suar bicas com uma raquete na mão (apesar de que se tiver uma dupla e uma rede por perto, a queima de calorias será a mesma). Apenas encontre uma área plana próxima a uma parede em que você possa bater a bola. Alterne os movimentos de “forehand” e “backhand” – veja quantos você consegue fazer seguidos sem se atrapalhar. Fique de três a sete metros de distância, o que vai forçá-lo a bater com mais força. Até mesmo praticar o saque vai faze-lo queimar calorias, porque você terá que correr e se abaixar para pegar as bolas perdidas.
Potencialize a queima: tente bater a bola com firmeza por 50 a 100 cursos. “Ter uma meta vai fazer você trabalhar mais duro para alcança-la”, diz Braganza.

6. DANÇA
Queima 221 calorias em 30 minutos
Dançar pode não ser o maior queimador de calorias da lista, mas ainda é uma excelente e divertida forma de acelerar o metabolismo. O segredo é manter o movimento intenso, escolhendo músicas com ritmos rápidos, como as latinas, e não descansar entre uma e outra. Tente o truque favorito de Braganza: fazer uma seleção de músicas para malhar entre as suas preferidas. Comece com algo agitado como “Just Dance”, da Lady Gaga, e siga com músicas de ritmo cada vez mais rápido. Diminua o ritmo no final para ir relaxando.
Potencialize a queima: não esqueça de usar os braços! Levante-os e movimente-os no ritmo.

7. CAMINHADA VIGOROSA
Queima 170 calorias em 30 minutos
Pois é, até a caminhada entrou na lista. Mas vale lembrar: um passeio com um amigo não vai adiantar para queimar calorias. Você tem que andar num ritmo intenso a ponto de tornar difícil manter uma conversa. Para tirar o máximo dos músculos que mais queimam calorias – pernas, glúteos e abdômen –, ande a passos curtos e rápidos, mantenha o tronco na vertical, e leve os braços para frente e para trás (não lado a lado) no tempo de suas passadas. A cada passo, aterrize no calcanhar e deslize até os dedos.
Potencialize a queima: alterne dois minutos de passadas intensas com um minuto de caminhada o mais rápido que conseguir (ou corrida). [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/7-exercicios-que-detonam-a-gordura-para-praticar-em-casa-ou-nas-redondezas/ - Por Thaís Schneider

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Blog do Professor José Costa, 100.000 acessos!


Este blog foi iniciado em maio de 2009 e, em menos de 3 anos, chegou a marca de 100.000 páginas visitadas, um feito que agradeço a Deus por ter me dado a persistência em atingir o objetivo de oferecer qualidade de conteúdos aos leitores que acessam o blog, através de um trabalho realizado com compromisso, responsabilidade e respeito aos leitores. O blog abrange conteúdos de educação, esporte, saúde, cultura e cidadania extraídos de revistas, jornais e sites confiáveis oferecendo o que há de melhor na internet para os seus leitores.

Quero agradecer aos visitantes que passaram para ler um post através de pesquisa no google; aos amigos do facebook, twitter, orkut; aos leitores cativos, os que acessam de vez em quando e até aqueles que passaram por curiosidade e não mais voltaram; aos que comentaram ou criticaram alguma postagem de maneira construtiva e contribuíram para o engrandecimento do blog.

Um obrigado especial aos parceiros do blog por acreditar no meu trabalho: Inove Planejados, Colégio O Saber, Academia Saúde Total, Parafusos Mil, Churrascaria Recanto da Serra, Comercial Santo André, Drogaria Preferencial, Serrana Suvinil, Osbat Baterias, Auto Escola Serrana, Lindolar Móveis, Lok Car, Galeria Jandrade, Visótica, Supermercado Nunes Peixoto, Ethos Incorporadora, Milton Som. Todos vocês contribuem para a história e engrandecimento deste modesto blog.

Espero que em pouco tempo comemoremos a marca de 200.000 visitas. Continue acessando ao blog: http://professorjosecosta.blogspot.com salve em favoritos, recomende aos amigos e familiares, pois eles também merecem ler um bom blog.

Muito obrigado a todos!

Professor José Costa

Qual o mínimo de exercícios necessários para ficar em forma?

Um grupo de cientistas do Canadá questionou: qual é o mínimo de exercícios necessário para ficar em forma?

A resposta parece ser: muito menos do que a maioria de nós pensa – desde que estejamos dispostos a trabalhar um pouco.

Para provar essa ideia, os pesquisadores da Universidade McMaster reuniram recentemente vários grupos de voluntários. Um grupo era composto de homens e mulheres de meia-idade e sendentários, porém saudáveis. O outro consistia em pacientes de meia-idade e idosos que haviam sido diagnosticados com doença cardiovascular.

Os pesquisadores testaram a frequência cardíaca máxima de cada voluntário e o pico de potência em uma bicicleta ergométrica. Em ambos os grupos, os picos não foram muito elevados; todos os voluntários estavam fora de forma e, no caso dos pacientes cardíacos, indispostos. Mas eles, bravamente, concordaram em realizar um recém-criado programa de ciclismo.

Grande parte das pessoas já ouviu falar em intercalar atividades extenuantes com períodos de descanso. Quase todos os atletas competitivos fazem, estrategicamente, uma ou duas sessões de treinamento intercalado a cada semana para melhorar velocidade e resistência.

Mas os pesquisadores canadenses não queriam que os voluntários colocassem poucas sessões de atividades intercaladas nas rotinas dos exercícios normais. Em vez disso, os pesquisadores queriam que os grupos praticassem exclusivamente exercícios com intervalos.

Durante anos, muitas organizações têm recomendado que para ter uma boa saúde é preciso fazer 30 minutos ou mais de atividade contínua, um exercício de intensidade moderada, como uma caminhada, cinco vezes por semana.

Mas milhões de pessoas não praticam atividades físicas moderadas; na verdade, não fazem quase nenhum exercício. Quando questionados sobre o porquê disso, a maioria dos entrevistados responde que “não tem tempo”.

Atividades intercaladas, no entanto, requerem pouco tempo. Elas são, por definição, curtas. Mas se a maioria das pessoas pode tolerar atividades em intervalos, e se, por sua vez, os intervalos promovem os mesmos benefícios para saúde e boa forma, não têm sido muito investigado.

Há vários anos, os cientistas McMasters testaram um treino punitivo, conhecido como treinamento intercalado de alta intensidade, que consistiu em 30 segundos de esforço a 100% na frequência cardíaca máxima da pessoa. Depois de seis semanas, estas sessões desgastantes produziram alterações fisiológicas nos músculos das pernas de homens jovens semelhantes as mudanças promovidas por longas horas de sessões semanais de ciclismo na bicicleta ergométrica, embora os exercícios realizados tenham gastado 90% menos tempo.

Reconhecendo, no entanto, que poucas pessoas estão dispostas ou têm condições de praticar exercício a todo vapor, os pesquisadores também desenvolveram um treino mais tranquilo, mas ainda de maneira cronometrada e abreviada. Esta rotina modificada consistia em um minuto de esforço intenso a cerca de 90% na frequência cardíaca máxima, seguido por um minuto de recuperação. O esforço e a recuperação são repetidos 10 vezes, em um total de 20 minutos.

Apesar do curto período de tempo deste programa, após várias semanas de prática, tanto os voluntários sedentários quanto os pacientes cardíacos apresentaram melhorias significativas na saúde e na forma física.

Os resultados foram especialmente notáveis em pacientes cardíacos. Eles apresentaram “melhorias significativas” no funcionamento dos vasos sanguíneos e coração.

Pode parecer contraditório que o exercício extenuante seria produtivo ou mesmo inteligente para pacientes cardíacos. Mas, até agora, ninguém desenvolveu problemas cardíacos por conta dos exercícios.

Quase tão surpreendente quanto os resultados é o fato de os pacientes cardíacos terem abraçado a rotina. Embora suas avaliações sobre a percepção de esforço ou a sensação de desconforto a cada rodada de intervalos tenha sido elevada e, provavelmente, precisa, com uma média de 7 ou mais numa escala de 10 pontos, eles relatam desfrutar mais as sessões intercaladas do que o exercício moderado contínuo.

O trabalho duro é curto, por isso é tolerável.

Os cientistas notaram outros benefícios em estudos anteriores. Para os voluntários sedentários, porém saudáveis, duas semanas de treinamento intenso possibilitou a formação de muito mais proteínas celulares envolvidas na produção de energia e oxigênio. O treinamento também melhorou a sensibilidade à insulina dos voluntários e a quantidade de açúcar no sangue, diminuindo o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Com isso, os cientistas fizeram um pequeno experimento, acompanhando pessoas com diabetes tipo 2. Eles descobriram que, mesmo com uma simples sessão de um minuto intenso e um minuto de descanso, com 10 repetições, a dosagem de açúcar no sangue melhora ao longo do dia seguinte, particularmente após as refeições.

Claro, o estilo de treino intenso não é o ideal ou o necessário para todos. Segundo os cientistas, se a pessoa tiver tempo para treinamentos compostos por exercícios regulares de resistência de 30 minutos ou mais deve mantê-los. Há ciência mostra que estes treinamentos são muito eficazes na melhoria da saúde e da boa forma.

Mas se houverem restrições de tempo para manter longas sessões de exercício, consulte um médico para verificar a possibilidade de pedalar rapidamente em uma bicicleta ergométrica ou correr por cerca de um minuto, com o objetivo de aumentar a frequência cardíaca em cerca de 90% do máximo. [NYTimes]

Fonte: http://hypescience.com/qual-o-minimo-de-exercicios-necessarios-para-ficar-em-forma/ - Por Dalane Santos

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Especialistas falam dos cuidados que pais devem ter com a internet

Perigos reais

O diretor da organização não-governamental Safernet, Rodrigo Nejm, faz um alerta a pais e adolescente de que a web (rede mundial de computadores) e o mundo virtual são territórios tão perigosos quanto os da vida real.

"Principalmente para as crianças que, muitas vezes, têm domínio técnico, mas não têm consciência das consequências de publicar algumas informações e de que há criminosos disfarçados [na web]", disse ele.

Rodrigo Nejm disse que, da mesma maneira que os pais orientam os filhos a se cuidar quando estão em uma praça pública, também devem ter critérios para definir limites quando navegam na internet.

Riscos do mundo virtual

A coordenadora do Portal da Terceira Idade, Anísia Spezia, concorda com o diagnóstico sobre os riscos do mundo virtual, mas lembra que esse não deve ser uma preocupação, apenas, dos pais.

Os idosos também ficam expostos na rede e, sem orientação adequada, acabam caindo em armadilhas.

"A terceira idade é dona do seu próprio nariz. Enquanto com os adolescentes as mães continuam dando conselhos sobre a conduta na internet, nem sempre há um filho que faça a mesma coisa com os pais", disse ela.

Vigilância

Essa discussão dominou o debate Conectando Gerações e Ensinando Uns aos Outros: Descobrindo o Mundo Digital com Segurança, que marcou as comemorações do Dia Mundial da Internet Segura. O debate ocorreu na sede da Procuradoria Regional da República em São Paulo.

A procuradora Janice Ascari disse que a vida virtual não é diferente da vida pessoal e, por isso, é preciso estar sempre vigilante.

"Isso não é querer ter controle da vida do filho, é apenas uma atitude de primeiros educadores e de exemplos que eles vão ter para o resto da vida. Por isso, devemos auxiliá-los quanto à melhor maneira que eles devem se comportar na sua vida," afirmou.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cuidados-pais-com-internet&id=7450&nl=nlds - Com informações da Agência Brasil

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Poluição do ar causa problemas de coração e cérebro


Segundo três novos estudos recentes, as pessoas expostas a níveis mais elevados de poluição do ar têm um risco maior de derrame, ataque cardíaco e deterioração cognitiva.

O impacto da poluição sobre o coração e o cérebro foi observado tanto a curto como a longo prazo.

Um estudo americano de âmbito nacional que seguiu cerca de 20.000 mulheres por mais de uma década descobriu que a respiração dos níveis de poluição do ar comumente encontrados em muitas partes do país acelera a queda na memória e atenção.

Outro estudo em Boston descobriu que nos dias em que as concentrações de poluentes de tráfego sobem, o risco de derrame também sobe. As chances aumentaram em mais de 30%, mesmo em dias classificados pelo índice federal de qualidade do ar como “moderados” na poluição (ou seja, correspondentes a um mínimo de perigo para a saúde).

“Mesmo níveis que a Agência de Proteção Ambiental diz que são seguros, estamos vendo efeitos reais na saúde”, disse Gregory A. Wellenius, professor de epidemiologia na Universidade Brown e autor principal do estudo entre poluição e derrame. “Nós vimos esses efeitos no prazo de 12 a 14 horas após os níveis de poluição subirem”.

Estudar a relação entre poluição e saúde é difícil, pois muitos fatores estão envolvidos e é difícil estabelecer uma relação de causa e efeito direta.

Mas uma ligação entre poluentes no ar e declínios na saúde cardiovascular tem sido apontada pelo menos desde a década de 1990, quando a pesquisa epidemiológica sugeriu que a respiração em ar contaminado aumenta as taxas de doença cardíaca.

Os possíveis efeitos de curto prazo da poluição eram os mais confusos, com alguns estudos demonstrando que não há risco imediato. E pouco se sabia sobre o impacto da inalação de emissões e partículas de ar sobre a função cerebral e a demência.

Os pesquisadores tentaram esclarecer melhor o impacto a curto prazo da poluição do ar através do estudo de 1.705 vítimas de derrame.

Eles cruzaram as informações com os índices de qualidade de ar da Agência de Proteção Ambiental, que avalia os níveis de poluição em seis categorias gerais, começando com “bom”, e, na pior das hipóteses, “perigoso”.

Depois de controlar idade, hipertensão e uma série de outros fatores de risco para derrame, os pesquisadores encontraram um risco 34% maior da doença em momentos que os níveis de poluição aumentaram de “bom” para “moderado”.

O efeito foi particularmente forte quando os pesquisadores analisaram os níveis do chamado carbono negro e dióxido de azoto, dois marcadores de poluição do tráfego.

A redução dos níveis de poluição do ar em apenas 20%, uma meta “realizável” segundo os cientistas, teria evitado cerca de 6.000 das 184.000 internações por derrame somente na região nordeste dos EUA em 2007.

Em um outro estudo francês, os cientistas reforçaram a ligação entre a exposição a curto prazo à poluição do ar e doenças cardiovasculares. Eles descobriram que uma variedade de poluentes comuns – monóxido de carbono, dióxido de azoto, dióxido de enxofre e outros – eleva o perigo imediato de uma pessoa ter um ataque cardíaco.

Respiração de poluentes pode causar danos de várias maneiras, como inflamação associada a doenças cardíacas, aumento do ritmo cardíaco e engrossamento do sangue, o que pode causar a formação de coágulos sanguíneos e acelerar a aterosclerose, ou endurecimento das artérias.

As menores partículas de poluição, mais finas que 2,5 mícrons de diâmetro – ou cerca de um trigésimo da largura de um cabelo humano – são particularmente eficazes em se infiltrar no corpo. Há alguma evidência de que elas podem penetrar o cérebro através das fossas nasais.

Uma terceira pesquisa seguiu 19.409 mulheres nos Estados Unidos entre as idades de 70 e 81 anos por cerca de uma década, observando mudanças na cognição a cada dois anos. Declínios na memória e função executiva, incluindo a capacidade de planejar e fazer ou realizar uma estratégia, é normal conforme as pessoas envelhecem.

Mas o estudo mostrou que mulheres com níveis mais elevados de exposição a longo prazo à poluição do ar tiveram “significativamente” mais declínios rápidos na cognição do que aquelas com menor exposição a poluentes.

Cognitivamente falando, esta maior exposição é como se você tivesse envelhecido um extra de dois anos. Se houvesse um tratamento, não só poderia retardar o aparecimento da demência por mais dois anos, como pouparia milhões de casos da doença nos próximos 40 anos.[NYTimes]

Fonte: http://hypescience.com/poluicao-do-ar-causa-problemas-de-coracao-e-cerebro/ - Por Natasha Romanzoti

Corra para enxergar bem


É correr para ver!

Agora você tem mais um excelente motivo para fazer sua corrida matinal: incluir o treino na rotina é um ótimo jeito de manter a visão funcionando a mil

Muita gente já saiu correndo por aí em nome da boa forma, do coração, de uma vida menos estressante e até mesmo do controle do estresse. O que ninguém desconfiava é que os frequentadores das pistas de cooper, dos parques e de calçadões gozariam não apenas dos consagrados benefícios cardiorrespiratórios e psicoemocionais do exercício. Eles teriam um bônus — e, no caso, todos os créditos iriam para os olhos. É o que dá para ver com nitidez graças a duas pesquisas recém-publicadas na revista americana Investigative Ophthalmology and Visual Science.

Os estudos acompanharam quase 30 mil atletas durante mais de sete anos e fornecem evidências de que a prática regular de corrida reduz o perigo tanto de catarata quanto de degeneração macular, as duas principais causas de cegueira no mundo. O coordenador dos trabalhos, o epidemiologista Paul Willians, doLawrence Berkeley National Laboratory, vai além. Ele sugere que seria uma boa medida para os corredores incluir etapas mais vigorosas nos treinos — se estiverem bem condicionados, é claro. Isso porque pessoas que exigem mais dos pulmões e do coração obtêm ainda mais ganhos em termos de acuidade visual.

Na pesquisa que focou o impacto do esporte sobre a catarata, homens que corriam 64 quilômetros por semana — ou 9 por dia — apresentaram um risco 35% menor de ter a doença do que os que corriam só 16 quilômetros por semana ou pouco mais de 2 quilômetros diários. A investigação também concluiu que aqueles com melhor aptidão cardiorrespiratória tiveram risco significativamente menor de ter catarata.

No outro trabalho, o pesquisador comparou três grupos de corredores, conforme o percurso que perfaziam todo dia: até 2 quilômetros, de 2 a 4 quilômetros e mais de 4 quilômetros. Os que corriam mais apresentaram um risco de degeneração macular até 54% menor do que os que corriam menos. Já os que corriam na faixa de distância intermediária mostraram 19% menos probabilidade de desenvolver a doença.

O oftalmologista Nilton Kara José, professor da Universidade de São Paulo e da Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista, aprova a notícia dos trabalhos californianos. Para ele, o recado é claro. "Não podemos abrir mão de nossa natureza: somos animais caçadores e temos um organismo feito para se manter em movimento", diz ele. "Por isso é razoável imaginar que a corrida faça bem para o nosso corpo todo, incluindo os olhos."

O oftalmologista Marinho Jorge Sacarpi, chefe do Centro de Oftalmologia Esportiva do Instituto da Visão da Universidade Federal de São Paulo, dá mais uma explicação para os benefícios da corrida: "O sedentarismo contribui para doenças como diabete e hipertensão, que provocam catarata e degeneração macular".

Essas doenças fragilizam os vasos e podem causar micro-hemorragias no fundo dos olhos, que liberam toxinas e prejudicam o fornecimento de nutrientes para as células do globo ocular. Na catarata, esses estragos se traduzem na opacidade do cristalino, uma das lentes dos olhos. Já na degeneração macular, células da retina que transmitiriam as informações de imagem para o cérebro morrem de uma espécie de inanição, já que o sangue com nutrientes deixa de circular a contento por ali.

As pesquisas americanas ainda precisam detalhar o mecanismo protetor da corrida. Enquanto isso, segundo os oftalmologistas, ninguém precisa encarar uma maratona por semana para enxergar mais. Até porque não são tantas pessoas que conseguem alcançar esse nível de desempenho. "E mesmo os atletas que cumprem 64 quilômetros semanalmente não suportam esse ritmo durante toda a vida", tranquiliza Marcos Paulo Reis, professor de educação física, ex-técnico da nossa seleção olímpica de triatlo e autor do livro Programa de Caminhada e Corrida, lançado por SAÚDE!. O conselho desse expert aos candidatos a atletas com olho de lince é procurar um médico e um preparador físico. E aí tirar o pó dos tênis.

Arme seus olhos

Exercícios ao ar livre exigem que você defenda seu olhar com alguns acessórios. Equipe-se no mínimo com boné ou viseira, que protegem contra a luz solar e retêm o suor. Seria bom que também usasse óculos escuros com filtro solar. Eles não só bloqueiam os raios de sol como minimizam o contato com poluição, pólen e insetos em geral. Se usar lentes, lance mão de lubrificantes específicos para evitar o ressecamento dos olhos e passe o protetor solar na testa com moderação — do contrário o creme poderá escorrer e causar irritação.

Fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0310/corpo/conteudo_450320.shtml - por GIULIANO AGMONT -
design EDER REDDER - fotos EDUARDO SVEZIA

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Por que emagrecer é tão difícil?


Boa parte da população está de dieta. As pessoas estão se sentindo motivadas pelo desejo de serem mais saudáveis e de se sentirem mais confortáveis com o seu próprio corpo. Mas o processo do emagrecimento é difícil, e nem sempre os objetivos de perda de peso são atingidos.

De acordo com a médica Dra. Jessica Bartfield, da Universidade Loyola (EUA), fazer dieta é como aprender um instrumento. É preciso prática e boa instrução, e a pessoa vai cometer alguns erros.
Dentre eles, ela aponta alguns dos principais motivos que podem causar o fracasso da dieta:

- subestimar o número de calorias consumidas: para manter um maior controle da quantidade de calorias ingeridas, a pessoa deve fazer anotações. Isso ajudará na conscientização da alimentação e dos excessos, facilitando a manutenção do regime.

- superestimar a prática de exercícios: para facilitar a perda de peso, é necessário aumentar a quantidade de exercícios praticados, mantendo uma média de 30 minutos de atividade moderada ou vigorosa na maioria dos dias da semana.

- mau planejamento de refeições: para manter a energia e não deixar o metabolismo desacelerar é preciso manter um fluxo estável de glicose durante o dia. Para isso, não se pode passar mais de cinco horas sem que a pessoa faça um lanche ou refeição.

- sono inadequado: dormir menos que seis horas por dia pode desregular os níveis de hormônios no corpo, estimulando o apetite.

Antes de começar qualquer programa de emagrecimento é importante que a pessoa consulte um médico, para que a perda de peso aconteça de forma saudável.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/blogboasaude/ - por Ana Cláudia Xavier

Meu caminho para esta quaresma


Jejuarei de julgar os outros. Descobrirei Cristo que vive neles.

Jejuarei de palavras que ferem. Direi frases que curam.

Jejuarei do egoísmo. Viverei na gratuidade.

Jejuarei da inquietude. Procurarei viver com paciência.

Jejuarei do pessimismo. Encher-me-ei de esperança.

Jejuarei de preocupações. Confiarei mais em Deus.

Jejuarei das queixas. Darei graças a Deus pela maravilha da minha vida.

Jejuarei da angustia. Rezarei com mais frequência.

Jejuarei da amargura. Praticarei o perdão.

Jejuarei da importância que dou a mim mesmo(a). Serei compassivo(a) com os outros.

Jejuarei da preocupação com as minhas coisas. Comprometer-me-ei com o anúncio do Reino.

Jejuarei do pessimismo e desalento. Encher-me-ei do entusiasmo da fé.

Jejuarei de tudo aquilo que me separa de Jesus. Tentarei viver mais perto d’Ele.

FELIZ QUARESMA!

Autoria desconhecida.

Fonte: http://umolharespiritual.blogspot.com/2011/04/meu-caminho-para-esta-quaresma.html

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Campanha da Fraternidade 2012

Este ano, a campanha tem como tema “Fraternidade e Saúde Pública” e lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (cf.Eclo 38,8). O objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2012 é “Refletir sobre a realidade da saúde no Brasil em vista de uma vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção dos enfermos, e mobilizar por melhoria no sistema público de saúde” (p. 12 do Texto-Base).

A Campanha da Fraternidade 2012 ainda apresenta seis objetivos específicos:

- Disseminar o conceito de bem viver e sensibilizar para a prática de hábitos de vida saudável.
- Sensibilizar as pessoas para o serviço aos enfermos, o suprimento de suas necessidades e a integração na comunidade.
- Alertar para a importância da organização da pastoral da Saúde nas comunidades: criar onde não existe, fortalecer onde está incipiente e dinamizá-la onde ela já existe.
- Difundir dados sobre a realidade da saúde no Brasil e seus desafios, como sua estreita relação com os aspectos socioculturais de nossa sociedade.
- Despertar nas comunidades a discussão sobre a realidade da saúde pública, visando à defesa do SUS e à reivindicação do seu justo financiamento.
- Qualificar a comunidade para acompanhar as ações da gestão pública e exigir a aplicação dos recursos públicos com transparência, especialmente na saúde” (cf. p. 12 do Texto-Base da CF).

Oração da Campanha da Fraternidade 2012

Senhor Deus de amor,
Pai de bondade,
nós vos louvamos e agradecemos
pelo dom da vida,
pelo amor com que cuidais de toda a criação.
Vosso Filho Jesus Cristo,
em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos
e de todos os sofredores,
sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude.
Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito.
Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão
se faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo,
e que a saúde se difunda sobre a terra.
Amém.

Fonte: http://www.arquidiocesebh.org.br/site/noticias.php?id_noticia=3148

O poder da fé


A ciência comprova que a espiritualidade pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares e diabetes. Atenua também os sintomas de enfermidades como AIDS e câncer, além de melhorar a qualidade de vida e diminuir a violência

Aos 25 anos, a relações-públicas Bruna Paranhos foi surpreendida em seus exames de rotina com um diagnóstico revelador: estava com um nódulo no seio. Ao consultar um mastologista do Hospital A. C. Camargo (SP), descobriu que precisava realizar uma biópsia e verificar a gravidade do problema. O resultado sairia somente em duas semanas. “Foi uma época sofrida, mas me entreguei à fé. Pedia a Deus todos os dias pela minha cura, comecei uma corrente de orações, e nunca tive dúvida de que a minha fé me curaria”, diz. Otimista, retornou ao hospital e viu a surpresa do oncologista ao constatar que o nódulo não era grave. “O especialista imaginou que eu estava com um carcinoma (tumor maligno), mas, no fim das contas, ele era benigno e nem foi preciso retirá-lo”, conta.

Essas e outras histórias são muito comuns na rotina de hospitais de todo o mundo. Porém estão longe de ser crendice popular ou misticismo. A ciência comprovou que a fé pode até curar. Nesse contexto é importante destacar que a espiritualidade e a religião são fatores diferentes. Para Niura Padula, neuropediatra e pesquisadora da Universidade Paulista de São Paulo (Unesp), a religião é uma somatória de dogmas e ritos preconizados por um determinado grupo. “Já a fé é a conexão com algo mais profundo, não precisa necessariamente estar ligada a nenhuma religião, mas sim com o exercício de ética, da moral, da caridade e solidariedade”, explica.

Espiritualidade e cura
O pesquisador e médico Francisco Habermann (Unesp-Botucatu), também afirma que o conceito de espiritualidade está ligado ao conhecimento da alma humana. “A espiritualidade independe de qualquer formalidade e ultrapassa o de religião”, complementa.

A ligação entre espiritualidade e saúde é conhecida desde o início das culturas mais antigas. Mas, desde que a ciência começou provar as origens das doenças “físicas”, foi feita a divisão: religião cuida do espírito e ciência, do corpo. “Agora se sabe que além do corpo também temos o lado espiritual, e podemos unir ambos e chegarmos à espiritualização da medicina. Assim podemos fazer melhores diagnósticos e aprimorar os processos de cura”, diz o especialista Niura.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece a espiritualidade como um fator que não deve ser desprezado, porque pode gerar equilíbrio e declara que, quando ela é bem empregada, o resultado observado é um reflexo positivo na saúde psíquica, social e biológica, tal como o bem-estar do indivíduo.

"A OMS reconhece a espiritualidade como um fator que gera equilíbrio"

Cultivando a espiritualidade
Que crer é importante é um fato, mas como fortalecer a fé? Para cultivar a espiritualidade é preciso acreditar na vida, ser positivo e crer que há uma razão para os acontecimentos. Para Ricardo Monezzi, pesquisador e psicobiólogo do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), é importante acreditar no próprio potencial e em dias melhores. “A fé é algo profundo, um sentimento que transcende o corpo, por isso é necessário confiar em uma força superior. É um processo individual, e cada um precisa descobrir como cultivar esse sentimento”, diz. Confira algumas dicas para aumentar a fé:
• Converse com pessoas espiritualizadas e busque conselhos.
• Conviva com o próximo, tentando sempre se colocar em seu lugar nas adversidades (seja altruísta e solidário).
•A meditação é um exercício cerebral que foca o pensamento e traz conforto e tranquilidade, além de melhorar a memória.
• Pratique técnicas de respiração: a maneira como respiramos pode afetar como pensamos e também como agimos.
• Conheça as terapias orientais que buscam estabelecer o equilíbrio da energia. Ioga é uma ótima opção.
• Concentre-se no dia de hoje. O amanhã é incerto e o passado não retorna. Pense que você só tem o dia de hoje para viver.
• Procure uma religião que combine com o que você acredita.
• Se mesmo assim tiver dificuldades, procure ajuda de um terapeuta. Com a terapia, você poderá encontrar algumas respostas e se reestruturar em momentos difíceis.

"A fé atua em diversas áreas cerebrais, principalmente no sistema límbico, que é responsável pelas emoções"

E foi comprovado cientificamente que pessoas espiritualizadas podem diminuir o risco de alguns tipos de doenças como as cardiovasculares, o diabetes, acidentes vasculares cerebrais (AVC), infartos e insuficiência renal. Além de amenizar os sintomas de doenças crônicas como AIDS e câncer

Ao adquirir o autoconhecimento e a aceitação proporcionados pela fé, o indivíduo consegue mudar seus hábitos, como melhorar a alimentação, praticar atividade física, ter um sono reparador e manter o equilíbrio nos pensamentos e atitudes. A espiritualidade também ajuda a combater a depressão, já que atenua os sentimentos de amargura, raiva, estresse e mesmo ressentimentos.

“A fé atua em diversas áreas cerebrais, principalmente no sistema límbico, que é responsável pelas emoções. Ela ainda reforça o sistema imunológico, prevenindo diversas doenças”, afirma Ricardo Monezzi, pesquisador e psicobiólogo do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ele explica que os indivíduos espiritualizados, independentemente da religião, demonstram ser menos violentos, pois pensam no próximo, são altruístas e muitas vezes demonstram ser mais solidários.

Além disso, pessoas espiritualizadas cometem menos suicídio, ficam menos tempo internadas nos hospitais e geralmente têm mais qualidade de vida. “Elas acreditam que a vida tem um objetivo e aceitam as adversidades com mais clareza e não se sentem desamparadas nos momentos difíceis”, relata o pesquisador Monezi.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto (Canadá), liderada pelo professor de Psicologia Michael Inzlicht, constatou que a fé pode diminuir a ansiedade, a depressão e o estresse. Os participantes realizaram um teste, conhecido como Stroop, onde foram analisadas as atividades cerebrais dos indivíduos, e foi comprovado que a crença tem um efeito calmante cuja consequência é a diminuição da ansiedade, bem como o medo de enfrentar o que nos parece incerto e desconhecido.

“Existem pesquisas com Ressonância Nuclear Magnética Funcional, que demonstram áreas específicas do cérebro que se ‘acendem’ em orações ou meditações”, pontua Niura. Entretanto, Habermann destaca que, apesar de os recursos tecnológicos terem registrado inusitados mecanismos da fisiologia cerebral, principalmente na área das emoções, ainda há muito o que se descobrir nesse assunto.

Novo paradigma
Como tem reagido a medicina convencional diante dessa nova realidade? De acordo com Paulo de Tarso Lima, coordenador do Setor de Medicina Integrativa e Complementar do Programa Integrado de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e autor do livro Medicina Integrativa – a cura pelo equilíbrio (MG editores), os profissionais da saúde entenderam que o ser humano precisa cuidar do corpo, mente e espírito. E atualmente, em algumas escolas de medicina, os alunos já possuem matérias sobre a importância da espiritualidade no processo de cura.

“Há um movimento global na área da saúde que identifica as necessidades dos pacientes e visa respeitar as decisões de cada um, independentemente das crenças ou valores”, afirma. Para que isso ocorra, a conversa entre paciente e médico é fundamental. Com o diálogo, o profissional saberá no que a pessoa acredita e poderá informar que há bases científicas que comprovem que a espiritualidade auxilia no processo de cura.

O médico deverá abordar o paciente de forma humana, entender e explicar o que há por trás das doenças e discutir como ele vê a doença e a cura. “Os médicos precisam respeitar seus pacientes. Escutá-los com atenção e indicar tratamentos que possam ajudar nesse processo”, explica Lima .

A prática médica tem mostrado aos profissionais da saúde — convencionais ou não — a importância da fé como coadjuvante da cura dos males orgânicos. Além de curar, cultivar a fé muda os hábitos, torna os indivíduos mais saudáveis, atenua sintomas de doenças, pode levar à cura e traz um sentido na vida de cada um. Crer é preciso.

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/106/artigo246102-1.asp - Por Samantha Cerquetani

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Ler para lidar com os males da alma


A Biblioterapia pode diminuir a ansiedade, depressão, fobias e até mesmo melhorar a autoestima entre diversos tipos de público e faixas etárias

Ao escolher um bom livro, o leitor pode viajar para outro espaço e época e conhecer personagens únicos que podem marcá-lo para sempre. Quem costuma ler sabe bem como é. Já foi comprovado que os benefícios vão além do entretenimento. Desde as antigas civilizações acreditava-se que a leitura poderia proporcionar alívio às enfermidades. Porém o nome específico de biblioterapia (terapia por meio de livros) surgiu apenas no século XX. Inicialmente, ela era recomendada para pessoas portadoras de conflitos internos como depressão, medos, fobias e para idosos. Hoje, após anos de pesquisa, sabe-se que a leitura terapêutica pode trazer diversos benefícios para diferentes tipos de pessoas em faixas etárias distintas.

Essa terapia complementar pode ser aplicada em grupo ou individualmente. De acordo com Lucélia Paiva, autora do livro A arte de falar da morte para crianças (Editora Ideias & Letras), a leitura proporciona o aumento da autoestima e pode ser aplicada em processos de desenvolvimento pessoal, educacional ou em quadros clínicos. “As histórias podem levar a mudanças, pois auxiliam o indivíduo a enxergar outras perspectivas e distinguir opções de pensamentos, sentimentos e comportamentos, dando oportunidades de discernimento e entendimento de novos caminhos saudáveis para enfrentar dificuldades”, diz.

Para quem é indicada a terapia complementar?

A prática tem sido usada em várias situações clínicas, na qualidade de terapia complementar. Confira:

- luto (divórcio ou morte)
- depressão
- hospitalizações
- falta de perspectiva na vida
- doenças crônicas
- dificuldades para se relacionar
- presidiários
- idosos
- dependências
- traumas
- ansiedade
- desemprego
- estresse e bullying

Para Clarice Fortkamp Caldin, autora do livro Biblioterapia: um cuidado com o ser (Porto das Ideias Editora), a leitura, ao descortinar um outro mundo, uma outra realidade, permite ao ser humano exercitar o imaginário, assumir as características de determinados personagens especialmente admirados, refletir sobre suas atitudes e aliviar suas angústias. “Isso só acontece com a leitura do ficcional, que permite a liberdade de interpretações”, afirma. Além de todos esses benefícios, a biblioterapia também amplia a compreensão intelectual, desenvolve senso de pertencimento, dá inspiração, corrige ou elimina comportamentos nocivos ou confusos, e além disso pode diminuir a ansiedade e a solidão.

Profissionais como psicólogos, educadores, bibliotecários e assistentes sociais, quando bem preparados e treinados, podem aplicar a terapia por meio de livros. O especialista, primeiramente, identifica o problema a ser tratado, para depois selecionar a obra que será utilizada. Em seguida, são feitos o compartilhamento das experiências e o acompanhamento do impacto do material escolhido.

Ao ler um texto, o indivíduo constrói um texto paralelo, ligado às suas experiências e vivências pessoais, o que o torna diferente para cada leitor. A literatura tem o poder de mexer com as emoções porque admite a suspensão temporária do que se conhece por descrença. Isso significa que durante a leitura, ele passa a acreditar nos acontecimentos dos livros e esquece dos próprios problemas, causando o bemestar e assim diminuindo a dor.

"Com a leitura terapêutica o leitor se distancia de sua própria dor e também é capaz de expressar seus sentimentos e ideias, possibilitando uma percepção mais aguçada de sua situação de vida. A partir daí desenvolve-se ainda uma forma de pensar criativa e crítica. Ler também diminui o sentimento de solidão, e estimula uma maior empatia com outras pessoas"

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/106/ler-para-lidar-com-os-males-da-alma-a-246206-1.asp - Por Samantha Cerquetani

Como combater e prevenir o mau hálito?

Veja dicas para combater o mau hálito, problema que atinge cerca de 30% a 40% da população brasileira

O mau hálito, ou halitose, atinge cerca de 30% a 40% da população brasileira. Dentre as mais de 60 causas existentes, 90% estão na boca, devido a gengivites, periodontites, cáries etc.

Mas é preciso ficar de olho, porque o mau hálito também pode ser sinal de problemas mais sérios, como diabetes, endometriose e, em alguns casos, até tumores. Veja como evitar constrangimentos.

Dicas para fugir desse mal...

Para não ser pega por esse problema ou, se já foi atingida, acabar logo com ele, atenção às seguintes dicas...

- Visite o dentista regularmente. De seis em seis meses é o período indicado pelos especialistas.
- Mantenha uma dieta balanceada. Evite alimentos açucarados, fumo e bebidas alcoólicas em exagero. Longos períodos sem se alimentar também ocasionam o problema.
- Tome em média 2 litros de água por dia. Isso estimula a produção da saliva, um importante "detergente bucal" que é composto em 90% de água.
- Evite o estresse. A tensão faz com que a boca seque, e boca seca é sinal de mau hálito...
- Faça sempre uma higiene bucal após as refeições, usando principalmente escova, fio dental e raspadores linguais.
- Troque a escova de dentes mensalmente.
- Fique atento se há sangramento gengival ou feridas que não cicatrizaram em uma semana.
- Caso use, não se esqueça de higienizar bem as próteses e os aparelhos ortodônticos.
- A pessoa que tem mau hálito não sente, pois as células do nariz se acostumam ao odor, ocasionando uma fadiga olfatória. Portanto, peça sempre para alguém próximo a você lhe avisar caso esteja com o hálito alterado.
- Se você conhece alguém que sofre desse mal, seja uma boa amiga: não fique com vergonha e avise! Agora, se você fica sem jeito de chegar na pessoa e falar, a Associação Brasileira de Halitose (ABHA) possui um serviço que informa, por email, aqueles que sofrem com o mau hálito e não sabem. No site da associação você encontra mais informações.

*Dúvida respondida pelo presidente da Associação Brasileira de Halitose (ABHA), Marcos Moura, e pelo cirurgião-dentista e consultor científico em halitose da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), Celso Senna.

Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/pergunte-ao-especialista/veja-como-prevenir-e-combater-esse-problema-constrangedor/1912 - Por Carla Festucci

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Viagens: Saiba a distância, o percurso, pedágios e consumo de combustível.

COMO USAR

Acesse o link abaixo:

http://www.mapeia.com.br/

Informe o local da partida e o local de destino.

Informe o consumo médio do seu veículo (quantos Km ele faz por litro de combustível).

Informe também o preço médio do combustível que seu veículo usa.

E PRONTO !

O resto o site calcula pra você.

O site te dá a distância total a ser percorrida, quanto tempo (estimado) levará essa viagem, e te dá o valor total de todos os pedágios que serão pagos por você ao longo de todo o trajeto, bem como o total de combustível que será gasto.

Depois, se quiser calcular o caminho de volta, clique no link "Ver caminho de volta", que ele RECALCULA tudo de novo no sentido inverso pra você!

Este site calcula procurando sempre A MENOR DISTÂNCIA entre a partida e o destino.

Caso o itinerário traçado pelo programa do site não te agrada, você pode modificá-lo, e para isso, basta ir ao mapa exibido à direita da tela, na parte maior do monitor, e clicar sobre o TRAÇADO AZUL, e reparar que aparece umas bolinhas brancas.

Clique sobre o ponto que desejou, e mantenha o botão do mouse PRESSIONADO, e puxe o traçado azul para o itinerário que mais te agrada.

Depois que mudar o itinerário, caso haja necessidade, o site recalcula os novos dados informados automaticamente.

Se não o fizer, clique em CALCULAR novamente, que ele fará isso.

E você obterá os novos valores de tempo, distância, pedágios e consumo de combustivel, atualizados.

Para maior precisão, use o recurso de ampliar o mapa, para aproximar melhor a imagem, e ver as com mais facilidade.

Movimente os marcadores de partida (A) e destino (B) para o ponto exato, que o cáculo ficará mais preciso.

Se usar aquela "bolinha", ou "pneuzinho" do mouse, sobre o mapa, fará com que o mapa seja ampliado, ou afastado.

Clique sobre o mapa e segure o botão do mouse, e arraste para os lados, e verá que poderá mexer no mapa.

Aqueles que desejarem saber o preço INDIVIDUAL de cada pedágio, basta clicarem sobre aqueles desenhos PRETOS, ícones com desenho de pedágio, que o site mostrará o nome da praça de pedágio, em que altura da rodovia ele se encontra, e o VALOR dele.

Calorias demais dobram risco de perda de memória


Déficit cognitivo leve

Uma nova pesquisa sugere que consumir entre 2.100 e 6.000 calorias por dia pode dobrar o risco de perda de memória.

A perda de memória, ou déficit cognitivo leve, foi observado entre pessoas com 70 anos ou mais.

O déficit cognitivo leve é o estágio entre a perda de memória normalmente atribuída ao envelhecimento e os primeiros sinais da doença de Alzheimer.

"Nós observamos um padrão de dose-resposta, o que significa, em termos mais simples, quanto maior a quantidade de calorias consumidas a cada dia, maior o risco de déficit cognitivo leve," disse a Dra. Yonas Geda, da Clínica Mayo (EUA).

Ingestão de calorias

O estudo envolveu 1.233 pessoas, com idades entre 70 e 89 e livres de demência. Nesse grupo, 163 apresentaram o déficit cognitivo leve.

Os participantes relataram a quantidade de calorias que comiam ou bebiam em um questionário alimentar. Eles foram divididos em três grupos iguais, com base em seu consumo calórico diário.

Um terço dos participantes consumia entre 600 e 1.526 calorias por dia, um terço entre 1.526 e 2.143 e um terço consumia entre 2.143 e 6.000 calorias por dia.

As probabilidades de se ter déficit cognitivo leve mais do que duplicaram para aqueles no grupo de maior ingestão de calorias em comparação com aqueles do grupo de menor consumo de calorias.

Lembre-se de não comer demais

Os resultados foram os mesmos após o ajuste para o histórico de diabetes, acidente vascular cerebral, nível educacional e outros fatores que podem afetar o risco de perda de memória.
Não houve diferença significativa no risco para o grupo do meio.

"Cortar calorias e comer alimentos que compõem uma dieta saudável pode ser a maneira mais simples para evitar a perda de memória à medida que envelhecemos," disse Geda.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=calorias-demais-dobram-risco-perda-memoria&id=7437&nl=nlds - Rachel Seroka

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Dormir bem agora previne perda de memória mais tarde


Um novo estudo concluiu que a quantidade e a qualidade do sono durante a noite pode afetar a memória com o passar dos anos.

“O sono interrompido parece estar associado com o acúmulo de placas de amiloide, um traço característico do mal de Alzheimer, nos cérebros de pessoas sem problemas de memória”, diz o autor do estudo Yo-El Ju, da Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis, e membro da Academia Americana de Neurologia. “Mais pesquisas são necessárias para determinar por que isso acontece e se as alterações do sono podem prever o declínio cognitivo”.

Os pesquisadores testaram os padrões de sono de 100 pessoas com idades em
tre 45 e 80 anos que não apresentavam problemas mentais. Metade do grupo tinha mal de Alzheimer no histórico familiar. Um dispositivo foi colocado nos participantes durante duas semanas para medir o sono. Diários do sono e questionários também foram analisados pelos pesquisadores.

Com o estudo, descobriu-se que 25% dos participantes tinham evidência de placas de amiloide, que podem aparecer anos antes dos sintomas da doença começarem. O tempo médio que uma pessoa gastou na cama durante o estudo foi de cerca de oito horas, mas o tempo de sono médio foi de 6,5 horas, por despertarem em curtos períodos de tempo durante a noite.

O estudo revelou que as pessoas que acordaram mais de cinco vezes por hora estavam mais propensas a ter acúmulo da proteína amiloide, em comparação com pessoas que não despertaram tanto. A pesquisa também descobriu que as pessoas que dormem de maneira “menos eficaz” eram mais propensas a ter os traços de mal de Alzheimer em estágio inicial do que as que dormiam de forma mais eficiente. Em outras palavras, aqueles que gastaram menos de 85% do seu tempo na cama realmente dormindo eram mais propensos a ter os traços do que aqueles que gastaram mais de 85% do seu tempo na cama realmente dormindo.

“A associação entre o sono interrompido e placas de amiloide é intrigante, mas as informações deste estudo não podem determinar uma relação causa-efeito ou o sentido dessa relação.
Precisamos de mais estudos de longo prazo, acompanhando o sono dos indivíduos ao longo dos anos, para determinar se o sono interrompido leva a formação das placas ou se as mudanças cerebrais causadas pela doença precoce levam a alterações do sono”, disse o pesquisador. “Nosso estudo estabelece as bases para investigar se a manipulação do sono é uma estratégia possível na prevenção ou redução da doença de Alzheimer”, finaliza.[ScienceDaily]

Fonte: http://hypescience.com/dormir-bem-agora-previne-perda-de-memoria-mais-tarde/ - Por Dalane Santos

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Como a dieta mediterrânea protege o cérebro


Você já deve ter ouvido falar da dieta mediterrânea, famosa por ser saudável e trazer benefícios ao corpo ao longo do tempo.

A dieta mediterrânea é baseada na dieta das populações do litoral do Mar Mediterrâneo, como as populações litorais da Itália e da Grécia. A dieta possui uma abundância de frutas e vegetais frescos, peixe, grãos integrais, legumes, gorduras monoinsaturadas como azeite de oliva, e quantidades moderadas de álcool. Tem uma baixa quantidade de carne vermelha, gorduras saturadas como manteiga, e grãos refinados.

Agora, mais um estudo sugere que pessoas que seguem a dieta de estilo mediterrânico têm melhor saúde. Dessa vez, o benefício é que ela produz menos danos aos pequenos vasos de sangue no cérebro.

Seguir a dieta mediterrânica já foi relacionado a um menor risco de síndrome metabólica, doença cardíaca, derrame, demência e maior longevidade.

Mas os pesquisadores dizem que nenhum estudo olhou para a possível ligação da dieta com o volume hipersensível da substância branca (WMHV, na sigla em inglês) no cérebro, que pode ajudar a explicar alguns destes efeitos benéficos.

O volume é um indicador de danos aos pequenos vasos sanguíneos do cérebro e é detectado através de ressonância magnética.
Estudos anteriores demonstraram que altas quantidades de WMHV no cérebro podem significar maior risco de derrame e demência.

No novo estudo, os pesquisadores compararam as imagens cerebrais e as dietas de 966 adultos com idade média de 72 anos.

A dieta relatada dos participantes foi classificada de acordo com a proximidade da dieta mediterrânica.

Os resultados mostraram que aqueles que mais seguiam uma dieta mediterrânica apresentaram menor medida de WMHV. Cada aumento na pontuação da dieta mediterrânica foi associado com uma diminuição correspondente no volume hipersensível de substância branca.

O benefício manteve-se mesmo após ajuste para outros fatores de risco para danos aos vasos sanguíneos no cérebro, como diabetes, tabagismo, pressão arterial alta e níveis de colesterol anormais.

Os pesquisadores dizem que o aspecto da dieta mediterrânea que mais parecia importar nesse benefício foi a proporção de gordura monoinsaturada por gordura saturada.

As gorduras monoinsaturadas são encontradas em muitos óleos vegetais, abacate e nozes. As gorduras saturadas são encontradas principalmente em carnes e produtos lácteos, bem como em alguns alimentos industrializados.

Ainda assim, os resultados sugerem que o padrão alimentar global da dieta mediterrânica, ao invés de qualquer um dos componentes individuais, pode ser mais relevante para explicar seus benefícios saudáveis.[WebMD]

Fonte: http://hypescience.com/dieta-mediterranica-pode-proteger-o-cerebro/ - Por Natasha Romanzoti

Como surgiu o carnaval?

Você acha que o carnaval foi criação de um brasileiro, não é? Mas a resposta é negativa, apesar de termos uma grande tradição nesta festa. O carnaval é uma comemoração muito antiga. A festa se originou na Grécia há muito, muito tempo atrás, em meados dos anos 600 a 520 a.C. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção.

A festa carnavalesca surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Este período do carnaval era marcado pelo “adeus à carne” ou do latim “carne vale” dando origem ao termo “carnaval”. Durante a época do carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, como estamos acostumados, é produto da sociedade vitoriana do século XIX.

Na antiguidade – O carnaval da Antiguidade era marcado por grandes festas, onde se comia, bebia e participava de alegres celebrações. O Carnaval prolongava-se por sete dias na ruas, praças e casas da Antiga Roma, de 17 a 23 de dezembro. Todas as atividades e negócios eram suspensos neste período.

No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os bailes de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual.

No Brasil – No Brasil, o carnaval foi introduzido pelos portugueses. Seu nome era entrudo, palavra que vem do latim introitus e que designa as solenidades litúrgicas da Quaresma. O Carnaval daqui foi, até a metade do século XIX, uma festa de muita sujeira e molhação. Os escravos a festejavam sujando-se uns aos outros com polvilho e farinha de trigo, ou espirrando água pelas ruas com o auxílio de uma enorme bisnaga de lata.

Por isso as pessoas evitavam sair às ruas durante os dias do entrudo. Isso fez com que os bailes de máscara, realizados apenas para a elite durante o Primeiro Império, e, a partir da década de 1840, para a classe média, fizessem muito sucesso.

Nesses bailes, que eram pagos e feitos em teatros e hotéis do Rio de Janeiro, não se dançava o samba, mas sim o schottische, as mazurcas, as polcas, as valsas e o maxixe, que era o único ritmo genuinamente nacional. Somente em 1869, quando o ator Correia Vasques adaptou a música de uma peça francesa e deu para essa adaptação o nome de Zé Pereira —mesma música que é cantada até os dias de hoje—, apareceu a primeira música de carnaval. Até então, todas as músicas eram instrumentais ou em outro idioma.

Com informações do Almanaque/UOL

Fonte: http://www.bloguito.com.br/como-surgiu-o-carnaval

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Supremo aprova Lei da Ficha Limpa a partir das eleições de 2012


Por 7 votos a 4, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira (16) que a Lei da Ficha Limpa é constitucional e valerá a partir das eleições municipais deste ano. Com isso, não disputarão eleições por pelo menos oito anos vários políticos brasileiros que renunciaram ao cargo ou foram condenados por órgãos colegiados da Justiça. A decisão alcança casos anteriores à sua existência.

Com a decisão, a Corte decidiu que os condenados em segunda instância da Justiça não podem disputar eleições apesar da possibilidade de serem inocentados posteriormente. Os defensores da ideia advogaram que impossibilidade de candidatura não é pena, e sim pré-requisito. Nesse grupo ficaram o relator, Luiz Fux, Joaquim Barbosa, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio de Mello.

ENTENDA A LEI DA FICHA LIMPA

A Lei da Ficha Limpa, aprovada pelo Congresso e sancionada dia 4 de junho de 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, impede, dentre outros dispositivos, a candidatura de políticos condenados por um colegiado da Justiça (mais de um juiz).

Segundo a lei, fica inelegível, por oito anos a partir da punição, o político condenado por crimes eleitorais (compra de votos, fraude, falsificação de documento público), lavagem e ocultação de bens, improbidade administrativa, entre outros.

Os críticos afirmaram que a Ficha Limpa anularia a presunção da inocência até o julgamento final. Nesse grupo, ficaram Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e o presidente da Corte, Cezar Peluso. Apesar da divergência, o clima no fim da sessão foi de celebração. "A lei é um avanço. Nossas diferenças são contingenciais", disse Peluso. "No fim da festa todo mundo fica bonito."

Nesta quinta-feira (16), os ministros Marco Aurélio de Mello, Ricardo Lewandowski e Carlos Ayres Britto se somaram a Luiz Fux, Joaquim Barbosa, Rosa Weber e Cármen Lúcia na defesa do mecanismo que surgiu de uma iniciativa popular levada ao Congresso. Peluso, Celso de Mello e Gilmar Mendes divergiram do relator e se juntaram em grande parte aos argumentos de Dias Toffoli.

O Supremo ainda terá de decidir se a inelegibilidade se dará a partir da condenação em órgão colegiado ou se apenas depois do julgamento final --nesse caso, o tempo de afastamento da vida pública superaria os oito anos em vários casos.
Voto decisivo

Uma pessoa que desfila pela passarela quase inteira do Código Penal, ou da Lei de Improbidade Administrativa, pode se apresentar como candidato?

Ministro Ayres Britto
No voto decisivo, o ministro Ayres Britto afirmou que a Lei da Ficha Limpa "está em total compatibilidade" com preceitos constitucionais. Segundo ele, a Constituição brasileira deveria ser mais dura no combate à imoralidade e à improbidade. “Porque a nossa história não é boa. Muito pelo contrário, a nossa história é ruim”, disse. Para o vice-presidente da Corte, o mecanismo visa "mudar uma cultura perniciosa, deletéria, de maltrato, de malversação da coisa pública, para implantar no país o que se poderia chamar de qualidade de vida política, pela melhor seleção, pela melhor escolha dos candidatos, candidatos respeitáveis”.

Crítico da aplicação da lei nas eleições de 2010, o ministro Marco Aurélio mudou de ideia e acompanhou a maioria vencedora, mas não admitiu a aplicação da lei para candidatos que seriam barrados por fatos acontecidos antes da aprovação da lei. "Vamos consertar o Brasil de forma prospectiva, não de forma retroativa", disse. O decano da Corte, ministro Celso de Mello, concordou.

O ministro Lewandowski, o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), repetiu que a exigência de moralidade na vida pública deve se sobrepor ao direito individual de ser considerado inocente até palavra final da Justiça. “Nós estamos diante de uma ponderação de valores, temos dois valores de natureza constitucional de mesmo nível”, disse.

No primeiro julgamento da questão, por 6 a 5, o Supremo decidiu que a medida não era aplicável à votação de 2010 por ter sido sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva menos de um ano antes do pleito –o que é vedado pela legislação eleitoral. Desta vez, ao contrário do que ocorreu no início de 2011, Fux votou a favor da aplicação. Weber, que substituiu outra defensora da lei no primeiro julgamento, a ex-ministra Ellen Gracie, também deu seu apoio.

O Supremo voltou a discutir o assunto após pedido de vista do ministro Dias Toffoli. Os três processos que colocaram a vigência da lei em dúvida começaram a ser debatidos em novembro. O primeiro de dois pedidos de vista foi feito por Barbosa, sob a justificativa de que a Corte ainda estava desfalcada de um ministro após a saída de Ellen. Weber só tomou posse neste ano.

A lei pesou sobre vários candidatos já nas eleições de 2010. O mecanismo prevê inelegibilidade para políticos condenados na Justiça, mesmo sem decisão final, e para os que renunciaram ao cargo para escaparem de cassações. Foram os casos do ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) e dos senadores Jader Barbalho (PMDB-PA) e João Capiberibe (PSB-AP), entre outros.

Histórico
No voto mais esperado do julgamento, a ministra Rosa Weber afirmou que não há empecilho para que um candidato se torne inelegível antes de ser condenado de forma definitiva –exatamente conforme o mecanismo prevê. “A Lei da Ficha Limpa foi gestada no ventre moralizante da sociedade que está agora exigir dos poderes instituídos um basta”, afirmou. “Inelegibilidade não é pena. E aqui o foco é a proteção da legitimidade das eleições e da soberania popular.”

Primeiro ministro a votar contra a iniciativa, Dias Toffoli afirmou que a Lei da Ficha Limpa tem a “pior redação legislativa dos últimos tempos”. Foi acompanhado por comentários de enfáticos Gilmar Mendes. “A Corte pode decidir contra a opinião popular. Se não faríamos plebiscito toda hora e alteraríamos a Constituição. A pena de morte seria aprovada. O modelo contramajoritário serve para defender o indivíduo de si mesmo”, disse.

Em seu relatório, lido no ano passado, Fux considerou problemática a aplicação da lei para casos de renúncia com objetivo de evitar cassações, mas admitiu que condenações em órgãos colegiados servem para barrar candidaturas. Depois de pedir vistas, o ministro Joaquim Barbosa endossou o abandono de cargo como critério --esse voto e o do relator ainda dividem o apoio dos defensores da Lei da Ficha Limpa.

Tanto os defensores do mecanismo como Toffoli concordaram em um ponto: a lei não fere o princípio da irretroabilidade --que proíbe imputar crime a fatos ocorridos antes da confecção de uma determinada lei. Divergiram nesse ponto os ministros Marco Aurélio, Celso de Mello e Cezar Peluso.

(Com Agência Brasil e Agência STF)

Fonte: UOL - http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2012/02/16/maioria-do-supremo-aprova-lei-da-ficha-limpa-julgamento-prossegue.htm - por Maurício Savarese

Exergames melhoram atividade física e cognição


Realidade virtual, benefícios reais

Está chegando ao mercado uma nova categoria de jogos de computador, os chamados exergames, jogos que ajudam as pessoas a fazer exercícios físicos.

E esses exercícios auxiliados pela realidade virtual não apenas melhoram o condicionamento físico, eles também geram benefícios cognitivos para adultos mais velhos.

"Nós constatamos que, para os adultos mais velhos, os exercícios interativos apoiados pela realidade virtual, duas ou três vezes por semana, durante 3 meses, geraram benefícios cognitivos, e provavelmente aumentaram a proteção contra o comprometimento cognitivo leve," conta Cay Anderson-Hanley, da universidade Union College (EUA).

Exergames

Pesquisas mostram que os exercícios podem prevenir ou retardar a demência e melhorar o desempenho cognitivo em um envelhecimento normal.

Entretanto, apenas 14% dos adultos entre 65 e 74 anos de idade, e apenas 7% daqueles acima dos 75 anos de idade fazem exercícios regularmente.

Os exergames podem ajudar a elevar esses dados graças ao uso dos ambientes simulados em computador, direcionando a atenção do usuário para aspectos mais motivadores, como uma competição contra o computador ou contra si mesmo, ou mesmo cenas de lugares mais agradáveis.

Ginástica para o cérebro

Durante a pesquisa, os voluntários pedalaram contra um avatar, um corredor fantasma que era na verdade a recriação do último desempenho do próprio jogador.

Esta é uma técnica que já se mostrou eficaz até mesmo para elevar o rendimento de atletas de ponta, permitindo a superação de recordes mundiais.

Para aferir os ganhos dos exergames, além dos testes de memória, atenção e solução de problemas, os cientistas mediram os níveis do fator de crescimento neurotrófico, que indica a neuroplasticidade, um mecanismo de alteração do cérebro que estabelece uma conexão entre a atividade física e a cognição.

A redução no desenvolvimento do chamado comprometimento cognitivo leve foi de 23% entre os praticantes dos exergames.

Fonte:http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=exergames&id=7350&nl=nlds

Alegria do carnaval pelo mundo


O carnaval, apesar de ser uma festa bem brasileira, também é celebrado em outros países. Você sabia disso? As máscaras e as fantasias são quase que uma marca registrada dessa festividade que invade as ruas de diversas cidades pelo mundo. Claro que o carnaval desses locais não é igual ao nosso, mas mesmo assim eles têm o seu brilho. Vamos conhecer?

Em Veneza, na Itália, o destaque fica cor conta do Baile de Máscaras. A tradição de Veneza no carnaval vem de muito tempo atrás, desde seu auge no século 18. As fantasias não combinam exatamente com a nossa ideia de folia – são pesadas, de veludo.

Já na França, mas especificamente em Nice, o calçadão que se estende pela orla da cidade, chamado de Promenade des Anglais, é o endereço de famosos desfiles de carnaval. Carros alegóricos enfeitados, músicos e dançarinos atraem multidões. Para conhecer mais sobre o carnaval de Nice é só acessar o site http://www.nicecarnaval.com.

Na Alemanha a descontração faz parte da festa. Na Alemanha a festa mais tradicional é a da cidade de Bonn, onde ocorrem desfiles com pessoas fantasiadas e não pode faltar as máscaras, pois a brincadeira é fingir que o diabo fica solto e as pessoas têm que usar máscaras para esconder seus rostos. Outra cidade que cai nos festejos é Mainz, na região do Vale do Reno, onde milhares de pessoas fantasiadas acompanham os cortejos.

Na Colômbia a criançada tem um dia reservado para elas. Isto acontece na cidade de Barranquilla. Neste dia, os pequenos vestem adereços e fantasias bem coloridas. Nos Estados Unidos, a cidade de New Orleans se veste de roxa, verde e dourada para receber os foliões. Lá tem um desfile divertido de fantasias, que acontece somente na terça-feira, que é chamada de “terça-feira gorda”.

Terra do merengue e da bachata, a República Dominicana agrega os ritmos carnavalescos e atrai milhares de foliões para as ruas. É possível pular em bailes ou desfiles animadíssimos. Figuras folclóricas como o diabo são temas da maioria das fantasias.

Em Santa Cruz de Tenerife, nas Ilhas Canárias, há carnaval de rua, como no Brasil: milhares de pessoas e grupos musicais perambulam celebrando durante horas. A eleição da rainha do Carnaval também é algo grandioso e que mobiliza as multidões. As candidatas usam figurinos bem elaborados – que chegam a pesar quase 100 kg!

O Barrio Sur, em Montevidéu, no Uruguai é um dos palcos da festa. Em suas ruas desfilam as comparsas, blocos que dançam ao batuque de um ritmo afro-uruguaio. O público assiste da calçada e torce por seus grupos preferidos. O Carnaval de Montevidéu é considerado o mais longo do mundo. Dura cerca de 40 dias, do fim de janeiro até março!

E para finalizar, no Japão também há um carnaval muito animado, tem até escolas de samba, mas só que por lá a festa é só em agosto.

Com informações do http://www.smartkids.com.br e http://viajeaqui.abril.com.br

Fonte: http://www.bloguito.com.br/alegria-do-carnaval-pelo-mundo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Veja como “se apaixonar” mexe com o cérebro


Morrer de amores é uma coisa totalmente emocional, né? Pelo contrário: é totalmente “racional”.

Apaixonar-se pode causar estragos em seu corpo. O coração acelera, a barriga embrulha, você entra numa montanha russa emocional, sentindo-se delirantemente feliz em um minuto, e ansioso e desesperado no próximo.

E esses sentimentos românticos intensos não vêm do coração; vêm do cérebro.

Em um pequeno estudo, pesquisadores analisaram imagens de ressonância magnética do cérebro de 10 mulheres e 7 homens que afirmaram estar profundamente apaixonados.

O comprimento das suas relações variava de um mês a menos de dois anos. Os participantes viram fotos de seus amados, e fotos de uma pessoa com aparência semelhante.

Os cérebros dos participantes reagiram às fotos de seus amores produzindo respostas emocionais nas mesmas partes do cérebro normalmente envolvidas com a motivação e recompensa. Ou seja, esse tipo de amor usa o mesmo sistema no cérebro ativado quando uma pessoa é viciada em drogas.

Em outras palavras, você começa a desejar a pessoa por quem está apaixonado como desejaria uma droga.

Especialistas dizem que o amor romântico é uma das emoções mais poderosas que uma pessoa pode ter.

Nossos cérebros sabem que temos que escolher um parceiro. Eles se tornam motivados para conquistar o companheiro ou companheira, às vezes indo a extremos para obter a sua atenção e carinho.

A parte de recompensa do cérebro, também chamada de centro do prazer, é uma parte essencial do cérebro para sobreviver nessa situação, pois nos ajuda a reconhecer quando algo é bom. E o esforço para se sentir bem em torno de seu companheiro pode ser ainda mais poderoso do que o desejo por sexo.

Mas quando conquistamos nosso amor, esse sentimento de desejo/vício desaparece? Não completamente.

Em outro estudo, cientistas analisaram exames de ressonância magnética de 10 mulheres e 7 homens que estavam casados há uma média de 21 anos e afirmavam ainda estar intensamente apaixonados por seus parceiros.

Os pesquisadores descobriram que em cada um desses amantes de longo prazo, as regiões cerebrais também foram ativadas quando eles olharam para fotos de seus parceiros. “Amor a longo prazo” ativava regiões do cérebro ligadas ao apego e gostar de uma recompensa.

Às vezes, conquistar uma pessoa não desfaz, mas aumenta a ligação entre as pessoas, que permite que os parceiros fiquem juntos por tempo suficiente para ter e criar filhos.

Mas estudos do cérebro sugerem que o amor muda ao longo do tempo. As pessoas se acostumam com o relacionamento, perdendo o medo do parceiro as deixar, então não se focam tanto no desejo.[LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/veja-como-se-apaixonar-mexe-com-o-cerebro/ - Por Natasha Romanzoti

O Carnaval que bomba mais é o de Salvador ou o do Rio de Janeiro?


Nenhum Carnaval atrai mais pessoas no mundo que o de Salvador: são 1 milhão de turistas contra os 719 mil do Rio de Janeiro.

A capital baiana figura até no Guinness, o livro dos recordes, como o maior Carnaval de rua do planeta, levando nada menos que 2,5 milhões de foliões para as vias públicas (nessa conta também entram os próprios moradores da cidade, que, é claro, também botam pra quebrar). Além de atrair mais gente, o ziriguidum baiano - com vários trios elétricos sacudindo as ruas dos circuitos oficiais - supera o carioca, que se concentra no Sambódromo, em vários quesitos.

Confira a seguir o resultado da guerra de confetes entre o bumbum baticundum do Rio e o axé babá de Salvador na folia de 2008.

DUELO NA AVENIDA
O Carnaval do Rio é show, mas Salvador é o recordista na hora da muvuca de momo

Rio de Janeiro x Salvador
719 mil turistas - 1 milhão de turistas

BEBEU ÁGUA? TÁ COM SEDE?
A diferença na bebedeira tem explicação. No Rio computa-se apenas o consumo no Sambódromo. Já em Salvador leva-se em conta a "entornação" que rola solta nas ruas.
(Rio: 105 mil litros de cerveja e 90 mil litros de água min x 17 milhões litros de cerveja /refrigerante e 9,8 milhões de litros de água na Bahia)

DO CACETE!
Se, no Rio, a maior parte das ocorrências envolveu brigas, o que pegou pelas ruas onde rola o ziriguidum baiano foram os furtos - 768, contra os 148 do Carnaval carioca.
(2 520 ocorrências policiais na região do Sambódromo x 2 368 ocorrências policiais em Salvador)

BOTA A CAMISINHA!
A distribuição de camisinhas pelo governo se baseia no tamanho da população. Nessa ala, o Rio ganha disparado: são 6 milhões de cariocas contra 3 milhões de soteropolitanos.
(1,6 milhão de camisinhas no Rio x 936 mil camisinhas em Salvado)

CAINDO NO SAMBA
Embora o número de ocorrências médicas em Salvador tenha sido menor que no Rio, a maioria dos casos na folia baiana envolveu embriaguez.
(1,8 mil atendimentos nos postos do Sambódromo x 1,4 mil atendimentos emSalvador)

BLOCO DA SUJEIRA
Se a turma da vassoura ralou no Rio, ela teve que suar a camisa pra valer na capital baiana, onde muito do lixo produzido infelizmente acaba indo parar nas vias públicas mesmo.
(393 toneladas de lixo no Sambódromo x 1,6 mil toneladas de lixo em

Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-carnaval-que-bomba-mais-e-o-de-salvador-ou-o-do-rio - por Gabriela Portilho

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Dê um cala-boca no câncer oral

Álcool, fumo e sexo sem proteção fazem esse mal, bem comum, se alastrar. Mas há como criar barreiras protetoras

Estatísticas mundiais mostram que a incidência de câncer na boca tem crescido no planeta, principalmente entre adultos jovens. O grande responsável pelo aumento entre essa turma é o vírus HPV. A explicação, segundo o Instituto Nacional de Câncer, o Inca, teria a ver com os hábitos sexuais. Os outros dois vilões são o álcool e o cigarro — quando essa dupla maligna atua em conjunto, o risco de o problema dar as caras é 30 vezes maior. A boa notícia é que o diagnóstico precoce da doença eleva as chances de cura. Para isso, devem entrar em cena dentistas e médicos.

Esse foi um dos objetivos de um projeto realizado no Ceará e finalista na categoria Políticas Públicas do Prêmio SAÚDE 2011. "Criamos o programa porque estávamos cansados de receber pacientes com a doença avançada a ponto de não ser possível operar", explica Fabricio Bitu, professor da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Ceará e coordenador da força-tarefa idealizada para conter o avanço da doença no estado. "Esses tumores são comuns em pessoas de baixa instrução e renda, com dificuldade de acesso aos serviços de saúde", continua o dentista.

A solução foi criar uma rede de diagnóstico e rastreamento que, desde 2006, reúne especialistas também da Universidade de Fortaleza, da Secretaria Estadual de Saúde, do Conselho Regional de Odontologia e da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza — e já atendeu mais de 20 mil pessoas.

A equipe é formada por dentistas de especialidades como patologia, cirurgia, epidemiologia, além de cirurgiões médicos e estudantes. Os profissionais identificam as áreas cearenses mais impactadas pela doença, levam aos moradores dessas regiões informações sobre os fatores que provocam o mal, ensinam medidas de prevenção e realizam exames detalhados. Quando necessário, os pacientes são encaminhados para as grandes cidades, em especial Fortaleza.

O time cearense tem foco ainda no treinamento de dentistas da rede básica de saúde. Afinal, visitas regulares ao consultório desses profissionais não devem servir apenas para verificar o estado dos dentes, mas para procurar sinais que denunciem a presença de tumores. Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, menor será a área retirada pela intervenção cirúrgica indicada para esse tipo de neoplasia. Daí que iniciar logo o tratamento diminui as complicações que a doença costuma provocar na fala, deglutição e respiração.

Informar para prevenir

Uma dieta equilibrada é arma essencial nessa luta, lembra Luiz Paulo Kowalski, cirurgião oncológico do Hospital A.C. Camargo, na capital paulista. "O consumo de frutas e verduras protege contra o câncer", diz o médico. "Por outro lado, pessoas que comem churrasco ou carne grelhada mais de quatro vezes por semana têm maior risco de desenvolver a doença." A justificativa está na fumaça, cujos agentes cancerígenos ficam impregnados na carne. Não é o caso de limar da agenda o famoso churrasquinho com os amigos — o segredo está no equilíbrio. Outro fator que conta, e muito, para fechar as portas aos agressores é não se descuidar da higiene. Escova e fio dental, já se sabe, precisam entrar em ação pelo menos três vezes ao dia. "Mas é preciso evitar o uso indiscriminado de enxaguatórios bucais com álcool na fórmula. Eles podem disparar o problema", alerta Kowalski.

O exame clínico ainda é a melhor forma de flagrar alterações que podem ser sinal de perigo, mas pesquisadores buscam na tecnologia um apoio para a tarefa. Na Universidade de São Paulo, por exemplo, está em teste há um ano um aparelho chamado Velscope (Visually Enhanced Lesion Scope). "Ele é um coadjuvante no diagnóstico", apressa-se a dizer Celso Augusto Lemos Júnior, que supervisiona o trabalho e é presidente da Sociedade Brasileira de Estomatologia. "Os feixes luminosos emitidos pelo equipamento ajudam na avaliação e são eficientes na demarcação da área onde a biópsia deve ser feita."

O mais importante da pesquisa, na opinião de Celso Lemos, é jogar luz sobre o assunto para reforçar a prevenção: apagar o cigarro de vez, diminuir o consumo de álcool e usar protetor labial, evitando os estragos da ação do sol. Já para vencer um dos protagonistas dessa história, o HPV, não tem acordo: sexo oral, só com camisinha. Até porque a vacina contra esse vírus, recomendada há algum tempo para garotas a partir de 9 anos, só recentemente foi aprovada também para meninos. Ou seja, serão necessários anos até que os primeiros resultados apareçam. E não é nada esperto se expor ao inimigo quando se sabe a estratégia para fazê-lo recuar.


Sinais de alerta
É fundamental procurar o dentista ou o médico quando alguns sintomas persistem por mais de duas semanas. Os mais comuns são lesões e feridas que não cicatrizam, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na gengiva e na língua e carocinhos nas bochechas. Atente também para a dificuldade para mastigar e engolir.

O mapa da doença
Dados do Globocan 2008, levantamento da Organização Mundial da Saúde, apontam cerca de 275 mil novos casos de câncer oral no mundo por ano. Ao lado, em vermelho, as regiões do planeta em que há maior incidência da doença

Que áreas da cavidade oral podem ser afetadas?
Os tumores são mais frequentes na língua, no assoalho (embaixo da língua) e no palato, o céu da boca. Mas eles ocorrem também nos lábios, na mucosa, na gengiva e nas amígdalas.

Sorriso bonito contra o mal
Traumas crônicos, provocados por dentes fraturados e próteses mal adaptadas, aumentam o risco de tumores. E estudos mostram que as bactérias envolvidas na doença periodontal, que ataca a gengiva, facilitam a ação de substâncias cancerígenas. Portanto, a boa escovação também previne esse câncer.

Números da doença

• No Ceará, de 5 a 10 novos casos são diagnosticados por semana

• Esse tipo de câncer é o 4º mais frequente na Região Nordeste (6/100 mil)

• O fumo é responsável por cerca de 42% de mortes pela doença

• Segundo estimativas do Inca, o Brasil terá 14 170 casos da doença em 2012, sendo 9 990 em homens e 4 180 em mulheres

• A combinação de álcool e cigarro aumenta em 30 vezes o risco de desenvolver a doença

Fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0346/medicina/cala-boca-cancer-oral-666166.shtml - por Goretti Tenorio • design Ana Paula Megda • fotos Gustavo Arrais