sábado, 31 de março de 2012

Entenda como acontecem as lesões no futebol

Joelhos e tornozelos são as articulações que sofrem os maiores impactos das faltas

O assunto vem a campo sempre que algum atleta vai parar na capa dos jornais, machucado. Mas se engana quem pensa que só jogadores profissionais estão sujeitos a sofrer por causa do futebol. O esporte favorito dos homens é uma usina de lesões. O ritmo do jogo e as quedas exigem muito dos músculos, por isso a necessidade de fortalecê-los.

"Os músculos e os ligamentos são as principais estruturas de sustentação das articulações que, por serem móveis, são as mais susceptíveis a problemas", afirma o médico Fernando Torres, do Centro de Estudos de Fisiologia do Exercício da Universidade Federal de São Paulo. A seguir, confira as respostas para as principais dúvidas de quem gosta de encarar o futebol no final de semana e morre de medo de ter de encarar a segunda-feira com a perna enfaixada:

Quais as causas mais comuns de lesões?
As lesões mais comuns surgem das faltas praticadas pelos adversários. A gravidade desses esbarrões é relativamente pequena, entretanto, as estatísticas mostram que de 10% a 23%, no máximo, resultam em afastamentos de treinos ou jogos.

Mas o preparo físico também interfere. O atleta que treina em excesso, dorme pouco, tem sono não repousante, não se alimenta bem ou mesmo que faz ou fez uso de anabolizantes são os mais propensos a terem problemas. O aquecimento e alongamento, antes do exercício, são vitais para evitar lesões.

Quais as áreas mais afetadas?
As entorses do tornozelo são as lesões mais comuns do futebol, representando 17% a 20% do total. As lesões de joelho constituem em torno de 16% de todas as lesões em homens. O problema destas últimas é que, quando ocorrem, exigem maiores períodos de ausência do que as demais e até cirurgias de reparação. O cenário só muda com os goleiros, que penam mais com problemas nas mãos, normalmente fraturas nas falanges dos dedos.

O joelho é o mais afetado porque, ao contrário do quadril, que é uma articulação profunda e muito estável por ser muito bem encaixada, o joelho é uma articulação plana e mais instável, além de superficial. Ele ainda está sujeito a grandes forças de rotação, principal mecanismo para a lesão dos meniscos e ligamentos cruzados. Sem se esquecer que os joelhos, como os tornozelos, não têm um envoltório muscular para protegê-los.

Qual a melhor maneira de proteger cada uma dessas áreas?
Fortalecer a musculatura, alongar, aquecer e, principalmente, nunca jogar quando estiver cansado. E, durante os jogos, nunca dispensar equipamentos como uma tornozeleira e uma caneleira.

Qual o papel dos equipamentos de proteção?
Existem joelheiras e tornozeleiras muitos eficazes na prevenção de lesão minimizando um pouco as chances de acidente. Os equipamentos também ajudam quem já sofreu algum acidente e, mesmo assim, insiste em jogar.

Que exames um jogador deve fazer?
Um bom exame clínico com um médico especialista em esportes. Os exames incluem uma análise das articulações pela palpação, no mínimo. Felizmente, nenhuma máquina será capaz de substituir esta nossa sensibilidade.

O aumento de peso pode levar a que tipo de problemas?
O aumento de peso favorece os riscos de lesão, porque sobrecarrega as articulações, além de aumentar as chances de um problema cardiovascular.

Fonte: http://minhavida.uol.com.br/conteudo/2117-entenda-como-acontecem-as-lesoes-no-futebol.htm?ordem=1#gal

sexta-feira, 30 de março de 2012

Hora do Planeta 2012


A Hora do Planeta é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. É um ato simbólico, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos.

Neste sábado, dia 31, acontece a sexta edição da Hora do Planeta, movimento global da ONG WWF que defende, por meio de uma ação simbólica, que “cada pessoa tem poder de mudar o mundo em que vive”.

Às 20h30, cidadãos do mundo inteiro vão apagar as luzes e aparelhos elétricos para chamar a atenção para a questão da energia e mudanças climáticas. “É um gesto simples e de visibilidade que pode ser adotado em todo o planeta”, explica a WWF.

A Hora do Planeta “Simboliza a eficiência e o uso de todos os recursos com inteligência e responsabilidade”.

Pela primeira vez, a ação será registrada do espaço. O astronauta André Kuipers vai compartilhar imagens e comentários ao vivo via Agência Espacial Européia (ESA).

No Brasil, mais de 100 cidades irão participar do evento, e você pode conferir a lista das cidades que já aderiram ao projeto no site www.horadoplaneta.org.br

O movimento surgiu na Austrália em 2007 e já em 2008 se espalhou para 35 países. Em 2010, foram 4.200 cidades de 125 países que aderiram à ação. Em 2011, mais de um bilhão de pessoas participaram.

No ano passado, o total de cidades que aderiram foi de 123, com 20 capitais. Das 120 participantes, 24 cidades estão participando pela primeira vez.

O número total de ícones, praças e monumentos, cujas luzes essas cidades se dispõem a apagar, já é recorde há alguns dias — 541, até o momento — superando os 380 de 2011.

Outra marca batida foi a participação das cidades do estado de São Paulo: 45 até agora, seis a mais do que as 39 do ano passado.

Não deixe de participar!

Fonte: http://www.ocorreiodopovo.com.br/mundo/hora-do-planeta-2012-amanha-e-dia-de-apagar-as-luzes-e-ficar-no-escuro-3261172.html - por Cleberson Lima

Porque somos os animais mais inteligentes do planeta?

Muitos dizem que é nossa inteligência que nos distingue das outras espécies do planeta. Mas por que somos, sozinhos na natureza, tão inteligentes?

Ou talvez não sejamos os mais inteligentes. Talvez o nosso conceito antropocêntrico nos impeça de apreciar plenamente a inteligência de outros animais.

Como Douglas Adams colocou: “O homem sempre assumiu que era mais inteligente do que os golfinhos, porque conquistou tanta coisa – a roda, Nova York, as guerras e assim por diante – enquanto tudo o que os golfinhos fazem é rolar na água se divertindo. Mas, inversamente, os golfinhos sempre acreditaram que eram muito mais inteligentes do que o homem – precisamente pelas mesmas razões”.

Cientificamente, existe um conjunto de habilidades único dos seres humanos – linguagem, uso de ferramentas, cultura e empatia – que nos tornam inteligentes. Outros animais podem ter formas rudimentares dessas habilidades, mas eles não se aproximam da nossa sofisticação e flexibilidade. Por que não?

Alguns chegam mais perto de nós que outros. Psicólogos alemães afirmam ter identificado uma chimpanzé cujas habilidades mentais superam em muito seus semelhantes, se aproximando bastante dos humanos.

Curiosamente, eles sugerem que minha xará Natasha, o prodígio dos símios, exibe fortes habilidades sociais e de raciocínio, tais como aprender com os outros. Estas são as mesmas habilidades pelas quais o desenvolvimento explosivo da inteligência humana é atribuído.

Alguns chimpanzés, então, têm o potencial de evoluir para uma inteligência da nossa escala. No entanto, por que nenhum chimpanzé evoluiu para ser tão inteligente quanto Natasha?

Alguns já fizeram isso, mas há muito tempo: os nossos próprios antepassados. Em algum lugar da nossa história evolutiva, havia presumivelmente “protótipos” de humanos igualmente prodigiosos, produzidos por algum acidente de genética ou pelo ambiente, cuja maior inteligência lhes deu vantagem sobre seus semelhantes menos talentosos.

Os chimpanzés prodígios de hoje parecem não lucrar com sua inteligência da mesma forma que nós lucramos. Provavelmente porque sua sociedade e meio ambiente não os recompensam como aconteceu conosco.

Assim, nossos antepassados podem ter sido fortuitamente incentivados pela natureza a embarcar no ciclo do desenvolvimento biológico e cultural que levou aos seres humanos modernos e a um nível de adaptabilidade que nos permite ajustar rapidamente às mudanças em nosso ambiente, e até mesmo modificá-lo para se adequar a nós mesmos: somos a espécie dominante da Terra.

No entanto, devemos tomar cuidado com a arrogância. Em um passado não muito distante, nós compartilhamos o planeta com ramos distintos da família humana: os Neandertais e os Denisovans, talvez os Flores e os recentemente descobertos povos da caverna Red Deer, e possivelmente muitos outros.

Esses hominídeos provavelmente compartilhavam muitas das nossas capacidades mentais, e mesmo assim se viram incapazes de superar seus desafios ambientais e foram extintos.
Então, fica a pergunta final: a nossa inteligência realmente nos faz os governantes do mundo? É muito cedo para dizer. Talvez os golfinhos ainda rirão muito mais de nós no futuro.[NewScientist]

Fonte: http://hypescience.com/porque-somos-os-animais-mais-inteligentes-do-planeta/ - Por Natasha Romanzoti

O remédio milagroso que mata todo tipo de câncer


Um único remédio conseguiu diminuir ou até matar cânceres de ovário, cólon, cérebro, fígado e bexiga transplantados para ratos.

O tratamento consiste em um anticorpo que bloqueia um sinal – que engana o sistema imunológico – das células cancerosas.

Uma década atrás, o biólogo Irving Weissman, da Universidade de Stanford, descobriu que as células de leucemia produziam altos níveis da proteína CD47. Essa proteína também está presente em células sanguíneas saudáveis, servindo como um sinalizador para não serem destruídas. Dessa maneira, o câncer consegue enganar nosso sistema imunológico.

“O que revelamos é que a CD47 não é importante apenas em leucemias e linfomas”, afirma Weissman. “Está em todo tumor humano primário que testamos”. O laboratório de Weissman acabou descobrindo que todas as células cancerígenas possuem mais da proteína do que as saudáveis.

A equipe transplantou tumores humanos para as patas de ratos, onde eles poderiam ser facilmente monitorados. Quando os animais receberam remédios anti-CD47, os tumores encolheram e não se espalharam pelo resto do corpo.

Em todos os ratos que receberam tumores humanos de bexiga, por exemplo, o câncer se espalhou para o sistema linfático. No caso dos que receberam o tratamento, apenas um em cada 10 apresentou sinais do câncer ter se espalhado nesse sistema. No geral, o tumor implantando ficou menor após o tratamento. No caso de cinco ratos com células cancerígenas de mama, os animais ficaram sem sinais de câncer até quatro meses após o fim do tratamento.

“Nós mostramos que mesmo quando o tumor já tomou conta, o anticorpo pode curar o tumor ou diminuir seu crescimento, prevenindo a metástase”, afirma Weissman.

Uma questão importante, que surge agora, é como os anticorpos de CD47 vão complementar os tratamentos existentes. Quando usados em conjunto com a quimioterapia, por exemplo, isso pode ser contraprodutivo, já que o stress desse tratamento poderia fazer com que as células normais produzam mais CD47 do que o comum.

“Nós já temos dados suficientes para afirmar que nós vamos passar para a fase de testes em humanos”, afirma Weissman. [ScienceNow]

Fonte: http://hypescience.com/o-remedio-milagroso-que-mata-todos-os-tipos-de-cancer/ - Por Bernardo Staut

quinta-feira, 29 de março de 2012

Fique alerta aos perigos dos óculos escuros falsificados para os olhos


Muitos consumidores não desconfiam dos danos que podem causar o uso de um produto sem proteção adequada

Um levantamento da Associação Brasileira da Indústria Óptica acusa que sete milhões dos 24 milhões de óculos de sol produzidos todo ano no país são piratas e ilegais. O problema é que o barato pode sair caro para a saúde dos olhos. Quase todos esses acessórios não possuem lentes que barram os raios ultravioleta.

"Essa radiação acelera o aparecimento da catarata e contribui para a degeneração macular, doença que tira a visão central", alerta o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do instituto Penido Burnier, em campinas, no interior paulista.

Quando o indivíduo usa óculos escuros, a pupila - aquele círculo negro no meio do olho - aumenta de tamanho para absorver mais luz. Se os óculos não tiverem barreira contra raios ultravioleta, não serão capazes de proteger os olhos da luz.

Sem a proteção da lente e com a pupila dilatada, os raios solares penetram ainda mais, causando danos em regiões como o cristalino e a retina, o que favorece, respectivamente, a catarata e a degeneração.

Até mesmo armações originais podem alojar lentes fajutas. Por isso, na hora de comprar, verifique se os óculos têm um selo de autenticação ou exija um teste que mede a proteção contra os raios ultravioleta.

Conteúdo do site SAÚDE - Foto: Getty Images

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/saude/reportagem/prevencao-trata/fique-alerta-aos-perigos-oculos-escuros-falsificados-677495.shtml

Como ‘escovar’ os dentes para quadruplicar a proteção contra cáries


Todos falam sobre uma boa escovação, mas será que você realmente sabe como fazer isso?

Um estudo da Universidade de Gotemburgo descobriu uma nova pasta com alta concentração de flúor, que deve ser passada com os dedos nos dentes, que pode quadruplicar a proteção contra cáries.

16 voluntários testaram uma série de técnicas de escovação, usando pastas de dente comuns ou a com muito flúor. “O estudo revelou que aqueles que usaram a pasta com alta concentração de flúor, três vezes ao dia, conseguiram se proteger das cáries quatro vezes mais”, afirma a pesquisadora Anna Nordström.

Em conjunto com a pasta, uma nova técnica de escovação foi desenvolvida: “esfregar” os dentes com os dedos. “Essa massagem provou ser mais efetiva na escovação”, afirma Nordström. “Esfregar a frente dos dedos com pasta é uma boa maneira após o almoço. Mas isso não deve substituir a escovação normal pela manhã e a noite – é um extra”.

Dicas
• Escove os dentes pelo menos duas vezes ao dia, após o café da manhã e antes de dormir;
• Se necessário, esfregue a pasta com os dedos uma terceira vez, após o almoço;
• Se você possui problemas de cáries, use uma pasta especial, com mais flúor;
• Evite enxaguar muito e retirar a pasta. [ScienceDaily, foto de Jhoc]

Fonte: http://hypescience.com/como-escovar-os-dentes-para-quadruplicar-a-protecao-contra-caries/ - Por Bernardo Staut

quarta-feira, 28 de março de 2012

Dicas para fazer o dia render mais


Aprenda a organizar o seu dia e ganhe mais horas para cumprir todas as tarefas e também relaxar

É segunda-feira de manhã e você já tem todo o seu dia programado: chegar cedo ao trabalho, ir à academia, encontrar as amigas para jantar, pegar um cineminha com o namorado. Mas você mal levanta da cama e vê o seu plano brilhante ir por água abaixo: a roupa incrível que queria usar está amassada, o trânsito está um caos, sua caixa de e-mails está lotada e o Facebook parece bem mais interessante do que o relatório que precisa ser entregue até as 18 horas. Quando se dá conta, o dia acabou - e você mal saiu do lugar.

Ok, todas nós já passamos por isso. E a sensação de que 24 horas não são suficientes é constante. "Organize o dia como você organiza o armário", sugere Julie Morgenstern, autora do livro Never Check E-mail in the Morning (inédito no Brasil). "Um armário tem espaço limitado e, dependendo de como você o arruma, vão caber mais ou menos coisas. O mesmo acontece com o seu dia. Há um tempo para cumprir as tarefas, mas, quanto melhor você distribuí-lo, mais conseguirá fazer." Siga as dicas dos especialistas para ganhar mais horas no dia e parar o relógio!

Siga a regra do dois (+ 45 minutos)
Antes de levantar da cama, decida quais serão as duas principais atividades do dia: uma relacionada ao trabalho, como arrasar numa reunião, e outra pessoal, como ir à academia. Planeje todo o resto em torno delas. "Priorize as atividades que mais vão agregar valor à sua vida a médio e longo prazo", sugere Liamar Fernandes, coach executivo da Sociedade Brasileira de Coaching. "Para começar bem o ano, aponte as duas prioridades da semana, do mês e, por fim, do ano. Fica mais fácil se organizar - e chegar mais longe. O segredo é ter disciplina. E isso não significa rigidez. Disciplina é não aceitar aquelas justificativas que a gente vive dando a si mesma, como dar um bolo no seu personal trainer só porque está chovendo.

Aproveite melhor as manhãs (+ 1 hora e meia)
Para a maioria das pessoas, as primeiras duas horas do expediente funcionam como um aquecimento - momento para atualizar as redes sociais e ler as notícias. Experimente chegar 30 minutos antes para adiantar as tarefas. Segundo pesquisa da consultoria Basex, dos Estados Unidos, a maioria das pessoas demora entre dez e 20 vezes o tempo da interrupção para conseguir se concentrar novamente. E, quando nos livramos das distrações, o nosso rendimento triplica.

Planeje 24 horas em dez minutos (+ 1 hora)
Para cumprir o que programou, anote as tarefas na agenda ou no celular. Segundo uma pesquisa da consultoria FranklinCovey, apenas 17% dos executivos possuem esse hábito. "Nunca houve tanta ferramenta para aumentar a produtividade. Ao mesmo tempo, nunca houve tanta distração. Precisamos ser seletivos para nos destacarmos na profissão", diz Luciano Meira, diretor de conteúdo da FranklinCovey. "Ao dedicar dez minutos diários estabelecendo prioridades, é possível economizar mais de uma hora por dia. "E mais: divida as tarefas semelhantes em grupos. Segundo estudo da Universidade de Michigan, nos EUA, ficar trocando de "canal" mental faz com que o cérebro demore 50% ou mais para realizar cada tarefa.

Defina o look na noite anterior (+ 25 minutos)
Se você era fã do filme As Patricinhas de Beverly Hills e sonhava com o programa que monta looks, comemore! O aplicativo Stylish Girl (para iPhone e Android) funciona assim: basta fotografar as peças e armazenar as imagens para fazer combinações! Outra dica: escolha o que vestir na noite anterior.

Adote os três Ds (+ 1 hora)
Todos nós temos tarefas das quais podemos desencanar e que conseguimos diminuir ou delegar. Faça uma lista com cinco, como ir ao cabeleireiro todos os dias, assistir à novela ou fazer algo que o seu estagiário daria conta. Ok, você não resiste ao Caio Castro em Fina Estampa. Mas faça as contas: uma hora de novela por noite, seis noites por semana, quatro semanas no mês, 12 meses por ano. No fim, você terá assistido a 288 horas de novela! E depois diz que não dá para fazer o MBA...

Não pule o almoço (+ 1 hora)
Sentir fome atrapalha a concentração e faz com que você gaste ainda mais energia driblando o ronco do estômago e tentando focar do que se parasse tudo para comer. Depois você retoma as atividades com mais energia e disposição.

Abra seu e-mail a cada duas horas (+ 1 hora e meia)
"Os brasileiros gastam três horas por dia no e-mail. Isso pode ser reduzido pela metade", diz Christian Barbosa, especialista em gerenciamento de tempo. Estipule horários para dedicar à caixa de entrada. Desligue os alertas sonoros para não se distrair e evite escrever e-mails com mais de cinco frases (se precisar, ligue - é mais rápido e prático).

Conteúdo do site NOVA
Reportagem: Andrezza Duarte - Edição: MdeMulher - Foto: Getty Images

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/bem-estar/reportagem/viver-bem/dicas-fazer-dia-render-mais-667404.shtml

terça-feira, 27 de março de 2012

Os 10 lugares mais prováveis para perder o seu celular


Da próxima vez que você estiver em um café, é melhor ficar de olho em seu celular. Um estudo realizado pela empresa de segurança Lookout revelou que os cafés foram os locais mais prováveis para as pessoas perderem ou terem o celular roubado em 2011.

O estudo da Lookout foi baseado no número de telefones perdidos pelos 15 milhões de usuários globais da empresa em 2011. O estudo utilizou dados da rede social Foursquare para determinar locais populares para telefones perdidos em cidades de todo o mundo, observando o tipo de local mais próximo para a localização do telefone perdido.

Veja os 10 lugares que você deve evitar para não perder seu celular:
• Cafés;
• Bares;
• Escritórios;
• Restaurantes;
• Apartamentos e condomínios;
• Mercearias;
• Postos de gasolina;
• Residenciais;
• Farmácias ou drogarias;
• Parques.

“A cada dia, R$ 12,7 milhões de telefones são perdidos apenas por usuários Lookout”, disse Kevin Mahaffey, cofundador e diretor de tecnologia da Lookout.

Só nos EUA, o relatório indica que, no geral, as pessoas perdem seus celulares uma vez por ano – realidade que poderia custar aos consumidores mais de R$ 54,6 bilhões em custos de reposição este ano.[LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/os-10-lugares-mais-provaveis-para-perder-o-seu-celular/ - Por Natasha Romanzoti

segunda-feira, 26 de março de 2012

Alimentos que acabam com o estresse


Saiba o que consumir no seu dia a dia para ficar mais zen

Banana: rica em carboidratos, potássio, magnésio e biotina, também conhecida como vitamina B7, ela diminui a ansiedade e ajuda a ter um sono mais tranquilo.

Alface: o talo tem lactucina, substância que funciona como calmante. Também é rica em fosfato que combate o cansaço, a confusão mental e a depressão!

Espinafre: a verdura contém potássio e ácido fólico, que previnem a depressão. Além disso, possui magnésio, fosfato e vitamina A, C e do complexo B, que ajudam a estabilizar a pressão e garantem o bom funcionamento do sistema nervoso.

Frutos do mar: têm zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo o cansaço e a ansiedade.

Gengibre: possui zinco, que melhora o metabolismo celular e atua nos problemas digestivos. Também é um verdadeiro antidepressivo natural.

Chás: são diuréticos e antioxidantes que ajudam a combater o estresse celular produzido por radicais livres. Os melhores são o chá verde, o branco, a camomila, erva-cidreira, maracujá e valeriana.

Fonte: http://revistashape.uol.com.br/receitas/1778/materia/alimentos-que-acabam-com-o-estresse-e-a-ansiedade - Por Renata Menezes

Como ajustar a postura durante a malhação?


Coluna perfeita ninguém tem. Mas, na hora de fazer exercícios com carga, é bom prestar atenção à postura. O posicionamento errado nas máquinas e os excessos de peso e repetições são responsáveis por cerca de 80% das lesões na academia, além de explicar boa parte das queixas de dor nas costas. A regra é clara: para proteger a coluna, o treino tem que ser ajustado ao seu corpo e é preciso respeitar os seus limites. Adotar as precauções a seguir também ajuda.

• Nos exercícios abdominais, que contribuem para dar sustentação às costas, mantenha os joelhos flexionados o tempo todo e jamais force o pescoço.

• Seja qual for o exercício, faça movimentos controlados, prestando atenção na organização postural e pensando no que está fazendo.

• Sempre que fizer exercícios deitada no banco, independentemente da musculatura que estiver trabalhando, coloque os pés sobre ele. Além de ajudar a manter o equilíbrio, essa medida serve para manter a coluna toda apoiada (sem sobrecarga na lombar) e segura.

• Na hora de malhar pernas e glúteos, o leg press é mais recomendado do que o agachamento, por exemplo, para preservar a coluna, que fica sustentada pela cadeira.

• Exercícios com pesos livres exigem mais equilíbrio, consciência corporal e cuidado com a postura do que os feitos nos equipamentos. Mas é tudo uma questão de hábito. Em compensação, trabalham mais grupos musculares de uma vez só e, por isso, queimam mais calorias.

• Exercitar o core, grupo de músculos que compõem a região do abdômen, costas e quadris, ajuda a corrigir erros posturais, fortalece a coluna e previne lesões.

(Com reportagem da revista BOA FORMA)

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/blogs/corpo-saudavel/corpo/como-ajustar-a-postura-durante-a-malhacao/ - Por Daniela Carasco - Foto: Getty Images

domingo, 25 de março de 2012

10 conselhos indispensáveis sobre saúde


Comer chocolate no meio da tarde? Tomar sol? Sim, você pode. Confira alguns conselhos sobre saúde que você sempre quis ouvir e que ajudam a viver melhor

Use salto alto, coma chocolate, tome café, pegue sol... Sabe aqueles conselhos que você sempre quis ouvir, mas achou que nunca iriam dizer a você? Eles podem, sim, te ajudar a viver melhor. Confira dez deles e veja como é possível manter a saúde em dia com prazer.

1. Suba no salto
Ficar em cima de um salto faz bem, sim. Desde que tenha uns 4 centímetros. "Isso previne varizes, aumenta a firmeza da panturrilha e dá a impressão de magreza", diz o médico Fabio Ravaglia, presidente do Instituto de Ortopedia e Saúde, em São Paulo. "Sapatos rentes ao chão causam dores no calcanhar", completa. Então, fique mais alta já. Melhor se escolher um modelo plataforma de bico redondo. Dica: abuse da moda das espadrilhas.

2. Deguste chocolate
Pode comer 30 gramas de chocolate meio amargo por dia sem se preocupar com a balança. "Uma barrinha tem só 170 calorias e possui substâncias antioxidantes que previnem o envelhecimento", diz a nutricionista Carolina Melilli, de São Paulo. Além disso, um estudo da Universidade Wayne State, nos Estados Unidos, mostra que o chocolate pode ajudar no crescimento muscular do mesmo modo que a corrida.

3. Tenha orgasmos
Mais uma razão para atingir o clímax: o orgasmo diminui o stress e pode aumentar a sua criatividade no trabalho. Pois é! Ao gozar, o corpo libera endorfina e oxitocina, hormônios que aumentam a sensação de bem-estar. "Depois de uma noite com orgasmo, fica fácil fazer uma tarefa complexa, já que você está mais relaxada e feliz", diz a ginecologista Carolina Ambrogini, da Unifesp.

4. Beba café
Se você não passa o dia sem tomar algumas doses de café, já está cuidando da saúde. Cientistas da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, dizem que a bebida previne contra câncer de colo de útero. Eles descobriram que mulheres que tomam de quatro a sete xícaras de café diariamente têm 25% menos chances de ter a doença em comparação com quem não coloca uma gota na boca.

5. Coma à vontade
No café da manhã, comer bem é obrigação. Caso contrário, aquele pneuzinho que impede você de comprar um jeans 38 pode aumentar (ou nunca sumir). Carolina Melilli explica: "Depois de longas horas de jejum, o organismo produz cortisol, substância que ajuda na retenção da gordura abdominal". A arma para combater esse vilão é a proteína. Aposte num iogurte sem gordura e numa fatia de peito de peru logo cedo.

6. Braços tomem sol
Arrumar meia hora antes de ir para o trabalho e ficar tomando sol tem outras vantagens que não o bronze: "A exposição auxilia a produção de vitamina D, importante para a absorção de cálcio e prevenção da osteoporose", diz o dermatologista Adilson Costa, professor da PUC-Campinas. Segundo o IBGE, 92% das brasileiras têm carência dessa vitamina. E o sol ainda tem mais um benefício: aumenta a imunidade.

7. Lote o seu iPod
Além de deixar você mais animada, a música pode ajudar o seu cérebro a lutar contra o envelhecimento. Ter contato com ela desde cedo faz com que problemas de memória e de audição sejam prevenidos, de acordo com um estudo da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos. Pode bombar o fone de ouvido ¿ só tome cuidado com a altura do som. O volume ideal é de 80 decibéis, quando ainda dá para ouvir a sua colega ao lado.

8. Use óculos escuros
Está louca por aqueles óculos caríssimos? Agora já tem motivo para sacar o cartão e correr até a loja: o acessório (com filtro UV) é indispensável para a saúde dos olhos. O sol pode causar doenças como câncer e danificar a retina - e as mulheres são mais suscetíveis a isso. Uma pesquisa do Healthy Sight Institute, dos Estados Unidos, mostra que nós temos até 50% mais chances de ter esses problemas do que os homens.

9. Pegue leve com o cérebro
Fazer hora extra e ficar em um emprego em que a pressão é enorme ataca a sua saúde mental - e causa depressão, stress e síndrome de burnout, esgotamento nervoso típico de quem está sendo exigido demais. No Brasil, houve um aumento de 20% dos afastamentos devido a esses casos em 2011, de acordo com o INSS. Está muito sobrecarregada? Negocie prazos e separe tempo para relaxar: vale um cinema depois de um dia cheio.

10. Caia na piscina
Nadar deixa as pernas definidas, os braços durinhos e ajuda a perder até 290 calorias em meia hora. Aí você vem com a desculpa: "Meu cabelo vai ficar horrível!" Não vai, não. Costa dá a receita: "Lave os fios com água abundante e use produtos específicos". Uma boa alternativa é colocar no nécessaire a linha Color Extend Sun, da Redken, que tem cremes, máscaras e xampus voltados para quem não abre mão do mergulho diário.

Conteúdo do site NOVA - Reportagem: Elisa Tozzi - Edição: MdeMulher - Foto: Getty Images

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/saude/reportagem/vida-saudavel/10-conselhos-saude-ajudam-viver-melhor-679280.shtml

sábado, 24 de março de 2012

Alguns cérebros são melhores do que outros para aprender idiomas?


Em seu tempo livre, um garoto americano de 16 anos aprendeu sozinho hebraico, árabe, russo, suaíli (uma das línguas oficiais do Quênia), e uma dúzia de outros idiomas.

Teria Timoty Doner alguma capacidade especial? Mesmo que não esteja totalmente claro o nível de fluência do garoto em qualquer das línguas estudadas, poliglotas como ele certamente parecem diferentes da maioria das pessoas, que fala uma, talvez duas línguas.

Existe algo único em certos cérebros, que permite que algumas pessoas falem e entendem mais línguas do que o resto de nós? Segundo os especialistas, a resposta pode ser “sim”, “não” e “é complicado”.

Algumas pesquisas apontam que, para certas pessoas, os genes podem “preparar” o cérebro para ser bom em aprendizagem de línguas. Os estudos estão começando a identificar algumas regiões do cérebro que são um pouco maiores ou mais eficientes em pessoas que se destacam em línguas.

Para outros cientistas, porém, é mais uma questão de ser determinado e motivado o suficiente para aguentar o estudo puxado necessário para aprender novas formas de comunicação.

“As crianças fazem bem o que elas gostam”, disse Michael Paradis, um neurolinguista da Universidade McGill, em Montreal, que comparou aprender uma nova língua a aprender a tocar piano, praticar esportes ou qualquer outra coisa que requer disciplina. “Pessoas que amam matemática são boas em matemática. Timoty ama línguas e está indo bem em línguas”.

Segundo Paradis, este é apenas um caso extremo de um princípio geral. “Se você praticar e ter uma grande dose de motivação para um determinado domínio, você vai ser capaz de melhorar nesse domínio para além dos limites normais”, disse.

Crianças muito jovens são muito boas em aprender várias línguas ao mesmo tempo. Elas serão melhores em pronunciação porque podem desenvolver vários “sotaques” na língua. E daí, na idade adulta, todas as línguas aprendidas ficam “no seu próprio canto” no cérebro, sem interferir umas com as outras – ao contrário de alunos mais velhos que podem ter problemas em se lembrar de uma segunda língua quando começaram a aprender uma terceira.

A idade e os idiomas

Com a idade, porém, não só fica mais difícil aprender novas línguas, como pode até haver estágios de desenvolvimento para além do qual certas nuances da língua simplesmente se tornam inacessíveis.

Com a idade de 9 a 12 meses, por exemplo, os bebês começam a perder a capacidade de distinguir entre sons que não são usados em sua língua nativa. Após cerca de 4 anos de idade, a maioria das pessoas nunca vai ganhar uma compreensão verdadeiramente profunda sobre a morfologia de uma segunda língua, que se refere às regras que determinam como as palavras são formadas a partir de unidades linguísticas.

Após 7 anos de idade ou mais, o cérebro começa a prestar mais atenção ao que está aprendendo, o que afeta o tipo de memória que as crianças usam para entender línguas.

E para além da puberdade, torna-se improvável que alguém seja capaz de falar um novo idioma sem ter um sotaque estrangeiro (embora Doner seja impressionante nesse campo, o que pode refletir um cérebro que demorou mais para amadurecer). Não parece haver nenhum ponto de corte para a aprendizagem de vocabulário.

Linguagem e cérebro

Por mais de um século, os cientistas sabem que existem áreas-chave do cérebro, no córtex exterior do hemisfério esquerdo, conhecidas como área de Broca e área de Wernicke, que são críticas para aprender a falar e compreender a fala. Há também muitas outras áreas em todo o cérebro que processam a linguagem.

Genes, neurotransmissores e regiões cerebrais envolvidas em memória de longo prazo também desempenham um papel. E um número de diferentes estruturas provavelmente entra em jogo quando as pessoas falam uma segunda língua quando comparado a falar sua primeira língua.

Isso explicaria por que os danos cerebrais do mal de Parkinson, Alzheimer ou outros distúrbios que afetam áreas específicas do cérebro podem prejudicar apenas a língua nativa, ou apenas uma língua que foi aprendida mais tarde na vida, deixando a outra intacta. O envelhecimento também pode destacar um sotaque que antes era imperceptível.

Somente nos últimos anos os cientistas começaram a se concentrar em regiões do cérebro que parecem importar mais em ajudar poliglotas a desenvolver suas habilidades impressionantes.

Em um estudo de 2008, por exemplo, os pesquisadores descobriram melhores habilidades de aprendizagem de línguas em estudantes universitários com maior giro de Heschl, uma área do lado esquerdo do cérebro que processa afinação. Mas essa conclusão só se aplica a aprendizagem de línguas tonais como o mandarim.

Em outro estudo, publicado no ano passado, cientistas descobriram que os alunos bons de línguas tinham grande conectividade na substância branca do córtex auditivo, que faz parte da rede de linguagem.

No entanto, mesmo que pesquisas revelem indícios biológicos no cérebro de quem pode ser um melhor poliglota, ninguém está completamente fadado a ser bom ou falhar em línguas.

Nossa biologia pode simplesmente determinar qual a estratégia que devemos usar para aprender novos dialetos. Uma vez que as pesquisas encontram os preditores, as pessoas podem saber qual o tipo certo de programa de treinamento para si, para aprender novas línguas.

O campo de neurolinguística ainda é novo e, por enquanto, o processo de aprendizagem de línguas no cérebro permanece cheio de segredos.[MSN]

Fonte: http://hypescience.com/algumas-pessoas-sao-melhores-em-aprender-novas-linguas-que-outras/ - Por Natasha Romanzoti

sexta-feira, 23 de março de 2012

Milionários revelam segredos para ficar rico


Uma empresa americana de serviços financeiros, sediada na Pensilvânia e ligada à Bolsa de Valores NASDAQ, fez uma pesquisa com empresários ricos para responder a uma simples questão: a que eles atribuem o próprio sucesso financeiro? As respostas variaram em alguns tópicos, mas em geral há duas receitas básicas para a fortuna: uma forte ética de trabalho e abertura constante às novas ideias.

Os pesquisados foram cem indivíduos cujo patrimônio familiar ultrapassa a casa dos 20 milhões de dólares em ativos financeiros (R$ 35 mi). A empresa que organizou a enquete trabalha em parceria com outras duas em um projeto que pretende traçar novas orientações para empreendedores.

A inovação parece ser um ponto crucial. Nada menos do que 95% dos participantes garantiram que os negócios estão em constante transformação e é essencial estar pronto para se adaptar conforme as mudanças. Da mesma forma, 80% dos entrevistados afirmam que a ética pessoal de trabalho precisa ser sólida para que o sucesso seja alcançado.

A melhor forma de fazer inovações, no entanto, causa números divergentes. Cerca de metade dos entrevistados afirma que é importante ter bons assessores e conselheiros na hora de se tomar decisões profissionais. Mas apenas 36% acham sensato delegar as inovações na empresa a membros jovens da família, enquanto 37% defendem que tais ideias devem partir dos profissionais especializados em negócios. [Business News Daily, foto de Rodrigo Amorin]

Fonte: http://hypescience.com/milionarios-revelam-segredos-para-ficar-rico/ - Por Dalane Santos

Como reduzir em 30% sua chance de ter câncer


Se você costuma ler artigos científicos, já deve ter perdido a conta de quantos métodos preventivos contra o câncer você já ouviu falar. A maioria, no entanto, sequer está relacionada a medicamentos. São dicas de alimentação, hábitos de vida ou consumo de certas substâncias.

Agora, cientistas da Universidade Oxford, na Inglaterra, afirmam que um produto muito simples e presente na nossa rotina pode nos proteger do câncer: a aspirina.

A pesquisa se baseia no fundamento de que a melhor forma de evitar o câncer é combatendo a formação de metástases. São lesões tumorais malignas secundárias, criadas a partir de uma primeira, que se espalham pelos órgãos do corpo humano e aumentam as chances de contração da doença.

A aspirina, conforme os cientistas apuraram, teria propriedades ideais para restringir as metástases. Basta tomar um comprimido ao dia, durante três a cinco anos, para que as chances de formação de tumor se reduzam em 19%.

Fazer uso do medicamento por mais de cinco anos pode diminuir tais riscos em até 30%. Este efeito vale, inclusive, para pessoas que já ultrapassaram os 60 anos de idade. [Telegraph, foto de jlodder]

Fonte: http://hypescience.com/como-reduzir-em-30-sua-chance-de-ser-diagnosticado-com-cancer/ - Por Dalane Santos

quinta-feira, 22 de março de 2012

Para atrair as mulheres, pele é mais importante do que o rosto


No jogo do amor e do sexo, uma pele bonita pode formar a linha divisória entre os perdedores e os vencedores: uma nova pesquisa mostra que uma pele saudável é mais importante do que um rosto masculino.

Estudos anteriores revelaram que mulheres heterossexuais acham homens com rostos masculinos – aqueles com o queixo proeminente e quadrado, sobrancelhas espessas e um rosto relativamente longo com um queixo bem definido – mais atraentes, principalmente durante a ovulação. Pesquisas propuseram que as mulheres instintivamente escolhem homens com características masculinas devido ao indicativo de boa saúde, que então poderia ser passada para os filhos.

Entretanto, o psicólogo Ian Stephen, da Universidade de Nottingham, na Malásia, descobriu que uma pele “dourada” também é indicativo de boa saúde, e que as pessoas tendem a achar isso bonito. Mas então o que as mulheres preferem: uma pele bonita e dourada ou um rosto “macho”?

Para descobrir, Stephen e seus colegas tiraram fotos de 34 homens brancos e 41 negros. Eles então calcularam a cor das faces e usaram um programa de computador para classificar a masculinidade das faces.

“Nós usamos essa técnica de computador para comparar matematicamente o formato dos rostos dos homens com amostras similares de rostos de mulheres, das mesmas populações”, comenta Stephen.

Os pesquisadores então mostraram as fotos para 32 mulheres brancas e 30 negras, para que elas classificassem a atração.

Os cientistas descobriram que a masculinidade facial não era nem de perto tão importante quando o tom da pele, para as mulheres de ambos os grupos étnicos. Eles não encontraram uma ligação entre a masculinidade e a atração, mas sim entre a pele.

Apesar da cor dourada ser muito importante para as mulheres ao classificarem os rostos do próprio grupo étnico, elas não pareceram se importar muito com esse traço em outro grupo étnico. Os pesquisadores sugerem que elas não conseguem detectar diferenças tão relativas em homens de outras raças.

Os traços dourados em nossa pele vêm de pigmentos de frutas e vegetais da nossa alimentação, promovendo saúde e fertilidade.

“Nosso estudo mostra que ser saudável pode ser a melhor forma dos homens ficarem atrativos”, comenta Stephen. “Nós sabemos que você pode conseguir uma pele mais atrativa comendo mais frutas e vegetais, então aí pode ser um bom começo”. [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/para-atrair-as-mulheres-pele-e-mais-importante-do-que-o-rosto/ - Por Bernardo Staut

quarta-feira, 21 de março de 2012

Você sabe o que é Síndrome do Esgotamento Profissional?


Doenças do trabalho

Fortes dores de cabeça, tonturas, tremores, falta de ar, oscilações de humor, distúrbios do sono, dificuldade de concentração, problemas digestivos e depressão.

Estes são alguns dos sintomas de uma doença invisível chamada de Síndrome do Esgotamento Profissional (SEP) ou Síndrome de Burnout - do inglês burn out, que significa queimar-se por completo.

Na década de 1970, os problemas de saúde do trabalhador mais relevantes eram as doenças fisiológicas, tais como silicose ou a intoxicação por chumbo.

Na de 1980 eram as lesões por esforços repetitivos (LER) e doenças osseomusculares relacionadas ao trabalho (DORT).

De 1990 em diante, contudo, os casos de transtornos mentais relacionados ao trabalho e as doenças como depressão e Síndrome do Esgotamento Profissional não pararam de crescer.

Síndrome do Esgotamento Profissional

A característica mais marcante da Síndrome do Esgotamento Profissional é a dedicação exagerada à atividade profissional, marcando o que se convencionou chamar de workaholic, uma pessoa viciada em trabalho.

Mas não é a única.

O desejo de ser o melhor e sempre demonstrar alto grau de desempenho é outra fase importante da síndrome: a pessoa passar a avaliar e sustentar sua auto-estima na capacidade de realização e sucesso profissionais.

O que tem início como uma vocação, envolvendo satisfação e prazer no trabalho, acaba quando o trabalhador não obtém o reconhecimento de que se acha merecedor.

Nesse estágio, necessidade de se afirmar e desejo de realização profissional se transformam em obstinação e compulsão, tornando a pessoa incapaz de levantar os olhos e ver a situação de um ponto de vista mais amplo.

Estágios da síndrome de Burnout

Segundo os especialistas, a Síndrome do Esgotamento Profissional possui doze "degraus", que a pessoa geralmente percorre sem se dar conta do caminho que está seguindo:
• Necessidade de se afirmar;
• dedicação intensificada - com predominância da necessidade de fazer tudo sozinho;
• descaso com as necessidades pessoais - comer, dormir e sair com os amigos começam a perder o sentido;
• recalque dos conflitos - a pessoa percebe que algo não vai bem, mas não enfrenta o problema. É quando ocorrem as primeiras manifestações físicas;
• reinterpretação dos valores - isolamento, fuga dos conflitos. O que antes tinha valor sofre desvalorização: lazer, casa e amigos. A única medida da auto-estima é o trabalho;
• negação de problemas - nessa fase, os outros são completamente desvalorizados e tidos como incapazes. Os contatos sociais são repelidos, sendo cinismo e agressão os sinais mais evidentes;
• recolhimento;
• mudanças evidentes de comportamento;
• despersonalização;
• vazio interior;
• depressão - marcas de indiferença, desesperança, exaustão. A vida perde o sentido;
• e, finalmente, a síndrome do esgotamento profissional propriamente dita, que corresponde ao colapso físico e mental.

O último degrau é considerado de emergência, e a única saída à qual essa escada leva é o consultório médico, para os remendos de urgência, e o psicólogo, para uma auto-reconstrução de longo prazo.

Sanidade mental dos trabalhadores

De acordo com Sérgio Roberto de Lucca, da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, os casos de DORT e transtornos mentais associadas à Síndrome do Esgotamento Profissional são uma tendência demonstrada pelas estatísticas da Previdência Social e pelos pacientes atendidos no ambulatório de medicina do trabalho do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

Dos 858 casos de DORT atendidos no ambulatório nos últimos anos, 280 destes casos apresentam como comorbidade algum tipo de transtorno mental.

"O novo desafio da medicina do trabalho é a de preservar a sanidade mental dos trabalhadores. Passamos do risco tecnológico, possível de controlar, para o risco invisível, difícil de controlar.

"Na história clínica há relatos de assédio moral e alguns pacientes apresentam sintomas que podem caracterizar-se como Síndrome de Burnout. O medo de perder emprego e os fatores da organização do trabalho são invisíveis e muito mais complexos de lidar. Este problema é mundial", disse de Lucca.

Precarização do trabalho

Segundo o pesquisador, esse problema foi agravado com o advento das novas tecnologias e da globalização, que impuseram uma reestruturação produtiva.

A precarização do trabalho se dá por meio da terceirização, flexibilização das atividades e instabilidade dos postos de trabalho.

"As exigências das empresas são tamanhas que o indivíduo precisa de uma qualificação cada vez mais exigente. A maioria dos trabalhadores, hoje, não tem essa qualificação. Eles ficarão na periferia do sistema, em subempregos ou desempregados", disse.

Com informações do Jornal da Unicamp

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=sindrome-esgotamento-profissional&id=7547&nl=nlds - Imagem: Wikimedia/Doryana02

terça-feira, 20 de março de 2012

Casamento pode ser o melhor remédio para o coração


Questão de sobrevivência

Pesquisas já haviam mostrado que o casamento é bom para o coração - fisiologicamente falando -, sobretudo para as mulheres.

E parece que isto é verdade também quando o coração está envolvido em situações muito críticas.

Adultos casados que passam por uma cirurgia cardíaca têm três vezes mais probabilidade de sobrevivência do que os solteiros.

"Esta é uma diferença dramática nas taxas de sobrevivência das pessoas solteiras, durante a parte mais crítica da recuperação pós-operatória," diz a Dra. Ellen Idler, da Universidade Emory (EUA), que liderou o estudo.

"Nós descobrimos que ser casado aumenta a chance de sobrevivência do paciente, seja ele um homem ou uma mulher," afirma.

Efeito protetor do casamento

Embora as diferenças mais marcantes estejam nos primeiros três da cirurgia - o período mais crítico e que pode determinar as chances de sobrevivência de longo prazo - o estudo confirmou que o forte efeito protetor do casamento continua por até cinco anos.

No período inicial de três meses após a cirurgia, o risco de que uma pessoa solteira morra é três vezes maior do que o risco de uma pessoa casada.

No geral, considerando o período todo, o risco de morte dos solteiros é duas vezes maior do que o risco de morte dos casados.

"Os resultados destacam a importância do papel das esposas como cuidadoras durante as crises de saúde. E os maridos são aparentemente tão bons em cuidar quanto as esposas," diz a médica.

Sobrevivência na crise

Colocar as alianças tem sido associado com uma vida mais longa desde 1858, quando William Farr observou que o casamento protegia contra a mortalidade precoce na França.

Os indícios vêm-se acumulando desde então de que viúvos, solteirões e divorciados têm menor expectativa de vida.

A maior parte dos estudos, contudo, observa grandes populações durante toda a vida.

Neste caso, os pesquisadores se concentraram em uma época definida, de uma crise grave de saúde. E os benefícios de ter alguém do lado se confirmaram também nestes casos.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=casamento-melhor-remedio-coracao&id=7546&nl=nlds

segunda-feira, 19 de março de 2012

Porque algumas pessoas bebem e esquecem o que fizeram?


Quem aqui nunca passou por uma situação em que bebeu muito, além da conta, e no outro dia não lembrava de nada ou da maioria das coisas?

Você não está só. Uma nova pesquisa sugere que algumas pessoas são mais suscetíveis a esquecimentos do que outras.

A diferença entre os que esquecem e os que não é visível no cérebro. Aqueles com tendência a esquecer as besteiras do dia anterior mostram respostas diferentes nas áreas relacionadas à memória e atenção, mesmo que a quantidade de álcool ingerida seja pequena.

A boa e velha desculpa

“Estamos estudando basicamente a perda parcial de memória após beber muito. Você consegue lembrar ‘pedaços’ das coisas, se tiver dicas sobre elas”, afirma o pesquisador Reagan Wetherill. “Às vezes, o cérebro não está necessariamente online, pegando a informação e registrando o que está acontecendo”.

E como todos nós sabemos, esses esquecimentos podem trazer consequências. Os especialistas ainda não estão estudando a total amnésia (esquecimento completo da noite anterior), mas sugerem que isso seria uma extensão do esquecimento parcial: quando mais álcool, maior o esquecimento.

Bêbado no laboratório

Os pesquisadores estudaram 24 amigos estudantes que costumam sair duas ou três vezes por semana, consumindo cerca de cinco bebidas por noite, uma quantidade considerada suficiente para ficar “alterado”.

Eles dividiram os bebedores em dois grupos: os que têm um histórico de esquecer as coisas após a noite, e os que não têm. Imagens cerebrais foram coletadas enquanto eles faziam testes de memória, estando sóbrios ou após alguns drinks.

Quando sóbrios, os dois grupos mostraram resultados similares. Mas mesmo após quantidades pequenas de álcool, até duas cervejas ou taças de vinho, os pesquisadores observaram grandes diferenças na atividade cerebral.

Por exemplo, aqueles que costumam ser “esquecidos” mostram menos atividade nas partes responsáveis por transformar experiências em memórias, bem como nas partes responsáveis pela atenção e funções cognitivas.

“O que pode acontecer é que alguns indivíduos têm um cérebro que consegue compensar até o ponto em que você põe uma carga cognitiva muito grande, como o álcool, e ele fica sobrecarregado”, afirma Wetherill.

A máxima “Se eu não lembro, eu não fiz” não pode mais ser usada. De fato, é possível se esquecer do que fez, mas para se esquecer, você tem que ter feito algo, não? O seu cérebro apenas não registrou a sua ação (quem sabe até ele ficou com vergonha e preferiu “deixar pra lá”). [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/porque-algumas-pessoas-bebem-e-esquecem-o-que-fizeram/ - Por Bernardo Staut

domingo, 18 de março de 2012

Risco de ataque cardíaco triplica após sexo ou exercícios físicos


Um aviso aos cardíacos que não costumam se exercitar com frequência. Praticar exercícios físicos ou fazer sexo triplica o risco de uma pessoa ter ataque cardíaco nas horas seguintes ao esforço. O alerta vale principalmente para quem não faz essas atividades de costume. Essa foi a conclusão à qual chegou a análise da Revista da Associação Médica Americana.

No entanto, pacientes com problemas no coração não devem se abster de sexo ou de exercícios físicos após os resultados da pesquisa. Embora o aumento de três vezes no risco de ataque do coração soe assustador, a probabilidade geral de efetivamente sofrer um enfarte após malhar ou ter relações sexuais ainda é muito baixa: na ordem de três em um milhão, em vez de um em um milhão.

“Definitivamente, não se deve interpretar os nossos resultados no sentido de que a atividade física ou sexual é perigosa ou nociva”, salientou Issa Dahabreh, um dos autores do estudo e investigador do Instituto Médico do Centro de Investigação Clínica, em Boston, Estados Unidos. “O efeito a nível individual é pequeno”.

Além disso, os participantes do estudo que eram mais fisicamente ativos parecem ser menos suscetíveis a um ataque cardíaco após uma relação sexual ou um treino. “Pessoas que se exercitam regularmente sofrem um aumento muito menor no risco, isso se realmente sofrerem”, conta Dahabreh.

Numerosos estudos têm sugerido que a atividade física, incluindo sexo, pode desencadear um ataque cardíaco ou parada cardíaca, mas a magnitude do risco tem sido pouco clara. Para chegar a uma estimativa, Dahabreh e seu colega de pesquisa reanalisaram dados de 14 estudos, que remonta à década de 1980.

Todos os estudos utilizaram o chamado cruzamento de caso, em que as atividades físicas dos participantes com duração de um a duas horas que antecederam enfartes foram comparados com suas rotinas habituais. Se a atividade física ou sexual foi mais comum durante o período anterior ao infarto do que em outros momentos, isso pode ter ocasionado o ataque.

Nas primeiras horas após o exercício, os pesquisadores descobriram que o risco de uma pessoa ter um ataque cardíaco é aumentado em cerca de 3,5 vezes. Nas duas horas seguintes ao sexo, o risco é de 2,7 vezes a mais. A atividade física também quintuplicou o risco de morte súbita por parada cardíaca.

Embora o risco de ataque cardíaco após o sexo ou exercício – seja em números brutos ou estatisticamente – é “muito, muito pequeno”, segundo Dahabreh, os resultados sugerem que pessoas sedentárias que querem ficar em forma devem aumentar seu nível de atividade física gradualmente para evitar sobrecarregar o coração desacostumado com o trabalho árduo. A Associação Americana do Coração faz a mesma recomendação. [CNN]

Fonte: http://hypescience.com/risco-de-ataque-cardiaco-triplica-apos-sexo-ou-exercicios-fisicos/ - Por Bruno Calzavara

Aumentam evidências de que a meditação fortalece o cérebro

Cérebro dobrado

A Universidade da Califórnia, em Los Angeles, possui um projeto continuado e aprofundado de pesquisas sobre a meditação.

Os resultados mais recentes haviam demonstrado que a meditação de certa forma "engrossa" o cérebro - de uma forma positiva - reforçando as conexões elétricas no cérebro inteiro.

Mas parece que não é apenas isso.

Segundo a Dra. Eileen Luders, especialista em neuroimagens, pessoas que praticam a meditação continuadamente têm grandes quantidades de girificação, as "dobraduras" do córtex, otimizando o funcionamento do cérebro.

Girificação

A girificação, ou dobragem cortical, é o processo pelo qual a superfície do cérebro - o chamado córtex cerebral - sofre alterações para criar fendas estreitas e dobras, chamado sulcos e giros.

O córtex cerebral está associado com processos como memória, atenção, pensamento e consciência. A formação de mais sulcos e giros otimiza o processamento neural.

O resultado da maior girificação é que o cérebro se torna capaz de processar informações mais rapidamente, além de um reforço na formação das memórias e melhoria na capacidade de tomar decisões.

Melhora com os anos

A pesquisadora encontrou ainda uma correlação direta entre o índice de girificação e o número de anos que as pessoas praticam meditação.

"Em vez de simplesmente comparar o cérebro dos meditadores e dos não-meditadores, nós queríamos ver se há uma ligação entre a intensidade da prática da meditação e a extensão das modificações no cérebro," disse Luders.

E as diferenças encontradas foram marcantes.

Isto, segundo ela, é uma comprovação adicional da neuroplasticidade, a capacidade do cérebro em se adaptar fisiologicamente em resposta a mudanças no ambiente.

A pesquisa foi publicada na revista Frontiers in Human Neuroscience.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-fortalece-cerebro&id=7548&nl=nlds - Imagem: LONI/UCLA

sábado, 17 de março de 2012

Exercícios físicos alteram o DNA


Mutabilidade do DNA

Que os exercícios físicos ajudam a manter o corpo saudável já se sabe desde a Antiguidade.

Mas foi necessário um pouco mais de estudos para descobrir como os exercícios ativam o corpo para gerar esses benefícios.

E tudo parece começar em um lugar aparentemente insuspeito, normalmente tido como um código que nos torna o que somos, ao menos fisiologicamente - no DNA.

O fato é que fazer exercícios altera o DNA em poucos minutos.

Mutação instantânea

Embora o código genético básico permaneça o mesmo em reação às atividades físicas - você não sofrerá mutações anômalas por se exercitar -, as moléculas de DNA no interior das células musculares sofrem alterações não apenas químicas, mas também estruturais, de formas muito específicas.

Elas ganham ou perdem marcadores de grupos metil em sequências específicas e bem conhecidas do DNA.

As mutações no DNA induzidas pelos exercícios acontecem por meio das chamadas alterações epigenéticas.

E, segundo os pesquisadores, elas parecem estar na base de uma cadeia de eventos que responde pelos benefícios fisiológicos dos exercícios.

Metilação

Os experimentos mostraram que o DNA nas células musculares tem menos grupos metil - ou metilas - após os exercícios do que antes.

As alterações também envolvem áreas na superfície do DNA que funcionam como pontos de ancoragem para várias enzimas, os chamados fatores de transcrição.

"Já se sabia que os exercícios induzem alterações nos músculos, incluindo um incremento no metabolismo do açúcar e das gorduras. O que descobrimos é que a mudança na metilação vem primeiro," diz a Dra. Juleen Zierath, do Instituto Karolinska, na Suécia.

A metilação é um dos mecanismos da herança genética. As metilas funcionam como uma espécie de chave que ativa e desativa os genes.

As descobertas foram publicadas na revista Cell Metabolism.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=exercicios-fisicos-alteram-dna&id=7540&nl=nlds

sexta-feira, 16 de março de 2012

O que realmente está nos tornando gordos?


A sabedoria convencional nos diz que o ganho ou perda de peso está no modelo de “calorias para dentro, calorias para fora”, que geralmente se resume no refrão “coma menos, se exercite mais”. Mas uma nova pesquisa revela que a equação é muito mais complexa do que parece, e vários outros fatores estão em jogo.

Pesquisadores de um campo relativamente novo estão olhando para os químicos industriais e aspectos não calóricos das comidas que influenciam no ganho de peso. Os cientistas que estão conduzindo essa pesquisa acreditam que essas substâncias, presentes em muitas comidas, podem estar alterando a maneira como nossos corpos armazenam gordura e regulam nosso metabolismo. Mas nem todos concordam. Muitos cientistas, nutricionistas e médicos acreditam no modelo do equilíbrio energético.

Bruce Blumberg, professor de biologia na Universidade da Califórnia, estuda o efeito dos poluentes orgânicos que são altamente usados pela indústria dos agrotóxicos e nos sistemas de água. Os compostos organoestânicos “mudam a maneira como nosso corpo responde às calorias”, ele afirma. “Os que nós estudamos, o tributilestanho e o trifenilestanho, geram mais, e maiores, células de gordura nos animais expostos. Aqueles que tratamos com esses químicos não têm uma alimentação diferente do que aqueles que não engordam. Eles estão comendo comida comum, mas estão ficando mais gordos”.

Um estudo muito comentado de janeiro trouxe mais lenha para essa discussão: ele confirmaria a crença no modelo do equilíbrio energético, e foi citado por muitos pesquisadores que trabalham no campo. Quando o autor do estudo, George Bray, foi questionado a respeito dos aditivos e ingredientes industriais em nossa comida, ele afirmou que “não faz diferença alguma. As calorias contam. Não há dados que comprovem o contrário”.

Os participantes do estudo de Bray receberam quantidade baixa, normal e alta de proteína, além de mil calorias a mais do que o necessário. O estudo não levou em conta o conteúdo e a forma das calorias, como foram processadas, ou quais aditivos ou químicos industriais estavam presentes.
Bray não acredita que aditivos ou a maneira como os alimentos são processados pode afetar o resultado do estudo. De fato, ele completou uma pesquisa em 2007, que ele se refere como “o estudo Big Mac”, com os participantes recebendo três refeições por dia, durante três dias, com um grupo comendo apenas itens como o Big Mac, e outro comendo apenas “comida caseira”. Bryan diz que o resultados não revelam nenhuma diferença: “Pelo menos nos quesitos como tolerância à glicose, insulina, e outros, não houve diferença. Agora, se você os alimentar por um período maior, é claro que a quantidade vai influenciar muito”.

Outro estudo, realizado pela Universidade de Princeton, indica que o tipo da caloria importa. Os pesquisadores descobriram que ratos que bebiam xarope de milho, com muita frutose, ganhavam mais peso do que aqueles que bebiam água com açúcar, mesmo que o número de calorias fosse o mesmo. Os primeiros animais também exibiram sinais de síndrome metabólica, como ganho de peso anormal, especialmente gordura visceral ao redor da barriga, e aumento significativo dos triglicérideos.

Miriam Bocarsly, autora principal do estudo, afirmou: “A questão das calorias para dentro, calorias para fora, é muito boa e muito debatida no campo. Mas nós temos esse resultado que aconteceu com ratos. Algo é obviamente diferente entre o xarope e a água com açúcar, mas o que será?”.

Blumberg comenta que a frutose, por si só, já é um obesógeno. “A frutose cristalizada não existe na natureza, nós estamos fabricando isso”, afirma. “A frutose não é comida. As pessoas pensam que ela vem da fruta, mas não. A que comemos é sintetizada. Sim, é derivada da comida. Mas cianeto também vem da comida. Você chamaria ele de comida?”.

O neuroendocrinologista Robert H. Lustig também acredita que a frutose é um elemento relacionado à obesidade. “Eu pessoalmente coloco a frutose nos obesógenos. Como a frutose engana o cérebro para que coma mais, ela possui propriedades consistentes para a obesidade”, diz.

Lustig é outro, entre os pesquisadores e médicos, que enxerga o modelo do balanço calórico como falso. “Eu não acredito nesse modelo, centralizado nas calorias”, comenta. “Acredito no do depósito de gordura, que é centrado na insulina. A razão é que, ao alterar a dinâmica da insulina, você pode mudar o consumo calórico e o comportamento relacionado às atividades físicas. Isso tem sido minha pesquisa pelos últimos 16 anos”, conta. A ideia de Lustig é que, ao aumentar a circulação de insulina – geralmente um resultado do consumo exagerado de frutose – as pessoas ficam mais esfomeadas e cansadas, o que resulta em excesso de alimentação e falta de motivação para se exercitar.

Outro possível elemento obesógeno é o bisfenol A (BPA), encontrado em muitos alimentos e materiais de embalagens. O professor Frederick S. vom Saal, da Universidade de Columbia/Missouri, vem estudando isso.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) divulgou que quase todos os americanos testados tinham BPA na urina, “o que indica que há grande exposição da população ao BPA”.
Algumas marcas já se pronunciaram, e planejam parar de usar o produto nas latas e embalagens dos alimentos.

Vom Saal acredita que o BPA é apenas o exemplo mais proeminente das várias substâncias presentes em nossa comida que podem nos deixar obesos. “Se as pessoas realmente querem resolver a obesidade, diabetes, e doenças cardiovasculares, não é inteligente ignorar um contribuinte como esse. E nós não estamos obesos apenas por causa do BPA. Também sei que a nicotina e outros químicos influenciam na diabetes e nas doenças metabólicas”.

Se a teoria dos “obesógenos” for aceita, a indústria da comida estará com problemas. Seria difícil promover alimentos diet e “saudáveis” que podem ter menos calorias, mas contém uma série de substâncias que podem contribuir para o aumento de peso.

A ênfase que a indústria coloca nas escolhas pessoais põe o ônus no individuo, e deixa o consumidor com difíceis decisões para fazer sobre os produtos e aditivos industriais. E os produtos não vêm com essas substâncias listadas, já que não é obrigatório.

“As pessoas dizem para mim o tempo todo: ‘O que eu faço?’”, comenta vom Saal. “E a resposta é, não há muito que fazer, porque a indústria não é obrigada a te contar sobre esses químicos. Como evitar algo que você não enxerga?”.

O modelo do equilíbrio energético também coloca a responsabilidade no consumidor, porque a sabedoria convencional é de que as pessoas comem demais.

Será que podemos continuar essa discussão simplesmente em termos de calorias ingeridas? Ou olhar apenas para as categorias tradicionais, como gorduras, proteínas e carboidratos, e lacticínios, carnes, grãos e vegetais? Como há uma proliferação de poluentes industriais nos alimentos ultraprocessados, muitos especialistas acreditam que não. [TheAtlantic]

Fonte: http://hypescience.com/o-que-realmente-esta-nos-tornando-gordos/ - Por Bernardo Staut

5 razões para não tomar refrigerante


Mesmo que você não saiba por que, com certeza sabe que refrigerante não faz bem. Desprovido de qualquer valor nutricional, essa água açucarada engorda, leva à obesidade e diabetes, além de outros vários males que não recebem muita atenção nas discussões de saúde, mas que listamos aqui na esperança de lhe recrutar para o lado do suco natural, chá e outras bebidas mais saudáveis. Confira:

1 – ENVELHECIMENTO ACELERADO
Normal, diet, light ou zero, todos os refrigerantes de cola contêm fosfato, ou ácido fosfórico, um ácido que dá ao refri seu sabor típico e aumenta seu tempo de prateleira. Embora ele exista em muitos alimentos integrais, tais como carne, leite e nozes, ácido fosfórico em excesso pode levar a problemas cardíacos e renais, perda muscular e osteoporose, e um estudo sugere que poderia até provocar envelhecimento acelerado.
O estudo, publicado em 2010, descobriu que os níveis de fosfato encontrados em refrigerantes fizeram com que ratos de laboratório morressem cinco semanas mais cedo do que os ratos cujas dietas tinham níveis normais de fosfato. Pior ainda é a tendência preocupante dos fabricantes de refrigerantes de aumentar os níveis de ácido fosfórico em seus produtos ao longo das últimas décadas.

2 – PODE CAUSAR CÂNCER
Em 2011, a instituição sem fins lucrativos Centro de Ciência para o Interesse Público solicitou à Administração de Alimentos e Drogas americana para proibir o corante artificial caramelo usado para fazer Coca-Cola, Pepsi e outros refrigerantes marrons. O motivo: dois contaminantes na coloração, 2-metilimidazole e 4-metilimidazol, que já causaram câncer em animais. De acordo com uma lista proposta na Califórnia de 65 de produtos químicos conhecidos por causar câncer, apenas 16 microgramas por pessoa por dia de 4-metilimidazol é o suficiente para representar uma ameaça de câncer. Qualquer refrigerante (normal, diet, zero) contêm 200 microgramas por 570 ml.

3 – DENTES PODRES E PROBLEMAS NEUROLÓGICOS
Nos EUA, dentistas até deram o nome de um refrigerante (boca “Mountain Dew”) para uma condição que eles veem em um monte de crianças que o bebem demais. Elas acabam com a boca cheia de cáries causadas por níveis de açúcar em excesso.
Além disso, um ingrediente chamado óleo vegetal bromado, ou BVO, adicionado para evitar que o aroma separe-se da bebida, é um produto químico industrial usado como retardador de chamas em plásticos. Também encontrado em outros refrigerantes e bebidas esportivas baseados em citros, o produto químico tem sido conhecido por causar distúrbios de memória e perda nervosa quando consumido em grandes quantidades. Os pesquisadores também suspeitam que o produto químico se acumula na gordura do corpo, podendo causar problemas de comportamento, infertilidade e lesões nos músculos do coração ao longo do tempo.

4 – LATAS TÓXICAS
Não é apenas o refrigerante que causa problemas. Quase todas as latas de alumínio de refrigerante são revestidas com uma resina chamada bisfenol A (BPA), usada para impedir os ácidos do refrigerante de reagir com o metal. BPA é conhecida por interferir com os hormônios e tem sido associada a tudo, de infertilidade a obesidade a algumas formas de câncer. E, enquanto a Pepsi e a Coca-Cola estão atualmente envolvidas em uma batalha para ver qual empresa pode ser a primeira a desenvolver uma garrafa de plástico 100% baseada em plantas que elas estão divulgando como “sem BPA”, nenhuma a empresa está disposta a retirar a substância das latas de alumínio.

5 – POLUIÇÃO DA ÁGUA
Os adoçantes artificiais utilizados em refrigerantes diet não quebram em nossos corpos, e nem o tratamento de águas residuais consegue separá-los los antes que entrem nos cursos de água. Em 2009, cientistas suíços testaram amostras de água tratada, rios e lagos na Suíça e detectaram níveis de acessulfame K, sucralose e sacarina em todos, substâncias usadas em refrigerantes diet. Um teste recente em abastecimentos de água municipal nos EUA também revelou a presença de sucralose em todos os 19 estudados. Não está claro ainda o que esses níveis encontrados podem fazer com as pessoas, mas pesquisas anteriores concluíram que a sucralose em rios e lagos interfere com os hábitos de alimentação de alguns organismos.[MSN]

Fonte: http://hypescience.com/5-razoes-para-nao-tomar-refrigerante/ - Por Natasha Romanzoti

quinta-feira, 15 de março de 2012

Como melhorar a sua pele de maneira simples e eficaz


Se sua mãe reclamava que você comia poucos vegetais, ela estava certa! Uma nova pesquisa sugere que eles não são apenas bons para sua saúde, mas também deixam sua pele mais bela para o sexo oposto.

A pesquisa, feita na Universidade de St. Andrews, na Escócia, estudou os efeitos do consumo das frutas e vegetais na cor da pele. Ao estudar 35 participantes, no período de seis semanas, eles descobriram que aqueles que comeram mais “coisas boas” tiveram um aumento nas cores vermelha e amarela na pele.

São mudanças pequenas que realmente tornam as pessoas mais atraentes. De fato, os pesquisadores fizeram também testes psicológicos em conjunto com os da alimentação, e descobriram que aqueles que comiam mais vegetais pareciam mais atraentes para os outros.

Vale comentar que o estudo foi feito em uma população caucasiana, mas os benefícios na saúde deveriam ser o suficiente para que você pense mais na parte verde do prato, independente dos benefícios na aparência. [Gizmodo]

Fonte: http://hypescience.com/como-melhorar-a-sua-pele-de-maneira-simples-e-eficaz/ - Por Bernardo Staut

quarta-feira, 14 de março de 2012

Pessoas bonitas tem voz mais sexy


Pessoas com vozes consideradas sensuais e atraentes tendem a ter maior simetria corporal, o que sugere que nós nossos ouvidos podem alterar bastante o que nós vemos nelas.

“O som da voz de uma pessoas revela uma quantidade considerável de informação biológica”, disse Susan Hughes, uma psicóloga evolucionária dos EUA. “Ela pode refletir o valor que uma pessoa teria como companheira.”

Susan, cujo novo estudo está detalhado na edição de junho de 2008 da revista científica Journal of Nonverbal Behavior alerta que uma voz atraente não indica necessariamente que esta pessoa tenha um rosto atraente.

No estudo cerca de cem pessoas ouviram a gravações de vozes e deram notas para nove traços importantes durante a seleção de parceiros:
1. Acessibilidade
2. Domínio
3. Saúde
4. Honestidade
5. Inteligência
6. Chance de conseguir encontros
7. Maturidade
8. Sensualidade
9. Calor

Os participantes do estudo mostraram as mesmas preferências sobre as características das vozes que eram mais atraentes. Mas quando Susan usou um espectrograma para analisar estas vozes de acordo com propriedades acústicas diferentes como altura, intensidade, nervosismo ou tremor ela não conseguiu encontrar uma característica comum que as tornasse atraentes. » Os segredos da atração entre os sexos

Isso indica que nosso sistema perceptivo pode ser mais avançado do que se esperava.
“Nós podemos concordar no que é uma voz atraente, mas não posso capturar isso com um computador”, Susan falou para o site LiveScience.

Investigar se uma combinação destas propriedades podem definir uma voz atraente pode revelar esta conexão, ela disse. [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/pessoas-bonitas-tem-voz-mais-sexy/ - Por Alessandra Nogueira

terça-feira, 13 de março de 2012

A internet nos torna mais inteligentes ou mais burros?


Será que o acesso constante à internet vai tornar os jovens de hoje mais brilhantes ou mais burros? Uma nova enquete de opinião descobriu que os especialistas em tecnologia acreditam que a resposta é “todas as alternativas anteriores”.

De acordo com a nova pesquisa, que incluiu 1.021 especialistas e críticos de tecnologia, a hiperconectividade é uma boa mistura. 50% dos entrevistados concordaram que a internet é um local que estimula vários talentos e a habilidade de encontrar informação de relevância online. Mas 42% acredita que a hiperconectividade deixa o cérebro raso, com uma dependência da internet e dos serviços móveis.

“Períodos de atenção curta, resultado de interações rápidas, vão vir em detrimento do foco nos problemas maiores, e provavelmente vamos ver uma estagnação em muitas áreas: tecnologia, e até elementos sociais, como a literatura”, afirma Alvaro Retana, da HP. “As pessoas que vão liderar o avanço serão as que conseguirem se desconectar e focar”.

Previões péssimas

De acordo com Universisdade Elon e o Projeto Pew, que conduziram o estudo, a divisão entre os especialistas tecnológicos é perto de 50/50%. Muitos dos que responderam que a geração Y da internet tem vantagem mental temperaram essa opinião com avisos sobre o lado negro desse excesso de conectividade.

“Enquanto eles disseram que o acesso às pessoas e à informação aumentou intensamente com a era da internet móvel, eles adicionaram que já estão percebendo deficiências na habilidade de foco de atenção dos jovens, de ser paciente e de pensar profundamente”, afirma Janna Anderson, da Elon. “Alguns expressaram preocupações de que as modas estão levando a um futuro onde as pessoas serão consumidores rasos de informação, e muitos mencionaram o livro de George Orwell, ‘1984’”.
O livro citado descreve uma sociedade onde a informação é completamente controlada. Um dos que citaram o livro foi Paul Gardner-Stephen, da Universidade de Flinders.

“Poderes centralizados que podem controlar o acesso à internet conseguirão controlar muito as gerações futuras”, afirma Gardner-Stephen. “Será muito parecido com o ‘1984’, onde o controle foi atingido usando a linguagem para limitar e delimitar o pensamento, então os regimes futuros podem usar o acesso à internet para controlar o pensamento”.

Otimismo online

Muitos especialistas comentaram os talentos necessários para navegar na internet, e sugeriram que as pessoas que cresceram conectados vão se destacar.

“Não há dúvida de que o cérebro está sendo religado”, afirma Danah Boyd, pesquisadora da Microsoft. “As técnicas e mecanismos para entrar no sistema de atenção rápida serão muito úteis para as pessoas criativas”.

Outros especialistas afirmam que o uso da internet é como um “cérebro externo”, onde os fatos são armazenados, liberando espaço mental que vai além da memorização.

“A tomada de lugar da memorização pela análise será o grande boom da sociedade”, afirma Paul Jones, um especialista em novas mídias da Universidade da Carolina do Norte.

Mesmo que existam algumas diferenças de opinião entre os benefícios e os custos do aumento da importância da internet, os especialistas concordam que certas habilidades e talentos serão importantes para as gerações futuras. Entre elas estão: a habilidade de cooperação para resolver problemas; a de pesquisas efetivas por informação; a de sintetizar informações de várias fontes; a de se concentrar; e a de filtrar a informação útil do “ruído” da internet.

“Existe uma preocupação palpável entre esses especialistas de que as novas divisões sociais e econômicas vão emergir entre aqueles que são motivados e ao mesmo tempo entendem das novas mídias”, afirma o coautor do estudo, Lee Rainie, deretor do Projeto Pew. “Eles pedem por uma reinvenção da educação púclica para ensinar essas habilidades e evitar os problemas de um estilo de vida hiperconectado”. [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/a-internet-nos-torna-mais-inteligentes-ou-mais-burros/ - Por Bernardo Staut

segunda-feira, 12 de março de 2012

Fique de olho!

Temidos por muita gente, os óculos podem ajudar você a mandar bem nos estudos

Lápis apontados, folhas brancas, canetas coloridas – no começo do ano, o material escolar novinho enche a gente de ânimo na hora de estudar. Mas existe um objeto de que muita gente precisa para mandar bem na escola: os óculos. Sem eles, o texto escrito com tanto capricho não passa de um borrão, e as contas do livro de matemática se embaralham até para quem é fera no assunto.

Para entender por que isso acontece, é preciso saber como a visão funciona. Quando você está em um ambiente iluminado, a luz bate em tudo à sua volta e retorna para seus olhos, até alcançar uma membrana chamada retina. Ela fica no fundo do olho, e funciona como a tela do cinema: as imagens são projetadas ali a partir da luz refletida pelo ambiente. Depois, essa informação segue para o cérebro, que irá perceber a cor e a forma da imagem que foi projetada.

É durante a formação da imagem na retina que os problemas surgem. Quem tem olhos pequenos, por exemplo, pode ter hipermetropia. Nesse distúrbio, a imagem é formada atrás da retina e tudo que é visto de perto parece distorcido.

Outro problema comum é a miopia, que faz com que a imagem seja formada na frente da retina. Aí, tudo que está distante fica borrado. Para completar a confusão, existe o astigmatismo, que forma duas imagens: uma na frente e outra atrás da retina, sendo difícil enxergar tanto de longe quanto de perto.

Dificuldades na hora de enxergar fazem com que uma simples espiada pareça uma maratona. “Quem não enxerga bem pode se cansar se estiver sentado longe do quadro enquanto copia a matéria”, conta Luiz Cláudio, oftalmologista do Hospital Universitário Antônio Pedro.

Esse esforço gera sintomas como dores de cabeça, olhos vermelhos e lágrimas em excesso. Por isso, é importante visitar regularmente o oftalmologista, médico especializado em olhos.

Se, por acaso, na próxima consulta, você descobrir que precisa usar óculos, nada de ficar chateado. Aproveite a diversidade de armações leves e coloridas que já existe por aí. Uma delas deve ser a sua cara!

Mariana Rocha, estagiária da CHC impressa e online

Fonte: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/fique-de-olho/ - Foto: Todd Dalley / Flickr)

Você tem gases? Aprenda a controlar esse problema

Os gases são um problema desconfortável e embaraçoso. Porém, com algumas mudanças de hábitos e de alimentação você pode aprender a evitá-los. Leia abaixo algumas dicas simples e veja como resolver o problema.

- Coma devagar: comer rápido demais pode fazer com que você deixe mais ar entrar no seu sistema digestivo

- Prefira água a refrigerantes e outras bebidas carbonatadas: o gás presente na bebida leva mais ar para o seu trato digestivo

- Durante a comida, beba líquidos em pequenos goles: o ideal é que você beba apenas o suficiente para ajudar a comida a ser ingerida. Goles grandes podem diluir os ácidos do seu estômago, aumentando a quantidade de ar no seu sistema digestivo.

- Beba uma garrafa de água uma hora antes de cada refeição: isso ajudará você a controlar a sua sede enquanto você come, fazendo com que você consuma menos líquidos.

- Probióticos: você pode pensar na possibilidade de consumir suplementos probióticos ou iogurtes que os contenham, já que eles ajudam o intestino a balancear as bactérias boas e ruins que vivem ali, levando-o a funcionar melhor.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/blogboasaude/ - por Ana Cláudia Xavier

domingo, 11 de março de 2012

Descubra as razões que levam um homem a querer compromisso

Em tempos de sexo casual e romances passageiros, de vez em quando um homem se encanta por uma mulher e deseja não só conhecê-la melhor, mas compartilhar várias coisas com ela –os próximos anos de sua vida, por exemplo. Mas, além do amor, é óbvio, o que leva um sujeito a mudar de “status de relacionamento”? A terapeuta sexual e de casal Maria Luiza Cruvinel diz que seus pacientes querem uma "mulher com conteúdo", que saiba conversar e escutar, que seja bem informada, que se relacione bem com os amigos e a família deles e que, na maior parte das vezes, tenha uma postura discreta.

"Além disso, conta muito que a mulher seja independente, possa ser uma parceira para batalhar na conquista de bens materiais. Geralmente, os homens não gostam de mulheres dependentes nem emocionais nem financeiramente”, afirma.

Para a psicoterapeuta Carmen Cerqueira Cesar, um homem que se dispõe a se comprometer, geralmente, procura alguém com objetivos de vida, tem jogo de cintura e que é prática. "Mas que ainda preserve a própria essência, pois aí está o que ela tem de interessante", diz. De acordo com a especialista, os homens se encantam, principalmente, por aquelas que têm a capacidade de compartilhar e são generosas, mas que saibam colocar limites quando necessário. "Hoje, ninguém quer se vincular a alguém dependente, pesado emocionalmente, que empate a vida”, conta.

É claro que a atração física conta vários pontos. “No entanto, o homem deve ter admiração pela trajetória de vida da mulher, achá-la interessante, envolvente, sentir vontade de conversar durante horas com ela. O sexo masculino precisa sentir prazer ao lado de uma companheira e perceber que ela pode fazê-lo feliz, sem a necessidade de continuar procurando outra”, explica a psicóloga Eliete Matielo, diretora da agência de relacionamentos Eclipse Love.

Depois do interesse, o compromisso

A decisão de se amarrar (no papel ou não) também tem muito a ver com o momento de vida do homem, já que o sexo masculino, invariavelmente, associa o casamento à perda de liberdade. “Entretanto, quando estão mais maduros, prontos para assumir um relacionamento estável, eles não se importam de abrir mão dessa liberdade, desde que tenham uma parceira que admirem, amem e seja madura emocionalmente”, diz Maria Luiza Cruvinel. "Ao contrário do que prega o senso comum, não é verdade que hoje os homens não querem se comprometer. Quando encontram uma pessoa que continuam a amar após a fase da paixão, eles não hesitam."

As especialistas são unânimes ao afirmar que o compromisso, assim como acontece com as mulheres, é muito importante na vida de um homem. “Eles também têm necessidade de segurança emocional, acolhimento, de contar com um ninho aconchegante. Muitos gostam de proteger e ser protegidos e anseiam por construir um projeto de vida a dois”, afirma Carmen. Já Elite Matielo lembra que, por mais que a vida profissional seja bem-sucedida e realizada ou a vida de solteiro seja boa, a maioria das pessoas, em algum momento da vida, tem a necessidade de ter alguém. Ou, ao contrário, poder contar com uma pessoa nos momentos difíceis pelos quais todos nós passamos.

Fonte: http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2012/03/10/descubra-as-razoes-que-levam-um-homem-a-querer-compromisso.htm - por Heloísa Noronha - Getty Images

Exercícios físicos favorecem a carreira


Exercícios físicos são, como todos sabem, ótimos para a saúde do corpo. Mas essas atividades podem também exercer efeitos positivos na sua carreira, ajudando a manter a saúde mental em bom estado e evitando a estafa.

Pesquisadores da Universidade de Haifa, em Israel, realizaram um estudo que mostrou que pessoas que praticam alguma forma de exercício têm taxas mais baixas de depressão e esgotamento, correndo riscos menores de vivenciarem deterioração mental.

A pesquisa acompanhou 1.632 trabalhadores que trabalhavam nos setores público e privado. Os participantes responderam a questionários e realizaram exames de rotina ao longo de um período de nove anos.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/blogboasaude/ - por Ana Cláudia Xavier

sábado, 10 de março de 2012

O que vem primeiro: estresse, ansiedade ou obesidade?


Geralmente, fatores como estresse, ansiedade e distúrbios do sono estão ligados, direta ou indiretamente, ao sobrepeso ou obesidade, tanto em crianças quanto em adultos. Contudo, não se pode dizer que tais fatores originam o excesso de peso, pois os quilinhos a mais também podem desencadeá-los.

Segundo especialistas, as situações podem acontecer em qualquer ordem, ou seja, distúrbios como ansiedade e estresse podem fazer com que a pessoa coma mais e acabe engordando, ou o excesso de peso pode levar a esses distúrbios.

Quanto aos problemas do sono, como desconfortos, roncos e apneias, os especialistas dizem que são mais comuns como resultados da obesidade. Mas, pessoas que não domem bem também podem comer mais e engordar.

Para evitar essas situações, é necessário manter uma rotina organizada, praticar atividades físicas, ter uma alimentação saudável e diminuir as horas na frente do computador e televisão.

Fonte: http://boasaude.uol.com.br/blogboasaude/ - por Natália Barbosa

sexta-feira, 9 de março de 2012

Valorização do professor - Ministro defende cumprimento da Lei do Piso em encontro de secretários


Natal - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, defendeu nesta quinta-feira, 8, na abertura da reunião ordinária do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), em Natal, o reajuste de 22,22 % aplicado ao piso nacional de salário do magistério. "Sei que para alguns estados e municípios, o reajuste pode ter sido forte e gerar dificuldades, mas, estamos falando de apenas dois salários mínimos", disse.

Mercadante lembrou que alguns secretários e a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Carlini, que estava presente, eram parlamentares quando o piso e a forma do seu reajuste (proporcional ao custo aluno do Fundeb) foram aprovados no Congresso Nacional, em 2008. "Nós votamos na lei e não houve objeção. Ao contrário, houve um grande consenso. Se não recuperarmos o valor do piso dos professores não teremos como atrair os jovens para a carreira. E todos sabemos que somos carentes de professores em todas as etapas da educação", ponderou.

O ministro ressaltou ainda que o dispositivo da lei queassegura um terço da jornada dos professores fora da sala aula também deve ser cumprido e lembrou que o Supremo Tribunal Federal votou pela constitucionalidade da lei ao examinar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta por cinco governadores. "Mas é preciso discutir essa questão dentro de um processo pedagógico. A hora atividade é para melhorar a educação, a aprendizagem e para o professor avaliar seus alunos, preparar as aulas, dedicar-se à sua formação", lembrou.

Mercadante concluiu sua intervenção fazendo um apelo aos secretários estaduais para que mobilizem suas bancadas parlamentares para aprovar com urgência o Plano Nacional de Educação para o período 2011-2020. "É fundamental aprová-lo este ano. Não podemos nos dar por satisfeitos. Precisamos aumentar os recursos para a educação", disse.

Neste sentido, o ministro ainda apelou aos secretários para que componham uma grande mobilização pela vinculação dos recursos do Pré-Sal para a educação. "Não podemos perder esta oportunidade".

Aloizio Mercadante passa esta quinta-feira em Natal. Depois da
abertura da reunião do Consed, ele participa da entrega de 120 ônibus do
programa Caminho da Escola, adquiridos pelo governo do estado. Anuncia também a construção de três novos campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, nos municípios de Canguaretama, Ceará-Mirim e São Paulo do Potengi.

Assessoria de Comunicação Social - Quinta-feira, 08 de março de 2012