quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

10 maneiras como a reciclagem está acabando com o meio ambiente

De fato, reutilizar materiais é uma boa forma de reduzir o impacto imposto ao ambiente – quando funciona. Algumas vezes, a teoria e a prática estão em desacordo. Veja aqui algumas formas com as quais estamos prejudicando o meio ambiente através da reciclagem:

10 – ESPALHANDO CONTAMINAÇÃO
A contaminação é um dos maiores obstáculos enfrentados pela indústria da reciclagem, atualmente. Se houverem contaminantes ou toxinas no material original, como por exemplo chumbo em uma lata de tinta feita de alumínio, o contaminante pode passar pelo processo de reciclagem e aparecer no produto final.
O pior problema é que algumas vezes nem sabemos que algo está contaminado até ser tarde demais. Um exemplo foi o de centenas de edifícios de Taiwan que foram feitos de aço reciclado, que estavam envenenando as pessoas com radiação gama nos últimos doze anos. Havia uma contaminação por Cobalto-60.

9 – POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CONTINUA SENDO PROBLEMA
O processo de reciclagem também produz poluentes, na forma da fumaça dos caminhões que carregam os produtos a serem reciclados. Em 2009 haviam, só nos EUA, 179.000 caminhões coletando e transportando lixo e material reciclável nas estradas, 91% deles movidos a diesel, e a maioria veículos velhos. Os gases emitidos por estes veículos contêmmais de 30 toxinas aerotransportadas.
E isto sem considerar a poluição produzida pelas plantas de reciclagem. Uma planta de reciclagem no estado de Washington, EUA, produz mais emissões tóxicas que qualquer outra fábrica na região. E os três maiores poluidores depois dela são também plantas de reciclagem.

8 – LODO DO PAPEL É NOJENTO
Quando o papel é reciclado, ele é misturado em uma polpa. A polpa é lavada e então prensada para fazer novas folhas de papel. Durante este processo, rejeitos como fibras de papel, tintas, químicos usados na limpeza, e corantes são filtrados e formam um pudim conhecido como lodo ou lama do papel. Esta lama é então queimada ou enviada a um aterro, onde pode liberar dezenas de químicos tóxicos e metais pesados em lençóis freáticos.
Há uma lei nos EUA contra este tipo de maneira de se livrar da lama de papel, mas também há uma maneira de contorná-la: misturando qualquer coisa ao lodo, ele deixa de ser lixo,tornando-se um produto. E não há lei contra jogar toneladas de produtos em um aterro. Nos sites que tratam de reciclagem de papel no Brasil, não foi encontrada referência a esta lama e a seu destino.

7 – A MAIORIA DOS PLÁSTICOS NÃO PODE SER RECICLADO
Existem cerca de sete tipos de plásticos comuns no dia-a-dia, e só dois deles são recicláveis. Se você colocar o plástico não reciclável na cesta de material a reciclar, ele será coletado, processado, separado e jogado fora em um aterro. Até mesmo a tentativa de reciclar algumas coisas, como o plástico que envolve aparelhos eletrônicos, representa um desperdício destes recursos.
E as coisas podem ficar piores. O plástico é separado automaticamente em algumas plantas de reciclagem, mas o processo não é prefeito. O resultado é que alguns tipos de plásticos não recicláveis acabam onde não deveriam ir, e você acaba com produtos químicos como o BPA em produtos que não deveriam tê-lo.

6 – OS MÉTODOS ATUAIS NÃO SÃO EFETIVOS
O plástico é um produto cheio de truques, mas, com toda sinceridade, não sabemos o que fazer com ele. Por exemplo, as sacolas de plástico de lojas e mercados. Estima-se que menos de 1% delas é reciclada, e uma das razões é que é muito caro.
Nos EUA, custa US$ 4.000,00 (cerca de R$ 8.000,00) para reciclar uma tonelada de sacos plásticos, e esta tonelada pode ser vendida por US$ 32,00 (cerca de R$ 64,00). O resultado é que, só lá, cerca de 300.000 toneladas destes sacos vão para os aterros a cada ano.

5 – O REFINO DE ÓLEO CRIA PRODUTOS QUÍMICOS TÓXICOS
É óbvio que o óleo é um dos maiores poluentes – basta notar a preocupação em torno dos vazamentos oceânicos. Faz sentido, então, reciclar o óleo usado de forma a obter algo útil dele. Mas a reciclagem de óleo geralmente cria mais produtos tóxicos.
A maioria dos centros de tratamento de óleo de pequena escala usa algo conhecido como o processo de argila ácida. Ela retira as impurezas do óleo, mas deixa para trás uma lama tóxica contendo impurezas e produtos perigosos, como o ácido hidroclorídrico. E o que estas plantas fazem com este lixo tóxico? Queimam, jugando produtos como o óxido nítrico e dióxido de enxofre no ar. Pior: este é o método oficial de lidar com tal lixo. Como se jogar uma pessoa em um lago a salvasse do afogamento.

4 – A RECICLAGEM MAL TOCA A DEMANDA
A demanda por produtos reciclados está crescendo muito mais rápido que a capacidade da reciclagem de produzi-los. O alumínio é uma dificuldade em especial, visto que sua demanda tem crescido 10% ao ano. Sem contar que não pode ser usado para certas coisas (por exemplo, reciclar latas de refrigerante não fornece a qualidade necessária para construir um aeroplano).
Mesmo se as latas pudessem voltar a ser latas, isto não seria suficiente. O americano médio bebe 2,5 latas por dia, o que dá 778 milhões de latas. Com a capacidade de reciclagem de 100.000 latas por minuto, ainda assim faltariam 600 milhões de latas – em um único dia.

3 – ALGUNS PRODUTOS SÃO MELHORES SEM RECICLAGEM
O desmatamento é um dos principais argumentos pela reciclagem. Imagine acres e acres de floresta temperada, com animaizinhos felizes, uma tribo nativa ou duas, todos sendo destruídos. Só que não é isto que acontece. Cerca de 87% do papel novo vem de florestas plantadas apenas para a produção de papel. O EUA derruba cerca de 15 milhões de acres de florestas cada ano, mas planta 22 milhões – cada ano surgem sete milhões de acres a mais de florestas. Aumentar a reciclagem irá reduzir a demanda para estas florestas.
E há também o vidro, que vem da areia, o recurso mais abundante do planeta. O processo de reciclagem de vidro é mais prejudicial que o processo de criação de vidro virgem.

2 – A RECICLAGEM “TUDO-EM-UM” É INEFICIENTE
Uma das tendências recentes em reciclagem é a reciclagem “tudo-em-um”. Todo o rejeito de papel, plástico, vidro e metal vai em uma única lata de reciclagem, que é separada na fábrica. O argumento para este processo é que são necessários menos caminhões para fazer a coleta. Mas a contrapartida é pior – toda a separação extra custa milhões de dólares na forma de novos equipamentos, e a poluição é apenas transferida para as fábricas que tem que construir este equipamento.
E também há o problema da quantidade versus a qualidade. Centros de reciclagem “tudo-em-um” focam em velocidade, que acaba servindo para aumentar o problema da contaminação.

1 – A RECICLAGEM DÁ FALSAS PROMESSAS
A maior razão pela qual a reciclagem prejudica o ambiente não tem a ver com seu processo tecnológico, mas com a mentalidade que cria nas pessoas. A ideia de colocar materiais no cesto de reciclagem ou adquirir produtos reciclados nos faz acreditar que estamos salvando o meio ambiente (quando muito mais coisa precisa ser feita), ou até nos deixar mais relaxados quanto a poluição. Apenas nos EUA, são produzidas anualmente 250 milhões de toneladas de lixo por ano.
O maior impacto da reciclagem é convencer que está tudo bem desperdiçar em outras áreas, já que estamos compensando na reciclagem. Ela encoraja o consumo, em vez de apontar formas de reduzir o mesmo.

DEVEMOS ABANDONAR A RECICLAGEM?
Obviamente não. Os itens discutidos acima são verdadeiros, mas alguns possuem outros lados – ou controvérsias.
A contaminação não é um problema geral, pelo menos não há nada que o indique. A lama do papel é um problema sério que acontece com uma combinação de manufatura de papel virgem e reciclado. Quanto aos tipos de plástico que podem ser reciclados, isto depende da legislação da cidade. A reciclagem de sacolas plásticas realmente é cara, e o melhor a fazer é usar sacolas de tecido.
A reciclagem de óleo é poluidora, mas será que produz mais poluição que as refinarias? Da mesma forma, a reciclagem de vidro consome menos energia que a produção de vidro virgem, e produz menos poluição atmosférica. E, por fim, a reciclagem tudo-em-um aumenta a taxa de reciclagem.
A conclusão que fica é: ainda podemos muito a avançar na questão da reciclagem. O importante é lembrar que ela não é um milagre e nem faz milagres. [Listverse, LimpaBrasil]

Fonte: http://hypescience.com/10-maneiras-como-a-reciclagem-esta-acabando-com-o-meio-ambiente/

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Blog Professor José Costa: Meio milhão de acessos!

Mais uma vez estamos comemorando uma marca histórica do blog, alcançamos 500.000 acessos. Ao longo de 4 anos, o Blog vem sendo feito com perseverança, responsabilidade e compromisso em oferecer conteúdos de qualidade aos seus leitores, abrangendo artigos sobre educação, esporte, saúde, cultura e cidadania. Com fé em Deus, um pouco de paciência e muita humildade, esperamos comemorar até o final do ano, a marca espetacular de 1 milhão de acessos, que será alcançada com o seu acesso diário.

Agradeço aos visitantes que passaram para ler um post através de pesquisa no google; aos amigos do facebook, twitter, orkut; aos leitores cativos, os que acessam de vez em quando e aos que comentaram ou criticaram alguma postagem de maneira construtiva e contribuíram para o engrandecimento do blog.

Um obrigado especial aos parceiros do blog por acreditar no meu trabalho: Inove Planejados, Colégio O Saber, Academia Saúde Total, Parafusos Mil, Churrascaria Recanto da Serra, Comercial Santo André, Drogaria Preferencial, Serrana Suvinil, Osbat Baterias, Auto Escola Serrana, Lindolar Móveis, Lok Car, Galeria Jandrade, Visótica, Supermercado Nunes Peixoto, Milton Som, Casa Barbosa-Barbosa Man, Bichos & Cia, PASP e Pura Moda. Todos vocês contribuem para a história e engrandecimento deste modesto blog. Nossa parceria é mesmo fundamental, sigamos adiante!

Um agradecimento especial aos agregadores que permitem o aumento de acessos do blog através de nossas postagens em seus sites como: Agrega Dicas, Clic, Na Boca do Sapo, Meus Links, Linkerama, Geralinks, Toaky, Pop Blogs, Jana Links e Ocioso.

Muito obrigado a todos os leitores, parceiros e agregadores por fazerem parte desta história de sucesso do blog, sem os quais não chegaríamos a incrível marca de 500.000 acessos, pois vocês acreditam e confiam no nosso trabalho.

Continue nos visitando, salve em favoritos, recomende aos amigos e familiares, pois eles também merecem ler um bom blog.

http://professorjosecosta.blogspot.com

Professor José Costa

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

10 coisas que você talvez não saiba sobre o amor

Ao escrever o livro “Love 2.0: How Our Supreme Emotion Affects Everything We Feel, Think, Do, and Become” (em português, “Amor 2.0: Como nossas emoções supremas afetam tudo o que sentimos, pensamos, fazemos e nos tornamos”), a autora Barbara Fredrickson, professora de psicologia e diretora do Laboratório de Emoções Positivas e Psicofisiologia da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill (EUA), aprendeu algumas coisas sobre o amor que ela julga importante compartilhar. Confira:

10. Pode ser difícil falar de amor em termos científicos, porque as pessoas têm ideias pré-existentes fortes sobre ele
A visão do amor que surge a partir da ciência requer uma mudança radical, segundo Barbara. “Eu aprendi que preciso pedir às pessoas para revisitar suas visões atuais de amor o suficiente para considerá-lo a partir de uma perspectiva diferente: a perspectiva do seu corpo”, diz.
Amor não é romance. Não é desejo sexual. Não é nem mesmo o vínculo especial que você sente com outros familiares ou pessoas significativas para você. E talvez o mais difícil de tudo, o amor não é duradouro e incondicional. A mudança radical que Barbara sugere é ver o amor como nosso corpo o experimenta: um micromomento de conexão compartilhada com o outro.

9. O amor não é exclusivo
Nós tendemos a pensar no amor apenas no contexto de nossos entes queridos. Quando o limitamos a apenas o círculo mais íntimo de família e amigos, inadvertidamente e severamente restringimos nossas oportunidades para o crescimento, saúde e bem-estar, de acordo com Barbara.
Na realidade, ela acha que podemos experimentar micromomentos de conexão com qualquer um, seja nossa alma gêmea ou um estranho. “Enquanto você se sentir seguro e forjar o tipo certo de conexão, as condições para experimentar a emoção do amor são boas”, afirma.

8. O amor não pertence a uma pessoa
Nós tendemos a pensar em emoções como eventos particulares, confinados a mente e corpo de uma pessoa. Atualizar a visão do amor desafia esta lógica.
Segundo Barbara, evidências sugerem que quando você realmente se conecta com outra pessoa, uma sincronia perceptível, mas momentânea, surge entre os dois: seus gestos e bioquímica, até mesmo seus respectivos disparos neurais, espelham um o outro em um padrão que ela chama de ressonância de positividade. “O amor é uma onda biológica de sentimento bom e cuidado mútuo que rola por dois ou mais cérebros e corpos de uma só vez”, diz.

7. Fazer contato visual é importante para o amor
Seu corpo tem a capacidade de “identificar” as emoções das pessoas ao seu redor, tornando suas perspectivas para o amor – definidas como micromomentos de ressonância de positividade – quase ilimitadas. Embora isso soe esperançoso, essa habilidade natural é frustrada se você não fizer contato visual com a outra pessoa. O encontro dos olhos é uma chave essencial para a sincronia neural.

6. O amor fortalece a conexão entre o cérebro e o coração, tornando-o mais saudável
Décadas de pesquisa mostram que as pessoas que estão mais conectadas socialmente vivem vidas mais longas e saudáveis. No entanto, como exatamente os laços sociais afetam a saúde ainda é um dos grandes mistérios da ciência.
A equipe de pesquisa liderada por Barbara descobriu que, quando pessoas são designadas aleatoriamente a aprender maneiras de criar mais micromomentos de amor diariamente, a função do seu nervo vago, um canal chave que liga o cérebro ao coração, melhora de forma duradoura. Esta descoberta fornece um novo caminho para descobrir de que forma micromomentos de amor servem como nutrientes para a sua saúde.

5. Suas células imunes refletem suas experiências passadas de amor
Segundo Barbara, as formas como seus genes são expressos no nível celular dependem de muitos fatores, incluindo se você se considera ser socialmente conectado ou cronicamente solitário.
Barbara e sua equipe estão investigando os efeitos celulares do amor, testando se as pessoas que constroem mais micromomentos de amor na vida diária também têm células imunológicas mais saudáveis.

4. Pequenos momentos emocionais podem ter grandes efeitos biológicos
Pode parecer surpreendente que uma experiência que dura apenas um momento possa ter um efeito duradouro sobre a sua saúde e longevidade. No entanto, Barbara notou que há um ciclo importante, uma espiral ascendente, entre vida social e bem-estar físico.
Isto é, não somente seus micromomentos de amor o tornam mais saudável, mas ser saudável “aumenta” a sua capacidade de amar. Pouco a pouco, amor gera amor, melhorando a sua saúde. E saúde gera saúde, melhorando a sua capacidade de amar.

3. Não subestime o amor no casamento
“Escrever este livro mudou profundamente a minha visão pessoal de amor. Eu costumava defender o amor como uma força constante, firme, mas que não definia meu casamento. Enquanto essa força constante e firme ainda existe, agora vejo a nossa ligação como um produto dos muitos micromomentos de ressonância de positividade que meu marido e eu compartilhamos ao longo dos anos”, conta Barbara.
Segundo ela, isso pode ajudar a afastar uma ideia de amor fixa que o pode levar a subestimar esse sentimento em um relacionamento. “O amor é algo que devemos recultivar todos os dias”, afirma.

2. Amor e compaixão podem ser a mesma coisa
Reimaginar o amor como micromomentos de positividade compartilhada pode fazer parecer que o amor requer que você sempre se sinta feliz. Isso não é verdade. Você pode experimentar um momento de microamor, mesmo que você ou a pessoa com quem você se conecta esteja sofrendo.
“O amor não exige que você ignore ou suprima negatividade. Ele simplesmente requer que algum elemento de empatia, bondade ou apreciação sejam adicionados à mistura. Compaixão é a forma que o amor toma quando o sofrimento ocorre”, explica Barbara.

1. Atualizar sua visão do amor já muda a sua capacidade de amar
A ciência oferece novas lentes através das quais você pode ver suas interações emocionais. “As pessoas que entrevistei para o livro compartilharam histórias incrivelmente comoventes sobre como usaram micromomentos de conexão para fazer reviravoltas dramáticas em suas vidas pessoais e profissionais”, conta Barbara.
“Uma das coisas mais esperançosas que eu aprendi é que quando as pessoas tomam só um minuto por dia para pensar se se sentiam ligadas e sintonizadas com os outros, iniciam uma cascata de benefícios. E isto é algo que você pode começar a fazer hoje, tendo aprendido apenas um pouco mais sobre como o amor funciona”, diz.[CNN, foto de Amanda Nicole Betley]

Fonte: http://hypescience.com/10-coisas-que-voce-talvez-nao-saiba-sobre-o-amor/

Abdominal: veja os principais erros na hora de fazer o exercício


Para não se machucar praticando abdominais e alcançar os resultados desejados, Álvaro Junior, coordenador técnico da academia Runner (SP), avisa “o primeiro erro é tentar flexionar muito a coluna para efetuar o movimento e acabar lesionando a cervical.

Quando ministramos a aula pedimos para o aluno não puxar o pescoço na hora do movimento”. A respiração também precisa de atenção. A indicação do profissional é soltar o ar na subida e inspirar na descida. Por fim, outro erro comum é abusar da quantidade de abdominais. “O que é eficaz é o movimento consciente, com a respiração certa e não o exagero na quantidade”, ressalta Junior. “Três vezes por semana são suficientes para a prática do exercício, com sessões de 15 minutos ou dividindo-se em séries”, completa.

Fonte: http://dietaja.uol.com.br/o-certo-e-errado-na-hora-de-fazer-abdominais/ - Por Mariana Alves - Foto: Shutterstock

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Aeróbica é melhor que musculação para perda de peso e gordura

Melhor exercício para perder peso

Há poucos dias, um estudo respondeu a eterna questão "O que é melhor para perder peso: exercícios ou dieta?"

Se a resposta que vale para você é "exercícios físicos", então agora acaba de ser respondida a outra questão que se coloca imediatamente: qual tipo de exercício físico?

Quando o objetivo é perder peso e gordura, o treinamento aeróbico é melhor do que o treinamento de resistência, geralmente feito nas academias de musculação.

A conclusão é do maior estudo randomizado já realizado para comparar diretamente mudanças na composição corporal induzidas por quantidades comparáveis de tempo gasto treinamento aeróbico e de resistência, ou uma combinação de ambos.

Os voluntários eram todos adultos previamente inativos, com sobrepeso ou obesos, e não-diabéticos.

O estudo, conduzido por pesquisadores das universidades de Duke e Carolina do Norte (EUA), foi publicado na edição de Dezembro do Journal of Applied Physiology.

Musculação ou exercício aeróbico

Um total de 234 homens e mulheres sedentários, com sobrepeso ou obesos, com idades entre 18 e 70 anos, participaram de protocolos supervisionados de treinamento com duração de oito meses, divididos em três grupos: treinamento aeróbico (TA), treinamento de resistência (TR), ou uma combinação de ambos (TA/TR).

Os participantes do treinamento aeróbico exercitaram-se vigorosamente, até cerca de 70-85% da frequência cardíaca máxima. O exercício durava aproximadamente 45 minutos, três dias por semana, durante todo o período do estudo.

Andar, correr, nadar e pedalar são os principais exemplos de exercícios aeróbicos.
O grupo do treinamento de resistência também treinou três dias por semana, completando três séries de 8 a 12 repetições em oito equipamentos de resistência que visavam todos os principais grupos musculares. Os pesos foram aumentando ao longo do estudo para manter um nível constante de desafio conforme os participantes ganhavam força.

Os indivíduos do grupo TA/TR realizaram todos os exercícios designados tanto o grupo TA quanto para o grupo TR, condensados no mesmo tempo de treinamento diário.

No final do estudo, cada voluntário foi avaliado quanto ao peso, composição corporal, circunferência da cintura, aptidão cardiorrespiratória e força.

Aeróbica, gordura e peso

Os pesquisadores descobriram que:

1. Os grupos designados para treinamento aeróbico e treinamento de resistência mais aeróbica perderam mais peso do que aqueles que fizeram apenas treinamento de resistência. Na verdade, aqueles que fizeram apenas treino de resistência ganharam peso devido ao aumento da massa corporal magra.
2. A massa de gordura e a circunferência da cintura diminuiu significativamente nos grupos TA e TA/TR, mas não tiveram alteração nos voluntários do grupo TR. No entanto, as medidas de massa corporal magra aumentaram significativamente nos grupos TR e TA/TR, mas não no TA. Isto sugere que o exercício aeróbico é mais eficaz na redução dessas medidas.
3. A massa corporal magra aumentou tanto no grupo TR quanto no grupo TA/TR, mas não no TA. O benefício dos dois modos de exercício permitiu ao grupo TA/TR diminuir o percentual de gordura corporal significativamente mais do que qualquer outro grupo devido à diminuição da massa de gordura combinada com o aumento da massa corporal magra.

Fim do mito

"Dadas as nossas observações, parece ser a hora de reconsiderar seriamente a sabedoria convencional de que o treinamento de resistência por si só pode levar à perda de peso e de gordura," disse Leslie H. Willis, idealizadora do estudo.
"Se a meta é aumentar a massa muscular e a força, então o treinamento de resistência é necessário. Entretanto, a maioria [das pessoas] pode ter benefícios de saúde por meio da perda de peso e de gordura. A melhor opção, nesse caso, dado o tempo limitado para os exercícios, é se concentrar no treinamento aeróbico. Quando você perde gordura, provavelmente você está perdendo gordura visceral, associada à saúde cardiovascular e outros benefícios."

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=aerobica-melhor-musculacao-perda-peso-gordura&id=8481&nl=nlds

domingo, 27 de janeiro de 2013

Saiba o que você pode fazer para prevenir o câncer

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 2011 e 2012, aproximadamente 512 mil pessoas foram diagnosticadas com algum tumor e, até 2030, 17 milhões de pessoas em todo o planeta morrerão vítimas da doença. E a melhor maneira de combate ao câncer ainda é a prevenção; veja a seguir os 10 mandamentos para evitar a doença, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer).

Uma alimentação saudável pode reduzir muito o risco de câncer. Sua dieta deve conter diariamente, pelo menos, cinco porções de frutas, verduras e legumes. Evite frituras, salgadinhos e alimentos gordurosos e capriche na ingestão de fibras, que evitam o câncer colorretal.

Evite o consumo excessivo de sal, associado ao câncer de estômago, de acordo com a União Internacional para o Controle do Câncer (UICC). Procure limitar a ingestão a no máximo 5 g por dia.

Evite o excesso de carne vermelha, especialmente quando há gordura aparente, além de pele de frango.

Evite o consumo excessivo de embutidos, como linguiça, salsicha e salame. Prefira carne cozida ou assada .

Faça pelo menos 30 minutos diários de atividade física, leve ou moderada. Você pode, por exemplo, trocar o elevador pelas escadas, levar o cachorro para passear, cuidar do jardim, varrer a casa, caminhar ou dançar.

Já está comprovado que a obesidade aumenta as chances de uma pessoa desenvolver câncer. Por isso, é importante controlar o peso por meio de uma boa alimentação e manter-se ativo.

As mulheres com idade entre 25 e 64 anos devem realizar exame preventivo ginecológico regularmente. O papanicolau ajuda a detectar o HPV, um dos maiores causadores de câncer de colo de útero.

Homens acima de 45 anos e com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos devem realizar consulta médica para investigação de câncer da próstata. Também é recomendável que mulheres e homens com 50 anos ou mais realizem exame de sangue oculto nas fezes a cada um ou dois anos.

Mulheres com 40 anos ou mais devem realizar o exame clínico das mamas anualmente e a mamografia deve ser feita conforme orientação médica. Se uma pessoa da família teve a doença antes dos 50 anos, as chances aumentam. Quem já teve câncer em uma das mamas ou câncer de ovário, em qualquer idade, deve ficar mais atenta. Nesses casos, a partir dos 35 anos, o exame clínico das mamas e a mamografia devem ser feitos uma vez por ano.

Evite ou limite a ingestão de bebidas alcoólicas. Os homens não devem tomar mais do que duas doses por dia, enquanto as mulheres devem limitar este consumo a uma dose. Isso corresponde a um copo de cerveja ou a uma taça de vinho.

Evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, e use sempre proteção adequada, como chapéu, barraca e protetor solar. Se for inevitável a exposição ao sol durante a jornada de trabalho, use chapéu de aba larga, camisa de manga longa e calça comprida.

Faça diariamente a higiene oral (escovação dos dentes e da língua) e consulte o dentista regularmente.

Lute pelo meio ambiente. Segundo a UICC, a contaminação do ar, do solo e da água com substâncias químicas está envolvida em 1% a 4% dos casos de câncer.

Seja vacinado. Infecções por vírus como o da hepatite B e o HPV podem evoluir para câncer.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/01/23/especialistas-desmentem-eficacia-de-suco-milagroso-contra-o-cancer.htm

Programas de computador que nasceram, 'bombaram' e foram esquecidos

Com a rápida evolução da internet, vários programas de computador são criados, utilizados por milhões de pessoas, atualizados e, no final, acabam sendo esquecidos. Existem também aqueles que são copiados, e a versão fajuta acaba fazendo mais sucesso do que o programa original que quebrou paradigmas. Relembre dez programas que você usou e que estão esquecidos em um canto qualquer do mundo digital.


1º ICQ
Percussor dos programas para conversas online, o ICQ foi criado em 1996 por quatro jovens israelenses. Os garotos prometiam mudar totalmente a forma como as pessoas trabalhavam e navegavam na internet? e eles realmente mudaram. Hoje, enquanto se está trabalhando, diversos profissionais mantêm um programa de mensagens instantâneas aberto. Embora o ICQ ainda exista, ele foi substituído por outros softwares, como o MSN Messenger, o GoogleTalk e o Skype.

2º Napster
Criado por Shawn Fanning e Sean Parker em 1998, foi um programa de compartilhamento de arquivos via rede P2P. Protagonizou uma luta jurídica entre a indústria fonográfica e as redes de compartilhamento. A acusação era de que o programa compartilhava arquivos protegidos por diretos autorais. Apesar de ter sido processado pela banda Metallica, o Napster obteve apoio músicos como o guitarrista da banda Rage Against The Machine, Tom Morello. O programa foi comprado e vende músicas que respeitam os direitos autorais.

3º KaZaA
Outro programa de compartilhamento de arquivos, o KaZaA foi criado em 2000 na Estônia. Assim como o Napster, o programa protagonizou árduas batalhas na Justiça, inclusive tendo alguns de seus usuários processados pela RIAA (Recording Industry Association of America, instituição que cuida dos direitos das gravadoras nos EUA). Esses usuários foram obrigados a pagar uma multa multiplicada pelo número de músicas baixadas. A página oficial do KaZaA informa que o programa encerrou suas atividades.

4º RealPlayer
É um programa que reproduz arquivos de mídia. No ar desde 1995, em seu auge o RealPlayer era uma das opções alternativas dos internautas para substituir o Windows Media Player. Hoje, serve como opção para rodar arquivos multimídia em baixa qualidade e na extensão RMVB, mas não é sombra do que foi. No mundo dos smartphones e tablets, o RealPlayer possui uma versão para Android. Além de ser gratuito, o aplicativo é eficiente e está levantando o RealPlayer da tumba.

5º Limewire
É um programa de compartilhamento de arquivos que funciona tanto por P2P quanto por BitTorrent. Seguindo o legado de seus irmãos, o LimeWire também foi processado por diretos autorais, mas, ao contrário dos outros, o site foi tirado do ar em 2010. Ao entrar na página oficial do programa, o internauta é recepcionado com um comunicado dizendo que o LimeWire encerrou suas atividades. O LimeWire era um programa com duas versões disponíveis, uma gratuita e outra paga.

6º Netscape
Apesar de ser uma empresa de serviços de computação, o seu nome é mais associado ao navegador de internet criado em 1994. Foi o principal browser dos primórdios da internet. Com a popularização do Internet Explorer, a empresa viu seu fim chegar. Como última cartada, a empresa resolveu abrir o código do seu software. Desta nova ideia surgiu um navegador que hoje é muito utilizado, o Mozilla Firefox.

7º Audiogalaxy
Criado em 1998 por Michael Merhej, este é mais um programa de compartilhamento de arquivos via rede P2P. A diferença deste software é que o usuário se cadastrava em uma comunidade e recebia automaticamente tudo o que era enviado para ela. Hoje, o Audiogalaxy não é mais um site que permite a troca de arquivos gratuitamente. O internauta deve comprar os arquivos disponíveis no portal. O programa também possui uma versão para smartphones e tablets, disponível para sistema Android e Apple.

8º Eudora
Não confunda o gerenciador de e-mail criado em 1988 com a linha de cosméticos lançada em 2011. O programa foi lançado por Steve Dornier, que na época trabalhava no setor de computação da Universidade de Illinois. Em 1991, o Eudora foi adquirido pela empresa Qualcomm. Depois da compra, o software sumiu do mapa. Em 2006, a Qualcomm freou o desenvolvimento da versão comercial do gerenciador e passou a patrocinar a criação de uma versão de código aberto baseado no Mozilla Thunderbird.

9º GetRight
Um dos mais antigos gerenciadores de downloads, este programa foi criado em 1997 por Michael Burford. Ele serve para baixar arquivos da internet. Sua diferença é que ele permite voltar a baixar arquivos que foram interrompidos porque a rede caiu ou ocorreu algum outro problema. Hoje, como a velocidade de downloads aumentou e é mais rara a interrupção do download, o GetRight foi esquecido. Porém, ainda há uma versão gratuita e uma paga para download do programa.

10º iMesh
Mais um programa de compartilhamento de arquivos aparece no ranking. O iMesh foi outra plataforma que os internautas acharam para baixar músicas e outros tipos de arquivos, quando as mais famosas foram fechadas ou deixaram de ser gratuitas. Esse programa não se envolveu em muitos problemas judiciais, apesar de estar ativo desde 1999. Até hoje seu site oficial oferece a versão gratuita do programa para download que é traduzido para 11 idiomas.

Fonte: http://tecnologia.uol.com.br/listas/top-10-programas-que-nasceram-bombaram-e-foram-esquecidos.htm

sábado, 26 de janeiro de 2013

10 coisas que todo homem deveria saber sobre o cérebro das mulheres

Nós já publicamos uma lista cheia de dicas para as moças compreenderem melhor seus parceiros.

Agora chegou a vez deles – iremos ajudá-los a desvendar, pelo menos um pouco, dos mistérios do cérebro feminino.

Leia a nossa lista, se tiver coragem:

ELAS ADORAM SE ARRISCAR – QUANDO MAIS VELHAS
Depois da menopausa, quando o corpo fica em estágio “avançado”, as mulheres passam a ser mais corajosas e não fogem de brigas – pelo menos avançam em conflitos 75% de vezes mais do que em outro período da vida, especialmente se seus filhos já saíram de casa. Além disso, elas se sentem mais motivadas a cuidar de si mesmas e de sua carreira, depois de muito tempo que passaram tomando conta de outras pessoas.

ELAS PASSAM PELA ADOLESCÊNCIA DUAS VEZES
A maioria das pessoas não quer passar pela adolescência mais de uma vez – tudo muda, o mundo fica diferente, seu corpo fica diferente e os hormônios ficam enlouquecidos. As mudanças físicas e hormonais causam flutuações no humor e desconforto físico. E as moças precisam passar por tudo isso duas vezes. A primeira no período normal, dos dez anos em diante. A segunda em um período conhecido como perimenopausa, que acontece antes da menopausa, normalmente a partir dos 40 anos e duram cerca de nove anos. A menstruação fica desregulada, as mudanças de humor são abruptas. Uma mulher nesse período pode ficar tão amalucada quanto uma adolescente. Os homens também sofrem mudanças hormonais nesse período, mas elas são mais sutis.

O CÉREBRO MUDA QUANDO ELA VIRA MAMÃE
As mudanças físicas, hormonais e sociais que uma mulher sofre depois de dar à luz são imensas. E, como tudo mudou, ela precisa seu mundo seja seguro e previsível (isso quer dizer que o pai do seu filho deve se esforçar para se comportar da forma mais normal possível). Uma mãe precisa de apoio, não só pelo bem dela, mas pelo bem do seu bebê. Ela precisa se comportar de forma adequada com seu filho para que o desenvolvimento do temperamento e do sistema nervoso da criança seja normal. Uma maneira que a mãe natureza criou para fortalecer o elo entre o filho e sua mãe é a amamentação – que, além de fazer bem para a criança, alivia o stress da mulher. Um estudo, publicado em 2005, indicou que amamentar pode ter o mesmo efeito relaxante no cérebro do que uma dose de cocaína.

O CÉREBRO DELA MUDA QUANDO ELA ESTÁ GRÁVIDA
A progesterona, um hormônio, aumenta sua concentração no organismo em até 30 vezes nas primeiras oito semanas de gravidez. O efeito dela é como um sedativo – então as grávidas tendem a ficar muito sonolentas. O cérebro da mulher também encolhe 4% quando ela engravida, voltando ao tamanho normal depois que ela dá a luz, mas não se sabe se a gravidez faz com que ela pense de forma diferente. Estudos apontam que hormônios liberados no corpo durante esse período podem causar problemas de memória, mas nenhum elo entre esse efeito e a diminuição do cérebro foi encontrado. Alguns cientistas acreditam que algumas áreas novas do cérebro se desenvolvem durante a gravidez e continuam a se desenvolver depois do nascimento do bebê.

ELA PERDE A VONTADE DE FAZER SEXO FACILMENTE
A libido de uma mulher é bem mais temperamental do que a do homem. Estudos mostram que para que ela fique com vontade de fazer sexo e para ter um orgasmo, algumas áreas do seu cérebro precisam se desligar. Uma mulher pode recusar os avanços de seu parceiro por inúmeras razões – por raiva, por desconfiança ou até as mais banais como pelo fato de seus pés estarem gelados. A gravidez, cuidar das crianças e a menopausa também podem confundir a libido da moça. O melhor conselho para o cara que está excitado enquanto a mulher não quer nem saber dele? Preliminares. Estudos mostram que preliminares, para eles, é tudo o que acontece três minutos antes da penetração. Para elas, as preliminares podem ser sutis e acontecem até mesmo, durante 24 horas antes do sexo – podem ser, simplesmente, um olhar ou um sorriso.

ELA EVITA A AGRESSIVIDADE
Situações estressantes podem fazer com que os homens fiquem mais agressivos, mas a maioria das mulheres, depois de se sentirem ameaçadas, tenta arranjar jeitos não-agressivos de enfrentar a situação, ou apaziguar seu oponente. Para isso, elas podem até manipular seus interlocutores no intuito de formar “alianças estratégicas”. Acredita-se que as mulheres tenham evoluído de forma a evitar conflitos porque, normalmente, as crianças dependem delas.

ELA RESPONDE À DOR E À ANSIEDADE DE FORMA DIFERENTE
Estudos que analisaram tomografias dos cérebros de mulheres e de homens durante dez anos mostraram que eles e elas reagem à dor e à ansiedade de formas distintas. As moças não só são influenciadas por quantidades menores de stress como também são bem mais afetadas quando o stress é grande. Mas não pense que isso é ruim – isso muda o estado mental de uma pessoa, fazendo com que ela pare de se concentrar apenas em uma coisa para se preocupar nos aspectos de sua vida como um todo. Essa sensibilidade maior pode explicar porque as mulheres têm maiores índices de depressão do que os homens.

ELA ODEIA BRIGAS – MAS ODEIA AINDA MAIS A PASSIVIDADE
As mulheres evoluíram para ser bem mais sensíveis a pistas interpessoais, que as faz entenderem mais sua família e seu parceiro apenas olhando para as pessoas. Tudo isso para que elas pudessem evitar conflitos mais facilmente. Os químicos que são liberados no cérebro de uma mulher durante uma briga com seu namorado fazem com que ela se sinta extremamente apreensiva. Talvez por serem tão boas em interpretar as ações dos outros é que a passividade as incomode tanto. Elas consideram expressões neutras e falta de resposta atitudes intoleráveis.

ELA REALMENTE TEM UMA INTUIÇÃO INCRÍVEL – MAS NÃO MÁGICA OU SOBRENATURAL
Homens, muitas vezes, podem ter a desconfortável sensação de que mulheres podem ler suas mentes, mas a intuição feminina é mais biológica do que mística. Durante sua evolução, as mulheres precisaram aprender a descobrir as necessidades de bebês que não sabem se comunicar corretamente. Para isso elas aprenderam a ler suas atitudes e “descobrir” seus pensamentos. Com o passar dos anos elas ficaram realmente boas nisso, tanto que essa habilidade não é limitada aos seus filhos, mas também é usada nos namorados, maridos, chefes e até em completos estranhos.

ELA MUDA TODOS OS DIAS
Você acha que as mudanças de humor de sua namorada ocorrem somente quando ela está de TPM? Pense duas vezes! As mulheres são afetadas por seus ciclos menstruais todos os dias do mês. É que os níveis de hormônios estão se alterando constantemente e o organismo da moça os acompanha, tornando-a mais sensível, mais durona e até mudando sua aparência. Dez dias antes da ovulação as mulheres tornam-se mais sexualmente disponíveis. Uma semana depois, elas ficam mais carentes e caseiras, e escolhem assistir um filme em casa em vez de sair para uma balada. Na próxima semana elas ficam choronas e irritadas. Para a maioria das mulheres, seu humor fica pior nas 24 a 12 horas que antecedem o início de sua menstruação. Então quando sua namorada estiver carente e grudenta, tente ser compreensivo – pode ser que ela não esteja assim por vontade própria. [LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/10-coisas-que-todo-homem-deveria-saber-sobre-o-cerebro-das-mulheres/ - Por Luciana Galastri

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

13 filmes para 2013

Preste atenção nestes títulos e prepare a pipoca para o ano de 2013

1. Django Livre
Tarantino adora misturar alguns elementos do faroeste em seus filmes - mas dessa vez ele caprichou: fez um filme 100% do gênero. Christoph Waltz é Dr. King, que decide comprar a liberdade do escravo Django (Jamie Foxx) para transformá-lo em seu caçador de recompensas. E Django o convence a ajudá-lo a libertar a sua esposa, comprada pelo fazendeiro mais rico e cruel do Mississipi, Calvin (Leonardo DiCaprio). Prepare-se para ver sangue voar.

18 de janeiro

2. O Mestre
Depois de lutar na Segunda Guerra Mundial, o marinheiro Freddie (Joaquin Phoenix), que sofre de estresse pós-traumático, encontra o líder de uma seita, Lancaster (Philip Seymour Hoffman), que prega a necessidade de se livrar de quaisquer emoções para atingir o bem-estar. Depois de Sangue Negro, a expectativa para esse novo filme de Paul Thomas Anderson está nas alturas.

25 de janeiro

3. Anna Karenina
A adaptação do romance de Tolstói não vai ser o típico água-com-açúcar de época. O diretor Joe Wright decidiu filmar a história da adúltera dentro de um teatro gigante, com os diversos cenários do filme próximos uns aos outros e a câmera passeando entre eles. Dos salões de baile a fazendas, tudo sem cortes.

1 de fevereiro

4. Movie 43
Essa comédia reúne ao menos 20 celebridades de peso (Kate Winslet, Gerard Butler, Hugh Jackman, Halle Berry etc etc etc), divididas em diversas esquetes, sob o comando de 12 diretores diferentes. Atenção para o slogan do filme circulando: ser a "comédia mais grotesca já feita". Vamos acompanhar.

15 de fevereiro

5. Colegas
O filme nacional de maior sucesso nos festivais finalmente vai para o cinema, com uma premissa totalmente "ounn": três jovens com síndrome de Down decidem fugir da instituição de onde vivem num carro velho, influenciados pelo filme Thelma e Louise. Prepare seus lenços.

1 de março

6. Oblivion
Eis uma ficção científica original, sem ser remake ou sequência. Tom Cruise vive um soldado enviado para um planeta distante, com a missão de destruir o que resta da raça alienígena que habita o local. Mas, quando chega lá, começa a questionar as ordens que recebeu.

12 de abril

7. Segredos de Sangue
Chan-wook Park, diretor oriental queridinho dos cults, resolveu fazer seu primeiro filme em língua inglesa e, pelo trailer, promete ser um suspense de primeira. Depois que o pai de India (Mia Wasikowska) morre, seu tio Charlie passa a morar com ela e sua mãe instável, Evie (Nicole Kidman). Todo mundo tem segundas e terceiras intenções nesse novo lar.

3 de maio

8. Guerra Mundial Z
Para provar que histórias de zumbi não são apenas uma paixão de verão e ainda vão render muito, eis o novo filme de Brad Pitt. Agora, o ator e as forças armadas americanas lutam para conter uma pandemia mundial de zumbis mortais. Estamos no aguardo de um Brad Pitt morto-vivo.

28 de junho

9. Elysium
Neill Blomkamp, o diretor sul-africano que fez Distrito 9, segue na ficção científica de tons políticos com Elysium. Em 2159, os muito ricos se isolaram na estação espacial que dá nome ao filme, enquanto o resto do mundo tenta sobreviver numa Terra devastada. O soldado Max (Matt Damon) recebe a missão de equalizar esses extremos.

16 de agosto

10. The Grandmasters
Esse é o novo filme do outro diretor oriental queridinho dos últimos anos, Wong Kar-wai (Amor à Flor da Pele). O longa promete misturar lutas estupendamente inacreditáveis e bem filmadas para contar a história do mestre das artes marciais Ip Man, o cara que treinou Bruce Lee.

Sem previsão

11. Gravidade
Nesta ficção científica tensa e intimista, George Clooney e Sandra Bullock são dois astronautas lutando para voltar à Terra, depois que sua nave fica danificada em uma colisão, no meio do espaço.

18 de outubro

12. Fading Gigolo
O ator John Turturro dirige e o diretor Woody Allen atua nessa comédia, que vai colocar o maior neurótico do mundo ao lado da espalhafatosa Sofia Vergara (Modern Family). Só pelo elenco imprevisível, já merece o seu ingresso.

28 de junho

13. A Glimpse Inside the Mind of Charles Swan III
O diretor Roman Coppola, filho de Francis, coloca Charlie Sheen de volta a um papel de respeito como o convencido designer Charles Swan III (por que seus personagens sempre se chamam Charlie, é um mistério) que, depois de levar um pé na bunda, entra em crise existencial. No elenco, Bill Murray, Aubrey Plaza e Jason Schwartzman, numa história que se passa na década de 1970.

Sem previsão

Fonte: http://super.abril.com.br/cultura/13-filmes-2013-731643.shtml - por Tiago Lopes

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Conheça atividades que turbinam a vida sexual e deixam em forma

Praticar atividades físicas é uma das principais maneiras de manter o corpo em forma. Os exercícios contribuem para a melhora do humor, favorecem a saúde em geral e podem dar um up na vida sexual das mulheres e também dos homens. Além da musculação, o yoga, pilates, dança do ventre e até mesmo a pole dance são alguns dos exercícios que se encaixam nessas condições.

Pilates
A fisioterapeuta e professora de pilates do Zahra Spa & Estética, Edilaine Souza da Silva, conta de que forma o pilates ajuda a melhorar diversos fatores em nosso corpo e mente por conta do alongamento que ajuda a colocar os músculos no lugar e elimina os desvios musculares. “Ele trabalha a postura, alivia dores por tensão muscular, melhora o equilíbrio, o sono, a concentração e a coordenação motora”, diz. Em relação à vida sexual, o pilates está diretamente associado, mas atua de maneiras diferentes no corpo da mulher e do homem. “Para as mulheres, o pilates beneficia na contração do períneo. Ela consegue controlar o músculo na hora da relação tendo mais prazer e proporcionando o mesmo ao parceiro”, explica. Os exercícios trabalham a parte interna da coxa e podem ajudar, também, em problemas de incontinência urinária. Edilaine conta que o controle total do períneo pode ser adquirido no período de 3 meses de aula, sendo 1 hora 2 vezes por semana. Para o homem, Edilaine diz que o pilates ajuda a soltar a articulação do quadril. “Eles têm um quadril muito travado, pois desde cedo precisam se portar como homem, não podendo rebolar”, diz.

Yoga
O yoga também promove o fortalecimento da maioria dos músculos do corpo, assim como o Pilates, mas trabalha principalmente a região abdominal. De acordo com a professora de yoga do Yoga Flow, Anita Carvalho, ele ajuda na postura, no bem-estar e na flexibilidade. “O yoga tem várias ferramentas para proporcionar um autoconhecimento. Uma delas são os asanas, as posturas psicofísicas, que trazem uma melhora na qualidade física e mental. O corpo ficar em forma é apenas uma consequência”, diz. A prática ainda ajuda no desempenho sexual, mas Anita reforça que esse não é o objetivo principal. Isso porque a atividade estimula as glândulas que produzem os hormônios sexuais, o que contribui para uma melhor lubrificação vaginal, e também algumas posições fortalecem os músculos do assoalho pélvico.

Dança do ventre
Essa é uma atividade diferente, mas que ajuda a despertar a sensualidade e a deixar o corpo em forma. Ela ajuda na queima das calorias, na postura, a tonificar os músculos, no equilíbrio e respiração, além de estimular as atividades sexuais. A professora de danças árabes do Studio Khalige, Elaine C. Rodrigues, conta que é necessário usar muita contração abdominal na dança do ventre. “Isso fortalece a musculatura do abdômen. Também são trabalhados os músculos inferiores quando dançamos na meia ponta do pé e o alongamento e postura se mantêm firmes”, diz. Além disso, ela afirma que a dança eleva a autoestima das mulheres, ajudando as a se tornarem mais confiantes e femininas, com a sensualidade aflorada, o que reflete diretamente na hora do sexo.

Pole dance
“A pole dance aumenta a força superior do corpo, trabalha a flexibilidade e a coordenação motora e também tonifica o corpo como um todo”, explica Karina Fernandes Dias, instrutora de pole dance do Studio Khalige. Ela ainda rompe a barreira de inibição da mulher, deixando-a com a sensualidade e autoestima elevada e contribuindo em sua vida sexual.

Fonte: http://itodas.uol.com.br/amor-e-sexo/conheca-atividades-que-turbinam-a-vida-sexual-e-deixam-em-forma-24280.html

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Praticar esportes na areia alivia estresse e tonifica o corpo

No verão geralmente as pessoas procuram se exercitar mais para exibir o corpo malhado e tonificado. A praia é um local onde a maioria das pessoas passam as férias, e é na areia que elas encontram estímulo para praticar exercícios físicos.

Além de tonificar mais e emagrecer, os esportes praticados na areia queimam mais calorias do que os feitos em academia. Isso porque quando pisamos nela o nosso pé afunda (mesmo que pouco) e isso faz os músculos trabalharem mais. “Quando nos exercitamos no chão, o movimento é mais contínuo e regular, já a irregularidade da areia força seu corpo a exercitar um número maior de músculos na hora de fazer uma caminhada ou jogar futevôlei, por exemplo”, afirma o ortopedista Lucas Leite.

Futevôlei, frescobol, futebol, vôlei e outras atividades lúdicas como aulas de ginástica ajudam a emagrecer e tonificar o corpo. A resistência oferecida para quem pratica esses esportes na areia é enorme. Caminhar pela praia também é uma ótima opção. Se quiser intensificar ainda mais o treino, ande beirando a água. O impacto e a força que você precisará fazer vão ajudar a definir os músculos mais rápido.

“Fazer caminhadas e praticar esportes na areia são atividades saudáveis e agradáveis, que ajudam a aliviar desde dores causadas por lesões à tensão do dia a dia. Além disso, o contato com a areia é comprovadamente eficaz no combate ao estresse”, explica o ortopedista. Mas cuidado! Se você não tem costume de praticar atividades físicas faça com moderação e sempre pratique alongamentos antes de iniciar o treino. Vale lembrar também que os horários corretos para exposição ao sol são antes das 10 horas da manhã e após as 16 horas. O uso do filtro solar e de um boné são indispensáveis. “Muitas pessoas sedentárias querem começar a se exercitar do dia para noite. Isso é um erro. Procure iniciar as atividades, principalmente na areia, num ritmo leve. Pois ela já exige um condicionamento físico maior”, alerta o ortopedista Lucas Leite.

Outro cuidado não menos importante é com o consumo de álcool antes da atividade física. “É recomendado que após ingestão de álcool a atenção seja redobrada, pois com o comprometimento da coordenação motora a pessoa fica mais propícia a acidentes como torção ou quedas”, finaliza o ortopedista.

Fonte: http://itodas.uol.com.br/corpo-e-dieta/praticar_esportes_na_areia_alivia_estresse_e_tonifica_o_corpo-24376.html

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Os maiores mitos e verdades da malhação

Correr todos os dias de manhã, exigir o máximo do seu corpo durante a musculação, alongar-se antes de se exercitar…Muita gente acredita que esses são alguns dos segredos para manter o corpo em forma e a saúde em dia. Mas você está segura de que esse é realmente o “mapa da mina”?

Na hora de entrar em forma é fundamental saber quais são os mitos e verdades a respeito do assunto. Assim, você poderá avaliar se aquele truque que tanto ouviu falar funciona.

Experts no assunto revelam, agora, as maiores verdades e mentiras sobre exercícios físicos para que você não tenha dúvida sobre o que funciona e o que é balela na hora de entrar em forma. Confira!

1. Musculação faz perder peso
VERDADE. Mas desde que seja realizada de três a cinco vezes por semana, com o acompanhamento de profissionais qualificados. “A partir do momento em que o aluno se exercita, significa que existe um gasto calórico. Porém, o saudável é conciliar exercícios de resistência com os aeróbicos, como corrida, caminhada e bicicleta”, diz Paulo Machado, personal trainer da academia Companhia Athletica (SP).

2. Quanto maior a carga, melhor o resultado
VERDADE. Quando o aluno começa a fazer musculação, a carga dos exercícios deve ser suficiente para que ele possa executar todas as repetições. Ao longo do treino, as cargas devem ser aumentadas para que haja um novo estímulo e a musculatura crie um novo anabolismo. Até seis semanas: o tempo que o aluno deve usar a mesma carga é de três a seis semanas, mas isso vai depender da frequência dos exercícios e da dedicação. “Essa periodização é importante, pois um peso grande pode causar espasmos musculares, inflamações, estiramentos e distensões, além de problemas na coluna, nos ombros e joelhos”, diz Fabio Bellini, fisioterapeuta da Seleção Brasileira de Atletismo.

3. Natação é o esporte mais completo
DEPENDE. A natação é um esporte completo do ponto de vista muscular e cardiorrespiratório, mas devido à pouca ação da gravidade, não trabalha a massa óssea. Por isso, é indicado que a atividade seja complementada por um treino com carga. Fernando Marques, personal trainer e proprietário da First Academia (SP), comenta que a natação melhora muito a respiração de sedentários, mas pouco faz pelo fôlego de quem já tem bom condicionamento físico.

4. Exercício de manhã é mais eficiente
MITO. A eficiência de qualquer atividade depende do seu ritmo fisiológico. Enquanto exercícios matinais podem promover bem-estar, relaxamento e disposição para algumas pessoas, para outras, podem ser verdadeiros martírios. Para quem entra muito cedo no trabalho, por exemplo, a prática é mais indicada à noite, e pode até ajudar a relaxar. Cuidados com a alimentação: “Para treinar de manhã, é fundamental não estar em jejum. Outro cuidado é com o aquecimento, para que os músculos e o coração mudem do estado de repouso para o de atividade moderada a intensa”, diz Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

5. Malhar por muito tempo é prejudicial
MITO. Desde que acompanhados por profissionais, não existem exercícios proibidos. É interessante fazer um rodízio de treinos para trabalhar diferentes grupos musculares e nenhum deles sobrecarregar. Para idosos: o personal trainer Paulo Machado diz que antes de iniciar uma atividade, é preciso obter o aval de um médico. Assim, até idosos podem fazer musculação.

6. Correr deixa os seios flácidos
MITO. Mas é preciso observar o volume de corrida, se a pessoa pratica musculação ou não e se utiliza roupas adequadas. “Para quem corre três vezes por semana, por 60 minutos em dias alternados, e utiliza um top justo, para diminuir o balanço dos seios, não há risco. As peças com alta compressão também ajudam bastante”, diz Marco Antonio Ambrosio, ortopedista e médico do esporte do Hospital Samaritano (SP). Recorra à musculação: já se a corrida for diária sem o uso de roupa adequada, é bem provável que a flacidez apareça com o tempo. A musculação também é muito importante para manter o tônus da musculatura e fortalecer a estrutura corporal.

7. É preciso alongar antes dos exercícios
VERDADE. Antes do treino, deve-se realizar um alongamento menos rigoroso, mantendo o grupo muscular em posição alongada por 20 a 30 segundos. Um leve desconforto é desejável. Entretanto, não deve ser sinônimo de dor, pois ela é sinal de algum dano. Movimentos bruscos de alongamento com o corpo ainda “frio” podem gerar lesões nos músculos e nas articulações. Aquecimento: “O alongamento deve ter o objetivo de aquecer ou de relaxar os músculos, e não promover flexibilidade”, diz Adriana De Bortoli, fisioterapeuta com especialização em fisioterapia motora pela Santa Casa de São Paulo.

8. O corpo se acostuma com a mesma atividade
MITO. O corpo humano sofre uma adaptação ao estímulo da atividade física, e mantém um nível de condicionamento superior ao do sedentarismo. Se estímulos crescentes forem oferecidos, o organismo passa para outros patamares. Caso permaneçam os mesmos estímulos, fica-se com o trabalho de manutenção do condicionamento que foi conquistado. Portanto, continua fazendo efeito, sim.

9. Correr com agasalho ajuda a emagrecer
MITO. Nunca se agasalhe demais ou enrole plásticos no corpo para se exercitar. A perda de peso é apenas de água. O volume é reposto imediatamente após o exercício, e o peso volta a ser o mesmo do início. “As roupas ideais permitem a regulação da temperatura corporal, necessária para um bom funcionamento das reações fisiológicas que ocorrem durante o treino”, diz Nahas. Cada época, uma recomendação: no inverno, é preciso conservar o calor corporal e evitar sua perda para o ambiente mais frio. No verão, é necessário vestir roupas que permitam a perda de calor, mantendo a temperatura do corpo e evitando sua elevação.

10. Exercício só funciona quando sentimos dor
MITO. A dor tardia é reflexo da destruição de tecido muscular que foi submetido a um esforço não habitual. Se o trabalho executado provoca dor é porque o limite não foi respeitado ou o exercício não foi realizado de maneira correta. Escute os sinais: “Aprenda a ouvir seu corpo, que reclama por meio da dor. Respeitar os limites é fundamental”, diz Ricardo Nahas, médico do esporte do Hospital 9 de Julho (SP). Usar calçados adequados e roupas apropriadas também ajuda na sensação de bem-estar.

Fonte: http://dietaja.uol.com.br/os-maiores-mitos-da-malhacao/ - por Liana Pires - Foto: Shutterstock

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Futebol: um golaço contra hipertensão

Futebol, o esporte mais praticado pelos brasileiros, quem diria, é uma boa maneira de driblar uma das doenças mais prevalentes no país

Além de ajudar a domar a pressão arterial nas alturas, quem corre atrás da bola regularmente deixa os pulmões tinindo e ganha força física com o tempo. Muitas vezes sem se dar conta

Embora já se saiba que se exercitar é fundamental para evitar e controlar a pressão alta, ainda não existem muitos estudos sobre quais modalidades seriam mais eficazes. No entanto, se depender de uma pesquisa da Universidade de Exeter, na Inglaterra, o futebol tem tudo para ser uma das principais armas do esquema tático contra a doença.

No trabalho, voluntários hipertensos foram separados em dois grupos. Um batia bola duas vezes por semana, enquanto o outro recebia orientações de um médico, incluindo recomendações sobre malhação. Após três meses, os participantes foram avaliados. Aí, os pesquisadores descobriram que, nos adeptos do esporte bretão, houve queda dos níveis de pressão sanguínea, aumento do condicionamento físico e diminuição da gordura corporal. Ou seja, três gols de placa contra o mal silencioso.

Além dos efeitos fisiológicos, os dribles e arrancadas ao longo dos 90 minutos de uma partida promovem benefícios emocionais. "Nossos resultados revelam que esportes em equipe têm um apelo que ajuda as pessoas a iniciar uma atividade física e não desistir dela", diz Peter Krustrup, o líder do trabalho. E espírito de grupo é o que não pode faltar no gramado. "A prática de um esporte como o futebol, juntamente com uma mudança nos hábitos alimentares, às vezes é o suficiente para tratar alguns casos de hipertensão", reconhece o cardiologista Carlos Alberto Machado, que é diretor de promoção de saúde cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Para a educadora física Claudia Forjaz, diretora do Departamento de Atividade Física da Sociedade Brasileira de Hipertensão, mexer-se é importante, porque auxilia a prevenir o problema e assumir suas rédeas quando ele já se instalou. "Estudos mostram diminuição da pressão arterial ao acumular 150 minutos de exercício semanais, ou seja, cinco dias por semana, com 30 minutos diários", contabiliza Claudia. "E me refiro a atividades como subir uma escada ou andar até o ponto de ônibus." Imagine, então, no gramado.

Toda atividade física é bem-vinda para frear a subida da pressão, mas o placar de benesses do futebol impressiona. Por ser um exercício intervalado, uma partida permite que o jogador mantenha uma média de intensidade mais alta do que se estivesse fazendo um treinamento contínuo. "Essa modalidade é caracterizada por piques. Nenhum atleta fica correndo o tempo inteiro e cada posição em campo tem demandas específicas", explica o cardiologista José Kawazoe Lazzoli, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. Em bom português, isso significa maior queima de calorias e gordura.

Só que não basta alugar uma quadra e juntar os amigos. "O futebol é uma atividade de impacto e sobrecarrega as articulações", avisa Marco de Castro Ferreira, médico do São Paulo Futebol Clube. Assim, antes de calçar as chuteiras, o conselho é passar por um checkup para averiguar se existem, além da hipertensão, outros problemas, cardiovasculares ou não. A avaliação física e pulmonar também deve constar dos exames. Tudo para não levar um cartão vermelho e parar num hospital.

Agora, quem marca um gol contra nessa competição pró-saúde são aqueles amadores que só correm atrás da bola nos finais de semana. "Esse indivíduo está mais sujeito a se lesionar, porque não condiciona o corpo para a prática esportiva", alerta Ferreira. O time que se exercita regularmente geralmente está em paz com a balança e tem músculos mais definidos, prontos para enfrentar os arranques e paradas bruscas de uma partida. Para Peter Krustrup, o ideal para os iniciantes é jogar duas vezes por semana, por uma hora. "Como o futebol é um esporte com jogadas intensas, estamos checando se treinos de 30 minutos também são eficazes", conta. Por fim, os amantes da bola devem frequentar a academia pelo menos três vezes por semana para fortalecer a musculatura. Vai ser um golaço contra a pressão alta.

O auxílio da musculação e da esteira
Frequentar a sala de ginástica complementa os benefícios do bate-bola

Iniciantes Para os novatos na academia e nos campos, é importante fazer um checkup médico antes de suar no levantamento de pesos. Feito isso, que tal alongar e fortalecer bem o corpo antes de se exercitar? Começar a atividade aeróbica aos poucos, na esteira, é interessante, porque vai proporcionar perda de peso e melhora na capacidade respiratória.

Veteranos Para quem já começou a bater bola, é aconselhável fazer alongamento dos grupos musculares anteriores das pernas e dar umas corridinhas para se aquecer antes de uma partida. Na academia, vale conversar com o instrutor sobre uma série de exercícios para os membros superiores. Afinal, coxas e afins ficam bem torneados na turma que calça chuteiras.

Estatísticas de campo
O que chutes e cabeceios fazem pela saúde

1 000 calorias É o que um atleta profissional chega a queimar em uma partida

5 vezes mais risco de ter pressão alta É o que ocorre com os sedentários

450 calorias É o que, em média, se gasta em uma hora de pelada

10 mmHg É quanto cai a pressão dos hipertensos que jogam futebol, o dobro em relação a quem não pratica o esporte

produção Andrea Silva | objetos Centauro | modelo Anderson Ferminio (BRM Models)

fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0359/medicina/golaco-hipertensao-729256.shtml - por Danilo Romeiro | design Fernanda Didini | fotos Alex Silva

domingo, 20 de janeiro de 2013

O que é melhor para perder peso: exercícios físicos ou dieta?

Depende de suas crenças

Fazer dieta ou exercícios físicos?

Esta é a dúvida com que se depara a maioria das pessoas que acredita que é hora de ficar de bem com a balança - e com a saúde.

E foi esta a questão colocada por uma série de estudos realizados em cinco países, em três continentes.

A resposta não poderia ser mais surpreendente: Depende!

O estudo mostrou que a capacidade de perder peso - ou a tendência a aumentar de peso - depende se a pessoa acredita que a obesidade é causada pelo excesso de alimentação ou pela falta de exercícios físicos.

"Quanto mais você acredita que a causa é a dieta, mais magro você ficará, em média," garante Brent McFerran, da Universidade de Michigan (EUA).

Subestimar o quanto se come

As pessoas que acreditam que o excesso de peso e a obesidade são causados pela dieta tendem a comer menos.

Por outro lado, aquelas que acreditam que o excesso de peso e a obesidade são causados pela falta de exercícios deveriam exercitar-se mais.

O problema é que essas pessoas tendem a superestimar a quantidade de calorias queimadas durante os exercícios e subestimar a quantidade de comida que ingerem.

Crença de peso

Isso não quer dizer que o exercício não ajuda a perder peso, desde que a ingestão de calorias não aumente, afirma Anirban Mukhopadhyay, da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, coautor do estudo.

"Nossa descoberta é simplesmente que as pessoas que acreditam fortemente na falta de exercícios como causa primária [do excesso de peso], em vez de uma dieta ruim, tendem a ter massas corporais mais elevadas," alerta.

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=melhor-para-perder-peso-exercicios-ou-dieta&id=8483&nl=nlds - Imagem: Umich

sábado, 19 de janeiro de 2013

Dicas para superar a insônia e ter uma boa noite de sono

Ter uma boa noite de sono depende de uma série de aspectos relacionados ao ambiente, ao indivíduo e ao comportamento. Confira nossas dicas e durma bem!

Ter uma boa noite de sono é fundamental para aguentar as atividades e os contratempos do dia a dia. Afinal, além de se desligar dos problemas, durante o sono o corpo não acumula o cortisol, hormônio responsável pelo estresse e pela irritação. “Quando uma pessoa dorme mal, ela pode apresentar dificuldade de concentração, de aprendizado, lapsos de memória, irritabilidade, mau humor e redução de reflexos.

Cronicamente, noites mal dormidas podem trazer danos irreversíveis à saúde, como o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e até degenerativas” alerta o neurologista Leandro Teles.

Mesmo assim, existem algumas pessoas que não conseguem dormir bem e isso se deve a uma série de fatores variados. Segundo o especialista, para uma boa noite de sono são fundamentais aspectos relacionados ao ambiente, ao indivíduo e ao comportamento, ou seja, nos casos mais simples, é necessário que a pessoa se atente a manter um ambiente propício ao sono, controle a ansiedade, o estresse, durma em horários regulares, pratique atividades físicas, etc.

Mas se isso tudo não funcionar pode ser que você sofra de insônia, um distúrbio que pode ser causado por questões hormonais, situações imprevisíveis, tendência genética, etc. “Passar até três semanas sem dormir direito é considerado um caso de insônia aguda, geralmente fruto de situações específicas, como stress, sobrecarga de trabalho e preocupações, hábitos inadequados de sono, etc. Após esse período, a insônia já é considerada crônica, com tratamento mais trabalhoso e causas variadas”, afirma o Dr. Leandro.

Dicas para superar a insônia

Para que os medicamentos não sejam necessários e você consiga desligar a mente pelo menos durante a madrugada, o Dr. Leandro Teles listou alguns hábitos que podem contribuir para uma boa noite de sono. Confira e boa noite!

- Manter uma regularidade é fundamental, por isso, procure dormir e despertar em torno do mesmo horário e tente não alterar demais essa rotina até mesmo em finais de semana e feriados (isso não é lá muito fácil).

- Reestruture seu ambiente de sono. Dê atenção ao conforto, silêncio, temperatura e iluminação.

- Desligue fontes luminosas diretas (celulares, tablets, notebook, televisor, etc.) cerca de 40 minutos antes do horário que deseja dormir. Prefira iluminação indireta e em baixa tonalidade.

- Não consuma álcool próximo ao horário de dormir, pois ele desorganiza o sono. Evite tambémestimulantes como a cafeína, que podem te manter agitado.

- Antes de deitar, consuma pouca quantidade de comida, opte por alimentos de fácil digestão e não abuse dos líquidos (para não ter que ir ao banheiro durante a madrugada).

- Pratique exercícios físicos regularmente, priorizando os aeróbios e ao ar livre. Mas atenção: evite atividade física nas duas horas que antecedem o sono.

- Faça alguma atividade de transição entre o trabalho e o sono. Leia, ouça música, assista televisão (só lembre-se de seguir a recomendação 3), tome um banho prolongado, enfim...qualquer atividade que desligue o cérebro dos problemas do dia a dia.

- Controle o peso e as doenças clínicas que atrapalham o sono. Só utilize medicamentos para dormir sob prescrição e acompanhamento médico.

Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/blogs/mulher-de-corpo/dicas-para-superar-a-insonia-e-ter-uma-boa-noite-de-sono/3200 - Reportagem: Camila Saipp -
Foto: SXC

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Como tornar o videogame em uma prática saudável

Por mais importante que seja a prática de atividades físicas nas escolas, existem alunos que praticam esportes ou exercícios a contragosto e, ainda por cima, moram em regiões onde sair para caminhar ou andar de bicicleta é perigoso. Para o espanto de muitos pais, jogos de videogame podem ser uma boa alternativa nesses casos.

“Muita gente diz que o tempo na frente de uma tela é um grande fator no aumento dos índices de obesidade infantil”, aponta o pesquisador Todd Miller, da Escola de Saúde Pública e Serviços de Saúde da Universidade George Washington (EUA). “Mas se uma criança detesta jogar queimada, mas adora Dance Dance Revolution, por que não deixá-la suar jogando videogame?”.

Outros estudos já demonstraram como games que envolvem exercícios físicos podem ajudar crianças a gastar energia e combater a obesidade – centenas de escolas nos Estados Unidos usam jogos desse tipo em suas aulas de educação física. Será que o mesmo princípio poderia valer para escolas públicas, onde há mais estudantes de minorias sociais com risco de obesidade?

Para testar a ideia, Miller e sua equipe reuniram 104 crianças de 3ª a 8ª série de uma escola pública no distrito de Columbia (EUA) e as dividiram em três grupos, cada um com uma atividade: três sessões de 20 minutos de Dance Dance Revolution (jogo em que a pessoa executa passos de dança conforme aparecem na tela), Winds of Orbis (jogo em que a pessoa simula as ações de um super-herói) ou aulas de ginástica comum. Além disso, todas continuariam frequentando normalmente as aulas de educação física.

Exercício suficiente (mas não para todos)

Entre as crianças de 3ª a 5ª série, o gasto de energia com os jogos foi o suficiente para suprir as recomendações gerais de exercícios físicos intensos, feitas por entidades de saúde. Para as demais, contudo, o nível de atividade com os jogos ficou abaixo do necessário – especialmente entre as meninas, que não se empenharam tanto em se exercitar, fosse nas aulas normais, fosse com os jogos.

Naturalmente, se a demanda cresce e a atividade diminui, a criança ou o pré-adolescente passa a ter mais risco de ganhar peso e sofrer as consequências na vida adulta. De acordo com Miller, são necessários mais estudos para descobrir se passar mais tempo jogando games como Orbis e DDR (além das aulas normais de educação física) pode ajudar.[Medical Xpress] [Medical Daily] [ScienceDaily] [Games for Health]

Fonte: http://hypescience.com/como-tornar-o-videogame-em-uma-pratica-saudavel-para-o-seu-filho/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29 - Por Guilherme de Souza

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

16 razões para fazer sexo diariamente

Você já deve ter escutado mais de uma vez essa famosa recomendação para o bem-estar físico e mental: fazer sexo. Aparentemente, o sexo pode ser a resposta para a longevidade, felicidade e um corpo saudável. Confira uma lista com os benefícios de saúde do sexo:

16. Desestressa
Sexo ajuda a reduzir o estresse. Quando exercícios de respiração profunda não funcionarem mais, parta para o sexo. Durante o sexo, seu corpo produz dopamina, uma substância que combate os hormônios do estresse, e endorfinas, ambos “hormônios da felicidade”, além de oxitocina, chamado de “hormônio do amor”, um hormônio secretado pela glândula pituitária que aumenta o desejo.
Em um estudo publicado na Public Library of Science, três pesquisadores de neurociência realizaram um teste em ratos machos e verificaram que os sexualmente ativos eram menos ansiosos do que os animais que não acasalavam.

15. É uma ótima forma de exercício
Fazer amor é uma forma de atividade física. Durante a relação sexual, as mudanças fisiológicas em seu corpo são as mesmas de um treino físico. Você já deve ter notado que sua respiração fica ofegante, o que significa que você se cansa. Por isso, você queima calorias. Se você faz sexo três vezes por semana durante 15 minutos, queima cerca de 7.500 calorias em um ano. Isso é o equivalente a correr 120 quilômetros! Respiração pesada aumenta a quantidade de oxigênio em suas células, e a testosterona produzida durante o sexo mantém seus ossos e músculos fortes.

14. Reduz pressão arterial alta
Tanto abraços quanto sexo podem melhorar sua pressão arterial. Sexo comprovadamentereduz a pressão sanguínea diastólica, conforme descobriram pesquisadores da Universidade de Paisley.

13. Melhora a imunidade
Lutando contra resfriados? Sexo é o remédio. Segundo estudos, ele pode aumentar a sua imunidade. Imunoglobulina A, um antígeno que combate a gripe, por exemplo, aumenta quando a frequência de sexo também aumenta.

12. Faz você parecer mais jovem
Fazer sexo três vezes por semana pode fazer você parecer 10 anos mais jovem. “É bom para as pessoas fazer sexo”, diz David Weeks, neuropsicólogo clínico no Hospital Royal Edinburgh, cujo estudo sobre os efeitos do sexo sobre o envelhecimento aparece em seu livro, “Secrets of the Superyoung” (em português, “Segredos dos Superjovens).

11. Deixa seu coração saudável
Sexo ajuda a queimar calorias, e também pode melhorar sua saúde cardíaca. Cientistas do Instituto de Pesquisa de New England examinaram o efeito do sexo sobre o coração. O estudo concluiu que os homens são 45% menos propensos a sofrer doenças cardiovasculares quando fazem sexo regularmente. O efeito sobre o coração de uma mulher não é conhecido.

10. Alivia a dor
O prazer é a medida para vencer a dor. Você experimenta enxaquecas e dores no corpo? Sexo pode ser a resposta. O Dr. George E. Erlich, um especialista em artrite da Filadélfia (EUA), realizou um estudo sobre a ligação entre artrite e sexo. Os pacientes da pesquisa que se envolveram em sexo relataram sentir menos dor.

9. Constrói confiança e intimidade
O ato de fazer sexo libera o hormônio oxitocina, o hormônio responsável pela sua felicidade e amor. Por conta disso, pesquisadores especulam que sexo pode aproximar os casais. É bem documentado que o hormônio oxitocina aumenta a confiança e os laços íntimos.

8. Diminui suas chances de câncer
Ejaculação regular reduz as chances dos homens de desenvolver câncer de próstata. Em um estudo, homens australianos que ejacularam 21 vezes por mês foram menos propensos a desenvolver o câncer. Outras pesquisas também indicam que a relação sexual reduz o risco de câncer de próstata.

7. Fortalece os músculos pélvicos
Sexo envolve o uso de vários músculos. Por isso, relações sexuais regulares podem ajudar a desenvolver músculos pélvicos mais fortes. Também ajuda a fortalecer quadris, costas, etc. Através do sexo regular, você ainda pode manter uma bexiga forte e boa função intestinal.

6. Protege a próstata
A maior parte do fluido da ejaculação é secretada pela próstata. Sem ejaculação, o fluido permanece na glândula, que tende a inchar, causando muitos problemas. Ejaculação normal “lava” esses fluidos e garante o bem estar da próstata até a velhice. Problemas também podem ocorrer quando os homens mudam de repente a frequência de ejaculações.

5. Induz o sono
Sexo funciona da mesma maneira como o exercício: você dorme melhor quando pratica. O aumento da frequência cardíaca leva ao aumento de relaxamento pós-coito. Sexo pode ser um remédio para insônia. Além disso, quando os homens ejaculam, se tornam letárgicos, e isso pode torná-los sonolentos.

4. Regula o ciclo menstrual
Aparentemente, o sexo pode melhorar o ciclo menstrual feminino. Sexo regula hormônios, que por sua vez regulam o ciclo menstrual. Sexo também reduz o estresse, que é uma das razões para as mulheres desregularem sua menstruação.

3. Previne a disfunção erétil
50% dos homens com mais de 40 anos sofrem de disfunção erétil – e todos os homens jovens temem esse momento. O melhor remédio contra a impotência é… Sexo. Ereções mantêm o sangue fluindo através das artérias do pênis, de modo que o tecido permanece saudável. Além disso, os médicos comparam uma ereção a um reflexo atlético: quanto mais você treina, melhor é sua performance.

2. Alonga a vida
Coração saudável, músculos mais fortes, aumento da circulação de oxigênio e aumento da felicidade são alguns dos fatores que contribuem para o aumento da expectativa de vida como resultado de sexo regular. Um estudo publicado no British Medical Journal revela que os homens que fazem sexo com frequência vivem duas vezes mais do que os que raramente entram em ação.

1. Deixa o sêmen saudável
Se o casal está tentando engravidar, fazer sexo com frequência ajuda não só aumentando as probabilidades, mas melhorando a qualidade e o volume de sêmen. O sexo regular substitui espermatozoides velhos dos testículos. Se eles se acumulam, pode haver danos ao DNA. [MyScienceAcademy, foto de Pedro Simões]

Fonte: http://hypescience.com/16-razoes-para-fazer-sexo-diariamente/ - Por Natasha Romanzoti

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O Colégio Estadual Murilo Braga aprovou 39 alunos no Vestibular da UFS 2012

Foram aprovados 39 alunos do CEMB em diversos cursos no Vestibular da UFS de 2012, mostrando a competência de todos os que fazem a maior instituição de ensino do interior sergipano. Com certeza esta lista aumentará após as matrículas, por conta das desistências de muitos alunos aprovados de outros estados e alguns dos nossos alunos excedentes serão chamados para o preenchimento destas vagas. Confira a lista dos aprovados:

Alef Oliveira Santos – Sistema de Informação

Aline Vieira de Jesus – Ciências Biológicas

Ana Beatriz Silva Oliveira – Enfermagem

Andreza Santana Cruz – Matemática

Dara Santos Lima – Arqueologia

Deisiane dos Santos – Química

Dênisson Oliveira Passos – Química

Everton Lima da Paixão - Geografia

Fernanda da Silva – Enfermagem

Gabriel Siqueira Santos – Engenharia da Computação

Genivaldo da Silva Lima – Geografia

Gildete dos Santos Silva – Pedagogia

Gilvânia Tavares dos Santos – Química

Gislaine Brito Santos – Engenharia Química

Huankedson Souza Andrade - Matemática

Ivan Santos Machado – Geografia

Jacqueline da Cruz Santos – Matemática

Jacqueline Nunes do Nascimento – Ciências Biológicas

Kaic de Oliveira Barros – Sistema de Informação

Karen Cristina Ribeiro de Jesus – Ciências Biológicas

Keila Vasconcelos Menezes - Letras

Leonardo dos Santos – Ciências Contábeis

Lucas Andrade Santos – Fisioterapia

Lucimara Souza Menezes – Geografia

Maisa da Silva Rocha – Engenharia de Produção

Maria Tainá Santos Silva – Matemática

Mateus da Cunha Santos – Matemática

Neilton Andrade Santos – Ciências Biológicas

Rafael dos Santos – Letras

Rodrigo da Cunha Santos - Engenharia Química

Roseane dos Santos Paixão – Odontologia

Sindy Lorrany Reis – Enfermagem

Suzi da Conceição Romão – Letras

Tainane dos Santos – Química

Taís Caroline Souza Andrade – Química

Thyago das Chagas Lima – Geografia

Valmir dos Santos Machado – Física

Wesley Oliveira de Jesus – Educação Física


Parabéns aos alunos, professores, funcionários e Equipe Diretiva do CEMB por mais uma vitória.

Professor José Costa

Exercício físico: um remédio para doenças da pesada

A medicina não combate grandes inimigos da saúde só com pílulas. Hoje, suar a camisa é parte central no tratamento de sete dos dez males que mais matam no mundo

"Ficar sem se movimentar é um enorme risco. A cama mata", afirma Rui Curi, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), da Universidade de São Paulo. A frase é forte, mas não sem motivo - basta olhar a lista da Organização Mundial da Saúde (OMS) de problemas que mais enumeram vítimas para compreender sua seriedade. Isso porque no top 10 desse ranking encontram-se nada menos do que sete quadros possíveis de serem prevenidos ou ao menos controlados por meio da atividade física (veja abaixo). Mesmo assim, só 30% dos médicos americanos receitam movimentação constante em situações em que ela seria definitivamente benéfica. "O panorama no Brasil é semelhante", lamenta Renato Nachbar, educador físico do ICB.

Até por isso, a revista científica The Journal of Physiologypublicou um comentário sobre a hipótese de o sedentarismo ser, por si só, encarado como uma doença. "O bom é que ele tem cura: doses regulares de exercício físico dão conta do recado", comenta Michael Joyner, anestesiologista da Clínica Mayo, nos Estados Unidos, e autor do artigo. "Se recomendarmos mais desse medicamento natural, prescreveremos menos drogas para contornar vários transtornos, além de melhorar a qualidade de vida das pessoas", arremata.

Em 2011, o governo federal criou o Programa Academia da Saúde, que visa construir 4 mil polos para a prática de exercícios até 2014, além de já ter incorporado centros similares em vários estados. "Doentes crônicos que vão a esses locais podem diminuir a quantidade de medicamentos tomados", ressalta Alexandre Padilha, ministro da Saúde. Nas academias do Rio de Janeiro, 83% dos frequentadores passaram a ingerir menos remédios e 7% nem precisaram mais deles.

Já na iniciativa privada, a Companhia Athletica firmou uma parceria com o Hospital Samaritano, na capital paulista. A partir dela, indivíduos tratados nesse hospital com uma enfermidade em que suar a camisa acarrete benefícios ganham descontos e avaliações físicas e nutricionais nas unidades da rede de academias. "O médico recomenda especificidades para o educador físico e acompanha a evolução do paciente a todo momento", informa Patrícia Lobato, consultora da Companhia Athletica. "Parcerias assim oferecem um treino supervisionado e direcionado às limitações de cada um", completa Roberto Cury, cardiologista do Hospital Samaritano.

Se o exercício é remédio, dosá-lo é primordial. Confira a seguir seus efeitos nas mais temidas doenças do mundo e saiba o que importa, em cada caso, para que ele seja um medicamento, e não um veneno.

As principais causas de morte
Motivo Milhões de mortes/ano
1 Infarto * 7,25
2 AVC * 6,15
3 Infecções pulmonares * 3,46
4 DPOC * 3,28
5 Diarreia 2,46
6 Aids * 1,78
7 Câncer do trato respiratório * 1,39
8 Tuberculose 1,34
9 Diabete * 1,26
10 Acidentes de carro * 1,21

Fazer um esporte ajuda a tratar os problemas marcados com asterisco nesta lista perigosa.

Fatores de risco que mais matam

1 Alta pressão arterial *
2 Tabagismo *
3 Hiperglicemia *
4 Inatividade física *
5 Sobrepeso e obesidade *
6 Altos índices de colesterol *
7 Sexo inseguro
8 Consumo de álcool *
9 Subnutrição infantil
10 Inalação interna de combustíveis sólidos

O sedentarismo está em quarto lugar no ranking da OMS. Mas, se pensar bem, ele contra-ataca todos os itens com asterisco.

1º causador de mortes: Infarto

Tanto é fundamental se mexer para escapar do líder do ranking da OMS que o Instituto do Coração (InCor), em São Paulo, tem uma ala especialmente dedicada a deixar em forma indivíduos que já passaram por panes no peito. "Após o infarto, trabalhamos para recuperar a função cardíaca o mais rapidamente possível. Logo depois, iniciamos treinos que evitem novos eventos desse tipo", explica a cardiologista Patricia Oliveira, da Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício da instituição. No coração, a atividade física age em duas frentes. Primeiro, promove uma verdadeira faxina nas artérias, retirando de cena o LDL, aquele tipo de colesterol que financia a formação de placas nos vasos. Esses acúmulos gordurosos, se não domados, crescem até impedir totalmente o sangue de circular por lá. Ao mesmo tempo, a malhação colabora para manter as artérias jovens por um bom tempo (veja nos infográficos abaixo).

Recomendações Realizar atividades aeróbicas, como caminhada e ciclismo, cinco vezes na semana. E respeitar os sinais de cansaço.

2º maior causador de mortes: AVC

Garantir artérias saudáveis com a ajuda da esteira ou da bicicleta não resguarda só o músculo cardíaco. Afinal, se um dos canos que irriga a massa cinzenta perde sua flexibilidade ou fica tapado por uma placa de gordura - consequências típicas do sedentarismo -, certos neurônios não recebem os nutrientes vindos do sangue. É o começo de um derrame. Então, começam a definhar. "A atividade física ainda promove uma vascularização cerebral, proporcionando novos vasinhos na região, o que incrementa o abastecimento sanguíneo", destaca Ricardo Arida, neurofisiologista da Universidade Federal de São Paulo. E mesmo quem já sofreu com essa pane pode ao menos atenuar seus impactos no dia a dia se não ficar parado. "Em trabalhos recentes, observamos que o exercício, em animais, forma uma maior quantidade de células nervosas", revela Arida. Em certas situações, isso ajudaria na recuperação da coordenação ou mesmo na da cognição.

Recomendações Modalidades aeróbicas auxiliam a prevenir a encrenca. Se exigirem reflexos e decisões rápidas, melhor ainda!

3º maior causador de mortes: Infecções pulmonares

Uma parcela dos falecimentos por pneumonia acontece sem a chance de um tratamento. Porém, essa doença também vitima gente bem tratada e... acamada. "Sem movimentação, há um acúmulo de secreções no pulmão, um banquete para bactérias", diz o pneumologista Elie Fiss, da Faculdade de Medicina do ABC, na Grande São Paulo. Logo, em qualquer doença, a pessoa deveria tentar se mexer. Os exercícios ainda deixam nossas defesas mais eficazes. "Mas, em excesso, abalam a imunidade, fazendo surgirem infecções", avisa Tânia Curi, educadora física da Universidade Cruzeiro do Sul.

Recomendações Mover-se cinco vezes na semana. Evitar ambientes secos ou frios e não se esquecer da musculação.

4º maior causador de mortes: DPOC

Recomendações Fazer exercícios aeróbicos e de resistência ao menos duas vezes na semana, por meia hora apenas.

6º maior causador de mortes: Aids

"Em 1996, houve uma revolução nos medicamentos contra o HIV. Hoje, o principal risco para o soropositivo não são as infecções, mas sim as doenças cardiovasculares", estabelece Alex Antonio Florindo, educador físico da Universidade de São Paulo. Entre essas novas drogas figuram os inibidores de protease. "Essa classe de remédios, embora importante para barrar o vírus, interfere no metabolismo, elevando as taxas de colesterol e gordura e, portanto, a ameaça de um infarto", explica o pesquisador Luís Fernando Deresz, da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. E nem precisamos falar da capacidade dos exercícios de baixar esses índices.

Recomendações Os efeitos benéficos são mais observados se a atividade for regular - meia hora por dia, por exemplo. Deve-se ficar de olho na carga viral e no coração.

7º maior causador de mortes: Câncer do trato respiratório

"Ainda não há estudos que atestem o exercício como forma direta de prevenção a esse tumor", opina o pneumologista Gustavo Prado, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo. Mas, assim como em todos os tipos de câncer, o esporte é um aliado no tratamento, já que combate quatro complicações da doença: dor, fadiga, depressão e distúrbios do sono.

Recomendações Focar na flexibilidade e no treino de força para se blindar contra sintomas desse câncer.

9º maior causador de mortes: Diabete

Para entender a importância de suar a camisa entre os diabéticos, um grupo da escola de Ciências da Atividade Física, da Universidade de São Paulo, estudou o efeito do esporte em ratos com uma dieta cheia de açúcar. "O grupo de animais que comeu dessa maneira sem treinamento físico ficou diabético em seis semanas", relata a cientista Fabiana Sant’anna evangelista, autora do experimento. "Já os que se exercitaram, mesmo comendo mal, não desenvolveram a doença", completa. Os mecanismos por trás dessa benesse não estão totalmente desvendados, mas já há pistas. "O treino impede que o tecido adiposo cresça, freando processos inflamatórios que interferem no trabalho da insulina", aponta a pesquisadora. A resistência a esse hormônio é uma das principais chateações na vida de quem luta contra o diabete tipo 2.

Recomendações Os medicamentos devem ser dosados conforme o exercício. Consulte o médico.

Fotos Alex Silva | ilustrações Erika Onodera | produção Andrea Silva | objetos Centauro e Nato Medicina Fontes da reportagem: Marco Aurelio Moraes, Cardiologista do Instituto Nacional de Cardiologia, no Rio de Janeiro; Ivani Trombetta, Cardiologista do Incor, em São Paulo; Ciro José Britto, educador físico da Universidade Federal de Sergipe; Paulo Ivo Homem de Bittencourt Junior, Fisiologista da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; William Komatsu, educador físico da Universidade Federal de São Paulo; e Paulo Farinatti, educador físico da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

1º causador de mortes: Infarto

Limpeza geral | A: Durante a prática esportiva, o HDL - porção benéfica do colesterol - aumenta. Nas artérias, ele atrai o LDL, um dos principais patrocinadores das placas de gordura, e o retira dali. O LDL é então carregado até o fígado para ser quebrado. B: Também danoso para os vasos, esse tipo de gordura sai da corrente sanguínea bem ligeiro para gerar energia nos músculos durante uma sessão de movimentos.
Artérias tinindo | C: O exercício físico também faz com que o endotélio, a camada mais interna dos vasos, eleve a fabricação de óxido nítrico, substância que atua ali mesmo, na parede da artéria. D: O óxido nítrico dilata os vasos e faz com que eles fiquem mais oxigenados. Isso melhora a circulação e relaxa as artérias, deixando o risco de um infarto ainda mais distante.

Fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0356/medicina/exercicio-remedio-doencas-pesada-711447.shtml - por Chloé Pinheiro, Dalena Theron e Theo Ruprecht | design Laura Salaberry

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

15 dicas infalíveis para manter-se energizado sem tomar energéticos

Para aguentar o tranco das nossas rotinas desafiadoras, a maioria de nós investe no café e na pura determinação. Até cair no sofá, estuporado. Com tanta gente tendo que trabalhar mais e por mais tempo, falta de energia se tornou um problema comum.

Se seu ânimo anda baixo, confira uma série de estratégias que podem lhe ajudar a seguir seu dia a todo vapor:

Fique energizado a manhã toda

Trabalhando contra a energia matinal, há o fato de que a noite é basicamente um período de fome. À favor, há o fato de que os hormônios cortisol e testosterona estão no seu pico de manhã – e nos ajudam a seguir adiante.

O plano? Luz, ação, café da manhã.

1 – NÃO ATRASE O INÍCIO DO DIA
É tentador apertar o botão de “soneca” no despertador de manhã. Mas, se você cair no sono novamente, vai interromper o ciclo hormonal, e vai ser mais difícil seguir adiante. É melhor ajustar o alarme para quinze minutos mais adiante, e colocar o despertador do outro lado do quarto, um truque simples para se obrigar a levantar.

2 – DEIXE A LUZ ENTRAR
Natural ou artificial, a luz ajuda a otimizar o processo de despertar do corpo. Abra as cortinas ou acenda as luzes. Se puder escolher, use lâmpadas fluorescentes compactas “luz do dia” ou “branco frio”. Elas não são boas apenas para o meio ambiente, mas apresentam um brilho mais semelhante à luz natural, bem mais do que a luz amarelada das lâmpadas incandescentes.

3 – COMECE DEVAGAR
Saltar da cama direto para o ritmo frenético do dia-a-dia vai fazer com que você fique exausto logo de cara. Acorde 15 minutos antes que as crianças, tome um banho tranquilo e vista-se em um ritmo civilizado. E não verifique os e-mails antes da hora de lidar com eles.

4 – MEXA-SE
Não é do tipo que faz exercícios matinais? Talvez seja o caso de rever seu conceito de exercício. Segundo um estudo da Universidade da Geórgia, pessoas que fazem uma atividade aeróbica de baixa intensidade (como um passeio) três vezes por semana tem uma redução significativa nos níveis de fadiga, maior que pessoas que fazem exercícios intensos (como uma caminhada rápida em terreno inclinado) pelo mesmo tempo.
Se você geralmente fica se arrastando pela manhã, ou está exausto a maior parte do tempo, um exercício pesado pode ser mais desgastante que revigorante.

5 – COMA MAIS NO DESJEJUM
O café da manhã é importante. Se você come apenas um pão e um café, vai obter um estimulante rápido da cafeína e energia rápida dos carboidratos, mas esta é uma receita que também pode dar errado rápido. Experimente uma mistura de carboidratos não refinados (para lhe dar energia), além de proteínas e gorduras saudáveis (que levam mais tempo para digerir, mantendo um nível estável de energia). Por exemplo, ovos mexidos com uma tortilla de farinha integral, ou aveia com nozes.

6 – TRABALHE POR PARTES
Não se grude na cadeira – o corpo precisa de movimentos ocasionais para manter o oxigênio circulando. A maioria de nós não consegue ficar focado na mesma tarefa por mais de 90 minutos. Levante-se e vá conversar com os colegas, ao invés de ficar conferindo o e-mail, por exemplo. Ou pelo menos fique em pé ao atender o telefone.
Mantenha o ânimo durante a tarde
Se você se sente sem energia entre as 14h e 16h, então é oficial: você é humano. O pico hormonal da manhã está acabando, e muitas pessoas, depois de um almoço satisfatório, sentem-se sonolentas durante o resto da tarde, causas comuns de uma baixa no ânimo.
Comer de forma estratégica e um pouco de movimento vão te ajudar.

7 – TOME SEU MULTIVITAMÍNICO NO ALMOÇO
Além de tomar seu multivitamínico no almoço, considere a adição do complexo-B para um ânimo extra. As vitaminas dão um impulso à energia, assim como o café ou refrigerante. Mas você ainda precisa comer bem e de forma balanceada.

8 – NÃO TEMA OS CARBOIDRATOS
Salada verde com frango é ótimo, mas nada de carboidratos significa nada de energia. Coma também um pedaço de fruta, ou então acrescente feijão preto para ter carboidratos e proteína.
E evite alimentos muito ricos em gordura, para não sofrer o Efeito X-burguer: a soneira que vem depois de um almoço muito gordo. Um almoço cheio de gordura significa sangue mais denso e com menos oxigênio.

9 – SAIA UM POUCO
Se você é um dos 34% de empregados que almoça na sua mesa de trabalho, uma sugestão: a luz do sol aumenta o nível de vitamina D. Algumas pesquisas sugerem que, em quantias apropriadas, ela ajuda a manter os níveis de energia. Alguns especialistas suspeitam que a vitamina D ajude a regular o metabolismo e a secreção de insulina, ambos fatores que têm um impacto na energia.

10 – ALONGUE-SE
No meio da tarde, levante-se e faça movimentos circulares com os braços. Se você estiver em um cubículo, mesmo movimentos circulares com os calcanhares vão ajudar a circulação.

11 – RENDA-SE AO LANCHINHO
Um pouco de proteínas e fibras ajudam o acréscimo de açúcar no sangue a durar um pouco mais. Experimente a mistura de nozes, cereais ricos em fibras, sementes de linhaça, coco e pedaços de chocolate amargo.
Vença o cansaço do fim do dia
Você está no fim da reserva de hormônios energizantes. Ao mesmo tempo, a melatonina, que regula o sono, começa a aumentar. Mas você ainda tem coisas a fazer.

O objetivo: manter o ritmo sem se sobrecarregar.

12 – MANTENHA UM RITUAL DE TRANSIÇÃO TRABALHO-CASA
Um ritual de transição entre o ambiente de trabalho e a casa ajuda a focar a energia e aproveitar o início da noite. Uma ideia, por exemplo, é sair do trabalho mais cedo uma vez por semana para fazer uma corrida ou um treinamento. Nos outros dias, ouça música durante esta “transição”, ou então troque para roupas confortáveis antes da janta.

13 – O VINHO PARA RELAXAR VEM ANTES
Nas horas que precedem o sono, é melhor evitar o álcool – ele causa um sono agitado, que resulta em menos energia e foco no dia seguinte.

14 – VÁ PARA O SOFÁ COM UM OBJETIVO EM MENTE
Aconchegar-se no sofá e ficar navegando na TV pode aumentar a inércia. O melhor é apenas assistir um ou dois programas favoritos. Se você se sentir preguiçoso, faça um alongamento.

15 – COMPREENDENDO A FOME NOTURNA
Normalmente, ela significa que você está sonolento, não com fome. Você está mantendo o cérebro acordado por muito tempo e ele precisa de glicose para continuar funcionando.
Se quiser se manter acordado, faça um lanche leve e fácil de digerir, como meio iogurte grego com frutas ou um chocolate quente feito com leite de amêndoas e chocolate amargo pelo menos uma hora antes de dormir.

E, para ter um amanhã cheia de energia, todos os especialistas concordam que o melhor é uma boa noite de sono. [CNN Health]

Fonte: http://hypescience.com/15-dicas-infaliveis-para-manter-se-energizado-sem-tomar-energeticos/ - Por Cesar Grossmann