quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Livre-se das celulites antes da chegada do verão

Cremes, massagens ou dieta: escolha o melhor tratamento para o seu grau de problema

Com o verão chegando perto, o problema volta a assustar. A celulite incomoda a maioria das mulheres e não é à toa: os furinhos causam a maior vergonha. A celulite surge por conta de nódulos de gordura que se formam na região subcutânea. Eles impedem a oxigenação e a nutrição celular, causando o aspecto de casca de laranja na pele. As circulações sanguínea e linfática também ficam prejudicadas, afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo.

As alterações hormonais tornam as mulheres mais suscetíveis ao problema que, além do desconforto estético, pode trazer dor, inchaços nas pernas e problemas de ordem psicológica. Os tratamento estéticos, em geral, oferecem ótimo resultados. Mas todos eles precisam ser combinados a uma boa alimentação, prática regular de exercícios físicos e interrupção do tabagismo.

A Sociedade Brasileira de Medicina Estética estima que a celulite atinge oito entre cada dez mulheres ocidentais, deixando ondulações nas pernas, nas coxas, no bumbum e, às vezes, até na barriga. Se você é uma delas, acompanhe abaixo as dicas dos especialistas para chegar ao verão com a pele lisinha. 

Tratamentos para celulite

Celulite de grau 1 

Como é: ela só aparece quando você pressiona a pele. Surgem gominhos que lembram a casca de laranja.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite.
Como tratar: as alterações na dieta costumam surtir efeitos notáveis neste tipo de celulite. Evite bebidas gasosas (não só refrigerantes, mas água com gás também). Sal demais também é prejudicial, porque aumenta a retenção de líquidos e prejudica a circulação do sangue. Cremes à base de centelha asiática também fazem diferença, assim como as sessões de drenagem linfática. Faça, pelo menos, dez sessões seguidas (uma por semana). Mas não adianta drenar o corpo e comemorar num rodízio de pizza , afirma a fisioterapeuta Fernanda Elhiage, dona do Studio Conceitus.  

Celulite de grau 2

Como é: a aparência de casca de laranja é suave, mas salta aos olhos sem que haja necessidade de pressionar a pele.
Por que surge: alimentação gordurosa e com pouco líquido, sedentarismo e tendência genética favorecem esse tipo de celulite
Como tratar: além das mudanças na dieta, sessões de carboxiterapia são o melhor antídoto contra este tipo de celulite. O tratamento é dividido por área: o especialista injeta gás carbônico sob a pele, que é renovada. Você precisa de, pelo menos, dez sessões e já nota os resultados a partir da quinta aplicação. Há ainda outras opções de tratamento neste caso:

Massagem modeladora: quebra as moléculas de gordura que estão causando o problema. É seguida por uma drenagem, que elimina essa substância pela urina. A circulação sangüínea também é estimulada, evitando a formação de novas celulites. O mínimo de dez sessões é recomendado.

Eletrolipólise: o método usa agulhas que são estimuladas eletricamente para combater os furinhos. Com isso, há a quebra das moléculas de gordura e a melhora da circulação sangüínea. O mínimo de dez sessões é recomendado.

Celulites de grau 3

Como é: normalmente, as celulites de grau 3 provocam o famoso efeito casca de laranja e causam a sensação de peso nas pernas, além de atingir o bumbum. Surgem, principalmente, nas pessoas que sofrem com o sobrepeso.
Por que surge: o principal causador é o excesso de peso, agravado pelo sedentarismo.
Como tratar: só os tratamentos estéticos não fazem efeito nestes casos, que exigem também uma dieta rigorosa para controle do peso, além d exercícios físicos regulares.

Celulites de grau 4 

Como é: trata-se da mais grave de todas as celulites, provocando disformidade no contorno do corpo e está diretamente associada aos casos de obesidade.
Por que surge: a obesidade é o principal agente causador
Como tratar: você precisa aliar todos os métodos, incluindo dieta balanceada, exercícios físicos e massagens. Reduzindo o peso, os tratamentos começam a dar resultado mais rapidamente. 

Eficácia dos cremes anticelulite e tratamentos

Se a sua celulite é de grau 1 ou 2, os cremes ajudam a amenizar os furinhos. Eles possuem agentes desintoxicantes que melhoram a circulação linfática e têm ação redutora de medidas , afirma a esteticista Luisa Catoira, de São Paulo. No entanto, esses cremes não eliminam de vez a celulite, eles suavizam o problema. É importante cuidar da manutenção do tratamento: depois dos dois primeiros meses usando o produto duas vezes por dia, é preciso manter o uso pelo menos uma vez por dia, senão a celulite pode retroceder , recomenda a especialista. 

Alerta 

Estresse, abuso de bebidas alcoólicas, alterações hormonais, consumo de pílula anticoncepcional sem orientação e uso de roupas muito apertadas também agravam as celulites. 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Conheça os riscos do uso de anabolizantes e esteroides

Substâncias aumentam chances de câncer, diabetes, lesões no fígado, entre outros problemas quando utilizadas para emagrecimento e ganho de massa muscular

Estou vendo no dia a dia do consultório um aumento assustador do uso de anabolizantes para fins estéticos e de emagrecimento que prometem resultados rápidos como em um passe de mágica. 

Creio que muitos desavisados, na ânsia de conquistar um corpo perfeito, acabam buscando nos esteroides e anabolizantes uma alternativa para obter resultados mais rápidos. Eles não compreendem os enormes riscos que correm por usar fórmulas derivadas de hormônios sem nenhum tipo de indicação clínica. 

O estímulo exagerado que essas substâncias causam nos receptores de determinadas células levam a efeitos secundários desastrosos. Um desses estragos é a diminuição da produção de hormônios normalmente elaborados pelas nossas glândulas, pois o organismo interpreta o hormônio sintético como suficiente e passa a produzir níveis bem baixos, chamado na medicina como efeito feedback negativo. 

Esse efeito pode ocasionar em homens a atrofia de testículos, levando à impotência sexual e esterilidade, aumento da retenção de sódio, da pressão arterial, calvície, maiores riscos de câncer, diabetes e lesões no fígado muitas vezes irreversíveis.

Em mulheres pode levar à androgenização, crescimentos de pelos no rosto, aumento da secreção sebácea e da oleosidade da pele, surgimento de espinhas e engrossamento da voz, redução de mamas e interrupção da menstruação. Os riscos câncer, diabetes e lesões no fígado muitas vezes irreversíveis também são maiores. 

Em adolescentes as consequências são ainda mais devastadoras, pois comprometem o crescimento, o desenvolvimento sexual, a formação óssea, entre outras. Esses hormônios podem ser usados clinicamente, sendo prescritos por médicos para a reposição de um hormônio deficiente em alguns casos, e em geral, nesses casos, a orientação médica é a de uso em doses suficientes apenas para a regulação de uma disfunção específica. 

O que leva um profissional da saúde, médico, educador físico, fisioterapeutas e nutricionistas, a prescreverem e sugerirem tal tipo de conduta ou tratamento para fins estéticos é a de lotar sua clínicas e academias, visando lucros e ascensão. Como se fossem detentores de um tratamento super revolucionário, únicos com resultados rápidos e garantidos, deixando de lado todo o juramento que fizeram quando receberam seu diploma. No qual afirmaram que iriam dedicar seus conhecimentos em prol da manutenção da saúde e bem estar do paciente, não os colocando em risco por imperícia e conduta imprópria. 

Quanto maior é o tempo de uso destas substâncias, maior é o estrago. Pesquisa divulgada em 2007, já desatualizada, demonstrou que o perfil do usuário de anabolizantes não era o adolescente ou o atleta, mas sim, o homem com idade próxima aos 30 anos que busca o aumento da musculatura. 

Nos dias de hoje, vemos o uso indiscriminado dos anabolizantes com a finalidade de secar e trincar algumas partes do corpo de homens, mulheres e adolescentes, em diversas faixas etárias.  

Quanto vale sua saúde e qualidade de vida? Um verão? Existe sim uma evolução nos conhecimentos científicos, uma proposta da medicina no sentido de proporcionar a manutenção e melhora da saúde, sem mistérios e milagres de resultados rápidos. 

Hábitos e estilo de vida saudáveis vão levar você a conseguir resultados muito mais duradouros. A fabricação de super homens e mulheres maravilhas como padrão de saúde perfeita é totalmente errônea e fora do conceito de medicina preventiva, na verdade essa figura é uma bomba relógio ambulante, repleta de problemas clínicos e metabólicos. A prática está tão banalizada e vulgarizada que hoje a venda desse tipo de tratamento é feita por nomes, como kit músculo ou kit secar. 

A série de problemas que os usuários desses kits irão desenvolver, vão começar, cada dia mais, a serem divulgados. É o caso do cantor Netinho que teve um grave problema, quase chegando a óbito, ocasionado pelo efeito de doses continuadas de esteroides. 
Posso dizer, como clínico geral e nutrólogo, que o preço para ganhar músculos e secar através do uso de esteroides é altíssimo e que a relação de danos para a saúde é extensa e muitas vezes irreversíveis. 

Uma frase muito usada no interior do Brasil que reflete a saúde de quem utiliza esteroides na busca incansável e irresponsável do corpo perfeito é: Por fora bela viola, por dentro pão bolorento. 

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Fuja dos alimentos que aumentam o volume da barriga

Veja quais são os alimentos que você deve evitar para não ter desconforto e barriguinha saliente

A origem de uma barriga saliente tem diversas causas, como herança genética, alteração hormonal, retenção de líquido, excesso de peso e até má postura. “Uma conjunção inadequada de alimentos também pode levar à distensão abdominal. Fuja dos que podem formar gases, como feijão, frituras, pães, enlatados, comida gordurosa e com excesso de sal”, ensina Paula Cabral. Conheça os alimentos proibidos...

Pão branco e massas
Feitos com a farinha refinada, fornecem um carboidrato que leva à fermentação e produção de gases, provocando a distensão abdominal. Procure consumir pães e massas integrais, ricos em fibras.

Açúcar
A sacarose propicia o desequilíbrio da flora intestinal, fazendo que as bactérias benéficas diminuam e as prejudiciais proliferem, podendo levar à distensão. O excesso de açúcar também se transforma em energia de reserva e aumenta a quantidade de gordura abdominal. Controle o uso indiscriminado dele e, aos poucos, descubra como os alimentos têm um sabor natural agradável ou faça uso de adoçante à base de aspartame.

Bebida alcoólica
Aumenta a permeabilidade da mucosa do intestino, provocando o desequilíbrio da flora intestinal, o que pode levar ao aumento do volume abdominal.

Refrigerante
A quantidade de gás e açúcar ajuda a estufar a barriga. Prefira sucos de frutas naturais.

Feijão
Alguns carboidratos presentes no grão escapam da digestão e são metabolizados pelas bactérias presentes na parte baixa do trato digestório, podendo causar gases e flatulência. Mas eliminar totalmente o alimento da dieta não é uma boa opção, devido ao seu grande valor nutricional. Portanto, consuma moderadamente.

Repolho e Couve-flor
Esses vegetais são da família das brássicas, na qual estão presentes compostos sulfurados capazes de aumentar a produção de gases.

Laticínios
Para quem tem intolerância à lactose, o consumo pode gerar flatulência e diarreia. Escolha leite de cereais à base de quinoa e arroz; leite de sementes como gergelim e girassol; e de oleaginosas à base de amêndoas, castanha-do-pará e extrato de soja.

Produtos industrializados
Biscoito, refrigerante, macarrão pronto e embutidos contêm substâncias químicas capazes de sobrecarregar o fígado e a vesícula. Isso aumenta as chances de armazenar gordura, principalmente no abdome, pois nesta região temos mais receptores de insulina (que dão o comando para este armazenamento indesejado). Opte por frutas e alimentos naturais, integrais, sem corantes ou conservantes.

Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/dieta/nutricao/fuja-dos-alimentos-que-aumentam-o-volume-da-barriga/3449 - Texto: Carmen Cagnoni/ Adaptação Kelly Miyazato - Foto: Shutterstock 

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

7 maneiras de aliviar o calor em casa sem usar o ar-condicionado

O condicionador de ar, além de seu alto custo, pode aumentar o gasto de energia e até ser prejudicial à saúde; saiba como driblar o calor sem precisar dele

Quando chegam os meses quentes do ano, a primeira coisa que vem à cabeça é como enfrentar os dias e noites abafados, seja na rua, no carro, trabalho ou mesmo em casa.

Para driblar o calor excessivo, é comum que as pessoas invistam em aparelhos condicionadores de ar, uma vez que eles deixam o ambiente mais fresco quase imediatamente.

Entretanto, esse eletrodoméstico pode não ser a melhor opção. O alto custo do aparelho, aliado a um gasto maior de energia e aos malefícios que ele causa à saúde pedem que você utilize outras medidas, antes de correr à loja mais próxima para comprar o seu.

1 – Mantenha as cortinas fechadas durante o dia
As cortinas são parceiras importantes para não superaquecer sua casa no verão, isso porque elas bloqueiam a entrada excessiva de luz do sol. É melhor, portanto, mantê-las fechadas, para evitar um mini efeito estufa em casa.

2 – Faça o possível para manter o calor do lado de fora
Que tal investir em algum tipo de filme que possa refletir a luz solar para ser colocado nas janelas? Esse tipo de material vai manter sua casa isolada do calor causado pelos raios solares através da reflexão desses raios.

3 – O ar fresco da noite precisa ser mantido durante o maior tempo possível
À noite, normalmente, o ar costuma não estar tão abafado quanto durante o dia, por isso é fundamental utilizar esse período a seu favor. Quando o sol baixar e a brisa estiver mais fresca, portanto, abra todas as janelas e deixe o ar correr pela casa, fechando-as novamente antes que o dia amanheça e comece a esquentar novamente.

4 – Troque as lâmpadas incandescentes
Há alguns anos já vem se falando sobre as vantagens de trocar as lâmpadas incandescentes – também chamadas de lâmpadas “quentes” – por lâmpadas brancas, ou “frias”. Nos últimos tempos, inclusive, foi lançada no mercado a lâmpada de LED, ainda mais econômica e durável que as lâmpadas brancas convencionais. Essa troca também ajuda a diminuir o calor dentro de ambientes fechados, uma vez que as lâmpadas incandescentes geram muito mais calor que as demais.

5 – Use truques para umidificar o ar interno
Vale tudo para deixar o ar menos “seco”, principalmente na hora de dormir. Utilize recipientes cheios de água fresca em cada ambiente da casa – só tome cuidado caso tenha filhos pequenos, porque mesmo pouca quantidade de água pode ser o bastante para que uma criança se afogue. Outra boa opção é encharcar toalhas de banho e espalhá-las pela casa, no espaldar de cadeiras e nas portas dos armários, por exemplo.

6 – Condicione o ar você mesma
Um ventilador ligado com uma garrafa d’água congelada bem em frente é uma maneira simples e eficaz de fazer circular ar frio pelo ambiente, sem precisar ligar o condicionador de ar.

7 – Abuse das bebidas geladas e alimentos refrescantes
A hidratação é fundamental nos dias quentes. Bebidas geladas e alimentos frescos, como frutas e picolés de fruta, são boas opções para driblar o calor do corpo e permanecer mais confortável durante o verão.

Tabajara é campeã do 2º turno da copa O Saber de futsal masculino

A equipe Tabajara sagrou-se campeã do 2º turno da Copa O Saber de futsal masculino ao vencer na final Os caras por 6 a 2. Pela disputa do 3º lugar da competição, a equipe do Barcelona venceu Mega Men pelo placar de 4 a 3.

A grande final da copa será entre as equipes do Real Madrid e Tabajara, respectivamente campeã do 1º turno e 2º turno. A decisão do 3º lugar será disputada entre as equipes Barcelona e Os Caras. Os jogos serão realizados em 13 de Novembro, Quarta-feira, a partir das 17h30min, na quadra esportiva Emílio de Oliveira.

Classificação final do 2º turno da copa de futsal

Tabajara - 1º lugar

Os Caras - 2º lugar

Barcelona - 3º lugar
Mega Men

Professor José Costa

Final do 2º turno da Copa O Saber de futsal masculino 2013


domingo, 27 de outubro de 2013

Os benefícios da musculação

Há muitas opções disponíveis para trabalhar o condicionamento físico. Cada uma delas corresponde a diferentes necessidades e gostos. É possível optar entre exercícios de flexibilidade, como alongamento, exercícios aeróbicos, como caminhada ou ciclismo, e anaeróbicos, como musculação.

A musculação beneficia a saúde em muitos aspectos, pois contribui para o controle e a manutenção do peso, reduz o risco de diabetes e osteoporose, melhora a postura, a aparência e, portanto, a autoestima. O exercício com peso também regula o metabolismo, queimando mais calorias. Mas, por que esse exercício é tão bom? Basicamente, pelas seguintes razões:

1. Reduz a quantidade de calorias, carboidratos, proteínas e gordura que consumimos: um estudo do Journal of Sports Science & Medicine concluiu que a resistência física aumenta a capacidade do organismo de digerir alimentos, estabiliza a taxa de açúcar no sangue e ajuda a aumentar a sensação de saciedade.

2. Fortalece: a musculação faz com que as articulações fiquem mais firmes e os tendões e ligamentos mais espessos. Isso permite mais liberdade para executar ações do dia-a-dia, às vezes difíceis, como subir escadas íngremes.

3. Permite viver mais: a musculação reduz os risco de acidentes vasculares cerebrais (AVC) e ataques cardíacos, especialmente se praticada regularmente. Ao mesmo tempo, aumenta a frequência cardíaca, o que leva oxigênio e outros nutrientes aos músculos.
Quais são as formas de musculação?

Talvez a mais famosa atualmente seja o Body Pump. Consiste em aulas de musculação em grupo, realizadas com acompanhamento musical. São utilizadas barras com pesos ajustáveis de acordo com a força e a aptidão física de cada praticante.

Existem 10 séries que exercitam diferentes grupos musculares simultaneamente (aquecimento, agachamento, musculação da área do tórax e das costas, etc.). As aulas têm um formato padrão que é alterado a cada três meses. O programa de exercícios tem a mesma estrutura em cerca de quatro mil academias de 14 países da América Latina, entre eles México, Brasil, Argentina e Colômbia.

Outras formas de musculação são o sistema livre e com apoio de equipamento. Muito se tem debatido sobre qual deles é o mais eficiente, mas o primeiro costuma ser vitorioso por não obrigar o praticante a ficar sentado durante o exercício, permitindo que este se movimente e utilize mais músculos como, por exemplo, os estabilizadores (abdômen e costas). Além disso, a postura é mais solta e não fica restrita à estrutura de um equipamento, permitindo que os músculos se movimentem de maneira natural.

Finalmente, a musculação com peso livre é muito mais barata e compacta, exigindo apenas pesos e halteres, ao contrário de um equipamento que requer mais investimento e espaço. Em ambos os casos, sempre é necessária a ajuda de um profissional para controlar a postura correta e o peso que deve ser usado em cada exercício.

Qual deve ser a frequência dos exercícios?
O ideal é praticar de três a cinco vezes por semana. Isso é o bastante para perder peso e tonificar os músculos, e ainda permite que o corpo se recupere entre uma sessão e outra. É importante respeitar a fase de aquecimento e alongamento antes e depois do exercício.

sábado, 26 de outubro de 2013

Oito dicas para cuidar da voz

Beber pouca água, ar condicionado e temperos podem prejudicar as cordas vocais

Rouquidão, dor na hora de falar, aspereza e garganta coçando. Muita gente não leva a sério e acha que cuidar da voz é coisa de quem canta ou trabalha falando o dia inteiro, porém, a "saúde vocal" ou "higiene vocal", como os médicos chamam, é essencial para o aparelho fonador de qualquer pessoa e alguns pequenos cuidados garantem que suas cordas vocais fiquem sempre saudáveis.

"Geralmente, as pessoas procuram um profissional quando o problema já está em um estágio mais avançado. O ideal é prestar atenção nos sinais que a voz nos dá. Ficar rouco com frequência, sentir dor, dificuldade na hora de falar ou viver com a garganta coçando são sinais de que algo vai mal", explica a fonoaudióloga Thays Vaiano.  

Como funciona a voz

Os sons que emitimos são, em sua maioria, produzidos pelas cordas vocais. Localizadas na laringe, elas constituem um tecido musculoso com duas pregas.

Quando falamos ou cantamos, o cérebro envia mensagens pelos nervos até os músculos que controlam a aproximação das cordas vocais e fazem com que se forme um espaço estreito entre elas.

Ao expulsar o ar por elas, provocamos sua vibração, o que faz com que ocorra a produção do sons. Por serem elásticas, elas distendem ou relaxam de acordo com a intensidade do esforço que fazemos na hora de falar ou cantar, por exemplo. Para que este processo aconteça, usamos orgãos como lábios, a língua, os dentes, o véu palatino e a boca, que acomodam, modalizam e distribuem o ar e os sons. 

Extensão vocal

A frequência natural da voz humana é determinada pelo comprimento das cordas vocais. Assim, mulheres que têm as pregas vocais mais curtas possuem voz mais aguda do que as que têm pregas vocais mais longas. É por esse mesmo motivo que as vozes das crianças são mais agudas do que as dos adultos.

A mudança de voz costuma ocorrer na puberdade e é provocada pela modificação das pregas vocais que de mais finas mudam para mais grossa. Este fato é especialmente relevante nos indivíduos do sexo masculino.

O comprimento e a espessura das cordas vocais determinam tanto para o sexo masculino como para o feminino, a extensão vocal da pessoa. "Quando você muda o tom de voz para mais ou menos alto, altera o esforço que faz nas cordas vocais e isso as prejudica. Como toda musculatura, ela precisa ser treinada e fortalecida com exercícios e muito cuidado, senão, um dia a voz pode falhar", explica Thays.  

Problemas ocasionados pela falta de cuidados com a voz

- Nódulo ou calo nas cordas vocais: 70% dos casos de distúrbios na voz são representados pelos calos nas cordas vocais. Parecidos com os que se formam nos pés, eles aparecem em função do atrito causado pelo contato direto e frequente entre as cordas vocais, formando uma camada dura e resitente que compromete o tom de voz e incomoda na hora de falar. "Como o paciente não sente dor, não se dá conta de que se trata de um problema. Só dá para perceber se a rouquidão ou outra irritação se tornar um sintoma frequente", explica a Thays. "A notícia boa é que o mal tem cura e basta terapia para amenizar o problema, porém, não adianta nada fazer terapia e depois cometer os mesmos erros. Cuidar da voz é uma questão de condicionamento físico. Ela precisa estar forte para aguentar as variações do dia a dia", continua a fonoaudiologa.

-Pólipos: " trata-se de uma espécie de bolhinha que estoura nas cordas vocais, também em função de um esforço maior do que a musculatura pode aguentar, porém, sua gravidade é maior e só é possível tratá-los com cirurgia de remoção", explica.  

Dicas para blindar a sua voz

1.Evite o cigarro: a nicotina associada ao calor da fumaça resseca as cordas vocais fazendo com que você fique rouco ou force ainda mais a musculatura para falar.

2.Não tome muito café: o teor de cafeína associado à alta temperatura é um problema. "Assim como o cigarro, a bebida desidrata as cordas vocais, além disso, provoca um aumento da acidez no estômago causando refluxo e ardor na hora de falar", diz a fonoaudióloga. 

3.Bebidas alcóolicas esquentam a voz? Isso é mito. O que acontece é que o álcool, assim como substâncias como propólis, não esquentam a garganta. Na verdade, eles ansestesiam a região por alguns minutos mas, quando o efeito passa, o problema continua e, para driblá-lo, fazemos ainda mais esforço. "Se você está com dificuldades para falar ou com rouquidão, é um indicativo de que algo vai mal e estes truques não vão resolver", continua ela.

4.Gelado faz mal? a especialista diz que não há nada científico comprovando que o gelado prejudica as cordas vocais. "Isso varia de pessoa para pessoa e cada um deve ter essa percepção", sugere Thays.  

5.Fuja do ar condicionado: além de comprometer as cordas vocais, ele altera a respiração, fazendo com que a voz fique ainda mais prejudicada. "Ele resseca o aparelho fonador, e as cordas vocais precisam fazer um esforço muito maior para produzir o mesmo som que produziria sem tanta dificuldade se não estivesse exposta ao ar condicionado", explica Thays.

6. Nada de muitos condimentos na comida: eles deixam a comida bem mais saborosa mas, em compensação, podem provocar irritações nas cordas vocais e nem sempre um bom gole de água alivia o problema. Por isso, é melhor não exagerar.  

7.Invista na maçã: a fonoaudióloga explica que a fruta tem ação adistringente e, por isso, "limpa" as cordas vocais trazendo alívio e bem-estar.

8. Beba muita água: nada pode ser mais benéfico para as cordas vocais do que a hidratação. Elas ficam mais limpas e saudáveis para que você enfrente qualquer situação sem precisar de um tradutor de última hora.

Para quem trabalha com a voz

Cantores, atores, contadores de histórias, guias. Essa turma depende da saúde da voz para exercer seu trabalho de forma eficiente."Costumo recomendar um personal fono para estes profisionais. Você começa com alguns exercícios suaves e específicos e, com o tempo, aumenta o treino até deixar a musculatura em ordem", conta a fonoaudióloga.

"O ideal é que aprendam a não concentrar a força no pescoço, pois é esta força cervical que compromete o aparelho fonador. Técnicas de respiração e articulação ajudam muito", continua. 

Exercícios em casa

Existem exercícios simples para se fazer no dia a dia, porém, executá-los de maneira incorreta pode caussar o efeito contrário, por isso, segundo ela, o certo é primeiro procurar um profissional e, só depois, começar os exercícios adequados para você. "Uma boa opção é a vibração de língua, que já faz diferença e não te contra-indicação, desde que feita direitinho", finaliza. 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Previna-se de 10 ameaças à saúde cardiovascular feminina

Tratar apneia do sono e até se proteger de DSTs garantem coração saudável

São seis os principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, hipertensão, obesidade, sedentarismo, tabagismo, diabetes e colesterol elevado. E o que era preocupação quase que exclusiva do público masculino também começa a ameaçar o sexo oposto. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a incidência de infarto em mulheres tem crescido e deverá passar a de homens em poucos anos. Além disso, um estudo publicado pela Associação Médica Americana aponta que mulheres de 45 anos correm um risco 30% maior de sofrer um infarto sem dor no peito do que os homens.

Para mudar o quadro atual das estatísticas apresentadas pela Organização Mundial da Saúde, que mostra doenças cardiovasculares como principal causa de morte entre as mulheres, ficando acima de problemas como câncer de mama, listamos ameaças pouco conhecidas ao coração feminino. Mergulhe de cabeça no vermelho e proteja-se: 

Enxaqueca
Como se não bastasse as frequentes dores de cabeça, mulheres que sofrem de enxaqueca também apresenta um risco elevado de doenças cardiovasculares. Um estudo publicado pela Academia Americana de Neurologia aponta, inclusive, que o risco pode ser maior até se comparado ao de mulheres com diabetes e tabagistas. Para chegar à conclusão, foram acompanhadas 27.860 mulheres por 15 anos. No período, foram registrados 1.030 casos de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) ou morte por algum problema cardiovascular. A conclusão? A enxaqueca foi o segundo fator de risco que contribuiu para algum desses eventos, ficando atrás apenas da hipertensão e à frente do diabetes, do tabagismo e da obesidade. Ao tratar o problema, entretanto, os riscos diminuem.

Estresse
"O estresse é extremamente prejudicial ao organismo, pois promove a liberação de substâncias inflamatórias que, em longo prazo, aumentam o risco de problemas cardiovasculares", aponta o cardiologista Orlando. Isso é o que confirma um estudo publicado na revista PLoS ONE que acompanhou 22 mil mulheres durante 10 anos. Aquelas consideradas muito tensas tinham um risco 40% maior de sofrer ataques cardíacos fatais e 67% de sofrer um ataque cardíaco não-fatal do que as mulheres menos estressadas. Para o cardiologista, uma característica feminina que favorece o problema é a dupla jornada a qual grande parte delas precisa se submeter, trabalhando e cuidando da casa e dos filhos.

Alimentos de alto índice glicêmico
Não é só a gordura saturada que é vilã do coração. Uma pesquisa da Fundação Nacional do Câncer de Milão, na Itália, descobriu que o consumo exagerado de carboidratos pode duplicar o risco de doenças cardíacas em mulheres. O nutrólogo Roberto explica: "alimentos de alto índice glicêmico promovem grande liberação de insulina no sangue, hormônio que, quando em níveis elevados estimula processos inflamatórios que degradam os vasos sanguíneos". O mesmo problema afeta mulheres que não abrem mão de bebidas com adição de açúcar, como aponta um estudo feito pelo Centro de Saúde da Universidade de Oklahoma, nos Estados Unidos.

Apneia do sono
"A apneia do sono caracterizada pela interrupção da respiração durante o sono é um problema crescente e que favorece alterações metabólicas extremamente perigosas para a saúde cardiovascular", aponta o cardiologista Orlando Otávio de Medeiros, presidente do Departamento de Cardiologia da Mulher da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Tais alterações levam, entre outros problemas, ao desenvolvimento de doenças como o diabetes. O problema é destacado em um estudo publicado no periódico Annals of Internal Medicine, que acompanhou 1.116 mulheres. A pesquisa mostrou maior taxa de mortalidade cardiovascular entre aquelas que sofriam de apneia. Neste caso, a prevenção, de acordo com o especialista, começa com a realização da Polissonografia, exame que monitora o sono do paciente para entender a gravidade da doença.

Frituras
O peixe é conhecido por ser amigo da saúde cardiovascular, graças ao ômega 3, ácido graxo poli-insaturado que realiza uma faxina nas artérias evitando a formação de placas e ainda controla as taxas de colesterol no sangue. O modo de preparo do alimento, entretanto, pode torná-lo um vilão. Isso é o que mostra um estudo publicado no periódico Circulation: Heart Failure. Depois de acompanhar o diário alimentar de mais de 84 mil mulheres, pesquisadores concluíram que aquelas que consumiam peixes grelhados apresentavam menor risco de desenvolver doenças cardíacas do que as que ingeriam mais peixe frito. De acordo com o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, quando o óleo é submetido a altas temperaturas produz substâncias inflamatórias que prejudicam os vasos sanguíneos, favorecendo infartos e derrames. Assim, prefira optar não só por essa carne magra, mas também pelo tipo grelhado, protegendo seu coração em dobro.

HPV
Doença sexualmente transmissível que aumenta o risco de câncer de colo de útero, o HPV também parece ser uma ameaça ao coração feminino. A descoberta, que faz parte do Women's Health Initiative Observational Study, aponta que o vírus pode atuar como modificador de genes ligados à saúde cardiovascular. "Algumas viroses tendem a prejudicar o metabolismo de gorduras no corpo, favorecendo a aterosclerose, que é o endurecimento das artérias", explica o cardiologista Orlando. Com o tempo, o fluxo sanguíneo por esses vasos vai diminuindo, o que pode culminar em um ataque cardíaco. Para se prevenir da DST, especialistas recomendam não só o uso da camisinha como também a vacinação contra o vírus.

Suplementos de cálcio
Com a menopausa, caracterizada pela queda de estrogênio no organismo, aumenta o risco de desenvolvimento da osteoporose, o que faz com que muitas mulheres recorram a suplementação de cálcio. Entretanto, um estudo divulgado no British Medical Journal mostra que os suplementos podem ser uma ameaça ao coração feminino. "A ingestão de cálcio por meio da dieta ocorre em pequenas quantidades, diferente da suplementação, que fornece grandes quantidades do nutriente de uma só vez", explica o nutrólogo Roberto. O resultado disso é uma possível calcificação dos vasos e crescimento das placas de gordura, podendo levar ao entupimento de uma artéria. O especialista recomenda, portanto, que um bom profissional seja consultado para avaliar a necessidade de incluir a suplementação na alimentação e, se confirmada, a quantidade a ser ingerida.

Artrite
Embora pareçam problemas distantes, a artrite e as doenças cardiovasculares parecem ter uma relação bastante próxima. Um estudo apresentado no Congresso Anual da Liga Europeia Contra o Reumatismo descobriu que quem sofre da doença apresenta seis vezes mais chances de sofrer um ataque cardíaco. A doença, que afeta principalmente o público feminino, é conhecida por desencadear processos inflamatórios no organismo que, possivelmente, afetam os vasos sanguíneos. "A doença favorece o surgimento de placas de gordura nas artérias, fazendo com que fiquem endurecidas, o que reduz o fluxo sanguíneo", explica o cardiologista Orlando.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

13 chaves para uma vida mais calma

Estamos freneticamente ocupados em lidar com as coisas que nos fazem sentir freneticamente ocupados; a vida moderna resulta em tarefas que nos sobrecarregam, bagunça que consome nossos lares, detalhes pessoais e profissionais que preocupam nossas mentes. Para resolver tudo isto, a receita é simples: procurar solucionar os pequenos problemas que podemos, e deixar os outros seguirem seu curso.

Limpe sua agenda

Todos temos a tendência de abraçar o mundo, achando que podemos dar conta de tudo. Confundimos um excesso de tarefas com produtividade.

Mas não somos tão bons como pensamos. A capacidade das mulheres de lidar com múltiplas tarefas (embora elas sejam melhores que os homens nisso), por exemplo, cai durante a ovulação, período em que os níveis de estrogênio são mais altos.

E a tecnologia nem sempre nos ajuda a ser mais produtivos, já que temos uma tendência a ficar mais tempo do que o necessário fazendo coisas como trocar e-mails em nossos smartphones — mesmo que não sejam importantes, ou que isso pudesse ser feito mais tarde, ou até mesmo ignorado.

Para fazer a limpeza nos seus compromissos, você só precisa tomar algumas atitudes simples.

Determine o que está consumindo o seu tempo. Durante um dia, a cada duas horas, anote exatamente o que você acabou de fazer, incluindo coisas como “ler as atualizações do Facebook durante meia hora” ou “digitalizar catálogos por 15 minutos depois de abrir o e-mail”. Você vai começar a ver que tem períodos de tempo que você não está aproveitando como poderia.

Pare de aceitar todas as tarefas. Normalmente, achamos que se aceitarmos novas tarefas, encontraremos tempo para elas, mas isto é autoengano. Experimente, em vez de aceitar de cara, dizer “deixe-me pensar como eu poderia fazer isso”, e então analise se você realmente pode fazer o que estão solicitando.

Tenha um plano. A maior parte das listas de “tarefas a fazer” não esclarecem, exatamente, como elas serão executadas, e as tarefas acabam parecendo maiores que são. Experimente anotar a maneira de fazê-las.

Vá e faça. Siga a regra dos dois minutos: se algo pode ser feito em dois minutos, vá em frente e faça-o. Você vai perder mais tempo pensando duas vezes nesta tarefa do que fazendo-a da primeira vez que pensa nela.

Considere as recompensas. Dentre os teus compromissos, devem haver alguns que te deixam mais disposto, e outros que te esgotam. Para todas as tarefas e compromissos que te esgotam, descubra quais recompensas você pode tirar deles e como aproveitá-las.

Limpe sua bagunça

As coisas vão se acumulando com o passar do tempo, normalmente por que não temos certeza se é a hora certa de nos livrarmos delas. E isso cria ansiedade, principalmente nas mulheres.

Quando você se livra do acúmulo de coisas e limpa o seu ambiente, também fica propenso a se livrar do acúmulo no seu próprio corpo, e a se remodelar.
Os passos para se livrar do acúmulo de coisas também são simples.

Pense pequeno. Pequenos atos de limpeza acabam desembocando em grandes atos de organização. Não pense em organizar toda a cozinha, por exemplo; se concentre em uma coisa de cada vez, como as caixas plásticas que estão começando a tomar conta dos armários.

Seja regular. Dedique-se a uma tarefa. Tenha um compromisso de, por exemplo, 10 minutos por dia, ou algumas horas durante vários fins de semana, e seja consistente e atento: desligue o celular e outras fontes de distração.

Decida o que é importante e o que pode ser descartado. Antes de começar a colecionar qualquer coisa, pergunte-se “se tudo fosse roubado, o que eu vou sair para comprar no dia seguinte?”.

Programe a coleta. 40% das pessoas que fazem limpezas acabam nunca retirando as coisas de suas casas. Agende uma coleta de doações de roupas usadas ou de móveis usados antes mesmo de começar a selecionar o que você não precisa mais.

Limpe sua mente

Não só as pessoas tem muita coisa para pensar no presente, como estão preocupadas com o futuro. Novamente, isso é especialmente verdade para as mulheres.
As preocupações atrapalham a concentração e a memória. Limpar sua mente é fundamental.

Elimine os pensamentos que incomodam. Os psicólogos falam do efeito Zeigarnik, que leva o nome de sua descobridora, a psicóloga Bluma Zeigarnik, que notou que os garçons conseguiam lembrar mais facilmente os pedidos incompletos que os que já foram servidos. O estudo que se seguiu mostrou que as pessoas têm 90% mais probabilidade de lembrar tarefas incompletas que as que já foram terminadas. Para parar de se preocupar com uma tarefa, basta dizer a seu cérebro que ela está completa.

Controle o que for possível. Quando tiver uma tarefa complexa, dedique-se ao que pode ser completado primeiro, como, por exemplo, terminar a introdução da apresentação em vez de ficar ruminando a formação da apresentação inteira. Isto vai ajudar a diminuir a ansiedade, e dar uma sensação de bem-estar em relação ao presente.

Faça alguma coisa prática. Seja limpar o jardim, amassar pão ou fazer algum artesanato, sempre que nos concentramos em algo tangível, paramos de pensar em coisas hipotéticas ou teóricas.

Gradue a perfeição em uma curva. Para todo, mundo chega o ponto em que a perfeição não é mais o que costumava ser. Adapte-se a isto. Aprenda a dividir responsabilidades, decida qual o esforço que você pode dedicar às suas tarefas (e então as execute). Você vai ver que tudo vai ficar bem. [CNN Health.com]

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Exercícios físicos ajudam as crianças a se saírem melhor nos estudos

Uma pesquisa da Universidade de Illinois (EUA) concluiu que crianças fisicamente aptas absorvem e retém novas informações de forma mais eficaz do que crianças que estão fora de forma.

O novo estudo afirma que a educação física é uma matéria importante que não deve ser negligenciada pelas escolas.

Todos sabem que a atividade física pode ter efeitos muito positivos na saúde. Também, outros estudos já ligaram o exercício físico a melhor desempenho acadêmico ou cognitivo.

No entanto, até agora, nenhum estudo tinha examinado especificamente se e de que forma a aptidão física podia afetar a forma como as crianças aprendem.

Os pesquisadores recrutaram um grupo de meninos e meninas entre 9 e 10 anos de idade e testaram sua capacidade aeróbica em uma esteira. Depois, pediram que 24 dos mais aptos e 24 dos menos aptos trabalhassem em tarefas de memorização difíceis.

A aprendizagem é, evidentemente, um processo complexo que envolve não só receber e armazenar informação sob a forma de memória, um procedimento conhecido como codificação, mas também recordar essa informação mais tarde. Informações que não podem ser recuperadas não foram realmente aprendidas.

Estudos anteriores sobre estilos de aprendizagem têm mostrado que a maioria das crianças aprende mais facilmente se são testadas enquanto estão no processo de aprender. Com efeito, se forem interrogadas enquanto memorizando, elas se lembram com mais facilidade da informação. Memorização em linha reta, sem reforço intermitente durante o processo, é mais difícil.

Os pesquisadores optaram por utilizar ambas as abordagens à aprendizagem no estudo ao fornecer às crianças iPads nos quais vários mapas de terras imaginárias tinham sido carregados. Os mapas foram demarcados em regiões, cada uma com um nome de quatro letras. Durante uma sessão de aprendizagem, as crianças viram esses nomes no seu lugar por seis segundos. Em seguida, eles apareceram no mapa na sua posição correta mais seis vezes, enquanto as crianças tentavam memorizá-los.

Em uma sessão de aprendizagem separada, os nomes das regiões apareceram no mapa no seu local adequado, e em seguida foram transferidas para as margens desse mapa. As crianças foram convidadas a tocar em um nome e combiná-lo com a região correta, e repetirem o processo até todos os nomes estarem nos locais certos, fazendo com que aprendessem conforme tentavam memorizar.

Um dia depois, todas as crianças voltaram para o laboratório e foram convidadas a rotular corretamente as regiões dos diferentes mapas. Elas apresentaram desempenho semelhante quando tiveram que recordar nomes no mapa que memorizaram através de tentativas.

Mas, no mapa que envolveu o tipo mais difícil de aprendizado – memorização sem testes intermitentes – as crianças que estavam em melhor condição aeróbica significativamente superaram o grupo menos apto, lembrando-se cerca de 40% dos nomes das regiões com precisão, em comparação com apenas 25% no outro grupo.

Isso sugere que altos níveis de aptidão física têm o seu maior impacto nas situações mais difíceis que as crianças enfrentam intelectualmente. Quanto mais difícil é aprender alguma coisa, mais a aptidão física pode ajudar a criança.

Ao demonstrar a importância da aptidão física, o estudo sutilmente reforça a importância da educação física e programas de atividade física semelhantes nas escolas, já que isso pode ampliar a capacidade dos alunos de aprender.

Segundo Charles Hillman, um dos autores do estudo, as crianças deveriam se envolver em “pelo menos uma hora por dia” de atividade física vigorosa. Escolas, onde elas passam muitas horas de seu dia, fornecem o lugar mais lógico e plausível para isso.

Ou, como ele e seus coautores observam no estudo: “Reduzir ou eliminar educação física nas escolas, como é feito muitas vezes em momentos de crise financeira, pode não ser a melhor maneira de garantir o sucesso educativo entre os nossos jovens”.

No Brasil, a lei nº 9.394/96 estabelece a educação física como um componente curricular obrigatório da educação básica, embora sua prática seja facultativa a alunos em determinadas situações. Isso na teoria. Na prática, existe uma “cultura de isenção” da educação física em muitas escolas.

Além disso, a atual Lei de Diretrizes e Bases para a Educação não determina a carga horária das disciplinas nas escolas, mas um projeto do Senado brasileiro quer estabelecer o mínimo de 2 horas semanais para a educação física – o que, como mostra o estudo, pode não ser suficiente – e não só pela questão acadêmica, mas também levando-se em conta a epidemia da obesidade que atinge cada vez mais jovens. [NYTImesTerraMEC]

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Como ficar cheirosa sem usar perfume

É possível ter um cheiro agradável mesmo sem precisar recorrer às fragrâncias industrializadas, veja dicas e produtos que vão te ajudar nessa missão

Quando pensamos em uma pessoa cheirosa, a primeira coisa que vem à mente é o perfume. Afinal, existe algo mais marcante do que alguém que quando passa e deixa aquele aroma gostoso de perfume no ar?

Entretanto, os perfumes não são o único recurso do qual podemos nos valer para termos um cheirinho bom na pele, no cabelo e nas roupas. Investir em produtos com uma fragrância que se destaque e se assemelhe aos perfumes é a opção para quem não gosta de perfumes ou que tem alergia às substâncias presentes neles.

Veja a seguir alguns dos itens que você pode encontrar em lojas de cosméticos, supermercados e farmácias que são aliados de quem gosta de estar sempre com um cheiro bom mesmo sem usar perfume.

1. Hidratante
Os hidratantes corporais tem uma função básica: deixar a pele macia e hidratada, com aspecto saudável. Enquanto alguns são sem fragrância, outros possuem um cheiro incrível que deixa a pele muito perfumada. Por serem cremosos, eles aderem bem à pele e o aroma dura o dia inteiro.

2. Óleo corporal
Os óleos são a versão mais “poderosa” do hidratante, pois hidratam até mesmo as peles mais secas, deixando-as sedosas. Em geral, os óleos corporais possuem fragrâncias fortes e marcantes, sendo assim uma boa opção para quem prefere não usar perfume e ainda ficar com a pele macia. Estes produtos, no entanto, não são indicados para peles oleosas.

3. Sabonete líquido
Os sabonetes em barra costumam ter aromas mais sutis, normalmente tem aquele cheirinho de banho, de limpeza. Já os sabonetes líquidos possuem versões com mais cheiro de perfume do que de sabonete, o que os torna uma boa alternativa para usar em vez do perfume. Troque o sabonete em barra pelo líquido e perceba a diferença.

4. Aromatizante de roupas
Outra maneira de estar sempre cheirosa mesmo sem perfume é usando aromatizadores nas roupas. Depois de secas, borrife levemente sobre elas e guarde. Além de você, o guarda roupa também ficará cheiroso. Se preferir, você pode fazer o seu próprio aromatizador de roupas caseiro. Investir em um bom amaciante também vai deixar suas roupas cheirosas e você vai exalar um aroma bom por onde passar.

5. Xampu e condicionador
Que mulher não gosta de mexer nos cabelos e sentir aquele cheiro bom de xampu? Optar por produtos para o cabelo com fragrâncias marcantes permite que você deixe aquele rastro delicioso de cabelo limpo por onde passar. Além dos xampus e condicionadores, os produtos leave in e os sprays também costumam ter opções com fragrâncias agradáveis, por isso vale a pena sempre experimentar o cheiro dos produtos antes de levá-los para casa. Assim, você garante cabelos sempre cheirosos.

6. Maquiagem com cheiro

Atualmente já existem no mercado diversas linhas de maquiagem com cheiro. Há quem goste e há quem não goste de usar produtos aromatizados, por isso, é importante experimentar e descobrir se essa é uma opção válida para você. Produtos como gloss e batom são os que mais possuem versões com cheiro, mas é possível encontrar todo tipo de maquiagem com cheiro hoje em dia.

7. Esmalte com cheiro
Além da maquiagem, você pode apostar também nos esmaltes aromatizados para ficar com as mãos cheirosas. Em geral, o aroma do produto vai saindo conforme o tempo, mas dura mais do que um dia nas unhas.

6 dicas para ficar cheirosa mesmo sem passar perfume

Se você tiver uma banheira, use sais de banho com seu aroma favorito, assim o cheiro penetra na pele e você fica o dia todo sentindo o aroma no seu corpo;

Ao lavar o cabelo, aplique o xampu e enxague 2 vezes sempre, isso fará com que o cheiro dele pegue mais no cabelo;

Prepare um banho para os pés com água morna e sais de banho, além de relaxar, seus pés ficarão com um cheiro agradável;

Tenha sempre um frasco de hidratante para as mãos na sua bolsa, assim, quando você achar que o seu perfume ou o cheiro do hidratante já foi embora, aplique o produto nas mãos e sinta-se cheirosa novamente;

Lembre-se que ao ingerir alimentos como alho e cebola, o cheiro forte deles é exalado pelo nosso corpo, no suor e isso pode deixar um cheiro desgradável no corpo. Apesar disso, são alimentos saudáveis, essenciais no dia a dia, então não deixe de consumi-los, mas em dias especiais que quiser ficar cheirosa, evite sua ingestão em excesso;

Aplique hidratante ou óleo no corpo após o banho morno, pois desta forma o produto será melhor absorvido pela pele enquanto os poros estão mais “abertos” e o cheiro se prolongará o dia todo.

Além de usar estes recursos para ficar mais cheirosa, você pode também manter os ambientes que frequenta com um cheirinho agradável. Estudos mostram que os aromas tem uma forte influência no bem estar geral das pessoas, por isso, investir em bons aromatizantes de ambiente também é recomendado.

Se você não gosta de usar aromatizantes, outras opções são as velas perfumadas, incensos, sprays perfumados com aplicação automática, entre outros.

E para quem deseja optar por uma alternativa mais natural, as flores também são grandes aliadas de uma casa bem perfumada. Mas é importante se certificar de que ninguém que usa o ambiente é alérgico a pólen.

Flores como manacá-de-cheiro, gardênia, camélia, jasmim e dama da noite possuem um aroma marcante, sendo consideradas algumas das flores mais perfumadas que existem. E além de deixarem um cheiro bom na casa, deixam os ambientes ainda mais bonitos.

Seguindo estas dicas, é fácil manter você e sua casa cheirosa sem precisar usar perfume.

Use os recursos alternativos e aproveite o aroma gostoso, afinal é uma delícia estar perto de pessoas com um cheiro agradável. Mas lembre-se de um detalhe: aromas muito fortes podem causar alergia e incômodo em outras pessoas, por isso, opte pelas fragrâncias suaves quando estiver no convívio social.

10 dicas simples de conservação de alimentos para evitar o desperdício

Ninguém gosta de desperdiçar comida, ainda mais porque vivemos em um mundo onde, segundo o mais novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), uma em cada 8 pessoas passa fome. Em números absolutos, 868 milhões de seres humanos não têm o que comer no almoço de hoje.

O mesmo documento da ONU indica que, no Brasil, o número de famintos, felizmente, caiu 54% entre 1992 e 2013. No entanto, a estatística ainda assusta: 13,6 milhões de brasileiros (o que corresponde a 6,7% da população nacional) passam fome.

Grande parte dos alimentos é perdida logo na colheita e no transporte de frutas, verduras e legumes. Porém, os consumidores também podemos fazer sua parte para diminuir essas estatísticas desanimadoras. De acordo com um relatório publicado pela Institution of Mechanical Engineers, uma organização que representa engenheiros mecânicos e reúne cem mil membros no Reino Unido, metade da comida comprada nos Estados Unidos e na Europa é jogada fora por seus habitantes.

Por isso, aprender a fazer seus alimentos durarem por mais tempo em sua casa apenas armazenando-os corretamente pode ser muito bom. Confira 10 dicas para manter sua comida fresca e evitar o desperdício:

10. Mantenha as bananas frescas por mais tempo, envolvendo seus cabinhos em plástico
A razão é bastante simples: as bananas liberam gás etileno, que controla o escurecimento enzimático e amadurecimento da própria fruta e de quaisquer outras perto delas. Muito do gás sai daquela região que liga a banana em si ao seu cacho, conhecida como haste. Ao envolvê-la, você retarda o processo de amadurecimento e, consequentemente, as frutas não estragam tão rápido. O processo é exatamente igual ao costume de enrolar mamão em folha de jornal para que ele demore mais para amadurecer.

9. Congele ervas em óleo para preservá-las
O congelamento é sempre uma ótima maneira de conservar os alimentos, mas raramente pensamos em fazê-lo com ervas, que normalmente usamos como tempero, como salsinha e cebolinha. Se você congelar ervas em óleo, você já garante uma pequena quantidade de óleo para cozinhar sua refeição, além das ervas em si, para temperá-la.

8. Corte as embalagens de sorvete à medida que você for comendo para evitar se queimar com o gelo
A sensação de queimação ao encostar em algum alimento que estava no freezer acontece porque o ar de um recipiente fornece um local apropriado para o gelo se fixar. Você pode (e deve) se livrar desse espaço extra cortando o recipiente e, de repente, você não vai mais se queimar ao pegar aquele pote de sorvete que só tem um restinho sobrando.

7. Armazene suas batatas junto com as maçãs para evitar que elas brotem
Assim como as bananas, as maçãs também liberam gás etileno. Isso faz com que alguns frutos amadureçam mais rápido, mas também previne que as batatas brotem de repente.

6. Conserve os tomates de cabeça para baixo
Quando você armazena um tomate com a haste para baixo (em temperatura ambiente, e não na geladeira), essa posição impede que o ar e a umidade entrem pelo local de onde o fruto foi arrancado no momento da colheita. Isso prolonga um pouco a sua vida útil.

5. Guarde os limões na geladeira para mantê-los suculentos
Existem diversas maneiras de se armazenar limões, mas depois de testar várias delas, um famoso programa de culinária da televisão estadunidense, chamado America Test Kitchen, chegou à conclusão de que a melhor forma de conservação é armazená-los em sua geladeira. Isso faz com que eles se mantenham mais suculentos e pode até mesmo adicionar um pouco mais de longevidade se você os armazenar em um saco plástico.

4. Conserve o pão de forma em temperatura ambiente, fora da geladeira
Parece que cada pessoa possui um pensamento diferente sobre onde armazenar o pão de forma. A ciência, no entanto, sugere que a melhor maneira de conservá-lo é em temperatura ambiente, ou seja, fora da geladeira. A razão é que a temperatura mais baixa de um refrigerador faz com que o processo de desidratação aconteça mais rapidamente.

3. Mantenha frutas mais delicadas, como morango e amora, em uma única camada, para mantê-las frescas
Parece que frutas mais delicadas – por exemplo, frutas vermelhas como morangos, amoras ou framboesas – estragam muito rapidamente, não é mesmo? Uma maneira de mantê-las frescas e ideais para o consumo por mais tempo é armazená-las em uma única camada. Ou seja, tire-as das bandejas nas quais elas normalmente são comercializadas (com diversas camadas de frutas, uma em cima das outras) e distribua-as em uma única camada, em algum recipiente propício. Isso impede que o suco das frutas vaze e prejudique as camadas abaixo.

2. Guarde seus laticínios na prateleira mais alta da geladeira
Essa é bem simples: na maioria dos refrigeradores, a prateleira de cima possui a temperatura mais constante, porque é onde o termômetro está. Por isso, o ideal é que você armazene neste local os laticínios – produtos como queijo, leite, requeijão, manteiga etc – porque são os alimentos mais prováveis a estragar se não forem mantidos na temperatura certa.

1. Evite que o molho guacamole escureça adicionando um pouco d’água
Você decidiu fazer uma noite mexicana em casa, mas acabou superestimando a fome de seus convidados e sobrou guacamole, iguaria típica feita à base de abacate. Se você deixá-lo na geladeira durante a noite, o molho tende a apresentar uma tonalidade marrom mais no topo. Para evitar que isso aconteça, adicione uma fina camada de água sobre ele. A água é uma barreira contra o oxigênio e impede que o molho escureça.
Todas essas dicas podem ser observadas com exemplos concretos neste vídeo abaixo. A produção é de um site dos Estados Unidos, por isso o filme é em inglês, mas você pode acionar as legendas traduzidas automaticamente para o português clicando no botão “cc”, no canto inferior direito. Selecione “ativar legendas ocultas” e depois procure “português”.[Life Hacker]

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Porque a frequência cardíaca máxima diminui com a idade

Você já deve ter ouvido de seu cardiologista ou percebido isso na esteira de sua academia: quanto mais jovem você for, maior é a frequência de batimentos cardíacos que seu coração consegue aguentar. Mas você sabe por que, exatamente, isso acontece?

Pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, oferecem uma nova visão sobre a velha questão do porquê a frequência cardíaca máxima (também conhecida internacionalmente como “maxHR”) diminui com a idade. Esta diminuição não só limita o desempenho de atletas à medida que o tempo passa, mas também é uma das principais causas de admissão de idosos em casas de repouso. Essas pessoas estariam completamente saudáveis se não fosse seus corações, que acabam limitando suas atividades e minando a capacidade física necessária para uma vida independente.

O que significa essa “desaceleração”?

Todo mundo sabe que a capacidade aeróbica diminui com a idade. Voltamos à tabelinha que indica a sua frequência cardíaca máxima diminuindo à medida que você envelhece. Os corações mais velhos simplesmente não podem bater tão rápido quanto os mais jovens – uma pessoa idosa cujo batimento cardíaco está em 120 por minuto provavelmente está se esforçando mais do que uma pessoa mais jovem, cujo coração está batendo 150 vezes por minuto.

Um novo estudo realizado por um grupo liderado pelos pesquisadores Catherine Proenza e Roger Bannister relata que um dos motivos para a redução da frequência cardíaca máxima em razão da idade é que o envelhecimento enfraquece a atividade elétrica espontânea do “marcapasso natural” do coração: o nó sinoatrial.

A dissertação de Eric Larson, pós-graduando do laboratório de Proenza, no Departamento de Fisiologia e Biofísica, é citada no artigo. Larson descreve que utilizou uma espécie de exame de eletrocardiograma em ratos conscientes e descobriu que a frequência cardíaca máxima era menor nos animais mais velhos, assim como o é em pessoas idosas. “Este resultado não foi inesperado, mas fato completamente novo foi que o maxHR mais lento dos ratos velhos se justificava porque as células marcapasso dos indivíduos – chamadas de miócitos sinoatriais, ou “SAMs”, na sigla em inglês – simplesmente não conseguiam bater tão rápido quanto os SAMs de ratos jovens”, explica.

Os pesquisadores gravaram os minúsculos sinais elétricos das células isoladas e descobriram que os SAMs de ratos velhos realmente batem mais devagar, mesmo quando as células são diretamente estimuladas. O índice mais baixo dos batimentos cardíacos acontece devido a um conjunto limitado de modificações na forma de onda do potencial de ação – o sinal elétrico que é gerado pelas células.

As modificações são provocadas pela alteração do comportamento de alguns canais de íons nas membranas das células mais velhas. Canais de íons são proteínas que conduzem a eletricidade através da membrana celular. Imagine um balão com furos minúsculos que se abrem e se fecham para deixar o ar entrar e sair – os canais iônicos são como esses buraquinhos.

Como a maioria das descobertas iniciais em ciência básica, este estudo abre o caminho para outras perguntas e diversas novas pesquisas. No entanto, ele já indica a possibilidade de que os canais de íons sinoatriais e as moléculas de sinalização que os regulam se tornem novos alvos de remédios que visam retardar a perda de capacidade aeróbica com o decorrer da idade.

Por fim, Proenza ressalta que, embora a frequência cardíaca máxima diminua para todos de forma igual, independentemente de condicionamento físico, as pessoas podem melhorar e manter a sua capacidade aeróbica em todas as idades por meio de exercícios físicos. [Medical Xpress]

domingo, 20 de outubro de 2013

Campeonato O Saber de Badminton 2013

No final do mês de Julho de 2013, a Federação Sergipana de Badminton realizou o Curso de noções básicas em badminton no Colégio O Saber e foi ministrado pelo professor Wendel Mota, presidente da entidade. O curso foi direcionado a professores e acadêmicos de educação física, o qual despertou o interesse do acadêmico John Brito em implantar o esporte na escola. Começou com alguns alunos e, em pouco tempo, transformou o esporte com bastante popularidade na escola, a ponto de que alguns meses após a sua introdução vir a realizar o primeiro Campeonato de badminton em Itabaiana.

O campeonato O Saber de badminton será realizado nesta quinta-feira, 24 de Outubro, das 14 às 17 horas e na sexta-feira, 25 de Outubro, das 8 às 11 horas, na quadra esportiva Emílio de Oliveira. O torneio será disputado pelos alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. 

O badminton é um esporte muito parecido com o tênis, porém, no lugar de uma bola utiliza-se uma espécie de peteca. O objetivo do jogo é fazer com que a peteca toque o campo do adversário, passando por cima da rede. O badminton é disputado individualmente ou em duplas, em melhor de 3 games de 21 pontos cada.

O Saber, o colégio que incentiva e valoriza o esporte em Itabaiana!

Professor José Costa

15 alimentos mais saudáveis do supermercado

Na hora das compras, invista em produtos saudáveis para montar boas refeições no dia a dia

Seja para quem quer seguir uma dieta de emagrecimento, seja para quem, simplesmente, quer manter uma alimentação saudável em casa, o primeiro passo é fazer uma boa compra no supermercado.

E nesta hora é preciso de bom senso: fazer escolhas certas é fundamental para, depois, não cair na tentação de comer, por exemplo, em pleno dia de semana, aqueles docinhos que você comprou e deixou na dispensa. Dessa forma, a dica é, já na ida ao supermercado, investir em alimentos saudáveis, de preferência recomendados pela sua nutricionista, para ter sempre em mãos, em casa, opções para montar boas refeições no seu dia a dia.

Abaixo, Mylena Beccari Casagrandi, nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica Preventiva e em Nutrição Clínica Funcional, pós-graduanda em Fitoterapia Funcional, cita duas listas com alimentos que encontramos facilmente nos supermercados e que devem fazer parte de uma dieta saudável. Vale a pena anotar!

Alimentos naturais que você encontra no supermercado

1. Arroz integral: alimento base da nossa dieta brasileira. “Ser integral significa ter mais fibras e mais vitaminas, portanto, este é mais saudável que o arroz polido ou parboilizado. Existe uma variedade grande de produtos, com excelente valor nutricional. Só não vale comprar aqueles pratos prontos que já vem até com temperos, que é só adicionar água”, explica a nutricionista.
2. Feijão: leguminosa. “Você pode encontrar tranquilamente no supermercado. Leguminosas são alimentos fonte de proteína, indispensáveis na nossa dieta do dia a dia. E ainda aumentam o poder de saciedade da refeição”, diz a nutricionista Mylena.
3. Ervilha: outra opção de leguminosa, fonte de proteína.
4. Lentilha: é também uma leguminosa que traz todos os benefícios do feijão. Facilmente encontrada em supermercados, é uma opção para variar um pouco o prato arroz e feijão.
5. Grão de bico: leguminosa, fonte de proteína. Pode ser feito como salada, por exemplo, ou substituir o feijão, para variar.
6. Castanhas: “excelentes fontes de gorduras boas, são muito gostosas de comer e uma ótima opção para o lanche da tarde. Experimente, por exemplo, comprar vários tipos e misturar”, diz a nutricionista Mylena.
7. Verduras: alface, rúcula, escarola, agrião, couve etc. “Vegetais são fontes de vitaminas, minerais, fibras, antioxidantes, baixo valor calórico. Devem fazer parte da nossa dieta diária e são fundamentais para quem quer perder peso”, diz a nutricionista Mylena.
8. Legumes: abóbora, abobrinha, berinjela, chuchu, pimentão, tomate, beterraba etc. Também são vegetais, possuem diversos benefícios para a saúde, têm poucas calorias e são fundamentais para dietas de emagrecimento.
9. Frutas: banana, laranja, mamão etc. São fundamentais para uma dieta saudável e, assim como as verduras, possuem diversos benefícios.
10. Ovo: “excelente fonte de proteína, versátil (permite vários tipos de preparação) e rápido de preparar”, explica a nutricionista Mylena.

Alimentos industrializados, porém, saudáveis

11. Pães integrais: “existe uma variedade enorme de pães integrais, tem para todos os gostos: com sementes, com castanhas, com canela, com grãos, light, com ingredientes funcionais etc.”, diz Mylena Casagrandi. “Eles são ótimas fontes de fibras e devem fazer parte da alimentação diária. Mas atenção para pães com alto teor de sódio e verifique sempre a presença de açúcar ou adoçante. Não é porque o pão é integral que ele é supersaudável, só significa que ele tem uma parte de farinha integral. Cuidado com as pegadinhas!”, alerta a nutricionista.
12. Barras de cereais: “também tem para todos os gostos. São fontes de fibra, ótimas para um lanchinho da tarde. Mas cuidado com aquelas à base ou com cobertura de chocolate, que são muito gordurosas”, destaca a nutricionista Mylena.
13. Sucos sem adição de açúcar: “já existem várias marcas desses sucos, que não têm conservantes, nem corantes artificiais, nem açúcar. São práticos e saudáveis”, explica a nutricionista.
14. Bebidas vegetais (“leite” de arroz, de aveia, de castanhas): “substitutos para o leite de vaca, são ótimas opções para quem quer uma dieta mais saudável, com menos hormônios animais”, destaca a nutricionista Mylena.
15. Azeites: “gorduras do bem. Quanto menos acidez, melhor. Deve ser prensado a frio. A melhor embalagem é a de vidro de cor escura. Evite comprar em lata”, explica a nutricionista.

Cuidados necessários com os alimentos

Mylena Casagrandi diz que, desde que o supermercado escolhido seja de qualidade e que tenha atenção com os prazos de validade, armazenamento adequado, temperaturas de geladeiras, limpeza das prateleiras (principalmente de carnes e frios), não devemos ter grandes preocupações sobre o que não comprar.

“Eu acho importante comprar os alimentos em locais onde a rotatividade desses produtos é grande, ou seja, onde você corre menos risco de comprar um produto velho. Aqui no Brasil, ainda conserva-se o hábito de termos açougues, varejões, padarias, empórios etc., tudo isso fora dos supermercados. Isso tem o lado bom e o ruim. O ruim é que você terá que se deslocar de um lugar para outro em busca dos seus produtos, mas o lado bom é a rotatividade de saída desses alimentos e talvez o estoque menor. Por exemplo: o açougue vende só carnes. Ele é especialista em saber a temperatura de armazenamento, rotina de limpeza, produtos de limpeza que podem ser utilizados etc. A saída das carnes é maior (pois ele só tem isso para vender). Com certeza você vai encontrar produtos novos, com menor risco de estar contaminado, com prazo de validade vencido”, explica a nutricionista.

“Mas cuidado! Você deve conhecer a procedência destes locais. Não estou dizendo que todos os locais pequenos são bons e os supermercados grandes são ruins. As grandes redes de supermercados estão sempre sofrendo fiscalizações e os procedimentos padrões de higiene normalmente são respeitados. Isso é uma grande segurança. Fora a variedade de produtos que está num mesmo lugar”, acrescenta.

Dessa forma, fica a dica: escolha um local apropriado, que ofereça bastante opções e segurança para as suas compras. Esteja sempre atenta aos rótulos e prazos de validade. E, na hora de colocar os produtos no carrinho/cesta, lembre-se de optar por aqueles mais saudáveis, que você poderá comer, depois, “sem culpa” em casa!

Fonte: http://www.dicasdemulher.com.br/15-alimentos-saudaveis-do-supermercado/ - Por Tais Romanelli - Foto: Thinkstock

sábado, 19 de outubro de 2013

Pratique os melhores exercícios contra obesidade

São seis atividades para suar o corpo com resultados rápidos e sem lesões

Enfrentar a obesidade requer muita determinação. Só de pensar no ritmo de mudanças de hábitos, o suor escorre? Então aproveite para transpirar em nome da boa forma, com as dicas dos especialistas.

A primeira medida é buscar orientação médica para descobrir a intensidade de treino que o seu corpo é capaz de suportar. "Os excessos são perigosos em qualquer situação. Mas, no caso de um paciente obeso, a saúde é ainda mais frágil", afirma o personal trainer Marcelo Joaquim, do Centro de Cirurgia Obesidade e Metabólica.

Se você quer eliminar peso e ganhar saúde, acompanhe as sugestões de treino que o Minha Vida apurou juntos aos especialistas. 

Resistência e flexibilidade
Todos os exercícios devem ser precedidos por um aquecimento. Mas as pessoas com sobrepeso devem redobrar a atenção com o aquecimento e o alongamento. "Os quilos extras sobrecarregam as articulações, por isso elas levam mais tempo a se acostumarem com os movimentos", afirma o doutor em ciências da saúde Hildeamo Oliveira, do Centro de Excelência em Medicina do Exercício (CEMEx) Golden Spa. 

Exercícios de respiração
Pacientes acima do peso ficam ofegantes até com atividades leves. "Isso ocorre porque os pulmões acabam pressionados com o excesso de gordura e não conseguem se expandir direito durante a inspiração", diz Hidealmo. O corpo recebe menos oxigênio e, para compensar, aumenta a frequência da ventilação, dando origem à falta de ar. Fisioterapeutas podem recomendar séries de respiração voltadas a regular o funcionamento dos pulmões.

"Os movimentos ajudam na recuperação da atividade cardiorrespiratória e da função prejudicada do diafragma (músculo da respiração", afirma o personal trainer Marcelo Joaquim, do Centro de Cirurgia da Obesidade e Metabólica. 

Exercícios aeróbios
Exercícios como caminhada, bicicleta e a dança podem fazer parte do treino de uma pessoa com obesidade. Mas para garantir que as aulas estão no ritmo adequado, é fundamental fazer uma avaliação física e solicitar orientação médica.

O acompanhamento de um personal trainer contribui para evolui a dificuldade do treino sem riscos à saúde. O principal cuidado, na fase inicial, é com o desenvolvimento de lesões nos músculos e nas articulações e de doenças cardiovasculares.  

Hidroginástica
Exercícios na água reduzem o peso sobre as articulações, favorecendo aulas mais longas e maior queima de calorias. Sessões de hidroginástica emagrecem e ainda relaxam o corpo. "A água consegue aliviar a tensão causada pelo excesso de peso, tornando a hidroginástica uma atividade revigorante", afirma o médico do Exercício. 

Esportes na água
Natação e outros esportes adaptados para a água contribuem para a perda de peso. Hidealmo explica que, fora da piscina, uma pessoa com obesidade gasta mais tempo para frear um movimento e acelerar em outra direção.

Além disso, o volume avantajado de algumas partes do corpo limita os movimentos, tornando difícil a prática de esportes. Vôlei e pólo são jogos que podem ser disputados na água. 

Musculação
Quem disse que pessoas com obesidade não podem fazer musculação? "O programa de exercícios completo deve incluir também a musculação, além do alongamento e dos exercícios aeróbios", diz o personal Marcelo Joaquim.

Ele explica que a musculação vai auxiliar o paciente a ganhar força muscular, além de ajudar na perda de gordura. Peça ajuda ao seu médico e ao professor de educação física para obter um treino adequado ao seu grau de obesidade e nível de resistência física. 

Frequência sem riscos
Para perder peso com exercícios, você precisa treinar de 60 a 90 minutos por dia, pelo menos cinco vezes na semana. A recomendação para pessoas com obesidade é mais rigorosa do que para quem tem sobrepeso. "Após três meses, já é possível elevar as cargas e aumentar a intensidade dos exercícios", afirma Marcelo Joaquim.