sábado, 28 de fevereiro de 2015

Guia completo para atletas de fim de semana

Um guia para prevenir e tratar problemas de ligamentos ocasionados por quem tem pouco tempo disponível na agenda, mas não abre mão de se exercitar

Habitualmente mais sedentários que os esportistas de carteirinha, os “atletas de fim de semana” (ou weekend warriors, como também são conhecidos) precisam ficar atentos não somente às suas agendas apertadas: eles estão mais expostos a lesões graves nos membros inferiores. Ossos, músculos e tendões podem sofrer bastante nas atividades físicas esporádicas.

“A prática de atividade física é, sim, uma recomendação muito importante, porém, quando não faz parte da rotina semanal das pessoas, pode acabar resultando em dores e lesões sérias, como fraturas por fadiga e distensões”, avisa Leandro Gomide, ortopedista (MG). O esforço pode ser grande das articulações e dos músculos que não estão bem condicionados, levando o indivíduo a ter tendinites, roturas musculares, lesões por entorse, entre outras.

“Acaba sendo uma atividade mais lúdica do que benéfica desportivamente”, compara Mauricio de Moraes, ortopedista do Hospital Bandeirantes (SP). Ele defende que o corpo precisa de tempo para se recuperar de grandes esforços e se exercitar somente aos sábados, domingos e feriados não é garantia de um bom condicionamento. “A semana tem sete dias. Sempre há tempo. O segredo é ter organização e disciplina”, orienta.

Entretanto, se você, realmente, não consegue colocar a atividade física de uma forma frequente em sua rotina, atente-se para os tópicos a seguir. A VivaSaúde conversou com especialistas e preparou um guia para você se orientar quanto à prevenção e ao tratamento dos possíveis problemas decorrentes de um fim de semana intenso pedalando, jogando futebol com os amigos ou correndo à beira-mar.

PREVENÇÃO DE LESÕES

Não se esqueça de realizar o aquecimento e o alongamento antes de qualquer atividade.
Utilize algum tipo de proteção, principalmente nos tornozelos.
Tá cansado? É melhor parar. A fadiga aumenta a chance de ocorrer lesões.
Procure realizar algum tipo de exercício de forma regular, como caminhadas.
Gerencie a alimentação durante a semana para regular o peso corporal.
Durma bem para ter um bom relaxamento muscular.
Cuidado com esportes de contato e atritos (futebol é um exemplo).

PARA NÃO SE ESQUECER DE NADA!

As lesões mais comuns são tendinites, dores musculares, rupturas de tendão, lesões de joelhos (meniscos) e nos ligamentos. Podem ocorrer lesões traumáticas também, como torções de tornozelo. Veja a seguir o que é importante saber na hora do esporte:

Atenção redobrada
Homens com mais de 45 anos, acima do peso e sem atividade física por longo tempo costumam ser os que mais apresentam esse tipo de lesão. Mas, em geral, o fator principal é o encurtamento muscular relacionado à falta de exercícios de flexibilidade.

Deu algo errado quando...
Os sintomas iniciais são dor, inchaço, impotência funcional da parte afetada e, eventualmente, algum hematoma. As lesões possuem vários graus, desde simples, que melhoram com gelo e medicação, até graves, que necessitam de tratamento cirúrgico.

É hora de ir para o pronto-socorro
Ocorre quando após a suspensão da atividade e o uso de gelo local por 20 minutos não for possível apoiar o membro afetado no chão. Utilize muletas e algum tipo de imobilização e procure ajuda. Nunca use remédios ou faça massagens por conta própria. Somente um ortopedista é capaz de realizar o diagnóstico correto, sobretudo se o médico tiver experiência na área do esporte.

O exame em detalhes
Ele é feito através de uma série de manobras clínicas e complementado por exames de imagem (radiografia, ultrassonografia e ressonância magnética) quando necessário.

A saída do banco reserva
Pode variar de poucas semanas a vários meses. Lesões do tornozelo tendem a ter recuperação mais rápida. Já as lesões no joelho podem deixar uma pessoa longe de suas atividades normais por até um ano. O afastamento do trabalho é inevitável, principalmente se houver tratamento cirúrgico.

Dá para evitar?
Sim. Mas a pessoa deverá investir tempo na prática de algumas providências. “Cuidados simples podem evitar lesões, como fortalecer a musculatura, alongar-se antes e depois dos exercícios, não exceder os limites do corpo e manter a prática regular de exercícios físicos”, responde o ortopedista Leandro Gomide (MG).

Fonte: Revista VivaSaúde - Edição 140 - Texto: Rômulo Osthues / Ilustração: Luiz Lentini / Adaptação: Clara Ribeiro

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Beleza prática: 10 produtos multifuncionais para facilitar sua vida

Existem várias outras formas de aproveitar os produtos que você tem na nécessaire para usos bem diferentes dos já conhecidos

Quando se fala de produtos de beleza multifuncionais, os campeões de funções são os famosos BB, CC e DD creams para pele ou cabelos. Esses produtos se tornaram uma verdadeira febre por ajudarem a mulher com a tarefa diária de cuidados de beleza, poupando tempo e esforço por servirem para vários propósitos diferentes ao mesmo tempo.

Nesse sentido, eles não são os únicos aliados da mulher que precisa de praticidade no seu dia a dia. Diversos produtos podem ter outros usos de beleza diferentes de suas funções originais.

Um batom não precisa ser apenas um batom, ele pode ser usado de outra forma, para outro propósito de beleza. E se você deseja aprender a tirar o máximo proveito de cada item que possui em casa, vale a pena conferir estas dicas a seguir:

1. Corretivo: além de ser útil para esconder manchas e olheiras, você pode usá-lo na pálpebra para fixar melhor as sombras, especialmente as cintilantes que costumam ter menor fixação que as opacas. Ele pode ser também um ótimo substituto do batom nude.

2. Batom: os batons rosados e os vermelhos podem dar cor não só aos seus lábios, mas também podem ser usados como blush. Toque no batom com o dedo levemente e espalhe a cor nas bochechas com cuidado para não exagerar na dose. Batons nude opacos podem, ainda, substituir o corretivo no make.

3. Protetor labial: por terem uma ação extremamente hidratante capaz de restaurar até lábios rachados, eles podem ser aplicados também em cutículas e nos cotovelos ressecados.

4. Protetor solar: se sua pele é seca, vale a pena comprar um protetor solar hidratante, assim, ele cumpre duas funções e você não precisa gastar seu tempo usando dois produtos diferentes. E os protetores solares pigmentados podem até mesmo substituir sua base, seu corretivo e/ou BB cream.

5. Gel ou spray de cabelo: além dos cabelos, eles podem cuidar também das suas sobrancelhas. Uma pequena porção de gel ou um pequeno jato de spray em um aplicador velho (e limpo) de rímel podem ser usados para pentear e manter os fios da sobrancelha no lugar. E se você costuma pintar o cabelo, aplique gel na testa, nuca e orelhas antes de fazer a tintura para evitar manchas na pele.

6. Talco: muito usado para evitar assaduras e até mesmo para conter o suor nas axilas, o talco pode ser um grande aliado de beleza. Nos dias em que você não tem tempo de lavar o cabelo e a raiz já está oleosa e sem volume, aplique talco na raiz (não exagere), espalhe e limpe o excesso com uma toalha seca. Ele funciona como uma espécie de xampu seco e pode salvar o seu penteado! Também pode ser usado na pele antes de uma depilação com cera para garantir uma remoção mais eficaz, por deixar a pele bem sequinha.

7. Água termal: seu propósito pode até ser o de hidratar e revigorar a pele, mas sua utilidade vai além! Borrife água termal levemente sobre o seu rosto após fazer uma maquiagem para que os produtos “assentem” melhor na pele e a aparência fique mais natural. Outra forma de usá-la é para acalmar a pele irritada após uma depilação com lâmina.

8. Xampu de bebê Johnson: misture um pouco de xampu de bebê com água e use-o com um cotonete para remover maquiagem dos olhos. Ele também é uma ótima opção para lavar os pincéis de maquiagem.

9. Máscara de cílios incolor: use o rímel transparente como gel de sobrancelhas; penteie os fios com o produto e eles ficarão arrumadinhos no lugar. O produto também pode ser usado para domar fios rebeldes ao prender o cabelo, mas limpe bem o pincel antes de aplica-lo no fio para não ficar aparente ou exagerado.

10. Óleo hidratante: o óleo de amêndoas, por exemplo, ajuda na remoção suave de restos de cera depilatória que podem ficar na pele. Aplique com cuidado na área depilada e depois lave com sabonete neutro.

Fonte: http://www.dicasdemulher.com.br/produtos-de-beleza-multifuncionais/ - Andressa Dias - Foto: Thinkstock

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Calcinha fio dental oferece riscos à saúde íntima da mulher?

Se você gosta do modelo e costuma usá-lo com frequência, vale a pena conferir as advertências dos especialistas acerca de seus riscos
Considerada uma das peças mais sensuais no guarda-roupa feminino (se não a mais!), a calcinha fio dental divide opiniões. Há mulheres que adoram usá-la, por se sentirem mais sensuais, e também as que evitam vesti-la por uma questão de conforto.
Porém, uma coisa é certa: esse tipo de peça é muito apreciado entre os homens. Por isso, costuma-se dizer que uma calcinha fio dental pode fazer maravilhas na vida a dois!
No entanto, as mulheres que têm o costume de usar esse tipo de calcinha com certa frequência (e não somente em ocasiões a dois) devem se atentar ao fato de que a calcinha fio dental pode ser prejudicial à saúde.
Jurandir Passos, ginecologista e obstetra do Lavoisier Medicina Diagnóstica, explica abaixo quais são os riscos que esse tipo de calcinha pode oferecer à mulher e indica quais são os modelos mais adequados para usar sem prejudicar a saúde.

Riscos que a calcinha fio dental pode oferecer
Passos explica que, devido à sua menor espessura, a calcinha fio dental tende a ter maior contato com a região anal e vaginal, podendo assim expor a vagina a maior risco de infecção do que as calcinhas tradicionais.
“Devido à movimentação ao longo do dia, a umidade local e a presença de bactérias e fungos de origem perianal, a vagina fica exposta a infecções que normalmente seriam dificultadas por outro tipo de roupa íntima. Sendo assim, as calcinhas fio-dental aumentam o risco para infecções vaginais bacterianas e fúngicas, bem como facilitam a ocorrência de infecções urinárias também”, destaca o ginecologista.
Vale ressaltar que a calcinha fio dental pode ser perigosa à saúde da mulher quando é usada com frequência: diariamente ou quase todos os dias! Caso contrário, não oferecerá riscos.

Detalhes que a tornam “mais perigosa”
Alguns pontos podem tornar o fato de a mulher usar calcinha fio dental com frequência mais perigoso. Passos explica que, quanto mais sintético for o tecido, maior o risco de infecção. “Pois além de favorecer a contaminação, os tecidos sintéticos fazem com que a mulher fique mais úmida por dificultarem a evaporação natural do suor e da secreção vaginal”, diz.
O ginecologista destaca que os tecidos à base de algodão absorvem melhor o suor, mas não impedem a ocorrência de infecções.
Além disso, acrescenta Passos, roupas muito justas e grossas, como o jeans, podem traumatizar a mucosa vaginal ou mesmo a pele vulvar e perianal e facilitar infecções pela quebra da barreira de proteção que a pele ou mucosa representam. “Se estiverem associadas a calcinhas fio dental, esse risco se agrava ainda mais”, explica.

Cuidados redobrados no período menstrual
O período menstrual, naturalmente, pede mais atenção da mulher. Passos explica que o sangue menstrual é alcalino e a vagina normalmente tem um PH mais para o ácido. “Essa alteração do ph por si só já favorece a ocorrência de infecções genitais, daí contraindicarmos relações durante o período menstrual, principalmente sem a utilização de preservativos”, diz.
“Se a infecção está facilitada pelas características vaginais no período menstrual e você ainda utilizar um fator que sabidamente aumenta o risco de infecção vaginal, como a calcinha fio dental, com certeza a chance de desenvolver uma infecção está aumentada”, alerta o médico.

Diferentes modelos de calcinhas
A calcinha fio dental é, de fato, sensual. Mas existem outros modelos que ajudam a valorizar o corpo da mulher e/ou que podem ser excelentes opções para o dia a dia.
A chamada “calcinha biquíni”, por exemplo, é uma boa opção para o cotidiano. A largura da lateral é média e a cintura, razoavelmente baixa, com a parte de trás mais comportada. É uma peça que veste muito bem, por isso, indicada para todos os tipos de corpo.
As tangas também são muito conhecidas. Existem as que têm a lateral e a parte de trás maiores, e as que têm a lateral um pouco mais fina. Ambos os tipos são confortáveis.
A calcinha string também é uma boa dica, especialmente para os momentos a dois. A lateral é bem fininha, se resumindo à grossura de uma fita, enquanto que a parte de trás é parecida com a tanga.

Qual é o modelo de calcinha mais indicado?
Passos destaca que a calcinha ideal é aquela que permite o máximo de ventilação da região genital, que absorve o suor e a umidade vaginal e permite a evaporação. “Além disso, deve ser macia, maleável e respeitar o corpo da mulher, evitando traumas como as do tipo fio dental”, diz.
“Saliento que a calcinha fio dental pode ser utilizada para ‘apimentar’ uma relação, já que seu desenho enaltece as formas do corpo feminino, mas deve ser evitada para o uso diário”, finaliza o ginecologista.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Como escolher o sutiã ideal

Na hora da compra, prove várias peças até encontrar a que se ajuste ao corpo e valorize a mama. Confira essas dicas:

Alças: nas costas, elas devem estar paralelas ou formar um tipo de “V”. Um “V” ao contrário pode significar que as alças são pequenas ou estão apertadas. Confira o ajuste ou prove outro modelo.

Alças largas: quanto mais larga, maior suporte você terá. A alça não deve pressionar nem dar a impressão de que está “cortando” a pele do ombro.

Armações: de metal ou plástico, elas têm a finalidade de dar mais suporte aos seios, aliviando a tensão das alças. Certifique-se de que o modelo não vai machucar a pele dos seios.

Centro do sutiã: deve ficar ajustado ao corpo, sem deixar espaço entre o corpo e o sutiã. Se isso acontecer, tente um tamanho maior

Copa do sutiã: deve acomodar os seios sem criar protuberâncias do lado ou na parte inferior dos seios.

Fecho traseiro: se ficar subindo, é porque o sutiã é muito grande. Se tiver a sensação de que está apertado, em 75% dos casos, você precisa de um extensor.

Dicas: ÂNGELA COELHO DA FONSECA, DIRETORA DE ESTILO DA JOGÊ

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/bem-estar/como-escolher-o-sutia-ideal/4383/ - Texto: Cristina Almeida / Colaborou: Priscila Pegatin / Ilustração: Melissa Lagôa / Adaptação: Clara Ribeiro

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Celular causa câncer? Tem mais germes que privada? Prejudica a visão? Veja o que é verdade

Não é à toa que o uso excessivo do celular é um constante alvo de críticas. Além de te desconectar do mundo ao redor, essa atitude, pouco a pouco, desgasta seu corpo e sua saúde. Confira a seguir a lista de doenças causadas pelo celular e deixe, pelo menos por alguns instantes, o aparelho de lado.

Câncer

Baseada em estudos já existentes sobre o assunto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica o uso de telefones celulares como possivelmente cancerígenos. Apesar de não se saber exatamente o que o campo eletromagnético dos aparelhos causa à saúde, vale prevenir o problema fazendo menos ligações e deixando para usar o smartphone apenas quando for necessário.

Germes a perder de vista

Em 2010, a Universidade Stanford publicou um estudo que demonstrou que a tela do celular tem mais bactérias que a válvula de descarga de um banheiro.

Problemas de visão

Diante de uma tela, os olhos têm de se ajustar constantemente aos textos, imagens e luzes que mudam o tempo todo. Além disso, a lubrificação dos olhos diminui enquanto se está olhando para o pequeno painel luminoso. Os resultados: dores de cabeça, dor nos olhos, sensação de vista cansada e contrações involuntárias dos músculos oculares. Para evitar, faça pausas, diminua o brilho do aparelho e não se esqueça de piscar constantemente.

Postura errada

Já reparou como você joga a cabeça para baixo e curva os ombros quando está mexendo no celular? Manter essa postura por muito tempo pode te dar dores no pescoço, nas costas e, com o tempo, alterar a curvatura normal da sua coluna.

Dependência da tela

Do ponto de vista da saúde mental, há muito a se perder quando você passa muito tempo olhando para o celular e deixa de conversar com as pessoas ao seu redor. Guarde um tempo para usar o smartphone e outro para interagir com amigos, namorado e familiares.

Fonte: http://www.bolsademulher.com/saude/celular-causa-cancer-tem-mais-germes-que-privada-prejudica-a-visao-veja-o-que-e-verdade - IMAGEM: THINKSTOCK

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Principais doenças que atingem os adolescentes

Diversão, estudo, esportes e... muitos problemas. Conheça as principais doenças que atingem os adolescentes. E, o melhor, saiba como preveni-las!

● Alterações menstruais: Acompanhamento de um ginecologista desde a menarca e frequência de exames.

● Corrimento: Evitar o uso de protetor diário de calcinha, já que ele inibe a respiração da região, e não usar calças muito apertadas, principalmente em dias de calor.

● Doenças sexualmente transmissíveis: Uso de preservativo e acompanhamento ginecológico constante.

● Distúrbios psiquiátricos: Bom convívio familiar e social, com atividades variadas além da escola. Recomenda-se que os pais estejam sempre abertos a diálogos e explicações.

● Obesidade: Dieta equilibrada, acompanhamento nutricional e prática de exercícios físicos são atitudes recomendadas.

● Transtornos alimentares: Alimentação saudável, atenção dos pais em relação ao que os filhos consomem e boa compreensão do jovem sobre o seu corpo, para que não se deixe influenciar por sites e programas de televisão.

● Alcoolismo: No caso de fator genético, indica-se um acompanhamento médico. Se não houver casos na ascendência, é importante que ocorram esclarecimentos contínuos dentro de casa a respeito dos males que a bebida pode proporcionar.

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/principais-doencas-que-atingem-os-adolescentes/4358/ - Texto Fernanda Emmerick / Foto: Shutterstock/ Adaptação: Marília Alencar 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Medalhas: ganhar ou perder faz parte da disputa

O sonho e objetivo de atletas e técnico na preparação de uma equipe é ganhar uma medalha no final da competição, principalmente a de ouro. E isto vem acontecendo há 35 anos na minha vida profissional e de meus alunos das escolas que trabalho e trabalhei.
    
Neste período atuei como técnico de basquete pelos colégios Murilo Braga, Salesiano e Graccho; de voleibol e handebol com o Dom Bosco e futsal com O Saber, ganhando  mais de duzentas medalhas em competições oficiais, entre elas: Jogos da Primavera, Jogos Infantis, Campeonato sergipano de basquete, Jogos da TV Sergipe, Jogos Estudantis, Jogos das Escolas Particulares de Sergipe, Copa Sergipana de voleibol, Jogos Escolares da Rede Pública de Sergipe, Nordestão Salesiano, Olimpíada Anglo, Jogos Estudantis da Rede Pitágoras, Jogos das Escolas Particulares de Itabaiana.

Todas as medalhas que ganhei como técnico foram importantes para mim e tenho boas recordações, mas a primeira é inesquecível, foi a medalha de ouro no basquete dos Jogos da Primavera com a categoria A feminina do Colégio Estadual Murilo Braga, em 1981, onde enfrentamos na final a equipe do Colégio Estadual Castelo Branco, na quadra da Associação Atlética de Sergipe, em Aracaju. A equipe titular era formada por: Rita de Cássia, Gicelma Santos, Rosângela Souza, Irlene Porto e Luciene Vasconcelos. Foi a minha segunda participação nos jogos.

Como técnico disputei quatro vezes as Olimpíadas Escolares-JEBs em 2002, 2005, 2008 representando o estado com o basquete do Salesiano e em 2003, com o voleibol do Colégio Dom Bosco. Apesar de não se classificar entre os primeiros colocados e obviamente não ganhar medalhas, um fato curioso é que talvez eu seja um dos técnicos ou o único do Brasil a disputar os JEBs por dois esportes coletivos e escolas diferentes. Em 2005, ganhei uma medalha de participação dos JEBs, em Brasília.

Talvez eu seja o técnico de esporte coletivo em Sergipe que mais ganhou medalhas em competições oficiais, pelo fato que trabalhei em 4 colégios que estão entre os maiores do estado e sempre obtive bons resultados, não apenas com escolas particulares como o Salesiano, Graccho e Dom Bosco, mas principalmente com a pública, o Murilo Braga, e por dois esportes, o basquete e voleibol. Geralmente a maioria dos técnicos é melhor por uma rede de escola ou apenas em um esporte, por isso disputa menos competições, diminuindo as chances de sempre ganhar medalhas.

Algumas das minhas equipes não ganharam medalhas em competições, mas nem por isso os alunos foram menos importantes dos que as ganharam, pois ganhar e perder faz parte da disputa e serve de exemplo para a vida. Através do esporte, mais do que medalhas, os alunos ganharam saúde, desenvolvimento físico, valores e princípios que serão úteis por toda a vida.

Relato estes fatos da minha profissão não para me enaltecer, mas para que fiquem registrados e nunca sejam esquecidos, pois podem servir de exemplo, lição e motivação de vida a outras pessoas.  Tenho orgulho não de ter ganho mais de duzentas medalhas, mas sim de ter contribuído na formação integral de milhares de alunos através do esporte ao longo de 35 anos de trabalho.

Por Professor José Costa

26 maneiras espertas de economizar na cozinha

Inspire-se com as ideias para poupar e reaproveitar o que for possível, fazendo um planejamento adequado para tornar sua cozinha sustentável

Diante das diversas opções encontradas na hora da compra, economizar na cozinha pode não ser tarefa fácil. O valor gasto com alimentação representa uma boa parte do orçamento familiar e certos truques tornam-se necessários para encontrar meios de economia.

Uma certa atenção deve ser dada desde a hora das compras, incluindo o planejamento do cardápio, na forma de armazenamento e também durante o preparo dos alimentos.

Uma forma de economia doméstica bastante difundida hoje em dia é a reutilização dos alimentos. Muitas vezes joga-se fora partes dos alimentos que podem ser reaproveitadas para novos pratos ou novas receitas.

Com este intuito, confira a seguir formas inteligentes de economizar na cozinha: tanto nas compras como no armazenamento e também no preparo sustentável das refeições.

Durante as compras
1. Fazer uma lista antes de ir às compras ajuda a evitar levar algo que não é necessário.
2. Não ir às compras com fome, evitando cair em tentação na parte das guloseimas.
3. Aproveitar as promoções e ofertas oferecidas pelo estabelecimento.
4. Ir ao mercado no máximo uma vez na semana – compras esporádicas e no meio da semana tendem ao consumo de itens desnecessários.
5. Não levar crianças às compras – a dificuldade em dizer não pode ajudar a aumentar os gastos.
6. Fazer um planejamento semanal para o menu da família. Desta forma fica mais fácil verificar o que será utilizado e se organizar para comprar o que falta na dispensa.
7. Adquirir alimentos direto do produtor garante maior economia.
8. Comprar legumes e frutas da estação normalmente ajuda na economia devido ao preço baixo dos alimentos.

No armazenamento
9. Deve-se congelar os alimentos antes que estraguem. Desta forma, além de ter sempre o ingrediente à mão, evita-se o desperdício.
10. Se houver a necessidade de cortar os alimentos, deve-se cortá-los todos de uma vez.
11. Deixando-os refrigerados e já cortados garante a utilização dos mesmos, devido à praticidade.
12. Para descongelar os alimentos, o ideal é deixá-los em temperatura ambiente até finalizar o processo de descongelamento, economizando energia ao deixar o micro-ondas de lado.
13. Manter a geladeira e o congelador sempre limpos garante encomia de energia elétrica.

No preparo
14. Escolher receitas que utilizam o mesmo ingrediente faz com que haja economia nas compras.
15. Assar vários pratos de uma vez garante economia de gás de cozinha.
16. Ralar queijos já ressecados para reaproveitá-los em outros momentos é uma boa opção.
17. Ao cozinhar legumes e carnes, reservando-se o caldo pode-se fazer sopas, caldos ou até risotos.
18. O pão amanhecido pode virar torradas, pudim, tortas e bolos, baste ter criatividade.
19. Visando poupar dinheiro com carnes e peixes, pode-se escolher um ou dois dias da semana para uma refeição vegetariana.
20. Bolos e sobremesas feitos em casa são mais baratos e mais gostosos do que os comprados prontos.
21. Os restos de comida como queijo, carne e pão podem se tornar um sanduíche delicioso, é só soltar a imaginação!
22. A internet também pode ajudar: pesquisando receitas econômicas na web pode-se encontrar diversas opções.
23. As sobras da refeição de ontem podem-se tornar um banquete se reinventadas. Basta adicionar ovos ou outro ingrediente que um novo sabor surja.
24. Não desperdiçar talos e folhar dos vegetais. Todos podem ser reaproveitados.
25. Manter as panelas fechadas durante o preparo das refeições evita o desperdício de gás ao acelerar o cozimento dos alimentos.
26. Para reavivar folhas murchas de vegetais basta mergulha-las em água quente por um minuto e logo depois em água gelada com vinagre.

De acordo com a nutricionista Priscila Felix, durante as compras é necessário atentar-se à validade dos alimentos. Desta forma, o que expirará mais cedo, terá de ser usado primeiro. Priscila ainda alerta sobre o perigo de deixar sobras de alimentos para fora da geladeira, já que a refrigeração garante que não haja proliferação de micro-organismos, o que pode inutilizar os alimentos, causando-se assim desperdício.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

4 segredos para ter sinal Wi-Fi na casa inteira

Se você mora em uma casa particularmente alta ou ampla, ou com um layout complicado, então você pode ter problemas com zonas mortas onde sua conexão de banda larga sem fio (mesmo de alta velocidade) simplesmente não pega direito.
A boa notícia é que existem maneiras de melhorar seu sinal Wi-Fi pela casa toda.

Por exemplo:

Atualize seu roteador

Algumas empresas são mais exigentes sobre instalar seu próprio hardware do que outras. Sua melhor aposta é a de verificar com o seu provedor de internet ou em um fórum de suporte e pedir uma lista de hardware compatível com sua conexão.
Em seguida, se você estiver propenso a gastar com isso, pode procurar por um roteador melhor para sua casa. O AC3200 Ultra Wi-Fi Router, da D-Link, por exemplo, é uma boa opção. Mas antes de abrir a carteira, verifique as especificações do seu roteador atual e veja quanta diferença um upgrade vai fazer.
Substituir as antenas do roteador é outra opção, embora muitos novos modelos tenham antenas internas. Se você tem um modelo com antenas externas, então você pode aumentar o sinal wireless usando antenas melhores ou mudando sua direção.

Mude a posição do roteador

Pode parecer óbvio, mas mover o roteador é uma das formas mais eficazes de melhorar o sinal do Wi-Fi. Lembre-se que a maioria dos roteadores lança o sinal em todas as direções ao mesmo tempo, portanto o ideal seria colocar seu dispositivo no meio de sua propriedade ou o mais próximo disso possível.
Paredes, piso, móveis, espelhos e objetos de metal todos têm um efeito negativo sobre o sinal, então faça alguns ajustes no design de sua casa, se necessário. Quanto mais recentes forem os laptops, tablets e smartphones usados para se conectar à internet, maior será a velocidade a longas distâncias.
Monitores de bebê, telefones sem fio e micro-ondas também podem causar interferência, e mudar o canal usado pelo seu roteador pode reduzir isso (procure ajuda no manual do seu roteador se não tiver certeza sobre como fazer isso). Muitos roteadores oferecem a opção de usar bandas 5GHz ou 2,4 GHz; a primeira tem mais canais e menos chance de interferência, mas o alcance do sinal não vai tão longe.
Pode valer a pena uma atualização de firmware também. Se houver um software mais recente disponível para o seu modelo de roteador, isso pode fazer uma diferença significativa nas capacidades dele. Verifique com o fabricante do seu roteador ou seu provedor de serviços de internet para ver se há atualizações disponíveis.

Compartilhe Wi-Fi com os vizinhos

Se você está vive em casas com terraço ou apartamentos, por exemplo, pode ser uma boa ideia colocar o seu roteador no piso térreo e o do seu vizinho acima. É claro que há um elemento de confiança aqui – só funciona se você conhece bem seus vizinhos e se vocês dois tiverem uma conexão de banda larga rápida. Doar um pouco de sua banda larga pode ser um pequeno preço a pagar para ter um bom acesso à internet no quarto superior de sua casa. Trocar as senhas com seu vizinho pode dobrar as chances de ficar online sem nenhum custo extra.
Só não se esqueça de manter o controle sobre o que a casa alheia pode acessar em sua rede doméstica. As configurações de rede em seu computador permitem que você restrinja o que compartilha com outras pessoas.

Invista em um repetidor

Repetidores são aparelhos que fazem exatamente o que seu nome sugere: repetem o sinal original a uma distância maior (mas geralmente perdem velocidade ao longo do caminho).
Também é possível adquirir um adaptador powerline, também chamado de kit powerline, dispositivos que utilizam a fiação elétrica de sua casa para fazer o trabalho de transferência de bytes a partir de/para seu roteador. Das duas opções, o kit powerline é definitivamente a melhor – e também a mais cara.
Você ainda pode usar um antigo roteador em conjunto com algum software de código aberto para fazer o mesmo trabalho que um repetidor.
Para simples navegação na web, um repetidor deve dar. Já se você está assistindo ou baixando vídeos HD pesados, por exemplo, o kit powerline é mais recomendável. Como é normalmente o caso, pagar extra por equipamentos de qualidade (marcas com melhores avaliações) vai valer a pena a longo prazo.
Antes de escolher algum hardware, no entanto, você vai precisar fazer uma pesquisa com base na configuração que você tem em casa e o que você é capaz de fazer com ela. [Gizmodo]

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

10 conselhos para uma barriga de dar inveja

Faça um esporte, monte um plano para fortalecimento abdominal e...mantenha uma boa alimentação!

Além de praticar uma atividade aeróbica e seguir um treino regular de exercícios abdominais, para eliminar as gorduras salientes em seu corpo você ainda precisa prestar atenção em alguns outros pontos para que nada fique fora do lugar em seu abdômen. Para conseguir a famosa barriga de “tanquinho”, é preciso ir além dos exercícios 2 ou 3 vezes por semana. É fundamental ficar atento a algumas recomendações em relação à dieta e também à postura.

1 – Cuide do seu trato intestinal
O intestino tem papel fundamental para a sua saúde. Quando a digestão funciona corretamente e os alimentos são assimilados de forma adequada, melhora o seu sistema imunológico e a qualidade de vida. Mas alguns fatores podem alterar o funcionamento desse aparelho e alterar a flora intestinal, como a ingestão de antibióticos, uma dieta inadequada e tensão em excesso. Nesses casos, é comum surgir inchaço abdominal, gases e má digestão. Para evitar que isso ocorra, tome um ou dois iogurtes por dia; ricos em lactobacilos vivos, o produto pode ser de soja, se você preferir. Não se esqueça das verduras e hortaliças ricas em fibras, que evitam a prisão de ventre e favorecem o funcionamento do intestino.

2 – Beba água de forma controlada
Ainda que pareça uma contradição, quanto mais água seu organismo retém, mais líquido você precisa beber para diluir os minerais presentes em seus tecidos e eliminá-los pela urina. A recomendação usual é tomar cerca de oito copos de água por dia. Entretanto, o aconselhável é distribuir essa quantidade ao longo do dia e não beber quatro copos seguidos de água, pois isso pode provocar uma distensão dos músculos abdominais e acabar provocando problemas digestivos. De qualquer forma, não convém abusar: o excesso de água também pode inchar seu estômago e dilatá-lo. Tente contabilizar a quantidade de líquido que perde ao longo do exercício, pesando-se antes e depois da atividade. Se você eliminou 0,5 kg durante o treino, hidrate-se e reponha 0,5 litro de água.

3 – Elimine os gases
Uma pessoa pode chegar a produzir entre 4 e 5 litros de gás por dia. E o sistema digestivo está preparado para eliminá-los sem dores nem sofrimentos. Entretanto, o estresse, a má digestão, a intolerância ou a alergia a certos alimentos podem prejudicar esse sistema e fazer com que estômago inche e pareça ter tendência de acumular gorduras na região abdominal. Se você acorda com o abdômen reto, sem nenhuma gordurinha localizada, logo após o café da manhã já nota sua barriga um pouco mais saliente e à noite se sente inchado, provavelmente seu problema está relacionado aos gases. Procure um médico para descartar outros distúrbios digestivos e siga uma alimentação controlada para identificar os alimentos que estimulam gases em excesso para evitá-los em sua dieta.

4 – Os problemas podem ser os laticínios
Algumas pessoas apresentam uma ligeira intolerância à lactose que, por provocar pequeno incômodo, não impede delas beberem leite e consumirem seus derivados sem sofrer inconvenientes digestivos graves. Contudo, essa característica do organismo é suficiente para que a enzima que digere a lactose não funcione de maneira adequada e o açúcar do leite fermente no tubo digestivo, provocando inchaço abdominal. Para reconhecer se você sofre desse mal, faça um teste simples: tome um copo de leite ou alguns pedaços de queijo antes de dormir e observe se acorda no dia seguinte com o abdômen alterado. Caso isso aconteça, comece a suspeitar que possui certa intolerância à lactose e consulte um profissional que possa orientá-lo. Se você tiver de optar por não ingerir nenhum laticínio, não se esqueça de garantir suas doses diárias de cálcio, incluindo em sua dieta soja, salmão, cebola, brócolis, figos secos etc.

5 – Opte pelos alimentos integrais
Prefira massas, bolachas, cereais e pães integrais. A farinha branca ou refinada é pobre em fibras e nutrientes e pode causar inchaços abdominais.

6 – Menos sal e mais especiarias e sumo de limão
Experimente passar uma semana reduzindo drasticamente o teor de sal de seus pratos e note, ao final de sete dias, que você perdeu peso corporal comendo as mesmas porções de alimentos. O sal provoca o inchaço das células com a retenção de água para diluir o excesso de sódio. Assim, seu organismo retém mais líquido. Procure temperar suas receitas com especiarias e sumo de limão.

7 – Respire conscientemente
Cada vez que você inspira e expira, pode exercitar seus músculos abdominais de maneira inconsciente. Se você aprender a respirar com técnicas de ioga (respiração abdominal), conseguirá utilizar os músculos peitorais, pélvicos e abdominais todas as vezes em que inspirar. Saiba que você respira entre 10 000 e 15 000 vezes por dia.

8 – Tome chás digestivos
Uma infusão com certos tipos de erva pode ajudar a digestão. Um dos chás mais conhecidos para essa finalidade é o de boldo, mas você também pode experimentar outros, como de menta, dente-de-leão etc.

9 – Faça as refeições com calma
Quando você come muito rápido, acaba ingerindo ar demais junto com os alimentos. Esse ar, além de ocupar espaço no estômago, dificulta a digestão. Portanto, mastigue bem e alimente-se devagar.

10 – Emagreça dormindo
Não se esqueça de que o descanso é parte fundamental para uma vida saudável. Se você não respeita as horas necessárias de sono (entre seis e oito horas), não apenas terá dificuldades de se manter acordado e disposto durante o dia como também ganhará quilos com mais facilidade. Pessoas que dormem muito pouco costumam ter ataques compulsivos de fome, ingerem alimentos mais gordurosos e demoram mais para se sentir saciadas.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Saiba quando o álcool está proibido ou liberado

Saiba em quais situações o álcool está liberado e quando ele deve ser evitado

Álcool: pode ou não pode?
Saiba em quais situações é melhor deixar o drinque de lado e quando você tem passe livre para o brinde

Se você está na última dose do antibiótico...
SINAL VERDE Você pode tomar umas doses, pois ao contrário do que pensamos, o álcool não corta o efeito do medicamento. Mas sempre com moderação.

Se você toma antidepressivos...
SINAL AMARELO Neste caso, a bebida acelera o metabolismo e o remédio terá menos tempo de ação e em alguns casos ela potencializa os efeitos colaterais, como sonolência e tontura.

Se você está muito cansada...
SINAL VERMELHO Não é recomendado misturar vodca com energético, por exemplo, para se manter acordada. “A mistura acelera o coração para manter a pressão, resultando em arritmia ou alterações cardíacas”, explica Maria Fernanda Barca, endocrinologista e metabologista (SP).

Você estava com dor de cabeça e recorreu a um anti-inflamatório...
SINAL VERDE Ok, uma cervejinha está liberada, mesmo que possa resultar no retardamento do efeito do remédio. Porém, ele até pode diminuir os sintomas da ressaca.

Fonte: http://corpoacorpo.uol.com.br/corpo-e-rosto/cuidados-com-o-corpo/saiba-quando-o-alcool-esta-proibido-ou-liberado/7786 - Texto Redação Corpo a Corpo | Adaptação Rebecca Nogueira Cesar - Foto: Shutterstock

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

7 razões pelas quais você não perde gordura da barriga

Apesar de se sentir mais leve e até mesmo mais saudável depois que passou a investir em uma dieta mais saudável e praticar exercícios físicos, você ainda fica incomodada com a gordura na barriga que teima em permanecer e parece não diminuir nunca. Existem vários fatores que podem estar contribuindo para o aparecimento ou persistência dos quilinhos extras ao redor da cintura. Confira 7 razões pelas quais você não perde gordura da barriga:

Você está envelhecendo: tanto os homens como as mulheres experimentam declínio na taxa metabólica com o passar dos anos. No caso delas, a situação piora com a chegada da menopausa, que também atrapalha o processo de emagrecimento. Com a ajuda de especialistas, adoção de cardápio mais saudável e exercícios o quadro pode ser revertido a seu favor.

Você está fazendo o treino errado: sozinhos, exercícios de cardio não farão sua barriguinha desaparecer. Neste caso, uma combinação de pesos e treinamento cardiovascular é essencial. Seu personal trainer ou instrutor da academia pode te ajudar a montar uma série de exercícios de acordo com seus objetivos.

Você está comendo muitos alimentos processados: pão branco, biscoitos, açúcares refinados em bebidas açucaradas além de fazerem mal à saúde, são os principais responsáveis pelo acúmulo de gordura na barriga.

Você está ingerindo as gorduras erradas: a ingestão de gordura saturada, encontrada em carne vermelha e laticínios contribuem para o aumento da gordura visceral. Aposte nas gorduras boas presentes em azeite de oliva e abacate, por exemplo.

Você anda estressada demais: o estresse não contribui apenas para o ganho de peso por fazer você comer de forma errada. O cortisol, o hormônio do estresse, ainda pode aumentar a quantidade de gordura do seu corpo, especialmente na região abdominal.

Você dorme pouco ou mal: ter uma noite de sono eficiente, de 7 a 8 horas, é essencial para a saúde e para o emagrecimento. Não ignore este momento tão precioso de descanso.

Você é vítima da genética: existe uma predisposição genética que também atrapalha algumas pessoas que tentam perder a gordura da barriga. Se seu corpo é o do tipo de formato maçã, você certamente precisará de empenho extra para eliminar esses quilinhos localizados.

Fonte: http://www.bolsademulher.com/corpo/11-razoes-pelas-quais-voce-nao-perde-gordura-da-barriga - por Redação Bolsa

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

11 dicas para evitar ou espantar a ressaca

Saiba como evitar ou aliviar o desconforto depois de exagerar na dose

Depois de exagerar na bebida, é comum sofrer com os desprazeres da indesejada ressaca do dia seguinte. Realmente, quem passa do ponto não está livre deste desconforto. Os sinais são clássicos: a cabeça parece que vai explodir, o enjoo, a tontura, a fraqueza e uma sede de matar fazem você desejar nunca ter esvaziado um copo antes. Não é à toa que seu corpo está debilitado. Funciona assim: o organismo gasta glicose para metabolizar o álcool. Glicose é açúcar, açúcar é energia. Resultado: ficamos enfraquecidos. O excesso de álcool também ataca o sistema nervoso central e provoca sono e irritação; corrompe mecanismos químicos cerebrais, ocasionando dor de cabeça; irrita as mucosas do aparelho digestivo, causando náuseas, vômito e diarreia; e inibe a ação do hormônio antidiurético, levando a sede e boca seca. A zonzeira não para aí.

A ingestão excessiva de álcool pode trazer diversos prejuízos à saúde como o ganho de peso e acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal. "O consumo crônico pode causar lesões cerebrais, diabetes tipo 2, úlceras e inflamações no estômago e intestino, hepatite, depressão, lesão nos rins, na bexiga, próstata e pâncreas, entre outras doenças" , alerta a nutricionista Fabiana Honda, da consultoria nutricional Patrícia Bertolucci.

Coma bem
Alimentar-se antes de beber é a regra de ouro contra a ressaca. "Quando bebemos de estômago cheio, os alimentos diminuem a difusão do álcool pelas paredes do estômago e retardam a passagem do álcool para o intestino, onde ele é rapidamente absorvido", explica Fabiana. Dessa forma, o álcool entra gradualmente na corrente sanguínea e demora mais tempo para chegar ao cérebro.

Atenção com o fígado
Procure ingerir alimentos que irão proteger o seu fígado. É ele que fabrica a enzima que digere o álcool e, quando sobrecarregado, produz uma toxina que causa dor de cabeça. Dias antes, encare um suco de beterraba e alho para turbinar o órgão. Inclua na sua refeição alimentos com gordura poli-insaturada, encontrada em peixes e no azeite de oliva extravirgem. Ou então, pegue a sua colher de azeite, despeje-a num prato, adicione sal e mergulhe pedaços de pão na mistura.

Beba moderadamente
A nutricionista Fabiana Honda aconselha intercalar a bebida com quitutes e copos de água. Dessa forma, o álcool não fica sozinho no estômago e, claro, você bebe menos, já que a barriga cheia reduz o espaço para as bebidinhas. "Os petiscos com carboidrato e/ou gordura retardam a absorção do álcool, por exemplo, uma torradinha com patê ou um pedaço de queijo", recomenda. Dê preferência aos queijos, ricos em gordura, e às carnes, fontes de proteína, que facilitam a digestão do álcool. Castanha, amendoim, queijo e, para extrapolar, salaminho são bem-vindos. O sal e a gordura estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool. Mas evite petiscos muito salgados, que aumentam a sede a não ser que você opte por água.

Não beba apenas álcool
Outra dica é colocar gelo ou água no drinque para diluí-lo ou intercalar bebidas não-alcoólicas e alcoólicas. Trocar a água por suco ou refrigerante também pode. Essas bebidas são ricas em carboidratos, que ajudam a metabolizar o álcool.

Não piore a situação
Embora a ressaca seja inevitável se você ingerir muito álcool, ela pode ser ainda pior: destilados, como batidas, licores e uísque, geram mais desconforto por causa da concentração e da mistura de substâncias. Álcool e fumo formam uma dupla nefasta para o organismo. Quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação.

Hidrate-se
A principal causa da ressaca é a desidratação provocada pelo álcool, um potente diurético que estimula a perda de líquido do corpo. Vá de água antes, durante e, principalmente, depois da bebedeira. Antes de dormir, ingira bastante água. Essa tática ajuda seu organismo a metabolizar o álcool enquanto você descansa. Se acordar para fazer xixi, tome mais água. Além de hidratar seu corpo, ela ajuda a eliminar o álcool e livrar-se das toxinas. Suco de acerola, limão e laranja também ajudam, porque bombeiam antioxidantes protetores e vitamina C no seu corpo. Beba isotônicos, para repor os sais minerais perdidos e abuse da água de coco, rica em potássio.

Longe do café
Evite o famoso cafezinho amargo, muitas vezes recomendado para diminuir a dor de cabeça. A bebida também tem propriedades diuréticas, ou seja, desidrata ainda mais o seu corpo.

Alimentação leve
Consuma alimentos de fácil digestão para não estressar ainda mais o organismo, já detonado pelo esforço de processar o álcool. "Para amenizar os efeitos da ressaca, deve-se ter uma alimentação leve, pobre em gorduras, rica em frutas, vegetais e líquidos", ensina Fabiana Honda. Inclua no cardápio os carboidratos complexos, como pão e biscoito de água e sal. O álcool aumenta a acidez e irrita a mucosa estomacal. Os alimentos secos e salgados desaceleram a produção de ácido. Essas comidas também dão energia para o fígado na hora de processar as toxinas e o excesso de bebida. Deixe de lado molho branco, queijos amarelos e fritura.

Não exagere nos remédios
Embora alguns medicamentos ajudem a minimizar os estragos produzidos pelo álcool, como aqueles que unem analgésico (contra dor de cabeça), antiácido (contra a queimação no estômago) e antiemético (contra enjoos), nenhum é capaz de resolver tudo de uma só vez.

Descanse no dia seguinte
Por onde passa, o álcool causa baderna. Dentro da cabeça ele age nos neurônios daí a desinibição e a tonteira. Cerca de cinco horas depois da bebedeira as células cerebrais começam a se recuperar, mas ficam ultrassensíveis. É por isso que a luz e o barulho incomodam tanto. No dia seguinte, os danos ainda são sentidos e é praticamente impossível se concentrar. Repouse. Mantenha a luz apagada, cortinas fechadas e fique deitado. Nesse momento o que o corpo mais pede é descanso.

Invista nos chás
Algumas ervas ajudam a renovar as células hepáticas e, assim, acelerar o processo de purificação das toxinas do álcool que estão no corpo. Chás de salsaparrilha, erva-picão, macela e erva-cidreira são excelentes desintoxicantes. Depois das refeições, o chá verde e o de hortelã facilitam a digestão. E, para uma limpeza mais completa do organismo, selecionamos três receitas de sucos poderosos, elaborados pela consultoria nutricional Patrícia Bertolucci.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/galerias/11058-11-dicas-para-evitar-ou-espantar-a-ressaca

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

5 motivos para ter uma vida sexual ativa

A relação sexual pode melhorar, por exemplo, suas noites de sono e seu humor! Veja mais benefícios
1. Beneficia o sono: durante a relação sexual, produzem-se melatonina e a oxitocina. Tais substâncias estão relacionadas à melhora da qualidade do sono.

2. Alivia a enxaqueca: na hora do sexo, ocorre a mobilização de grande volume de óxido nítrico, capaz de aliviar a dor e melhorar a circulação periférica.

3. Melhora o humor: graças à liberação de endorfinas, os hormônios da felicidade, a sensação de bem-estar aumenta.

4. Aumenta a fertilidade: quando as ejaculações se repetem de três a quatro vezes a cada semana, pode haver maiores índices de fertilidade.

5. Tonifica o assoalho pélvico: durante o orgasmo e a atividade sexual, esses músculos são ativados, o que levaa o fortalecimento da região. O resultado é a prevenção de problemas de incontinência urinária.

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/bem-estar/5-motivos-para-ter-uma-vida-sexual-ativa/4311/ - Texto: Letícia Ronche / Foto: Shutterstock / Adaptação: Clara Ribeiro