sábado, 24 de outubro de 2015

10 qualidades que todo profissional deve se esforçar para ter



Autoconfiança, vontade de aprender e boa comunicação são exemplos importantes. Confira todas as dicas de um especialista

Cada pessoa é única e, naturalmente, possui suas qualidades e seus defeitos. Assim como opiniões são muito relativas: as características de uma pessoa que são vistas por muitos como extremamente positivas, podem, ao mesmo tempo, serem entendidas de maneira negativa por outros.

Porém, do ponto de vista profissional, é possível falar em características admiráveis de forma unânime, e que, certamente, fazem a diferença especialmente na hora de uma contratação (e, consequentemente, no dia a dia de trabalho).

Abaixo, Arnaldo Auad, fundador da Direção e Sentido Coaching e Treinamentos, e do Grupo BD Tecnologia; PNL Practitioner Certificado pela HP Consulting U.S.A.; Certified Professional Coach licenciado pelo BCI (Behavioral Coaching Institute); cita as principais qualidades que um profissional deve se esforçar para ter.

1. Autoconfiança
Para Auad, sem dúvida alguma, uma pessoa confiante e segura tem destaque na vida profissional, por vários motivos. “Um dos que considero mais importantes é que uma pessoa confiante e segura tende a correr mais riscos do que outras, ela ousa mais e se coloca à frente das situações na maioria das vezes”, diz.
 “Penso que não exista uma pessoa 100% segura em todas as coisas, o tempo todo. Todos carregam um pouco de insegurança em algum aspecto de suas vidas. Acredito que o maior desafia seja encontrar o equilíbrio. Excesso de segurança pode levar à arrogância, e excesso de insegurança pode levar a deixar que seu futuro seja decidido por outros. Os extremos nunca são saudáveis”, lembra o coach.
No momento de uma entrevista de emprego, por exemplo, é normal sentir certa insegurança. Mas, é preciso, sobretudo, confiar no que você está fazendo e, uma maneira de demonstrar isso, é olhar nos olhos da pessoa que está realizando a entrevista.
Lembre-se sempre: se você não acreditar em si mesma, ninguém mais o fará!

2. Vontade de aprender
É importante que o profissional se mostre disposto a ouvir e a aprender coisas novas, sempre. Que nunca ache que “já sabe o suficiente sobre determinado assunto”, que é um profissional “totalmente feito” e está em vantagem em relação aos demais colegas de trabalho.
“Ouvir e aprender são fatores fundamentais. Vivemos em um mundo em constante mudança. O que era novidade ontem é obsoleto hoje, e amanhã será substituído. Buscar aprender e se desenvolver é o que manterá cada um de nós vivos, tanto na vida profissional quanto na vida particular”, diz Auad.
“Sugiro, inclusive, que sempre que possível o profissional busque o que está se tornando novidade ou tendência e aprenda o máximo que puder sobre isso, e perceba que quando essa novidade se tornar real, você estará preparada. Preparo e oportunidade, alguns chamam isso de sorte”, acrescenta o especialista.

3. Flexibilidade
Ser uma pessoa adaptável do ponto de vista profissional, sem sombra de dúvida, é importante, de acordo com Auad. “É, inclusive, uma das habilidades mais importantes atualmente. O contexto dos negócios está mudando o tempo todo. Novas demandas, novas formas de fazer negócios, novas habilidades são requeridas todos os dias e para todos. A mudança é algo democrático. Se um profissional não se adapta, ele pode não servir ao novo contexto dos negócios”, diz.
“O elemento mais flexível de um grupo é o mais influente. Há uma máxima que diz: ‘Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças’.”, destaca o coach.

4. Automotivação
Algumas pessoas, para se sentirem mais seguras com o que fazem, esperam, diariamente, um retorno positivo, um elogio, seja por parte do próprio chefe, seja por parte de outra pessoa da equipe. Porém, isso pode ser “arriscado”.
Auad explica que considera importante o conceito da automotivação. “Se manter motivado, movido para ação é o que acredito ser o mais importante, e esse é um desafio individual, de dentro para fora”, diz.
Em outras palavras: você precisa se sentir bem com seu trabalho, sentir que está dando o seu melhor, sem que alguém precise exatamente te dizer isso… Elogios, é claro, são sempre bem-vindos, mas você não deve esperá-los o tempo todo.
“Vivemos em tempos onde as pessoas não são necessariamente mais produtivas e, sim, incrivelmente mais ocupadas. Algumas pessoas não têm tempo ou prioridade para sorrir, interagir, elogiar verdadeiramente. E aguardar que alguém nos motive é perigoso”, ressalta o especialista.

5. Boa comunicação
Ter uma comunicação eficaz refere-se à necessidade de saber se expressar, tanto na hora de falar, como escrever. Está relacionada ainda com a capacidade de saber ouvir e, consequentemente, falar “na hora certa”, respeitando o “espaço” do outro.
“A comunicação move as pessoas. Comunicar-se corretamente é uma das chaves para o sucesso”, lembra Auad.
“Um ponto a considerar é que a qualidade da comunicação está relacionada a como a mensagem é recebida e entendida e essa responsabilidade de quem comunica. Se fazer entender é um desafio. Tenha em mente que palavras são a expressão simplista de uma experiência possivelmente profunda. Cada palavra carrega em si mais do que seu significado, carrega uma experiência. Reconhecer isso e praticar com leitura, por exemplo, é um ótimo caminho”, acrescenta o coach.

6. Saber trabalhar em equipe
Uma das demandas mais comuns atualmente é justamente saber trabalhar em equipe, conforme destaca Auad. “As empresas já descobriram há algum tempo que a soma das partes pode ser maior que o todo. Ter equipes com atitudes e habilidades multidisciplinares é uma das ferramentas para colocar a empresa à frente da concorrência. Nesse contexto, saber lidar com as várias habilidades das pessoas ao redor e reconhecer que nem todo o conhecimento reside em si e que todos têm algo a aprender e a acrescentar é algo muito valioso atualmente”, explica.

7. Honestidade/Responsabilidade
Parece óbvio que todo profissional deva ser honesto e responsável: por exemplo, que não minta que está doente para faltar do serviço; que utilize seu horário de expediente para, de fato, trabalhar; que cumpra diariamente aquilo que se comprometeu a fazer; que não abuse de um horário flexível, se for o caso; que não mexa em coisas que não são suas; que não tenha o desejo de prejudicar o serviço de um colega etc. Mas é sempre bom frisar a importância dessas qualidades que, na verdade, são essenciais, tanto na vida pessoal como profissional.
Porém, conforme destaca Auad, avaliar se um candidato a emprego é realmente confiável/honesto, é uma das atividades mais complexas e subjetivas que o RH tem que desempenhar. “Acredito que não exista exatidão nessa avaliação, agora é possível encontrar os indícios de que um candidato é confiável. As dinâmicas de grupo são instrumentos que podem facilitar o processo. Há dinâmicas que podem colocar os candidatos em situações onde a confiabilidade pode ser provada”, comenta o especialista.

8. Profissionalismo
Profissionalismo pode ser resumido aqui como o “procedimento característico dos bons profissionais (seriedade, competência, responsabilidade etc.)”, reunindo, assim, várias qualidades (inclusive algumas já citadas).
Porém, é sempre bom destacar a importância de se ter profissionalismo. Não exclusivamente no sentido de “ser competente no serviço que faz”, mas, sim, de levar a sério tudo aquilo que faz enquanto está trabalhando; de se esforçar para fazer o melhor; de se vestir corretamente (de acordo com as necessidades do seu emprego); de respeitar ao próximo; de reconhecer que tudo tem sua hora (por exemplo, horário de serviço não é momento de ficar ao telefone resolvendo problemas pessoais); de não levar informações confidenciais para fora da empresa etc.
Auad destaca que, em termos gerais, profissionalismo está relacionado com a capacidade de uma pessoa realizar seu trabalho de forma produtiva e de acordo com o necessário e previsto. “É possível perceber se uma pessoa é um bom profissional quando ela se depara com um conflito possivelmente ético. Como ela se porta frente a uma situação onde o que é necessário profissionalmente conflita com o que ela gostaria de fazer se não estivesse naquela posição. Um profissional age conforme as necessidades profissionais demandam naquele momento. Se o que prevalece é a necessidade profissional, você pode estar diante de um bom profissional”, comenta.

9. Ser amigável
Nem todo mundo tem consciência disso, mas é muito importante ser uma pessoa amigável com as demais pessoas do trabalho.
Ser uma pessoa amistosa, confiável, flexível coloca o profissional na linha de frente(…)
“Os relacionamentos interpessoais são a graxa que move as complexas engrenagens da sociedade e do mundo corporativo. Ser uma pessoa amistosa, confiável, flexível coloca o profissional na linha de frente. Quanto melhores e mais profundos forem os relacionamentos, mais simples será a vida de uma pessoa. Temos que lembrar que antes de interagirmos com os negócios, máquinas e processos, lidamos com pessoas”, destaca Auad.
Aqui entra também a questão do bom-humor: claro que ninguém consegue sorrir 24 horas por dia, mas é importante se esforçar para ser uma pessoa agradável, que não “desconta” seus problemas e suas frustrações nos colegas de trabalho; que sempre se lembra de usar palavras como “por favor”, “obrigada”, “bom dia”, “boa tarde”; que está disposta a ajudar ao próximo quando solicitado etc.

10. Liderança
“A capacidade de liderar é algo que multiplica o potencial e a produtividade de uma pessoa. Se você avaliar com cuidado, perceberá que há um limite quanto à capacidade de absorver e praticar conhecimentos. Se uma pessoa pode ser especialista em um assunto, não significa que será líder em função desse conhecimento. Exercer a liderança requer mais do que o conhecimento acadêmico e formal, requer conhecer pessoas, suas necessidades e desejos”, destaca Auad.
“Extrair o melhor de cada profissional cria um cenário onde potenciais são realizados e equipes comuns tornam-se extraordinárias. Desenvolver a liderança é um desafio diário e extremamente recompensador”, acrescenta o coach.
Uma maneira de tentar desenvolver seu potencial de liderança, além de tirar proveito das suas experiências diárias e do (bom) relacionamento que você tem com seus colegas de trabalho, é apostar em alguns cursos (presenciais ou online) e palestras que tratam do assunto. Fica a dica!
Por fim, vale lembrar: o sucesso profissional está também muito relacionado a trabalhar com aquilo que você gosta. Este será o ponto inicial para você desenvolver ou melhorar várias capacidades, as quais farão de você uma profissional competente e admirável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário