segunda-feira, 22 de abril de 2013

Jogos para o cérebro funcionam?


Quem não gostaria de turbinar um pouco o cérebro? Algumas pessoas por necessidade, outras por vaidade, outras ainda para aprimorar a si mesmas.

As razões para tentar ficar mais esperto e inteligente são as mais diversas, mas, geralmente, todos têm uma coisa em comum: tentam usar jogos de treinamento cerebral para isso.

Para estas pessoas, as notícias não são tão boas. Novos estudos sugerem que os jogos para o cérebro não melhoram os processos mentais ou o QI dos jogadores, apenas os deixam melhores naqueles mesmos jogos.

Os estudos céticos surgem uma década década depois de outras pesquisas sugerirem que jogos para o cérebro funcionavam, o que havia sido acompanhado pela criação de companhias como Cogmed, Lumosity, Jungle Memory e CogniFit, que vendem jogos para crianças, velhos e adultos.

E a nova informação já criou um impasse. Executivos destas empresas insistem que a nova descoberta tem falhas, enquanto os pesquisadores afirmam que é antiético vender um software que não funciona, especialmente a públicos vulneráveis como crianças com problemas de aprendizado ou idosos preocupados com o declínio cognitivo.

Um estudo comparou os efeitos de jogos de treinamento dual n-back, um tipo de programa de treinamento popular no Vale do Silício, com um jogo placebo e com nenhum jogo. Os pesquisadores de três diferentes universidades americanas chegaram à conclusão que o jogo melhorava a capacidade dos jogadores nos jogos, mas não em testes independentes de inteligência fluida, inteligência cristalizada, multitarefas e outras capacidades.

Outro estudo tentou repetir os resultados de pesquisas anteriores que mostravam que certos exercícios melhoravam a inteligência fluida, importante para o aprendizado e associada ao sucesso profissional. O novo estudo não conseguiu repetir tais conclusões.

Por fim, uma revisão analisou 23 estudos anteriores sobre jogos para o cérebro, ponderando as pesquisas pelo rigor de sua execução e pelo número de participantes incluídos. De forma semelhante aos outros estudos, a meta análise descobriu que as pessoas apenas ficavam melhores nos jogos que praticavam, mas estas habilidades não eram transferidas para outras áreas, como habilidades verbais e não verbais, aritmética ou atenção.

Entretanto, estas análises não compararam os resultados dos jogos em crianças saudáveis em comparação com crianças com problemas de aprendizado, ou entre adultos normais e adultos diagnosticados com declínio cognitivo. O primeiro e o segundo estudos trabalharam com jovens saudáveis, e a meta análise examinou estudos sobre jogos que envolveram todo tipo de pessoas.

A conclusão é que, pelo menos para pessoas normais, estudar e jogar xadrez, apesar de ser divertido, só vai te deixar melhor em jogar xadrez. Se você quiser melhorar a memória, terá que fazer caminhadasdormir bem e praticar técnicas de memorização. [PopsciThe New Yorker]

3 comentários:

  1. essas pesquisas são uma merda, quem faz essas pesquisas são uns inúteis...

    ResponderExcluir
  2. Você gostaria de receber milhares de visitas no seu Blog ou Site todos os dias?
    Conheça WWW.DIVULGABLOGSITE.COM
    Uma ideia simples porém genial!
    Um muro onde você cola nele o Banner do seu Blog
    ou
    Cola o nosso Banner na sua área de parceiros e aparece de graça automaticamente listado na página segundaria: divulgablogsite.com/referrer.php (a segunda página de maior visita do site)
    Recebemos uma média de 7 milhões de visitas diárias no muro!
    Mais de 400 Blogs já colaram nosso Banner, grave sua marca neste muro e faça parte da história da internet brasileira.




    Would you like to receive thousands of hits on your blog or website every day?
    Meet WWW.DIVULGABLOGSITE.COM
    A simple but brilliant idea!
    A wall where you paste it to your Blog Banner


    O único site totalmente gratuito especializado em promover encontros infiéis entre casados Trair.tk , apoia esta ideia.

    ResponderExcluir
  3. Acredito no impacto do jogo, mas não isoladamente, e não constante, acho q a hora de abandonar o jogo é quando começams a ficar bons neles, o segredo é forçar o cérebro a aprender aquela atividade. Pois a longevidade cerebral tem a ver com o ato de aprender. Coisas novas e de certa forma com algum prazer... Mas não adianta se matar em testes de raciocínio lógico ou matemáticos se a gente não dorme e se alimenta bem, ou não fazemos atividades físicas, pois todos esses fatores influenciam na plasticidade e melhora cerebral. Aprender coisas diferentes e novas já foi estudado como uma forma de manter o cérebro jovem, isso traduz muita coisa pra mim... Afinal o ser humano foi feito. Para evoluir! Em outta s palavras aprender até morrer :D

    ResponderExcluir