quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Como mudanças bruscas de temperatura afetam a saúde


Além de nos deixar sem saber o que vestir, a alternância entre dias frios e quentes tem efeito sobre o organismo, que vão da imunidade a problemas cardíacos e alterações no humor

 

Há consenso entre cientistas de que o clima tem um efeito profundo sobre nossa saúde e bem-estar, sendo associado a desde mudanças nas taxas de natalidade a surtos de pneumonia, gripe e bronquite.

 

No frio, o corpo gasta mais energia para se manter aquecido, o que acaba reduzindo a capacidade de defesa do organismo. Além disso, ambientes fechados, com grande quantidade de pessoas, facilitam a transmissão de vírus.

 

Mudanças bruscas de temperatura também costumam deixar as pessoas com imunidade baixa, aumentando o risco de doenças sobretudo para crianças e idosos. Nos mais velhos, a chamada amplitude térmica pode até mesmo levar à morte.

 

Problemas respiratórios e cardíacos

Para as pessoas que já sofrem de doenças respiratórias, a mudança brusca de temperatura é particularmente perigosa, com problemas como asma e rinite podendo se agravar.

 

Num estudo, pesquisadores da Universidade de São Paulo testaram a influência de mudanças bruscas de temperatura em pacientes com e sem rinite alérgica crônica. Eles foram colocados, em sessões alternadas de 30 minutos cada, numa câmara a 14°C e em outra a 26°C.

 

Os resultados apontaram que quem sofre de rinite alérgica tem mais chance de desenvolver sintomas respiratórios e oculares quando exposto a alterações repentinas de temperatura. Os pacientes com a doença relataram coceira e ardor nos olhos, além de falta de ar. A oscilação dos termômetros foi simulada com ar condicionado.

 

Segundo Carlos Carvalho, professor de Pneumologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, as vias aéreas são preparadas para permanecer numa temperatura constante. Por isso, mudanças bruscas de temperatura podem gerar irritação, mesmo em quem não sofre de asma e rinite, disse em entrevista a Drauzio Varella.

 

Em períodos marcados por mudanças de temperatura e dias secos de inverno, é essencial beber bastante água para ajudar a manter úmido o muco que protege as vias respiratórias. Além disso, é recomendável tomar vacina contra gripe, se alimentar e dormir bem, se agasalhar e deixar o ar circular em locais fechados.

 

Mudanças bruscas de temperatura também podem provocar problemas cardíacos. Quando a oscilação de temperatura é do frio para o quente, o sangue fica mais espesso, e as artérias, contraídas, e a pressão tende a cair, aponta Max Grinberg, professor do Hospital das Clínicas da USP. Assim, é necessário mais esforço para bombear o sangue pelo corpo.

 

Já quando a alteração repentina é do quente para o frio, a pressão aumenta, e pode ocorrer uma crise hipertensiva. Pessoas com problemas cardíacos são, portanto, mais suscetíveis a mudanças de temperaturas.

 

Alteração de humor

Também há indícios científicos de que o clima pode afetar o humor, para além do desânimo comum diante de um céu nublado ou chuvoso. O chamado transtorno afetivo sazonal é um tipo de depressão que geralmente se manifesta no outono e no inverno.

 

O transtorno pode ser causado por alterações no relógio biológico e no equilíbrio químico do corpo. Nas estações mais frias, os níveis de melatonina e serotonina – que regulam o humor e o sono – podem ser afetados, levando à depressão.

 

As pessoas que vivem em climas frios são mais propensas a desenvolver o transtorno afetivo sazonal, devido ao menor número de horas de luz solar durante o outono e o inverno.

 

Estudos sugerem que temperaturas mais altas ou mais baixas podem afetar nossa capacidade de tomar decisões complexas. E, neste quesito, o clima frio parece ser mais vantajoso.

 

Isso tem a ver com a regulação da temperatura corporal. Enquanto no calor, suamos, para manter uma temperatura interna saudável, no frio, trememos para evitar a hipotermia. No entanto, resfriar o corpo parece requerer mais energia que aquecê-lo.

 

Assim, no calor sobra menos energia, em forma de glicose, para o cérebro, afetando os processos mentais. Portanto, quando a próxima onda de frio chegar, talvez seja hora de tomar grandes decisões.

 

Fonte: https://www.revistaplaneta.com.br/como-mudancas-bruscas-de-temperatura-afetam-a-saude/ - Texto: Deutsche Welle 

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

7 Dicas para manter a coluna saudável


Cuidar da coluna é cuidar da sua qualidade de vida e bem-estar

 

Quem tem ou já teve algum problema de coluna sabe o quando as dores e a dificuldade de locomoção prejudicam a qualidade de vida. Então, a melhor coisa a fazer é tomar os cuidados recomendados pelos médicos e fisioterapeutas para manter a coluna saudável.

 

1. Quando estiver muito tempo de pé

Procure dar algumas caminhadas, evitando ficar sempre na mesma posição e totalmente parado por muito tempo. Use sapatos confortáveis e tome cuidado para não curvar a parte das costas que fica mais próxima ao pescoço.

 

2. Quando estiver sentado

A postura correta para se sentar é apoiando as costas no encosto da cadeira e mantendo os joelhos um pouquinho acima do nível do quadril, com os pés bem apoiados no chão. Quem trabalha em frente ao computador, deve estar com a tela na altura dos olhos para que a cabeça fique reta.

 

3. Pegar um objeto no alto

Evite esticar todo o corpo ao máximo quando precisar alcançar algo que está acima do nível dos seus ombros. O ideal é subir em uma escada ou banquinho.

 

4. Pegar um objeto no chão

Não curve a coluna para baixo. O correto é se agachar e alcançar o objeto que deseja pegar. Para subir, deve usar a força dos músculos das coxas, e nunca da coluna.

 

5. Deslocar objetos pesados

Quando precisar pegar uma caixa ou outro objeto pesado do chão, siga a mesma dica anterior. Agache-se ao máximo, com as pernas ligeiramente afastadas e os pés bem firmes no chão, pegue o objeto com firmeza e depois suba, sem dobrar a coluna.

 

6. Para dormir

Além de investir em um colchão adequado para o seu peso e altura, se você dorme de lado, coloque um travesseiro entre os joelhos para reduzir a pressão sobre a coluna. O travesseiro não deve ser muito alto a ponto de manter seu pescoço curvado.

 

7. Faça alongamentos todos os dias

Pode ser por 5 minutinhos logo ao acordar, ainda na cama. Estique seu corpo todo, com cuidado, para que todos os músculos se alonguem e se preparem para todos os movimentos que você for fazer no dia, sem forçar sua coluna.

 

Fonte: https://www.dicasonline.com/dicas-manter-coluna-saudavel/ - por Priscilla Riscarolli

terça-feira, 3 de agosto de 2021

8 Coisas que não devem ficar no banheiro


O banheiro é um local de fácil proliferação de germes e com muita umidade, o que não é bom para muitos itens que se costuma deixar por lá e para sua saúde

 

O banheiro é um ambiente que precisa de atenção extra no quesito higiene porque é onde são deixadas as sujeiras do corpo e onde a umidade se acumula por causa do chuveiro. Esses dois fatores exigem que você tome cuidado com o que vai deixar no banheiro, evitando a proliferação de mofo e a contaminação de objetos com coliformes fecais, fungos e bactérias. Então, confira quais são as coisas que não devem ficar no banheiro.

 

1. Jogo de banheiro

Tapetes e capa de vaso sanitário são itens que muita gente usa no banheiro para decorar. Mas, a menos que você tenha o hábito de trocar de jogo toda semana e lavar o que estava sendo usado, saiba que essas peças ficam contaminadas. A capa de vaso sanitário principalmente, pois entra em contato direto com os coliformes fecais.

 

2. Roupas

Evite deixar roupas penduradas no banheiro para usar depois, principalmente roupas íntimas. Pode parecer que não, mas elas também abrigam fungos da umidade e coliformes fecais, principalmente em banheiros pequenos.

 

3. Vários rolos de papel higiênico expostos

Se tiver que guardar o pacote de papel higiênico no banheiro, sem problemas. Procure deixá-los dentro de um armarinho, protegidos da umidade, pois lembre-se que eles vão entrar em contato com suas partes íntimas e você não quer que transmitam fungos para o seu corpo.

 

4. Toalha de banho e pano de chão

É claro que você deve ter esse itens no seu banheiro, mas a dica aqui é pendurá-los no varal depois de usar para evitar que permaneçam molhados e encham de fungos e bactérias. Quando for tomar banho de novo, leve o pano de chão e as toalhas de volta ao banheiro.

 

5. Remédios

Por causa da umidade do banheiro, os remédios podem ter sua composição alterada e não funcionarem como deveriam, mesmo estando em frascos fechados. Prefira guardar os remédios em um local mais seco, arejado e protegido da luz do sol.

 

6. Lâmina de depilação em local molhado

Depois de usar a lâmina, enxague bem e dê batidinhas para eliminar o excesso de água, depois coloque-a em um local seco, tipo dentro do armarinho, onde não vá permanecer molhada. Evite deixar sobre a pia ou dentro do box, pois ela oxida e a ferrugem pode contaminar seu corpo no próximo uso.

 

7. Joias

Assim como acontece com a lâmina, as joias são danificadas pela umidade do banheiro, mesmo ficando em uma área longe da torneira ou do chuveiro.

 

8. Maquiagem

A maquiagem que fica exposta à umidade do banheiro perde a validade mais rápido do que deveria. Além do mais, os pincéis e esponjas de aplicação absorvem umidade e germes, transmitindo para sua pele.

 

Fonte: https://www.dicasonline.com/coisas-que-nao-devem-ficar-no-banheiro/ - por Priscilla Riscarolli - Pinterest

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Covid-19: Este sintoma diminui a libido e vontade de ter relações


Um dos três principais sintomas novo coronavirus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, pode reduzir a libido e a vontade ter relações sexuais, alerta um novo estudo.

 

Em maio do ano passado a anosmia- também conhecida como perda do paladar e do olfato - foi listada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um dos principais sinais de infecção pelo novo coronavírus.

 

Tal ocorreu, após as autoridades de saúde terem detectado inúmeros casos de doentes com Covid-19 que relataram o sintoma e agora os pesquisadores já associaram o sinal à diminuição do apetite sexual, reporta um artigo publicado no jornal britânico The Sun.

 

Leia Também: Duração da pandemia aumenta sentimentos negativos, mas pessoas se dizem mais solidárias, diz pesquisa

 

A OMS identifica entre os três principais sintomas da Covid-19: uma nova tosse persistente, temperatura elevada e perda de paladar e de olfato ou anosmia.

 

Se tiver algum desses sintomas, então deve se isolar e contactar o médico. Mas é provável que se você e o seu parceiro estejam em isolamento e a experienciar a falta de olfato, que ocorra uma diminuição da libido.

 

Investigadores norte-americanos afirmam que o olfato pode desempenhar um papel importante na motivação sexual e ambos estão "intimamente ligados".

 

Num artigo publicado no The Journal of Sexual Medicine, os especialistas disseram que a satisfação emocional diminuiu em adultos mais velhos que apresentaram o sintoma.

 

Para efeitos daquela pesquisa, foram analisados 2.084 adultos com 65 anos ou mais e foi observado como a perda do olfato impactava nos desejos sexuais dos idosos.

 

De modo a medirem o seu olfato, os investigadores usaram varas de cheiro e associaram esse elemento à frequência de pensamentos sexuais dos indivíduos através de um questionário.

 

Os cientistas questionaram os voluntários sobre o quão satisfeitos estes haviam ficado com a sua experiência sexual mais recente.

 

Jesse K. Siegel, líder do estudo e professor na Universidade de Chicago, disse: "a diminuição da função olfativa em idosos nos EUA foi associada à diminuição da motivação sexual e da satisfação emocional com o sexo, mas não à diminuição da frequência de atividade sexual ou prazer físico".

 

"A nossa pesquisa revela que um declínio na função olfativa pode afetar o prazer sexual nos adultos mais velhos", acrescentou.

 

"Portanto, causas tratáveis de perda sensorial devem ser abordadas por clínicos de forma a melhorar a saúde sexual".

 

O olfato é a forma como o corpo processa o cheiro. Podendo ajudar a detectar feromônios um tipo de químicos que atuam como hormônios fora do corpo humano.

 

Segundo os investigadores: "o olfato tem uma forte conexão evolutiva com o sistema límbico, que desempenha um papel crítico no processamento de emoções e motivação sexual".

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/1827661/covid-19-este-sintoma-diminui-a-libido-e-vontade-de-ter-relacoes - © Istock

José Costa: 36 anos de graduação em Educação Física pela UFS


     Acredito que o maior sonho de qualquer estudante é o de passar no vestibular em um curso escolhido por ele e poder no futuro trabalhar no que gosta. E assim, aconteceu comigo quando estudava a 8ª série, em 1976, ao praticar basquete no Colégio Estadual Murilo Braga com o Professor Romilto Mendonça. Naquele momento, resolvi que queria ser professor de educação física.

 

     Em 1979, quando cursava o 3º Ano Científico e jogava basquete na categoria B com o Professor José Antônio Macedo, ele já sabendo do meu interesse em ser professor, convidou-me para ser seu auxiliar nos treinos da categoria A masculino, proporcionando a mim aprendizagem para a futura profissão. Depois que passaram os jogos estudantis, o Professor Gercivaldo Santos me propôs a dar iniciação de basquete a uma de suas turmas femininas sob sua orientação e assim eu fiz. Essas duas ações incentivaram a alimentar o meu sonho de ser professor de educação física.

 


     Em janeiro de 1980, fiz o vestibular para o Curso de Licenciatura Plena em Educação Física da Universidade Federal de Sergipe e fui aprovado a estudar no 1º período. Com a aprovação, solicitei a UFS o direito de morar na “República”, casa alugada pelo DAA da UFS, que servia de alojamento para os alunos do interior, mas a vaga foi negada a mim. Na época, minha mãe não tinha recursos financeiros suficientes para custear as minhas despesas com alimentação e viagens todos os dias para Aracaju. Então, tive a ideia de procurar o líder político Chico de Miguel para lhe pedir a indicação de um emprego como professor de educação física do Estado, especificamente no CEMB, escola que eu tinha estudado por 7 anos. Contei o que tinha ocorrido e ele me encaminhou à DRE’3 para tirar os documentos necessários para o trabalho. Na época, o Governo do Estado permitia que acadêmicos da UFS pudessem lecionar. Durante todo o curso, eu estudava na UFS e ensinava educação física no CEMB.

 

     No primeiro ano do curso, só fiz matérias teóricas nos Centros Acadêmicos da UFS, no centro de Aracaju, a exemplo do prédio que atualmente funciona o IPES, próximo ao Colégio Atheneu. Eu viajava para Aracaju no ônibus dos estudantes que saía da Avenida Dr.  Luiz Magalhães. As aulas práticas eram realizadas no Campus Universitário em São Cristóvão, pois apenas o Departamento de Educação Física funcionava lá.

 

     Em 1981, comecei a ter aulas práticas, a exemplo da disciplina Desportos Coletivos, mas infelizmente adoeci de pneumonia e fiquei afastado do curso por um mês para o tratamento da doença com o Dr. Bertrand Góis. Retornei para as aulas, mas tive uma recaída da doença, o que forçou o meu afastamento do curso naquele período. Em agosto, retornei às aulas, estudando as disciplinas que tinha perdido no 1º semestre. A partir desse ano, comecei a viajar de Kombi com Juarez e também com Silva. Foram centenas de viagens Itabaiana-Aracaju-Itabaiana e graças a Deus nunca presenciei nenhum acidente.

 

      A cada ano, os horários das minhas aulas sempre mudavam, pela manhã ou pela tarde e à noite, era quando precisava trocar de horário no trabalho no CEMB, e felizmente tive um excelente amigo e colega de profissão, José Antônio Macedo, que como nós ensinávamos a mesma modalidade, o basquete. Ele mudava seu horário de trabalho para permitir que os meus estudos pudessem continuar sem atrasos.

 

     O curso de Educação Física, além das disciplinas esportivas, também oferecia matérias de outros departamentos, a exemplo de Ciências Biológicas e da Saúde e eu fiz algumas que eram obrigatórias e outras optativas. No 10º período, que era para ter sido o último, acabei me matriculando na disciplina Fisiologia Humana do curso de Medicina, mas infelizmente, fui reprovado, por sinal, foi a única disciplina que reprovei durante o curso e tive que adiar a minha formatura para o 1º período do ano seguinte, 1985. Como faltavam apenas 4 créditos, eu me matriculei na disciplina Judô, que tinha apenas uma aula por dia, de terça a sexta. Ao final do semestre, fui aprovado na disciplina e pude me formar como Professor de Educação Física.

 


     Como eu atrasei o curso por causa do meu trabalho, da doença e da perda de uma matéria no 10º período, acabei me formando com uma turma que não era a minha no início dos estudos. A maioria dos colegas que se formaram comigo eram do 1º período de 1982. Dos 35 formandos de 1985.1, cinco eram de Itabaiana Aelson, Benjamim, Henrique, José Costa e Valtênio. Os demais foram: Amabílio, Ana Angélica, Ana Muffareg, Ana Zilda, Antonina, Bárbara, Carlos Alberto, Carlos Henrique, Clay Barros (in memoriam), Cleber (in memoriam), Clédida, César, Dansílvia, Elileuba, Florita, Gilson, Helenita, Ivana, João José, Joran, Jorge Leite (in memoriam), José Antônio, Josefa Virgínia, Leida Lima, Lucineide, Maria Auxiliadora, Maria Vilma, Manoel Mário, Marta, Nairson (in memoriam) e Rosalanda.

 

     Tive excelentes e competentes professores em todos os departamentos da UFS, e em especial, os mestres do Departamento de Educação Física, foram eles: Aline, Betinho, Cândido (in memoriam), César Cabral,  Conceição, Dagoberto (in memoriam), Edma, Dr. Evandro, Fernando, Homero (in memoriam), Jurinha (in memoriam), Márlio, Martinha, Maurício, Pedro Jorge, Plínio, Sérgio Giansante e Shizuca (in memoriam).

                                     


    
Em 02 de agosto de 1985, chegou o tão sonhado dia da formatura. Pela manhã, no Departamento de Educação Física no Campus Universitário, ocorreu a Aula da Saudade que foi ministrada pelo Professor César Cabral e, posteriormente, o Descerramento da Placa. À noite, às 18 horas, ocorreu a Missa em Ação de Graças na Igreja de Nossa Senhora Menina no Bairro São José, em Aracaju, e até hoje quando ouço a música “Pra não dizer que falei das flores”, de Geraldo Vandré, vem à lembrança a minha formatura, pois foi a canção de entrada dos formandos. A partir das19h30, ocorreu a Colação de Grau no Ginásio de Esportes Constâncio Vieira, com a presença dos alunos formandos e seus familiares. Estavam me acompanhando a minha mãe, Maria da Graça Costa (in memoriam) e minha noiva, Josefa Madileide de Carvalho. Foi um dia muito especial que nunca esquecerei pela concretização de um sonho que tive aos 15 anos em ser Professor de Educação Física.

 


     Alguns dias após a formatura, eu, Aelson, Benjamim, Henrique e Valtênio convidamos os professores do Departamento de Educação Física da UFS e nossos familiares e realizamos uma festa de confraternização no Bar de Silveira, onde atualmente fica a Galeria Zumar Center em Itabaiana. Como eu, Benjamim e Valtênio já trabalhávamos no Colégio Estadual Murilo Braga, fizemos uma festa para nossos alunos em comemoração à nossa formatura.

 

     Em agosto de 2015, foi realizado um encontro da turma de formandos 1985.1 e os ex-professores do Departamento de Educação Física da UFS para comemorar os 30 anos de formatura. Infelizmente, por problemas pessoais, não fui ao encontro com os colegas.

 

     Hoje, 02 de agosto de 2021, não só eu que está comemorando 36 anos de formatura no Curso de Educação Física pela UFS, mas todos os formados naquela oportunidade e que atuam ou atuaram na educação sergipana como professores de Educação Física.

 

     Graças aos conhecimentos adquiridos no Curso de Educação Física venho contribuindo ao longo de 41 anos na formação integral de milhares de alunos dos Colégios Murilo Braga, Graccho Cardoso, Salesiano, Dom Bosco e O Saber. Rogo a Deus que Ele ilumine e abençoe todos os dias de minha vida com saúde para que eu possa continuar trabalhando a favor dos estudantes por muitos e muitos anos.

 

Professor José Costa

domingo, 1 de agosto de 2021

Cinco formas de reduzir a fome e o apetite


Para perder peso, geralmente é necessário reduzir a ingestão diária de calorias, o que leva ao aumento do apetite

 

As dietas para perda de peso geralmente levam ao aumento do apetite e à fome. Por isso, é fácil desistir.

 

Porém, a Healthline tem umas dicas eficazes para reduzir o apetite, sem estragar a dieta.

 

1. Coma bastante proteína: incluir proteína suficiente na sua dieta pode ajudar a promover a perda de peso, em parte por diminuir o apetite.

 

2. Opte por alimentos ricos em fibras: comer uma dieta rica em fibras pode diminuir a fome e ajudá-lo a ingerir menos calorias. Também pode promover a saúde a longo prazo.

 

3. Escolha alimentos sólidos em vez de líquidos: Comer as suas calorias em vez de bebê-las pode ajudá-lo a comer menos sem sentir mais fome.

 

4. Beba café: Beber café, especialmente descafeinado, pode ajudar a reduzir a fome até três horas.

 

5. Abasteça-se de água: Beber líquidos com poucas calorias antes de uma refeição pode ajudá-lo a comer menos calorias sem deixá-lo com fome.

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/1817808/cinco-formas-de-reduzir-a-fome-e-o-apetite - © iStock

sábado, 31 de julho de 2021

Seis coisas que deve lavar todos os dias


Saiba quais são as limpezas que fazem a diferença na sua casa

 

Para evitar acumulação de sujeira e bactérias na sua casa, há zonas e itens que deve limpar todos os dias.

 

Claro que o tempo pode ser curto, mas acrescentar estas tarefas à sua rotina diária irá fazer uma diferença enorme na sua casa no longo prazo. Eis o que deve limpar todos os dias, segundo o site Good House Keeping:

 

1- Toalhas das mãos. Podem não parecer sujas mas as tolhas das mãos da casa de banho e especialmente os panos da cozinha que usa para secar as mãos ou a louça são, de acordo com vários estudos, o item mais contaminado da sua casa.

 

2- Balcões da cozinha. Já pensou em tudo o que passa pelos seus balcões da cozinha? Dinheiro, chaves, sacos de compras, comida, cartas do correio, etc. É por isso que devem ser limpos e desinfectados diariamente.

 

3- Paredes do chuveiro. A forma mais fácil de manter as paredes e a base de chuveiro limpos é fazer uma manutenção regular. Para evitar as manchas de mofo basta passar uma esponja, água e secar bem os azulejos e a base depois de cada utilização.

 

4- Pias e lavatórios. Depois de lavar as mãos, os dentes ou a louça a base da pia e do lavatório ficam cheios de bactérias, por isso deve desinfetá-las com frequência.

 

5- Louça suja. Deixa a louça suja do jantar na pia para lavar no dia seguinte? Os restos de comida que ficam na louça suja vão atrair insetos durante a noite, além disso a louça fica mais ressecada, tornando a sua lavagem mais difícil.

 

6- Chão da cozinha. Enquanto cozinha ou come é normal que caiam migalhas ou cabelos no chão, no final da refeição, passe pelo menos a vassoura. 

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/1826816/seis-coisas-que-deve-lavar-todos-os-dias - © Shutterstock

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Estudos revelam 21 maneiras de diminuir o risco de Alzheimer


Promover o estímulo mental, evitar obesidade e hipertensão ajudam a adiar o desenvolvimento da doença degenerativa do cérebro, afirmam investigadores

 

A ingestão excessiva de álcool, o sedentarismo, o tabagismo e um regime alimentar pobre em nutrientes, que aumente o risco de obesidade, diabetes e hipertensão são os principais fatores de risco, segundo a publicação.

 

O estudo sublinhou que há um maior risco de ocorrência de quadros de demência em pessoas negras, em asiáticos, grupos marginalizados e em populações economicamente desfavorecidas.

 

A meta-análise analisou 395 estudos prospectivos observacionais e ensaios clínicos randomizados.

 

Os acadêmicos determinaram que dois terços das intervenções mais promissoras focavam-se em alterações simples no quotidiano que levam a uma vida saudável, focadas em evitar fatores de risco para patologias cardíacas, como pressão alta e elevados níveis de colesterol 'mau' (LDL'.

 

Formas que ajudam a evitar e a retardar o desenvolvimento de Alzheimer, de acordo com as duas meta-análises realizadas:

 

1. Manter o nível adequado de açúcar no sangue e o peso sob controle para evitar diabetes.

2. Manter o peso num nível saudável, normalmente abaixo de um Índice de Massa Corporal (IMC) de 25.

3. Obter o máximo de habilitações acadêmicas a partir da infância.

4. Evitar traumatismo craniano (como concussões).

5. Manter-se cognitivamente ativo lendo e aprendendo continuamente coisas novas.

6. Evitar ou controlar a depressão.

7. Gerir o estress.

8. Tratar a hipotensão ortostática (sensação recorrente de tontura ao se levantar).

9. Manter a pressão arterial sob controle a partir dos 40 anos.

10. Examinar os riscos de perda de audição ao longo da vida e usar aparelho auditivo se necessário (perda auditiva está associada a dano na região cerebral ligado à memória).

11. Evitar níveis elevados de homocisteína, um aminoácido que pode contribuir para a formação de coágulos nos vasos sanguíneos e danos nas artérias (prevenção com base em suplementação de vitaminas do complexo B, com recomendação médica).

12. Praticar exercício físico.

13. Gerir a fibrilação atrial, que é uma frequência cardíaca rápida e irregular devido a sinais elétricos caóticos no coração (com acompanhamento médico regular).

14. Comer alimentos ricos em vitamina C ou tomar suplementos.

15. Reduzir a exposição à poluição do ar e a fumaça passiva do tabaco.

16. Evitar o abuso de álcool.

17. Evitar o hábito de fumar.

18. Dormir horas adequadas.

19. Evitar terapia de reposição de estrogênio no pós-menopausa.

20. Evitar a toma de medicamentos para demência como prevenção.

21. Combater a pobreza e a discriminação racial.  

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/1826947/estudos-revelam-21-maneiras-de-diminuir-o-risco-de-alzheimer - © iStock

quinta-feira, 29 de julho de 2021

Conheça 16 hábitos que fazem mal ao coração


Além dos óbvios sedentarismo e má alimentação, ver TV por muitas horas também prejudicam a saúde do coração

 

A saúde é sempre importante, mas a do coração merece atenção especial. Doenças cardiovasculares devem ser investigadas no histórico familiar para que sejam evitadas idealmente ou controladas. Da mesma forma, o estilo de vida que se leva e os cuidados com a alimentação têm grande importância também.  

 

Conheça 16 hábitos que devem ser evitados por quem se preocupada com a saúde do coração.

 

1. Assistir muita televisão

Mesmo que você pratique exercícios físicos com regularidade, ficar sentado em frente à televisão por horas e horas pode aumentar o risco de ataque cardíaco, pois a falta de movimentos corporais pode aumentar o nível de açúcar e gordura no sangue. Para evitar que isso aconteça, movimente-se!

 

2. Excesso de estresse, mal humor e depressão

A forma como você lida com o estresse e alterações de humor pode afetar sua saúde de forma significativa. Estresse, tristeza, sentimentos ruins como rancor e ressentimento podem ser um veneno para a saúde do seu coração.

 

3. Roncos

Em alguns casos, o ronco pode ser muito mais que apenas um ruído. O ronco pode ocorrer por diversas causas, como apneia do sono, quando a respiração é interrompida durante o sono sem que a pessoa perceba. A apneia pode causar problemas de saúde, como pressão alta, e que pode desencadear problemas cardiovasculares.

 

4. Não usar fio dental

Diversos estudos já mostraram que doenças na boca e nas gengivas podem desencadear doenças que afetam o coração. Algumas sujeiras ficam entre os dentes e a gengiva, locais onde a escova não alcança, o que pode desencadear doenças e inflamações na boca que passam para a corrente sanguínea. Uma dessas doenças é a arteriosclerose, quando as artérias do coração inflamam.

 

5. Falta de tempo para familiares de amigos

É muito bom ter um tempo para si mesmo, mas estar em contato com familiares e amigos também é muito importante. Ter uma vida social ativa e estar próximo a pessoas queridas faz bem para a saúde em geral, inclusive o coração.

 

6. Parar com exercícios

Você está se exercitando com regularidade, mesmo fazendo uma boa caminhada, e decide parar abruptamente. Isso pode causar problemas para a sua saúde, inclusive ao coração. Por isso, quando vier aquela vontade de parar, vença a preguiça e continue a se exercitar.

 

7. Excesso de álcool

Já foi comprovado pela medicina que bebidas alcoólicas como o vinho podem fazer bem a saúde. Inclusive falamos aqui sobre a cerveja e o uísque. Porém, o excesso de álcool pode fazer muito mal, como aumento do nível de açúcar no sangue e problemas cardíacos. A quantidade ideal para fazer bem à saúde é uma taça de vinho tinto por dia.

 

 8. Ter a certeza de que não está em risco

É muito importante consultar um cardiologista somente para saber se tudo está indo bem com o seu coração. Já foi comprovado, por exemplo, que o infarto é responsável por um grande número de óbitos em países como Estados Unidos, e que pode ser tão fatal como o câncer.

 

9. Consumo de carne vermelha

A carne vermelha tem altos níveis de gordura saturada, uma grande vilã do coração. Recentes estudos mostraram que carnes processadas como bacon e salsicha podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares e câncer colorretal. Por isso, tente reduzir a consumo de carne, principalmente a vermelha, reduzindo-a em torno de 10% dos alimentos que costuma consumir.

 

10. Ser fumante ou fumante passivo

O cigarro é um dos principais vilões de uma vida saudável. O hábito de fumar pode causar sérios danos ao coração, pois causa coágulos no sangue que podem afetar as artérias do coração. O mesmo vale para pessoas que convivem com fumantes.

 

11. Esquecer ou parar de usar medicamentos

É muito fácil esquecer a medicação quando estamos nos sentindo bem, mas isso pode causar problemas como pressão alta, por exemplo, que é chamada de "doença silenciosa", pois os sintomas podem demorar a surgir. Se você utiliza medicamentos com regularidade, preste atenção no horário de tomá-los.

 

12. Não consumir frutas, verduras e legumes

Uma alimentação saudável proporciona um coração saudável. Por isso, inclua em sua alimentação cada vez mais frutas, verduras e legumes. Estudos científicos comprovaram que pessoas que consomem até cinco porções de frutas e vegetais por dia tem até 20% menos risco de ter problemas cardíacos comparado àqueles que consomem até três porções.

 

13. Ignorar sintomas

Caso sinta pressão no peito ou falta de ar após subir apenas alguns degraus de escada (principalmente se você não tem esse tipo de problema), é preciso consultar um médico. Quanto mais rápido verificar esses sintomas, menores são os riscos.

 

 14. Excesso de sal

O alto consumo de sal pode levar a pressão sanguínea às alturas. A pressão alta é um dos principais desencadeadores de problemas cardíacos e até mesmo infarto. A quantidade ideal diária de sal é de 2,3 miligramas por dia. Para quem tem pressão alta ou já passou dos 50 anos, a quantidade cai para 1,5 miligramas.

 

 15. Consumir "calorias vazias"

Precisamos consumir carboidratos e calorias pois é energia para o funcionamento do organismo. No entanto, alimentos cheios de açúcar e gordura são chamados de "calorias vazias", pois não são boas fontes de energia, e ainda podem causar obesidade e diabetes. Portanto, opte por carboidratos saudáveis, como grãos integrais, legumes, aveia, feijão e frutas.

 

16. Não tomar café

Sim, é isso mesmo. O café pode fazer bem ao coração. Uma quantidade moderada pode impedir a formação de coágulos no sangue. Um estudo comprovou que pessoas que tomam café têm quantidades menores de cálcio nas artérias. O cálcio é importante para a saúde, mas em excesso pode obstruir as artérias e, consequentemente, afetar a saúde do coração. Por isso, uma ou duas xícaras por dia pode ser bom para a sua saúde.

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/lifestyle/1814836/conheca-16-habitos-que-fazem-mal-ao-coracao

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Dá para emagrecer fazendo caminhada: veja as dicas


Que caminhar faz bem para a saúde, todo mundo sabe. Mas com um plano de treinamento regular, e cuidando da alimentação, a caminhada se torna uma grande aliada no processo de emagrecimento por ser um exercício físico aeróbico que promove gasto energético. Além disso, a caminhada tonifica e fortalece os músculos e promove diversos benefícios para saúde:

 

•Melhora a circulação sanguínea

• Reduz os riscos de desenvolver colesterol, doenças cardíacas, hipertensão e diabetes

• Combate a aterosclerose

• Melhora a capacidade cardiorrespiratória e o sistema cardiovascular

• Fortalece a musculatura

• Aumenta a densidade óssea

• É eficaz na prevenção da osteoporose

• Diminui os sintomas de estresse e ansiedade

 

Para emagrecer: caminhada ou corrida? 

 

A educadora física e personal trainer Ana Silveira, explica que a corrida tem um gasto calórico maior e costuma ser praticada por quem quer emagrecer ou melhorar o condicionamento físico, porém a caminhada é mais indicada para quem está saindo do sedentarismo e busca qualidade de vida através dos benefícios que o exercício proporciona. "Para fazer corrida, é preciso ter mais preparo físico e nenhuma patologia óssea ou articular porque a corrida exige mais, uma vez que promove maior impacto. Por isso, todo cuidado é pouco para não aumentar o risco de lesão", orienta.

 

Plano de treinamento para emagrecer com a caminhada

 

Mas dá para emagrecer fazendo caminhada também. Veja as dicas da personal:

 

1 – Mesmo sendo só caminhada, é importante fazer uma avaliação médica, incluindo exames cardiológicos. “Essa orientação é válida antes de iniciar qualquer plano de treinamento físico”, orienta;

 

2 - Outro ponto importante é saber os principais fatores que impactam nas calorias queimadas durante a caminhada: a distância percorrida, a velocidade e o peso corporal;

 

3 - A caminhada precisa acontecer de forma regular: se não der para ser todos os dias, se organize para fazer de 3 a 4 vezes por semana;

 

4 – Ciente disso, um plano básico de caminhada, para quem tem o objetivo de emagrecer, é começar de forma gradativa;

 

5 - Então, na primeira semana, comece caminhando de 20 a 30 minutos, em uma velocidade confortável para seu corpo;

 

5 - Na segunda ou terceira semana, aumente esse tempo para 40 a 50 minutos;

 

6 - Só depois da quarta ou quinta semana aumente a velocidade, mas sempre com cuidado para não exagerar no ritmo;

 

7 - Caminhar na areia da praia, principalmente na areia fofa, aumenta a resistência muscular e cardiorrespiratória, e promove maior gasto calórico. Porém, a personal alerta que é preciso ter um bom condicionamento físico, pois vai exigir muito mais de todas as estruturas do corpo. A orientação é para ir com calma, começando com 15 ou 20 minutos por dia, e aumentar o tempo progressivamente.

 

 Caminhar na areia da praia, descalço ou de tênis?

 

A recomendação é evitar se exercitar descalço na areia, principalmente se tiver algum problema de sensibilidade ou deformidade nos pés que afete a biomecânica da marcha. Além disso, fazer exercício físico descalço proporciona maior contato do pé com o terreno, podendo levar a lesões ou mesmo contusões em função do atrito e pelos objetos que podem ser encontrados na areia, como tampinhas de garrafas, cacos de vidro e conchas. Também é preciso ter cuidado com os desníveis que o litoral apresenta, podendo levar a desequilíbrio e torções.

 

"Como passamos a maior parte do tempo com os pés calçados, os músculos, dedos e até mesmo o tornozelo acabam enfraquecidas, então, ao estimulá-las em terrenos arenosos, essas regiões são fortalecidas. Porém, apesar desse tipo de solo absorver mais o impacto em relação a outros, e que possa oferecer vantagens, a caminhada na areia descalço deve ser feita com cautela e bom senso, pois existem algumas desvantagens", orienta a personal trainer.

 

Nunca é demais lembrar: além de ser agradável caminhar com a brisa marítima e e aproveitar a vitamina D que o sol proporciona, não é recomendado se expor ao sol entre as 10h e as 16h, por isso, proteja-se com filtro solar, óculos e bonés.

 

Também tem que mudar hábitos alimentares

 

A personal alerta que, embora a caminhada, assim como outros exercícios, tragam muitos benefícios para a saúde, não basta só isso. É preciso mudar hábitos alimentares também. “É importante entender que, aliado ao exercício físico, tem que cuidar da alimentação e ter um estilo de vida saudável para que a prática da atividade física traga benefícios para a saúde e para a prevenção de doenças. Além de manter o exercício de forma regular, é preciso vir acompanhado por bons hábitos alimentares, evitando doces, açúcares e gordura em excesso”.

 

Fonte: https://revistaabm.com.br/blog/da-para-emagrecer-fazendo-caminhada-veja-as-dicas

terça-feira, 27 de julho de 2021

Fuja do sedentarismo. Ele tira a disposição e é fator de risco para doenças crônicas perigosas


O sedentarismo é considerado o quarto maior fator de risco de mortes no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, três em cada 100 mortes registradas estão relacionadas a doenças que podem ser influenciadas pelo sedentarismo, como diabetes, câncer de mama e de cólon, e doenças cardiovasculares.

 

E a melhor maneira de evitar o sedentarismo, e suas consequências, é praticar atividade física regularmente. Além de prevenir as doenças diretamente ligadas ao excesso de peso, praticar exercícios combate o estresse e melhora a qualidade do sono, fatores importantes para a manutenção da saúde mental.

 

Mas dados de pesquisa do Ministério de Saúde apontam que mais de 50% dos brasileiros adultos que moram nas capitais não praticam atividade física.

 

A recomendação da medicina desportiva é que se pratique 30 minutos por dia de atividade moderada 5 vezes por semana, ou 20 minutos de atividade de alta intensidade 3 vezes por semana.

 

 “O fato das pessoas estarem cada vez mais diminuindo as demandas físicas, estimulada também pela dinâmica da sociedade moderna atual, propicia mudanças que interferem diretamente em vários sistemas metabólicos, o que causa propensão às doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, alguns tipo de câncer, depressão e doença coronariana. Praticar atividade física é essencial”, alerta o ortopedista Rogério Barros, presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia na Bahia (Sbot-BA).

 

Sedentarismo e o câncer de mama

 

Especialistas garantem que, aliada a uma alimentação saudável, a prática regular de atividade física é capaz de prevenir 30% dos casos de câncer.

 

Recentemente estudos científicos comprovaram que o sedentarismo está entre os fatores de risco modificáveis de maior impacto na prevenção do câncer, e para aqueles que já tiveram o diagnóstico, se manterem ativo é importante inclusive para aumentar a sobrevida no caso de câncer de mama.

 

No entanto, segundo informações do Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), apenas 13% das pacientes em tratamento praticam os níveis recomendados de atividade física, e em todo o país as mulheres se exercitam menos do que os homens, segundo dados do Ministério da Saúde.

 

“Cerca de duas mil mortes por ano por câncer de mama no Brasil poderiam ser evitadas combatendo o sedentarismo. Precisamos mudar essa estatística!”, reforça a oncologista do NOB, Renata Cangussú.

 

População jovem sedentária

 

Dados da OMS mostram que 80% da população jovem e adolescente do mundo não pratica atividade física suficiente, nem o mínimo recomendado pela OMS para a faixa etária de 12 a 18 anos, que é de 60 minutos semanais.

 

Diante desse cenário, a OMS lançou em 2018 o “Let’s Be Active” (Vamos Ser Ativos), um plano mundial que tem como meta reduzir o sedentarismo entre adolescentes e adultos até 2030. O projeto destaca 20 pontos que deverão ser seguidos pelos países a partir de ações envolvendo quatro pilares: sociedade, ambiente, pessoas, e o sistema.

 

Em algumas partes do mundo o sedentarismo atinge até 70% da população e o impacto disso para a saúde é muito alto, assim como e os custos financeiros. Segundo dados da OMS, em todo o mundo a inatividade custa 54 bilhões de dólares em assistência médica direta, com grande parte desse montante a cargo do serviço público. E 14 bilhões de dólares em perdas econômicas são atribuídos à queda de produtividade.

 

Além de provocar o aumento de peso e elevar o risco de desenvolver doenças crônicas, o sedentarismo deixa o indivíduo menos disposto para realizar as atividades do dia a dia.

 

Então se mexa e anima-se! Se não puder fazer atividade física regularmente, veja essas dicas. Saiba que 30 minutos de atividade diária já fazem toda a diferença!

 

• Troque as horas na frente da televisão por atividades prazerosas

• Leve o cachorro para passear

• Caminhe pelo bairro

• Cuide do seu quintal e jardim

• Brinque com seus filhos e netos

• Adote a bicicleta como meio de transporte

• Se usar o transporte público, desça alguns pontos antes ou depois e vá caminhando

• Ou deixe seu carro mais distante um pouco e vá andando até seu destino

• Troque o elevador pelas escadas

• Uma conversa com um profissional de educação física sempre ajuda na escolha da atividade física mais adequada para você

 

Fonte: https://www.revistaabm.com.br/blog/fuja-do-sedentarismo-ele-tira-a-disposicao-e-e-fator-de-risco-para-doencas-cronicas-perigosas