quarta-feira, 14 de novembro de 2018

7 exercícios que vão deixar seu bumbum na nuca


Os movimentos vão deixar seus glúteos mais firmes e durinhos, confira!

Ter o bumbum na nuca é o sonho de muitas mulheres. Mas, para isso, é preciso um pouco de esforço e alguns exercícios eficientes. Segundo o diretor técnico da BodyTech Eduardo Netto, fortalecer a região não é apenas questão de estética.

“É também funcional. É essencial realizar os exercícios de forma correta, com extrema segurança para ajudar a estabelecer o recrutamento muscular correto, melhorar a estabilidade, desempenho esportivo, aparência da região e auxiliar na prevenção de lesões“, explica o profissional que passou um treino para deixar o bumbum na nuca. Confira!

Veja os melhores exercícios para deixar o bumbum na nuca:

1) AGACHAMENTO LIVRE:
Pés em ligeira abdução, afastados na linha dos ombros, não projetar o peso na ponta dos pés e sim nos calcanhares. Subir e descer com os braços a frente. Três séries – 15 repetições.  Importante: amplitude do movimento. Os exercícios de agachamento e suas variações devem ser executados “de cima” (na posição de extensão completa) “para baixo” (até os 90º), retornando à posição inicial. Este aspecto é reforçado pela própria eficiência e função muscular do quadríceps femural, que não só atua no movimento de extensão da articulação do joelho como também, e com muita importância, atua na fase negativa “freando” a própria articulação do joelho evitando impactos articulares exagerados.

2) PASSADA A FRENTE UNILATERAL:
Passar o peso pelo calcanhar e depois as pontas dos pés, avançar a perna a frente e voltar a posição inicial. Três séries de 15 repetições alternando as pernas.



3) SUBIDA UNILATERAL STEP:
Não partir com amplitude muito grande, começar com o quadril e joelhos a 90 graus. Não projetar os joelhos ao subir no banco. Três séries de 15 repetições alternando as pernas.



4) ABDUÇÃO HORIZONTAL DE QUADRIL:
Manter a curvatura lombar sempre apoiada na posição neutra, a amplitude durante a execução do exercício deve ser a maior possível. Três séries de 15 repetições.



5) PASSADA ATRÁS UNILATERAL:
Utilizar um banco para aumentar a amplitude do movimento para assim ativar de maneira eficiente da região glútea. O joelho não pode passar a ponta dos pés. Três séries de 15 repetições.


6) ABDUÇÃO DO QUADRIL COM JOELHOS FLEXIONADOS:
Mão direita estendida à frente para ajudar a estabilizar a coluna, perna de baixo flexionada e a de cima estendida para cima, na diagonal. Flexione o joelho da perna de cima, levando-o na direção do chão e próximo ao tronco. Três séries de 15 repetições alternando as pernas.

7) EXTENSÃO DO QUADRIL EM TRÊS APOIOS:
Elevar a perna sem ultrapassar o movimento de 90 graus e manter a coluna alinhada. Três séries de 15 repetições alternando as pernas.

Fonte: https://sportlife.com.br/bumbum-na-nuca-exercicios/ - Redação Sport Life - Foto: Getty Images

terça-feira, 13 de novembro de 2018

5 dicas para eliminar as gordurinhas até o verão


De forma saudável e equilibrada, ainda dá tempo de perder alguns quilos até o fim do ano

O verão está chegando as festas de fim de ano também e você ainda está pensando em como perder gordura? Não se desespere, porque ainda dá tempo para eliminar aquelas medidas extras que estão incomodando.

Claro que para conseguir perder alguns quilos com saúde e qualidade, é preciso aliar a prática de exercícios físicos à dieta. Segundo o professor da Bio Ritmo Emerson Felix, é importante que o processo aconteça gradualmente.

Pensando nisso, o educador físico preparou algumas estratégias para alcançar o shape desejado. “As dicas que listei partem de três  vertentes muito importantes: alimentação, treino e disciplina“, explica. E ressalta: “Mas lembre-se, manter a rotina de exercícios o ano todo é fundamental para o sucesso dos seus resultados”.

Confira 5 dicas de como perder gordura

Dica 1: Aumente a intensidade dos treinos

A carga de treino tem relação direta com os resultados. Progredir sua intensidade irá garantir um aumento no gasto calórico, o que reflete na redução da gordura corporal. Como sugestão, inserir exercícios aeróbios, HIIT (treino intervalado de alta intensidade) e outras atividades que acelerem a frequência cardíaca durante o treino. O professor da Bio Ritmo ressalta que esse aumento deve ser gradual e com a orientação de um profissional.


Dica 2: Escolha alimentos ideais

Prestar atenção na alimentação é essencial para um bom resultado em emagrecimento. Evite alimentos que aumentam o percentual de gordura corporal, como gorduras saturadas, farinha refinada e açúcar. Escolha proteínas magras, como o peito de frango, peixes, ovos, ricota, entre outros. “Peça orientação a um nutricionista. Ele poderá montar um cardápio adequado e personalizado à sua necessidade”, orienta Emerson.

Dica 3: Invista em treinamentos compostos

Quando se fala em reduzir percentual de gordura, o treino composto tem um papel importantíssimo. Ele mescla tanto o trabalho de força muscular (musculação), quanto o trabalho cardiovascular (corrida, por exemplo) na mesma sessão de treino. “O resultado é que a pessoa fica com seu metabolismo acelerado o resto do dia, gastando mais calorias e aumentando a produção de testosterona, um dos principais hormônios envolvidos na queima de gordura corporal. Esse processo vai otimizar os resultados”, explica o educador físico.

Dica 4: Frequência semanal de treino

Quanto mais você treinar, mais rápido atingirá seus objetivos. O ideal é praticar 6 vezes por semana, de 30 a 45 minutos por dia. Se não conseguir ter essa rotina, a sugestão do profissional é que você corra perto da sua casa, substitua o elevador do prédio pela escada ou vá trabalhar de bicicleta, por exemplo. O importante é gastar calorias.

Dica 5: Durma bem

Sem descanso o seu corpo não se recupera e não trabalhará corretamente a hipertrofia, definição e emagrecimento. “Tente dormir sempre no mesmo horário e na quantidade certa que para você seja o ideal. O recomendado são de 7 a 9 horas por noite, assim seu corpo terá o repouso adequado para reparar todos os estímulos recebidos ao longo do dia”, finaliza o professor da Bio Ritmo.

Fonte: https://sportlife.com.br/como-perder-gordura/ - Nataly Paschoal  - Foto: Getty Images

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Sedentarismo é fator de risco para inúmeras doenças


Especialista explica quais cuidados devem ser tomados antes de iniciar uma atividade física

Pesquisas da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) mostram que a população atual gasta bem menos calorias por dia do que gastava há 100 anos. Cerca de 70% da população brasileira não pratica exercícios físicos regularmente. Além disso, o sedentarismo aumenta entre 20% e 30% o risco de mortalidade, em especial por doenças crônicas, como a doenças cardiovasculares e o diabetes, de acordo com estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS). Os dados são alarmantes e reforçam a importância de abandonar o sedentarismo.

O sedentarismo se caracteriza pela falta ou diminuição da atividade física, tendo relação com a quantidade de calorias gastas semanalmente, seja em atividades esportivas ou nas tarefas do dia a dia. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) para ser considerada uma pessoa ativa é preciso queimar 2.200 calorias por semana, ou cerca de 300 calorias por dia.

“Existe uma relação direta entre o sedentarismo e obesidade, maior risco de se desenvolver doenças coronarianas, diabetes, osteoporose, câncer e problemas neurológicos. A atividade física regular contribui para o aumento da massa muscular e redução da gordura corporal, melhora a capacidade respiratória, a circulação sanguínea, o equilíbrio, a coordenação, ajuda no controle da glicemia e pressão arterial, dentre outros benefícios”, esclarece o educador físico, especialista em treinamento, Fernando Mazota.

Os riscos associados ao sedentarismo e os benefícios da prática regular de atividade física são excelentes motivos para começar a se exercitar. Contudo, é muito comum que a pessoa se sinta desmotivada após uma mudança brusca na rotina, principalmente quando não tem afinidade com a atividade escolhida. “Para quem deseja sair do sedentarismo e iniciar um programa de atividade física é fundamental a escolha de uma atividade que seja agradável ao praticante, visando evitar a interrupção dos exercícios pela perda do estímulo. Encontrar a atividade física ideal é fundamental para garantir a permanência e os benefícios a longo prazo”, recomenda o especialista.

A SBC recomenda que pessoas acima dos trinta anos, principalmente quando há fatores de risco como obesidade, tabagismo, hipertensão, diabetes ou histórico familiar para doenças cardiovasculares, realize uma avaliação médica antes de iniciar qualquer atividade física. “Avaliar os riscos e a condição geral do praticante é fundamental para garantir a segurança na prática”, complementa o treinador.

De acordo com o especialista, devem ser considerados os seguintes fatores de risco para a prática de atividades físicas:

- Idade: Em geral, quanto mais velho o indivíduo, maior o risco para problemas coronários. Homens com mais de 45 anos e mulheres com mais de 55 anos ou com menopausa precoce sem reposição hormonal devem ter maiores cuidados.

- Gênero: Mulheres normalmente têm menor risco de desenvolver doenças coronárias que homens.

- Histórico de saúde do paciente e da família: Se o praticante já tem histórico de doenças cardiovasculares, pulmonares e metabólicas ou se possuir pais, filhos ou irmãos que tiveram infarto com menos de 55 anos (homens) e 65 anos (mulheres), deve ter um cuidado especial ao realizar exercícios. Pressão arterial acima de 140/90 mmHg também é considerada um fator de risco.

- Sedentarismo: Se o indivíduo pratica menos de 30 minutos semanais de atividades físicas é considerado sedentário e tem maior risco cardiovascular.

- Fumo: O cigarro é causador de diversas doenças, e pessoas que fumam têm o dobro de chances de desenvolver doenças cardiovasculares que não-fumantes. O risco é maior para quem fuma ou deixou de fumar nos últimos 6 meses.

- Nutrição inadequada: Uma dieta composta por muitos açúcares e gorduras contribui para o aumento do colesterol, da pressão arterial, do diabetes e da obesidade. O colesterol deve estar abaixo de 200mg/dL, os triglicérides devem estar abaixo de 150mg/dL e os níveis de glicose sanguínea devem estar abaixo de 100mg/dL.

- Estresse: Se o indivíduo está muito estressado, há um aumento na frequência cardíaca, na pressão arterial e na ventilação pulmonar, podendo ocasionar problemas durante a prática de exercícios.

- Excesso de gordura corporal: Indivíduos com IMC superior a 30kg/m² são considerados obesos e devem ter atenção redobrada ao realizar atividades físicas. O IMC é calculado dividindo a massa (em kg) do indivíduo pelo quadrado de sua altura (em metros). (IMC=massa/altura)”.


domingo, 11 de novembro de 2018

Como evitar lesões musculares ao pedalar?


A postura correta e alguns cuidados são essenciais

O ciclismo é considerado um dos esportes mais saudáveis, além de proporcionar resistência cardiorrespiratória, força, flexibilidade, resistência muscular e favorecer o gasto calórico, o ciclismo permite uma sensação de liberdade para quem pratica. No entanto, alguns danos corporais podem estimular lesões musculares como parestesia peniana, fascite plantar e lombalgia.

A posição mal acostumada do ciclista na hora de pedalar pode ser o principal motivo das dores. Segundo especialistas, os músculos que podem ser afetados com uma posição incorreta são: glúteos, isquiotibiais, paravertebrais, entre outros. Por isso, é necessário escolher uma bicicleta com boa regulagem para evitar estes danos e afastar o risco de problemas como lombalgias, que se não for tratada pode evoluir para um problema de hérnia de disco.

Outro problema muito comum para os ciclistas é resultado da forma incorreta de pedalar, que pode desencadear em tendinites, artrites e dores musculares. As pedaladas com muita sobrecarga, como por exemplo, em subidas ou marchas pesadas, sobrecarregam a musculatura e resultam nas inflamações das articulações (que também costumam ser tratadas com o uso de antiinflamatórios). Contudo, especialistas recomendam que antes de praticar o ciclismo, o atleta deve realizar aquecimentos e alongamentos antes e após os exercícios.

Sedentários devem manter a atenção redobrada, pois geralmente possuem uma certa fraqueza nos músculos, por não estarem habituados à prática regular. Nestes casos, manter a coluna estabilizada e a postura correta é fundamental para evitar o surgimento de lesões cervicais e lombares. Sem contar que ter a musculatura fortalecida é essencial para um corpo saudável.

Especialistas e educadores físicos recomendam a prática regular de musculação para fortalecer os grupos musculares que são exercitados durante a prática do ciclismo. Assim com o repouso também deve fazer parte dos treinos, para não sobrecarregar os músculos, seguir uma dieta equilibrada e rica em nutrientes também promove uma grande melhoria na qualidade de vida do indivíduo.
E não é só os cuidados com a postura que devem ser levados em consideração, é importante pensar nas condições da bicicleta: o quadro da “bike” à altura da pélvis em relação ao chão; o  banco deve ser paralelo ao chão e sem inclinação para que o peso do corpo do ciclista seja bem distribuído.

 É importante ter à disposição um profissional experiente e competente para nortear quanto à prática do ciclismo que embora se relacione com lazer deve ser encarado como exercício físico, como esporte.

Pedale, vença desafios, barreiras, encare competições, se dedique ao esporte, mas não se esqueça dos cuidados com a saúde, não se esqueça de se alimentar da maneira correta, de tomar as devidas precauções para que o exercício só lhe traga de fato, inúmeros benefícios.

Pedale em prol da sua saúde... Cultive o equilíbrio e a disciplina, não permita que as dificuldades lhe desmotivem na caminhada por uma vida mais saudável.


sábado, 10 de novembro de 2018

8 tratamentos caseiros para acabar com as espinhas e suas manchas


Veja também quais receitas caseiras não são tão eficazes

Espinhas são um problema sério geralmente associados à adolescência, mas que persistem à vida toda. Seja na forma da própria acne, que em muitas pessoas continua surgindo após os 30 anos, ou como as cicatrizes e manchas deixadas por este problema.

Na hora de resolver, não falta quem indique tratamentos caseiros para as espinhas e suas manchas, e alguns deles realmente funcionam!

No entanto, é preciso deixar um alerta antes de apresentá-los: "nenhuma dessas receitas caseiras têm estudo científico para dizer se funcionam, como devem ser usadas e quais as quantidades, além do seu perfil de segurança", destaca a dermatologista Paula Sanchez. Por serem baseadas nas experiências das pessoas, o ideal é fazê-las com supervisão médica.

Sabendo disso, veja os tratamentos caseiros para espinhas e suas manchas que podem ser eficazes:

1. Óleo de coco
O óleo de coco, além de ser um potente hidratante, tem uma propriedade interessante para quem busca um tratamento casiero para espinhas. "Ele é anti-dihidrotestosterona, uma variação do hormônios testosterona que é uma grande causadora de acne", explica a dermatologista Michele Haikal. Com isso, ele ajuda a reduzir as espinhas, além de ser interessante no tratamento de suas manchas também.

2. Aloe vera (babosa)
A babosa (cujo nome cientifício é Aloe vera) é bastante interessante como tratamento caseiro para marcas e cicatrizes mais leves de acne. "Ela possui propriedades calmantes e cicatrizantes e pode auxiliar na regeneração da pele, mas não agirá em cicatrizes mais profundas", considera Paula Sanchez.

3. Cebola e vinagre de maçã
O vinagre de maçã é um produto bastante interessante para reduzir a oleosidade da pele, algo bastante comum em quem tem espinhas. Aliado à cebola, que é antibacteriana, esse pode ser um tratamento eficaz para reduzir as espinhas.
"Além disso, alguns postulam que o vinagre de maçã tem ação clareadora, melhorando as marcas", salienta Paula.

4. Chá verde
O chá verde não serve só para beber, pode ser também um tratamento caseiro para espinhas. "Por ter propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, ele pode ajudar a secá-las", ensina Paula.
Para tanto, basta preparar o chá normalmente e usá-lo embebido em um algodão diretamente na pele, para que faça efeito.

5. Clara de ovo
Aplicar clara de rosto no rosto, como uma máscara facial, também pode ser um tratamento caseiro interessante para espinhas. "As proteínas e o colágeno presentes neste alimento podem melhorar o aspecto da pele", considera a especialista.

6. Creme de pepino e açúcar
Essa dupla é interessante como tratamento caseiro para espinhas, tanto reduzindo sua quantidade quanto melhorando as manchas. "O pepino remove as impurezas, acalma e hidrata a pele, enquanto o açúcar promove esfoliação", considera Paula.
De acordo com a especialista, esfoliar pode ajudar a reduzir as manchas mais superficiais, pois aos poucos vai desgastando a camada mais externa da pele. Em longo prazo, isso pode clarear a região.

7. Tomate
A acidez presente no tomate, apesar de leve, pode ser interessante para secar as espinhas, tornando-o uma opção de tratamento caseiro. "Em alguns casos ele pode sim ajudar", pondera Paula.

8. Produtos com calêndula
A calêndula é uma substância que pode ajudar na redução da oleosidade da pele, sendo um tratamento caseiro interessante para quem sofre com espinhas, explica Michele Haikal.


Tratamentos para espinhas caseiros mais controversos
1. Espremer em casa
Apesar de não ser um tratamento propriamente dito, espremer espinhas não é uma medida eficaz para mandá-las embora. Quando você espreme uma espinha, você pode infectar o local com bactérias e ganhar uma inflamação maior ainda.

2. Água oxigenada
A água oxigenada é uma conhecida clareadora, mas se engana quem pensa que isso a torna um tratamento caseiro para espinhas e suas manchas. "Ela pode manchar ainda mais a pele e é potencialmente perigosa", alerta a dermatologista Michele Haikal.

3. Limão
O limão é ácido, e por isso realmente poderia servir como um tratamento caseiro para espinhas. No entanto, ele é uma receita caseira arriscada. "O limão pode causar manchas se estiver na pele quando houver exposição ao sol", explica Michele.

4. Pomada contra assaduras
"Algumas pomadas para assaduras têm ação antisséptica e podem até diminuir a oleosidade da pele, o que ajuda no tratamento das espinhas", afirma o dermatologista Cláudio Mutti. Mas, como são medicamentos, devem ser usadas com recomendação médica, e não como uma simples receita caseira.

5. Lavar o rosto mais vezes
"Lavar excessivamente o rosto pode provocar um efeito rebote, aumentando a produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas", afirma Mutti. Por isso, o ideal é lavar o rosto duas vezes ao dia, preferencialmente com água morna ou fria, e usando um sabonete neutro ou indicado para o seu tipo de pele.

6. Levedo de cerveja
O levedo de cerveja até ajuda a melhorar a flora bacteriana da pele, no entanto, isso não o torna um tratamento caseiro para espinhas. "Nem sempre ele consegue resolver problemas deste tipo", considera a dermatologista.

7. Pasta de dente
A pasta de dentes não serve como secativo para as espinhas. A fórmula pode intoxicar o poro inflamado e piorar a reação inflamatória, aumentando a espinha ou tornando a região ainda mais dolorida, além de manchar a pele.

8. Extrato de soja
Por mais que muitas pessoas achem que o extrato de soja pode ser um tratamento caseiro para espinhas, a especialista ressalta que não há evidências desse funcionamento, nem de nutrientes que colaborem com esse benefício.

9. Ketchup
O mesmo vale para o ketchup, o alimento não tem nenhum nutriente que poderia ajudar de alguma forma a reduzir as espinhas, como indica Michele.

10. Casca de banana
De fato, a casca de banana tem nutrientes que podem melhorar o aspecto da pele, como vitaminas e antioxidantes. "Porém, não há comprovação de que auxiliem no tratamento da acne", frisa Paula Sanchez.


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Encerrados os Torneios Esportivos do 5º Ano do Colégio Dom Bosco 2018


No período de 23 de outubro a 09 de novembro de 2018, o Colégio Dom Bosco realizou Torneios Esportivos envolvendo 63 alunos do 5º Ano do Ensino Fundamental distribuídos em 11 equipes, nas modalidades de basquete, futsal, handebol, queimado e voleibol.

As classificações finais dos torneios foram as seguintes:

5º Ano A – A equipe Real Madri sagrou-se campeã com 40 pontos, os Falcões em 2º lugar com 34 pontos, Fire fox em 3º lugar também com 34 pontos e Águias douradas em 4º lugar com 32 pontos. O Real Madrid foi campeão no futsal, vice-campeão no basquete, handebol e queimado e 3º lugar no voleibol. A equipe é formada por: Luiz Fernando, Felipe, João Vítor, Andriel, Cauã, Guilherme e Augusto.

5º Ano B – A equipe PSG sagrou-se campeã com 46 pontos, a equipe GAN em 2º lugar com 40 pontos, Tubarões vermelhos em 3º lugar com 34 pontos e Chelsea em 4º lugar com 22 pontos. O PSG foi campeão no basquete, futsal, handebol e queimado e 3º no voleibol. A equipe é formada por: Matheus, Marcos Paulo, David, Luciana, Elis e Arthur.

5º Ano C - A equipe Falcões dourados sagrou-se campeã com 44 pontos, a equipe Telib em 2º lugar com 42 pontos e Fort nit em 3º lugar com 34 pontos. Os Falcões dourados foram campeões no futsal, handebol e voleibol, vice-campeão no queimado e 3º lugar no basquete. A equipe é formada por: Anny Vitória, Guilherme S., Lannay, Guilherme L. e Maria Clara.

É por meio do esporte que as crianças na companhia de amigos e com a ajuda de um professor qualificado, vão descobrir uma série de valores aplicáveis no dia a dia de suas vidas.

Professor José Costa

22 invenções que mudaram nossas vidas


Você conhece a origem do celular? Lembra quando surgiu a internet? O forno elétrico? Confira essas e outras invenções que mudaram o mundo

Dia 9 de novembro comemora-se o Dia dos Inventores. Para comemorar a data, Casa e Jardim fez um compilado das principais invenções que mudaram as nossas vidas. Confira!

1. Micro-ondas
Quem inventou o aparelho foi o engenheiro eletrônico Percy LeBaron Spencer em 1946. Contudo, por ser muito caro e pesado, ele era usado apenas por estabelecimentos comerciais. Nos anos 1960 surgiu a versão doméstica, que apareceu no Brasil apenas nos anos 1970.

2. Forno elétrico
Em 1890, o coronel ingês Rookes Evelyn Bell Crompton eletrificou uma placa de ferro e criou uma rudimentar chapa de aquecimento. Surgia aí um dos ancestrais do forno elétrico atual. Em 1941, a Layr Eletrodomésticos começou a comercializar o produto no Brasil.

3. Torneira com sensor
O modelo com sensor de presença para acionamento foi lançado em 1991 pela Docol, batizada como Docolmatic. Ela economiza o consumo de água em até 70%.

4. Lava-Louças
Em 1977 a Brastemp teve a brilhante ideia de criar a primeira lava-louças que comportava pratos, copos e diversos recipientes sujos.

5. Celular
Nem sempre existiu o smartphone... 1983 foi quando tudo começou e, nesse ano, a Motorola lançou o primeiro celular apelidado como DynaTAC 8000X. Pesava 800 g, funcionava por botões e sua bateria permitia conversar por 1 hora ou ficar até 8 horas em stand by. Na época, telas touch eram inimagináveis.

6. Válvula hidráulica
Para resolver o problema das casas térreas que sofriam com a falta de pressão, Antonio Ferraresi e Attilio Ricotti inventaram a válvula Hydra em 1932. Inicialmente, ela ganhou o apelido de Liss. Com o passar do tempo, a válvula foi se modernizando, assim como outros objetos do banheiro.

7. Cafeteira elétrica
A Melitta foi a primeira empresa a introduzir o eletrodoméstico no Brasil, em 1978. Hoje, as cafeteiras contam com mais recursos do que apenas preparar café.

8. Filtro de café
Quem criou foi a alemã Melitta Bentz após coar a bebida em um papel do tipo mata-borrão ao invés de usar pano. Ali, em 1908, foi criado o filtro de papel! Mas a invenção só chegou no Brasil por volta de 1968.

9. Câmera digital
O Brasil recebeu a primeira câmera digital em 1996, através da Casio. Apesar de inicialmente ter memória baixa e funcionar por pilha, o primeiro modelo (QV-10) fez grande sucesso por ser a pioneira a tirar fotografia e mostrá-la no visor.
O Brasil teve a primeira transmissão em cores em 1972, durante a Festa da Uva de Caxias do Sul. A marca brasileira Semp começou meses mais tarde a fabricar os primeiros modelos no Brasil.

11. Ar-condicionado
Quem mora em regiões mais quentes agradece muito essa invenção! O sitema mecânico de condicionamento de ar foi criado em 1902 pelo engenheiro nova-iorquino Willis Carrier. A produção em massa, por outro lado, começou apenas nos anos 1950.

12. Batedeira
As primeiras batedeiras domésticas apareceram em 1918. Mas foi só nos anos 1950 que o eletrodoméstico passou a ficar mais fácil de manusear. A Arno foi a primeira a produzí-la no Brasil, em 1958.

13. Computador
1978 é o ano que o primeiro computador pessoal chegou às lojas. Os norte-americanos Steve Jobs e Steve Wozniak foram os desenvolvedores do aparelho que ganhou o nome de Apple II.

14. Internet
Nascida nos Estados Unidos em 1969, a internet era liberada apenas para fins de defesa do país. Passaram-se 18 anos até que ela fosse liberada para uso comercial, em 1987. No Brasil, a rede chegou somente em 1995.

15. Aspirador de pó
Você acredita que o aspirador de pó foi criado em 1908? Há mais de 100 anos! A partir de 1926, a marca sueca Electrolux passou a trazer seus modelos para cá. Somente em 1947 teve início a fabricação no Brasil, com a Walita.

16. Geladeira frost free e sem CFC
As primeiras geladeiras surgiram em 1913. A Brastemp lançou em 1983 o sistema Frost Free que dispensa o degelo de aparelho. Já a preocupação com a liberação do gás CFC (clorofluorcarbono) que prejudica o meio ambiente se consolidou em 1997, quando a Electrolux substituiu-o por outro gás menos poluente.

17. Lavadora
As máquinas de lavar roupas existem desde os anos 1920, contudo, eram manuais. Pensando na facilidade do cliente, a Brastemp cirou a primeira lavadora em 1959, apelidando-a de Super Automática Luxo.

18. Revestimento antiaderente de panela
A francesa T-Fal trouxe essa novidade para o gosto do público em 1959 com a primeira frigideira antiaderente. O Brasil recebeu o modelo apenas em 1980. Cozinhar, hoje, é muito mais fácil com elas, né?

19. Lâmpada
A lâmpada fluorescente foi introduzida no mercado norte-americano em 1938. Após a crise de energia na Europa nos anos 1970, a Philips teve a ideia de criar o modelo fluorescente compacto, sendo 80% mais econômicas que as incandescentes.

20. Ferro a vapor
O primeiro ferro de passar surgiu no século 12 (apesar das pessoas já começarem a dar indícios dessa preocupação no século 4). O americano Henry W. Seely registrou em 1882 o primeiro ferro elétrico, enquanto o de vapor começou a dar as caras em 1926. Mas foi apenas em 1967 que a GE (General Eletric) trouxe a novidade para o Brasil.

21. Videogame
No final dos anos 1970 foi lançado o Atari 2600. Com jogos como Pac Man, Enduro e Alien, o aparelho fez a cabeça de todos!

22. Colchão de molas
Estima-se que os primeiros colchões foram feitos pelos romanos, tendo sido recheados de materiais orgâncios (como palha, lã, ou algodão). Porém o maior problema ainda era o ataque de bichos, bactérias e fungos e por conta disso foi passando por aprimoramentos até chegar a 1871, quando o alemão Heinrich Westphal inventou o modelo de molas.


quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Saiba como melhorar a flacidez da barriga


O personal Bruno Calado dá dicas de como melhorar o aspecto na região abdominal

No texto desta semana vou tratar de um problema que muitos alunos reclamam: a barriga flácida. Primeiramente, é bom deixar claro que existem diversos fatores que podem causar o aspecto.

Alimentação inadequada, obesidade, oscilação de peso e sedentarismo são alguns causadores do problema. Além da gravidez, que promove inúmeras mudanças no corpo da mulher, podendo ser uma delas a barriga flácida após o nascimento do bebê. É bom também lembrar que ao longo dos anos a produção de colágeno e de tônus muscular na região abdominal diminuem.

Mas então, Bruno, como posso melhorar a barriga flácida? Uma combinação perfeita seria fazer musculação e atividades aeróbias, sendo os exercícios com peso fundamentais para fortalecer o abdômen. Fazer exercícios específicos para a região ou outros que exijam esforço dela também são ótimos para melhor o tônus.

Os aeróbios são importantes para a diminuição do percentual de gordura e para aumentar a resistência. Para isso, indico protocolos que utilizem o estoque de gordura como fonte de energética. Exemplo desse tipo é o HIIT (Treino Intervalado de Alta Intensidade). Essas atividades devem ser feitas no mínimo três vezes na semana para que os efeitos se tornem visíveis.

É bom lembrar que para melhorar a barriga flácida é preciso ter em mente que o resultado é consequência não apenas dos treinos, mas também de uma alimentação saudável, consumo de água adequado ao seu peso corporal e descanso. Pois, afinal, o estresse e a ansiedade só atrapalham nesse processo.

Fonte: https://sportlife.com.br/barriga-flacida-dicas-para-melhorar/ - Redação Sport Life - Foto: Getty Images

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Alimentos da primavera: veja 5 frutas da estação e seus benefícios

É primavera! Além das flores, a estação representa também a temporada de muitos frutos. Cada um apresenta diferentes benefícios para o organismo e podem ser aproveitados em várias receitas.

Para explorar ao máximo o sabor e as funcionalidades que os alimentos da época trazem, pegamos dicas da nutricionista e consultora da Superbom, Cyntia Maureen. Ela lista cinco frutas da estação e seus benefícios. Confira:

Jabuticaba
Por possuir propriedades antioxidantes, a fruta 100% brasileira auxilia no combate a inflamações, favorece a desintoxicação e contribui até para a prevenção de doenças como o câncer.

– A jabuticaba é muito versátil e pode ser aproveitada de várias formas como em sucos, smothies, doces, sorvete e até molho para acompanhar carnes – indica.

Manga
Por causa das fibras, seu principal benefício é a melhora da digestão, auxiliando na regulação do intestino. Pode ser consumida desde a fruta in natura a ingrediente de mousses, sucos e saladas.

– Porém, por ser muito doce, pessoas com diabetes precisam evitar o consumo exagerado– alerta a especialista.

Abacaxi pérola
A ação mais conhecida da fruta é a de eliminar toxinas do organismo que favorecem o inchaço e o acúmulo de gorduras ruins, por isso é bastante usada nos populares sucos detox. Além dessa vantagem, o abacaxi é rico em vitamina C, que contribui para o fortalecimento da imunidade.

Ameixa
Além de favorecer o funcionamento do intestino, esta fruta também apresenta vantagens para quem pretende perder peso porque tem baixo teor calórico, traz uma sensação de saciedade maior e ajuda a regular o nível de glicose no sangue.

– Muitos consomem somente a fruta in natura ou seca, mas pode ser utilizada em receitas de sobremesas como pavês, manjar, mousses e tortinhas – pontua.

Nectarina
Auxilia no combate à obesidade devido a presença de substâncias como ácido clorogénico, antocianinas e catequina, que contribuem para regular doenças associadas à obesidade como colesterol ruim, diabetes e alguns problemas cardíacos.

Fonte: http://revistadonna.clicrbs.com.br/saude/alimentos-da-primavera/ - Postado por Redação Donna - Foto: Pixabay


terça-feira, 6 de novembro de 2018

Veja 20 hábitos simples para você adotar no dia a dia e melhorar sua qualidade de vida


Quilinhos a mais, celulite, flacidez… Esses não apenas desafios para quem quer um corpo em forma e durinho, são sintomas de uma vida tomada pelo sedentarismo, assim como dores nas costas, enxaqueca, mau funcionamento do intestino, mau humor, sono (mesmo dormindo bem) ou falta de ar.

Quero convidar você a transformar o projeto verão 2019 em um plano a longo prazo para se sentir mais em forma, saudável e disposta em todas as estações que estão por vir. E tudo isso com hábitos simples, para adotar no dia a dia – e que valem mesmo para quem pratica regularmente atividade física. A dica buscar uma rotina mais leve e ativa, driblando as tecnologias feitas para acelerar nossas vidas e diminuir potencialmente nosso esforço cotidiano.

1) Caminhe mais (com ou sem cachorro)
Se você tem um cachorrinho, aproveite! Estamos sempre tão atarefadas que até esse compromisso acabou sendo deixado de lado. E quando a gente finalmente leva o mascote para a rua, os passeios são mais apressados e curtinhos. Programe-se para ficar pelo menos uns 20 minutos caminhando com seu melhor amigo: vai ser ótimo pra ele e pra você. Os cachorros ficam bem menos ansiosos e nervosos quando podem explorar o mundo lá fora, e você vai ter oportunidade de fazer 20 minutos de caminhada, tomar sol, respirar ar puro e acalmar sua mente. Se você não tem um cachorro que o faça caminhar mais, experimente descer do ônibus um ponto antes ou simplesmente faça a pé um trecho do caminho até o trabalho.

2) Suba escadas em vez de usar o elevador
Aderi a esse novo hábito há uns dois anos. É muito interessante perceber as diferenças sutis que coisas simples trazem para nossa vida. Esse hábito vai fortalecer suas pernas, melhorar o retorno do sangue para o coração, ajudar no combate as varizes e aumentar seu condicionamento cardiorrespiratório – ou seja, você vai ganhar mais fôlego. Se você já está habituada a subir escadas, intensifique o treino: suba de dois em dois degraus! Só evite quando estiver com salto alto, ou carregando muitas coisas.

3) Consuma sementes de chia e linhaça todos os dias
Essas sementes gelatinizam, ou seja, formam um gel em contato com a água, o que gera uma ótima sensação de saciedade, diminuindo a fome entre as refeições e a necessidade de estar o tempo todo comendo. Por consequência, auxilia na perda de peso! Além disso, são ricas em nutrientes, gorduras poli-insaturadas, antioxidantes, fibras e proteínas. Acrescente em tudo! Nas saladas, no arroz e feijão de todo dia, nas preparações de bolos e tortas. Se quiser aumentar a absorção dos nutrientes, pode triturá-la na hora do consumo.

4) Tenha uma alimentação baseada em plantas
As plantas são os alimentos mais ricos em nutrientes que podemos encontrar – são de alta densidade nutritiva, ou seja, fornecem muitas vitaminas e minerais, sem agregar quantidades significativas de calorias. Quer uma opção melhor que essa para emagrecer? Nada de ficar cortando nutrientes, nada de ficar se restringindo, a forma mais eficiente de ter uma alimentação saudável, perder peso e ao mesmo tempo comer muita comida, é a dieta ser baseada em plantas. Isso não significa que você deva excluir as carnes, veja bem, quer dizer apenas que você deve priorizar o consumo de legumes e hortaliças, em abundância, e apenas complementar o aporte calórico do seu dia com frutas, cereais, leguminosas e carnes. Consuma-os livremente!

5) Divida suas refeições em dois pratos
Minha dica é dividir seu almoço e seu jantar em dois pratos. No primeiro, você coloca apenas vegetais: crus e cozidos, livremente, conforme o seu gosto. Depois de ter comido tudo, monte o segundo: metade dele será de legumes cozidos, assados, grelhados, e a outra, dividida em arroz, feijão, frutas, castanhas ou sementes, e carnes. Você verá que não estará com tanta fome na hora de consumir os alimentos mais calóricos, por isso, diminuirá o consumo de calorias do dia, sem sofrimento, sem passar fome, sem o famoso “déficit calórico” que gera o emagrecimento. Para perder peso, você não precisa comer pouco, você precisa comer bem!

6) Beba mais água
Nosso corpo é composto por mais de 60% de água. Nossa vida anda tão corrida, que esquecemos algumas condutas básicas para manutenção da boa saúde do organismo. Na falta de água, nada no nosso metabolismo funciona de forma adequada. Você sabia que sintomas como dores de cabeça, inchaço, intestino trancado, fome o tempo todo e cansaço crônico podem ser apenas falta de água? Não temos estoque de água no corpo e perdemos líquidos o dia inteiro (fezes, urina, suor, respiração), por isso precisamos repor adequadamente. E não adianta esperar sentir sede, pois a sede já é um sinal de alerta de que o corpo está precisando se hidratar. Portanto, garanta o consumo de água pura na quantidade mínima de 35ml de para cada quilo de peso corporal: essa recomendação é superindividualizada e mais eficiente do que aqueles dois litros por dia que todo mundo já conhece.

7) Durma mais cedo
Todo mundo já sabe que uma boa noite de sono garante mais disposição no dia seguinte. Mas você sabia que dormir bem pode ajudar a perder peso, ganhar músculos, melhorar o humor, trazer mais felicidade, melhorar a memória e a concentração, diminuir o estresse e melhorar até a aparência da pele? Pois é, durante o sono profundo, existe a liberação de hormônios relacionados com a recuperação dos tecidos, renovando a pele e reparando a musculatura exercitada, além de ser o momento em que ocorre a diminuição do hormônio do estresse. O famoso cortisol é importante para diversas funções no nosso corpo, mas, em excesso e em quantidades elevadas cronicamente, causa muito prejuízo. Inibe a queima de gordura, aumenta a retenção de líquidos, causa irritabilidade, dificuldade de memorização, aumento da pressão arterial e do açúcar no sangue e diminuição do sistema de defesa imunológica. Portanto, garantir uma boa noite de sono é essencial para que o cortisol retorne aos níveis basais, e não comprometa as funções normais do nosso organismo. Garantir uma boa noite de sono é uma questão de hábito, não é algo que vá acontecer de uma hora para outra. A primeira dica é criar uma rotina: dormir e acordar em horário determinado. Acordar mais cedo vai te cansar mais cedo, e a tendência é você, gradativamente, precisar dormir mais cedo também.

8) Retire os eletrônicos do quarto
O seu quarto deve ser seu templo de descanso, e o uso de eletrônicos na hora de dormir é o principal vilão do sono da atualidade. Tudo que mantiver seu cérebro estimulado vai evitar que você entre em sono profundo. Você pode até estar “dormindo”, mas não estará atingindo as fases mais importantes para recuperação do seu corpo. Aí acontece aquela famosa sensação de acordar mais cansado do que se sentia ao dormir. Qualquer tipo de equipamento que emita frequência de ondas – eletromagnéticas (luz) ou mecânicas (som) – pode atrapalhar as fases iniciais e profundas do sono, portanto, deixe o celular na sala, tire a TV do quarto (até a luzinha de stand by prejudica), feche bem as cortinas e persianas. Crie uma rotina para ir dormir, com horário determinado e sem nenhum equipamento eletrônico e sinta logo nos primeiros dias a grande diferença na sua qualidade de vida.

9) Acorde mais cedo
Comece o dia de uma forma mais lenta, sem pressa e com planejamento feito: você pode se dar ao luxo de começar pelas tarefas mais importantes, e não pelas urgentes. Não é apenas começar o dia antes, é começar do jeito certo. Se você ainda não tem um ritual matinal recomendo que coloque isso nas suas prioridades o quanto antes. Você tem que tratar todos os dias da sua vida como um evento: acorde, faça uns alongamentos, medite, passe um café ou prepare um chimarrão, tome banho, leia algumas páginas de um livro, coma alimentos saudáveis, enfim, deixe as redes sociais para depois, foque apenas em você. Bem cedo pela manhã é o período perfeito para trabalhar ou estudar, não só pela quietude matinal, mas também porque a sua mente está limpa, clara, focada. Quanto mais você aproveitar esse estado, mais produtividade, mais controle emocional, mais energia você terá para o resto do dia. Claro que isso também deve ser praticado. No início, pode ser difícil, mas com certeza valerá a pena.

10) Faça a sua própria comida
Para garantir a maior qualidade e higiene dos alimentos, nada melhor do que preparar nossa própria comida, só assim sabemos o que estamos comendo e podemos evitar os excessos. Prefira alimentos frescos e in natura, orgânicos, da feira, higienize adequadamente e monte seu cardápio da semana. Congele os pratos para durarem mais e garanta comida saudável todos os dias. Assim, você evita cair nas tentações dos restaurantes e de comer em excesso, pois a comida já vai estar porcionada. Sintomas como inchaço, distensão e desconforto abdominal e alergias vão ser evitadas, já que você tomará todos os cuidados para não haver contaminação cruzada e fará o preparo mais adequado dos alimentos.

11) Diminua o consumo de carnes
Já sabemos que o consumo de carnes, principalmente a de gado e os embutidos, tem relação com o desenvolvimento de doenças como câncer, pressão alta, alteração de colesterol e diabetes. Por isso, um hábito que você pode mudar para viver melhor é diminuir o consumo. Dê preferência para peixes e para proteínas vegetais como feijões, ervilhas, grão-de-bico, soja, tofu. Você vai sentir na primeira semana a diferença: estará mais leve e bem-humorada, e o intestino vai funcionar melhor – até a pele vai ficar mais saudável.

12) Faça um diário alimentar
Às vezes, nem nos damos conta do que consumimos no dia, de tão apressados que estamos. Depois, não conseguimos entender de onde estão vindo aqueles indesejáveis quilinhos a mais. A dica é fazer um diário alimentar, anotando o que consomiu no dia, onde você comeu, com quem, como estava se sentindo – pode anotar também o funcionamento do intestino, o período menstrual, e, claro, anotar todas as “escapadas”. Assim, você terá um panorama de como é sua alimentação, se você costuma se gratificar com comida ou descontar estresse em bebida, quais momentos do mês você come mais e quais as possíveis inter-relações das emoções e das suas funções biológicas. Se conhecer é o primeiro passo para ter uma vida melhor.

13) Dance
Dançar faz aumentar os níveis de hormônios relacionados com o humor e a sensação de bem-estar. Em festas ou em escolas especializadas, dançar fortalece os músculos, melhora a coordenação e a concentração, ajuda a perder uns quilinhos, aumenta a autoconfiança e, de quebra, faz a gente aumentar a rede de amigos!

14) Leia mais livros
Criar o hábito de ler todos os dias, nem que sejam cinco, traz inúmeros benefícios para o cérebro, como aumento do foco e da concentração, melhora a memória e o pensamento analítico, além de reduzir o estresse, aprimorar o vocabulário e a escrita e promover aumento da saúde mental – ajudando na prevenção de Alzheimer e demência. Você pode incluir esse hábito na sua nova rotina matinal, ou deixar esse momento para a parte da noite, pois ler é relaxante e indutor de sono – mas não vale ler em dispositivos eletrônicos, tem que ser livros mesmo.

15) Tente diferentes formas de preparar o mesmo alimento
Às vezes, nós achamos que não gostamos de algum alimento, mas talvez seja apenas de um preparo específico dele. A textura, o sabor e até a cor dos alimentos mudam conforme o tipo de técnica culinária empregada, por isso incentivo meus clientes a testarem diferentes formas de preparo (cozinhar em água, cozinhar no vapor, grelhar, assar) e diferentes receitas (lasanhas, tortas, mexidos) antes de decretarem que não gostam de algum alimento. Por exemplo, a couve-flor: cozida na água é até meio sem graça, pode passar despercebida em um prato de saladas ou como um acompanhamento. Entretanto, se você assá-la com papel alumínio, temperada com azeite, sal e pimenta, fica incrível! Deixar uns 40 minutos assando, fica tenra, desmanchando na boca, além de adquirir um sabor completamente diferente. Então, arrisque, teste e surpreenda-se: assim, você poderá garantir o consumo de muito mais variedade de alimentos.

16) Faça 20 minutos de exercício por dia
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), para melhorar funções cardiorrespiratórias e musculares, prevenir osteoporose e reduzir o risco de doenças crônicas não transmissíveis (como hipertensão arterial e diabetes) e até de depressão, adultos entre 18 e 65 anos devem praticar 150 minutos de exercícios aeróbios moderados por semana – cerca de 20 minutos por dia. Pode ser caminhada, natação, ou até mesmo dançar ou andar de bicicleta. Garanta essa quantidade mínima diária e sinta todos os benefícios.

17) Medite
O excesso de informações e a rapidez com que as coisas estão acontecendo nos dias de hoje levam, invariavelmente, a uma angústia e uma ansiedade crônicas, gerando frustrações e descontentamento. Por isso, a meditação está se tornando a prática do momento: você consegue focar a atenção no presente, preocupar-se com o agora, sem ansiar pelo futuro ou sofrer pelo passado. A prática meditativa pode entrar na sua rotina matinal ou noturna: além de aquietar a mente, reduzir o estresse, também ajuda a melhorar a qualidade do sono, a memória e até dores de cabeça.

18) Coma sem distrações
Para que a sinalização de fome/saciedade ocorra de forma adequada, é necessário que você esteja concentrada no ato de comer. Caso sua atenção esteja em outro foco, a liberação hormonal necessária para sinalizar ao cérebro que estamos satisfeitos vai demorar mais para ocorrer. Assim, acabamos também comendo maior quantidade de comida do que precisamos, uma vez que não estamos prestando atenção nos sinais que o corpo envia. Comer com atenção está diretamente relacionado a consumir menos calorias, portanto, com o emagrecimento. No início, é bem difícil, nossa mente não é projetada para se focar em uma coisa por vez, ela tende a divagar e somos inundados por mil pensamentos – sem contar o hábito de ficar mexendo nas redes sociais. Entretanto, esse hábito trará não só um menor consumo de alimentos, mas também um melhor aproveitamento dos nutrientes ingeridos, uma vez que acabamos prestando mais atenção na mastigação também – e comer devagar, mastigando bem os alimentos, é o primeiro passo para garantir uma digestão adequada.

19) Seja mais gentil
Não custa nada e só traz benefícios. Muda a química do nosso cérebro, muda a nossa visão de mundo: com a prática da gentileza, nos tornamos menos estressados e autocentrados. Devemos, em primeiro plano, ser mais gentis conosco mesmos, exercer o autocuidado e ser mais atenciosos com a gente. Não deixe pensamentos negativos e julgadores ficarem inundando sua mente, identifique-os, e deixe-os de lado, se esforce para trazer reflexões positivas para sua vida.

20) Preste mais atenção na sua respiração
Em geral, as pessoas nunca pensam sobre o ato de respirar, simplesmente por ser automático. Entretanto, essa função vital integra diversos sistemas do nosso corpo (pulmões, coração, vasos sanguíneos, cérebro) e tem influência não só física, mas também sutil no nosso bem-estar. Na yoga, acreditamos que todos nascemos com o número de respirações determinadas até morrer, e que a nossa vida terá o tempo que durarem nossas respirações, por isso, trabalhamos muito o controle dela – yogues respiram pouco, e profundamente, o tempo todo. Se é verdade científica ou não, não importa; entretanto, traz à luz uma discussão relevante: devemos prestar mais atenção ao jeito como respiramos. Já ouviu alguém dizendo, quando está estressado, que “precisa contar até 10 e respirar fundo” para se acalmar? De todas as funções vitais que temos, a respiração é a única que conseguimos controlar, e, controlando-a, conseguimos modular as outras também. Podemos fazer o coração bater mais rápido ou mais devagar e fazer a mente se acalmar, por exemplo. Comece a praticar hoje mesmo: tire um minutinho do seu dia, feche os olhos, sente em uma posição mais confortável, e preste atenção apenas na sua respiração. Sinta o ar entrando pelas narinas, enchendo seu peito, relaxe seu abdômen, inspire lenta, controlada e profundamente, retenha o ar por alguns instantes e, depois, solte também lenta e controladamente, até sentir que não tem mais ar dentro de você. Não force nada, deixe acontecer naturalmente, mas de forma consciente e presente. Afaste pensamentos que perturbem a prática. Você pode programar o tempo de prática para um número “x” de respirações, ou um tempo “x” em minutos – daí pode colocar um despertador para te avisar. Você vai se sentir muito melhor depois!