domingo, 24 de maio de 2020

Cloroquina: novo estudo em 100 mil pacientes acaba com as dúvidas sobre sua eficácia


Um novo estudo com quase cem mil pacientes de Covid-19 não mostrou qualquer benefício no tratamento com medicamentos antivirais cloroquina e hidroxicloroquina e, na realidade, aumentou a probabilidade de que morressem no hospital.

Hidroxicloroquina e cloroquina são comumente usados no tratamento da artrite e malária, mas figuras públicas em seus pronunciamentos, incluindo o presidente do Brasil – Jair Bolsonaro – anunciou a fabricação em massa do medicamento e sua aplicação pelo SUS.

A cloroquina pode produzir efeitos colaterais que podem ser graves como arritmia cardíaca.

Os autores de um novo estudo publicado sexta-feira na revista científica The Lancet disseram ter observado que tanto a cloroquina quanto a hidroxicloroquina não tiveram efeito positivo no tratamento de pacientes hospitalizados por coronavírus.

Ao analisarem os prontuários de 96 mil pacientes tratados em centenas de hospitais, eles confirmaram que a administração destas drogas realmente aumenta o risco de óbito.

Eles também chegaram a comparar quatro diferentes grupos: pacientes tratados exclusivamente com hidroxicloroquina, aqueles tratados com cloroquina e também dois grupos que receberam os mesmos medicamentos combinados com antibióticos.

A comparação foi feita também com um grupo controle: pacientes que não receberam nenhum destes tratamentos.

Cerca de 9% dos pacientes no grupo de controle foram a óbito. Dos que foram tratados apenas com hidroxicloroquina ou apenas com cloroquina, 18% e 16,4%, respectivamente, morreram.

O grupo que recebeu cada droga juntamente com antibióticos teve taxas de óbito ainda maiores: 22,8% (cloroquina) e 23,8% (hidroxicloroquina).

Os autores concluíram que a cloroquina e hidroxicloroquina aumentam o risco de morte dos pacientes de Covid-19 em 45% em comparação a problemas de saúde subjacentes.

“O tratamento com cloroquina ou hidroxicloroquina não beneficia pacientes com Covid-19”, afirmou Mandeep Mehra, o principal autor deste estudo e diretor do Brigham and Women’s Hospital Center for Advanced Heart Disease, em Boston, EUA.

“Em vez disso, nossas descobertas sugerem que pode estar associado a um risco maior de problemas cardíacos graves e aumento do risco de morte”.

O ministro da Saúde do Brasil recomendou na quarta-feira o uso de cloroquina e hidroxicloroquina para tratar até casos leves de Covid-19. Apesar do entusiasmo de Bolsonaro em usar a cloroquina para o tratamento com Covid-19, além do medicamento não ser benéfico ele piora significativamente as chances de sobrevivência dos pacientes.

A Grã-Bretanha encomendou 35 milhões de libras (R$ 237 milhões) em hidroxicloroquina, apesar de inúmeros estudos mostrarem sua ineficácia no tratamento do Covid-19.

“Vários países defenderam o uso de cloroquina e hidroxicloroquina, isoladamente ou em combinação, como tratamentos potenciais para o Covid-19”, disse Frank Ruschitzka, diretor do Centro do Coração do Hospital Universitário de Zurique que foi co-autor do estudo.

“Agora sabemos em nosso estudo que a chance de que esses medicamentos melhorem os resultados no Covid-19 é muito baixa”. [The Lancet, MedicalXpress]


sábado, 23 de maio de 2020

7 alimentos que combatem a ansiedade


Ricos em vitaminas e aminoácidos, eles melhoram a tranquilidade e a disposição

Está cada vez mais difícil manter a calma? Todo mundo vive dizendo que você é uma pessoa ansiosa? A ansiedade provoca uma bagunça nas emoções e de quebra ainda reflete na saúde. Quando em excesso, ela desencadeia a sensação de mal-estar e te impede de viver a vida com mais leveza, sem tanta angústia em relação ao que ainda está por vir. Os ataques de gula também são creditados a ela. Existem tratamentos e terapias para controlar a ansiedade, mas sabia que a alimentação também pode ajudar a domar este furacão interno? Alguns alimentos contêm aminoácidos e vitaminas essenciais, que atuam diretamente diminuindo o estresse, combatendo a ansiedade e aumentando os níveis de serotonina, responsável pelo bem-estar e pelo relaxamento. A seguir, conheça os sete alimentos campeões para aquietar a mente.

Frutas cítricas
Estudos comprovaram que a vitamina C, presente nas frutas cítricas, diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado pela glândula adrenal em resposta ao estresse e à ansiedade e responsável por transmitir a notícia de estresse para todas as partes do corpo. Seu consumo promove o bom funcionamento do sistema nervoso e aumenta a sensação de bem-estar. "Vitaminas e minerais, como a vitamina C, por exemplo, são perdidas nos quadros de estresse e ansiedade, além de queda de açúcar no sangue (hipoglicemia). Por isso, existe a necessidade de suprir essas carências", ressalta a nutricionista Rosana Farah, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade.

Leite, ovos e derivados magros
Eles são uma ótima fonte de um tipo de aminoácido, o triptofano, que alivia os sintomas de ansiedade. De acordo com a nutricionista Rosana Farah, uma vez no cérebro, o triptofano aumenta a produção de serotonina, o hormônio da felicidade, que é um neurotransmissor capaz de relaxar e dar sensação de bem-estar. A especialista recomenda o consumo de 2 a 3 porções por dia deste grupo de alimentos.

Carboidratos
Os carboidratos, provenientes dos cereais na sua forma simples e integrais, e das frutas mais adocicadas, também podem combater a indesejada ansiedade. "Eles elevam o nível de açúcar no sangue, dando energia, bem-estar e disposição", explica Rosana Farah. Pães, arroz, aveia, feijão, massas, batata, mel, jabuticaba, uvas, maçãs fazem parte deste grupo alimentar. A quantidade recomendada é de 6 a 9 porções diárias.

Banana
Um estudo feito por pesquisadores do Instituto de Pesquisas de Alimentos e Nutrição das Filipinas comprovou que esta fruta ajuda no combate da depressão e alivia os sintomas da ansiedade. Graças ao alto teor de triptofano que a fruta carrega, ajudando na produção de serotonina.

Chocolate
O chocolate é rico em flavonoides, um tipo de antioxidante que favorece a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e que melhora o humor, reduzindo a sensação de ansiedade. explica a especialista em nutrição clínica e gastronomia, Rosana Farah. O recomendado são 30 gramas de chocolate por dia. E de preferência ao chocolate amargo, bem menos calórico e mais rico em flavonoides.

Carnes e peixes
Eles são a melhor fonte natural de triptofano, aminoácido que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem serotonina, um neurotransmissor importante no processo do sono, do humor e que regula os níveis de ansiedade. Além disso, as carnes e peixes contêm outro aminoácido chamado taurina. Esta substância aumenta a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade. "A recomendação diária em relação às carnes é de 1 a 2 porções, dê sempre preferência às carnes brancas e magras", recomenda a nutricionista Rosana Farah.

Espinafre
O espinafre contém folato (ácido fólico), que é uma potente vitamina antidepressiva natural. Segundo a nutricionista Rosana Farah, ele combate a ansiedade, pois quando está em baixas concentrações no organismo também diminui os níveis cerebrais de serotonina. Além disso, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, o cérebro consome muita energia para funcionar e isso resulta na sobra de resíduos químicos oxidantes. É neste momento que alimentos, como o espinafre, começam a trabalhar para eliminar as substâncias em excesso, "desenferrujando" o cérebro.


sexta-feira, 22 de maio de 2020

O mapa mundial de aparições da Virgem Maria


Os seguidores do catolicismo demonstram grande devoção à Virgem Maria, mãe de Jesus. Embora ela tenha dado luz ao Cristo, não é considerada divina em si pela igreja.

Visto que boa parte do mundo segue essa religião, aparições da Virgem Maria são comuns em diversas localidades.

De acordo com a doutrina católica, a idade da “revelação pública” terminou por volta do ano de 100 dC com a morte de João, o último apóstolo. Logo, as revelações que ocorreram depois desse período são consideradas “particulares”, iluminando aspectos da fé, mas nunca revelando novos.

Verdadeiras, oficializadas, fraudulentas e ridicularizadas
Aparições são muitas vezes objeto de ridicularização. A maioria não recebe aprovação oficial da igreja católica, seja pelo bispado local ou pelo Vaticano. Algumas podem ser fraudulentas.
Sendo assim, aparições não reconhecidas podem levar a cismas com a igreja oficial. A pessoa que viu a Virgem e seus seguidores podem fundar movimentos independentes ou se juntar a seitas existentes.
Confira abaixo um mapa mundial sobre as aparições da Virgem Maria, bem como algumas informações sobre esses eventos sobrenaturais.

Mapa mundial e europeu
Os mapas abaixo foram produzidos pela National Geographic e mostram a geografia das visitas de Maria pelo mundo. O primeiro foca no globo como um todo, e o segundo mostra as aparições na Europa (área aumentada a partir do quadrado na primeira imagem).



Legenda:
Cruzes mostram onde a Virgem Maria apareceu para um futuro santo;
Pontos amarelos denotam aparições relacionadas à tradição católica, mas não atestadas pelo Vaticano;
Pontos azuis denotam aparições mais recentes, mas ainda não confirmadas;
Pontos verdes denotam aparições aprovadas como “dignas de fé”, mas não sobrenaturais;
Pontos vermelhos denotam que um bispo local “aprovou” a aparição como genuína;
Pontos vermelhos maiores (para aparições famosas) marcam aquelas que também foram reconhecidas pelo Vaticano.

Onde a Virgem Maria mais apareceu?
Os mapas parecem indicar que a Virgem Maria deu as caras mais vezes pela Europa, com os EUA seguindo de perto.
No continente europeu, os destinos favoritos de Maria parecem ser a Itália e a França, seguidas do sul da Alemanha (a parte católica do país) e a Bélgica.
Considerando que a Espanha e a Polônia são países com muita fé católica, o número de aparições por lá parece pequeno.
É também curioso que não haja quase nenhuma aparição nos Balcãs (Medjugorje sendo a exceção mais notável). A Escandinávia, uma região na qual muitos países são predominantemente ateístas, é totalmente livre de aparições da Mãe Santa.
Os EUA lideram o resto do mundo em número de aparições, embora a maioria não seja reconhecida pela igreja. O mesmo acontece no Brasil – temos algumas aparições, mas somente duas aprovadas pelo bispado local.
Duas aparições na África e uma no México são oficialmente reconhecidas pelo Vaticano.

Para quem a Virgem Maria mais apareceu?
De acordo com o portal Big Think, as aparições da Virgem Maria ocorrem tipicamente em tempos de crise para crianças de ambientes socioeconômico humildes. Elas são as únicas capazes de ver o fenômeno, sendo que as visitas acontecem às vezes durante um período prolongado.

O que a Virgem Maria desejava com essas aparições?
A maria das aparições não resulta em contato direto entre a Virgem e seus observadores.
Quando Maria fala com a pessoa que a observa, normalmente é para pedir pela construção de uma capela ou igreja, para implorar mais devoção ou fé aos seus seguidores, e/ou para alertar sobre o futuro.
As testemunhas frequentemente relatam suas roupas e atributos em grande detalhe.

Aparições da Virgem Maria aprovadas pelo Vaticano: uma visão geral
Existem pelo menos 17 aparições da Virgem Maria confirmadas pelo Vaticano. Destacamos algumas delas a seguir:

Nossa Senhora de Lourdes, França
Em 11 de fevereiro de 1858, uma “donzela” falou com Bernadette Soubirous, uma garota de 14 anos, na gruta de Massabielle, a cerca de 1,6 km da cidade de Lourdes, no sul da França.
A tal donzela, que apareceu outras 17 vezes, revelou-se Nossa Senhora da Imaculada Conceição e pediu que fosse construída uma capela naquele local.
Ao que tudo indica, Maria revelou uma nascente para Bernadette e instruiu os peregrinos a beberem dela e se lavarem nela. A água, fornecida gratuitamente, é um souvenir popular de Lourdes. Alguns alegam ter sido curados por ela.
O Departamento Médico de Lourdes documentou cerca de 70 curas milagrosas no local, e Bernadette foi canonizada santa em 1933. A aparição em Lourdes também é reconhecida pela igreja anglicana, que tem seu próprio santuário na cidade francesa.
A visão de Bernadette tem semelhanças com a de Anglèze de Sagazan, uma pastora de 12 anos que no século XVI viu a Virgem Maria na vizinha Garaison. As peregrinações à Garaison logo foram trocadas por perambulações à Lourdes. Hoje em dia, milhões de peregrinos viajam para a cidade a cada ano. A região possui mais quartos de hotel do que qualquer outro lugar da França, exceto Paris.

Capela Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, França
Em 19 de julho de 1830, uma voz acordou a freira Catherine Labouré chamando-a para a capela, onde uma aparição da Virgem Maria lhe disse que “os tempos eram ruins na França e no mundo” e lhe instruiu a produzir medalhões que conferissem graças àqueles que os usassem.
Os medalhões – nos quais estava inscrito “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a ti” – se tornaram muito populares e foram influentes na promulgação do Vaticano do dogma da Imaculada Conceição, em 1854.
Catherine passou o resto da vida cuidando de doentes e idosos. Seu corpo, agora envolto em vidro e exibido em Paris, foi descoberto incorrupto e ela foi canonizada em 1947.
O papa João Paulo II usou uma variação da imagem do medalhão como brasão de armas.

Nossa Senhora de Siluva, Lituânia
Em 1608, algumas crianças que cuidavam de ovelhas relataram ter visto uma bela dama segurando um bebê em um local onde anteriormente havia uma igreja. Ela estava chorando.
As crianças voltaram no dia seguinte com alguns moradores, incluindo um ministro calvinista, e todos a viram.
Uma nova igreja católica foi construída no lugar da antiga e, eventualmente, substituída por uma muito maior – chamada Basílica da Natividade de Maria – para acomodar as multidões de peregrinos que visitavam o local.
A Capela da Aparição, construída sobre a rocha onde a Virgem apareceu, tem a torre mais alta da Lituânia. É possível beijar a própria pedra, acessível sob o altar da capela.
O Papa Pio XI intitulou a Lituânia como “Terra Mariana” por conta de sua devoção à Virgem Maria. A Nossa Senhora de Siluva é considerada padroeira daqueles que abandonaram a fé católica e dos que oram em seu nome.

Nossa Senhora do Laus ou Refúgio dos Pecadores, França
Em maio de 1664, a pastora de 17 anos Benoîte Rencurel viu uma aparição de São Maurício, um mártir do século III muito reverenciado em sua região natal, no sudeste da França. Ele aconselhou Benoîte a visitar um vale próximo, onde ela veria a Virgem Maria.
Em uma gruta, a pastora de fato descobriu Maria segurando o bebê Jesus. A Virgem instruiu Benoîte a construir uma capela na vila de Laus, onde os pecadores seriam convertidos, bem como prometeu aparecer com frequência.
Alguns dos peregrinos de Laus tornaram-se santos, incluindo Eugênio de Mazenod, fundador dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada. As aparições marianas em Laus duraram até 1718. Apesar disso, só foram reconhecidas pela Santa Sé em 2008.

Nossa Senhora de Fátima, Portugal
Entre 13 de maio e 13 de outubro de 1917, uma “dama mais brilhante que o sol” apareceu seis vezes para três crianças pastoras portuguesas, Lúcia dos Santos e seus primos Francisco e Jacinta Marto.
A dama pediu que as pessoas se devotassem à Santíssima Trindade e rezassem o Rosário todos os dias, informando que a oração acabaria com a Grande Guerra. Também mostrou às crianças uma visão do inferno, confiando a elas três segredos.
As aparições atraíram milhares de visitantes à Fátima e perturbaram o equilíbrio político em Portugal, ainda uma república jovem e anticlerical lutando contra uma forte reação conservadora. As crianças, inclusive, foram brevemente presas e ordenadas a revelar os segredos ou admitir que haviam mentido.
Na última aparição da Virgem, muitos dos até 100.000 visitantes do local relataram um “milagre” incluindo luz multicolorida e movimento irregular do sol. Alguns não viram nada fora do comum.
Conforme previsto pela Virgem, Francisco e Jacinta morreram logo depois, na pandemia de gripe espanhola que começou em 1918. Lúcia tornou-se freira, afirmando ver Maria e Jesus esporadicamente mais tarde na vida. Ela morreu em 2005, aos 97 anos.
O Papa João Paulo II creditou Nossa Senhora de Fátima por salvar sua vida em 13 de maio de 1981, doando a bala que o feriu ao santuário de Fátima. O local é atualmente um dos centros de peregrinação mais populares do mundo.

Nossa Senhora de Zeitoun, Egito
Em 2 de abril de 1968, um motorista de ônibus muçulmano pensou ter visto uma senhora no topo de uma igreja copta em Zeitoun, perto do Cairo, no Egito, imaginando que ela estava prestes a cometer suicídio.
A polícia foi chamada, mas a multidão reunida rapidamente identificou a figura como a Virgem Maria. Depois de alguns minutos, ela desapareceu.
A tal senhora voltou uma semana depois, novamente por alguns minutos. Depois disso, ocorreram aparições várias vezes por semana até 1971. Um membro do Vaticano foi enviado para investigar, mas deixou a verificação na mão das autoridades coptas.
O local da aparição tem um vínculo histórico com a Virgem Maria, pelo menos de acordo com a tradição copta (os coptas são egípcios cujos ancestrais abraçaram o cristianismo no século I, formando um dos principais grupos etno-religiosos do país): afirma-se que é um dos lugares onde a Sagrada Família descansou em sua fuga de Belém para o Egito.
Diferente da maioria das outras aparições, a Virgem de Zeitoun foi vista não por poucas pessoas, mas por multidões – as estimativas variam de 250.000 pessoas até milhões, ao longo dos quatro anos em que o fenômeno durou, incluindo muitos muçulmanos e o ex-presidente egípcio Gamal Abdel Nasser. O evento também foi capturado em câmera.
Céticos consideram as aparições de Zeitoun como um caso de histeria em massa, ocorrida em tempos de crise (no caso, após a derrota do Egito por Israel na guerra de 1967, as pessoas teriam se sentido decepcionadas com a modernidade e se voltado para a religião).

Nossa Senhora de Guadalupe, México
Em 9 de dezembro de 1531, a Virgem Maria teria aparecido ao camponês Juan Diego na colina de Tepeyac, perto da Cidade do México. Falando com ele na língua uto-asteca náuatle, pediu que uma igreja fosse construída no local.
Juan Diego relatou o avistamento ao arcebispo do México, que não acreditou nele. A igreja pediu um sinal milagroso.
Logo depois, Maria curou o tio de Juan Diego e o instruiu a colher rosas castelhanas no topo da geralmente árida Tepeyac, transformando sua capa em uma imagem da Virgem. Alguns dias mais tarde, a capa foi exibida em uma capela erguida às pressas.
Milagres começaram a ocorrer quase imediatamente, e a Nossa Senhora de Guadalupe se tornou o símbolo religioso mais popular do México. No século 19, tornou-se também uma força a ser invocada na luta da independência do México contra a Espanha.
Apesar de Juan Diego ter sido canonizado em 2002, alguns estudiosos católicos duvidam que ele sequer tenha existido. Segundo tais pesquisadores, o culto a Guadalupe destinou-se a aumentar a devoção católica entre os indígenas mexicanos. Inclusive, a imagem na capa lembraria a arte contemporânea espanhola. Muitos crentes, no entanto, atribuem qualidades milagrosas à capa, que é exibida na basílica construída em uma caixa à prova de balas e climatizada.
Embora origens náuatles tenham sido propostas, parece provável que o nome Guadalupe, anexado à aparição, seja uma referência espanhola. A Extremadura, região espanhola onde nasceu o conquistador Hernán Cortés, tem seu próprio culto a Nossa Senhora de Guadalupe centrado em uma estátua que, segundo Lucas, foi esculpida por São Lucas Evangelista.
Para os mexicanos nativos, a Nossa Senhora de Guadalupe lembra Tonantzín, uma deusa da terra e destruidora de serpentes asteca, cujo templo anteriormente ficava na mesma colina onde a basílica fica agora.
A Nossa Senhora de Guadalupe é a santa padroeira do México, das Américas e dos nascituros e, portanto, também um símbolo do movimento pró-vida. A Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México, é o santuário católico mais visitado do mundo, recebendo milhões de peregrinos todos os anos. [BigThink]


quinta-feira, 21 de maio de 2020

9 alimentos para consumir em dias de gripe

Os nutrientes e vitaminas presentes em alguns alimentos ajudam a reforçar o sistema imunológico. Aprenda a fazer um chá para potencializar o sistema imune

As temperaturas mais baixas durante o outono e invernos contribuem para a vulnerabilidade do organismo, podendo resultar em gripes e resfriados. Por esse motivo, é importante manter uma alimentação equilibrada, seguindo uma dieta rica em vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes para deixar o sistema imunológico mais resistente a vírus e bactérias, assim, combatendo diversas doenças.

Além disso, se você quer se prevenir dessas doenças, o consumo dos nutrientes certos são essenciais. Para ajudar você a se livrar da gripe, nós selecionamos alguns alimentos que fortalecem o sistema imunológico e ajudam a acelerar a recuperação. Confira:

1. Leites e derivados
O leite e seus derivados são excelentes fontes de cálcio, porém também possuem outros nutrientes que trazem diversos benefícios para saúde, como o potássio que é importante para o organismo como um todo.
"Iogurtes e leites são boas fontes de proteínas, nutriente importante para estruturar e fortalecer o sistema imunológico. Além disso, a partir da fermentação que ocorre na produção desses alimentos, são obtidos alguns micro-organismos que auxiliam no equilíbrio da composição de bactérias presentes no intestino e sua interação com o sistema imunológico", revelou Dra. Inarí Ciccone, nutricionista da Doctoralia.

2. Peixes ricos em ômega 3
Os peixes são fontes de diversos nutrientes, especialmente, o ômega 3, uma gordura poli-insaturada, que proporciona boa parte dos benefícios desse alimento. Desta forma, as espécies que têm maior quantidade deste lipídio serão as melhores para a sua saúde, como o salmão, sardinha e o atum.
"O ômega-3 é considerado um nutriente anti-inflamatório, também possui ação benéfica para fortalecer o sistema imune e reduzir os processos inflamatórios e potencializar a ação de defesa do organismo", comentou a nutricionista Inarí Ciccone.

3. Alho e cebola
Além de serem ótimo em trazer sabor para as comidas, esses alimentos são capazes de prevenir doenças e manter o organismo saudável. Estudos comprovam que o alho e a cebola podem prevenir e tratar doenças, como gripe, diabetes e até reduzir os riscos de câncer.
"O alho contém alicina, que é um poderoso inibidor do crescimento de microrganismos como fungos e bactérias" afirma nutricionista do Dr. consulta, Mariana Maciel. O alimento também pode ajudar a reduzir e diluir o muco nos pulmões, sendo eficaz contra tosse persistente e bronquite, podendo ser consumido junto a antibióticos.
O consumo desses alimentos contribui para que vias respiratórias se mantenham abertas e descongestionadas. O alho e a cebola são ricos em substâncias anti-inflamatórias, antivirais, antiparasitárias, antibacterianas e antifúngicas. Por isso, é um ótimo remédio para afastar gripes, resfriados e infecções em geral.
"A cebola é da mesma família do alho. Ela é rica em compostos antioxidantes como as vitaminas A e C e quercetina. A quercetina também possui atividade antimicrobiana e também pode ter função anti-inflamatória, mas não propriamente antialérgica", completa a Dra. Marina Maciel.

4. Própolis
Você provavelmente já deve ter escutado a frase "Toma própolis que melhora" de algum familiar quando está com gripe. A verdade é que esse alimento produzido pelas abelhas é um poderoso antioxidante com ação antibiótica, isso porque é rico em aminoácidos, vitaminas e bioflavonoides.
O própolis possui ação antibacteriana e antiviral, contribuindo para o combate do vírus da gripe, além de previr o aparecimento de constipações, pneumonias, resfriados e doenças do aparelho respiratório.
"Devemos lembrar que a própolis não é um remédio milagroso para todos os males e, em função de suas propriedades, deve ser utilizada com cautela e só quando necessário", comenta o zootecnista Sílvio Lengler, professor de apicultura da UFSM (Universidade de Santa Maria, RS).

5. Limão e frutas cítricas
A vitamina C é um importante componente na fortificação do sistema imunológico, por isso o consumo de frutas cítricas é um excelente alimento a ser consumido em dias de gripe.
"O limão é riquíssimo em vitamina C, composto muito presente nas reações de produção das células de defesa do organismo, além de também possuir ação antioxidante (neutralizar os compostos que prejudicam a integridade da célula). Para manter um organismo resistente e com um bom sistema imunológico, é indicado a prática de tomar o suco de 1 limão com um pouco de água ao acordar, em jejum" revela a nutricionista Inarí Ciccone.

6. Gengibre
Com inúmeros benefícios, o gengibre é um ótimo alimento para aliviar incômodos, como dores de garganta, gripe, resfriados, já que apresente uma forte ação bactericida e anti-inflamatória.
"O gengibre contém gingerol, um composto com propriedades anti-inflamatórias e imunomoduladoras, sendo muito útil no combate ao estado gripal", declara Mariana Maciel.

7. Chá branco e chá verde
Consumir chás em dias de gripe é ótimo para ajudar a acabar com aquela sensação de derrota. Esses chás são derivados da planta Camellia sinesis, se destacando por ser forte ação antioxidante e no combate de gripes.
"O chá branco contém catequinas, que são substâncias também presentes no chá verde, possuindo forte ação anti-inflamatória e fortalecedora do sistema imunológico, sendo útil por isso, no processo de combate uma gripe", disse a nutricionista do Dr.consulta, Mariana Maciel.

8. Oleaginosas
Castanha-do-pará, nozes e amêndoas são apenas algumas das oleaginosas que trazem vários benefícios para a saúde. Afinal, elas são fontes de gorduras boas, as monoinsaturadas e as poli-insaturadas, que protegem o coração e tem um efeito anti-inflamatório.
"Assim como os peixes ricos em ômega, as oleaginosas contêm ácidos graxos e também podem ser fontes de outros antioxidantes como o selênio e vitamina E.", comentou a Dra. Mariana Maciel

9. Cenoura
Rica em vitamina A e C, a cenoura contribui para o aumento da imunidade do organismo e no combate de infecções. Diversos benefícios relacionados ao consumo da cenoura já foram comprovados por pesquisadores, então se você está buscando um alimento que te faça sentir melhor da gripe, a cenoura é uma boa escolha.
"Cenoura, abóbora, rúcula, agrião e alimentos de cores alaranjadas e verdes escuras possuem uma elevada quantidade de vitamina A, composto com ação importante na produção de células do sistema imune, e também possui ação antioxidante. Esses alimentos devem estar presentes na alimentação diária para fortalecer o sistema imune, e ainda mais nos dias com gripe e infecções. A cenoura em si, também possui ação anti-inflamatória", afirma a nutricionista Inarí Ciccone.

Receita de chá para gripe
A Dra. Inarí Ciccone, nutricionista da Doctoralia, revelou uma receita de chá que ajuda potencializar o sistema imune, sendo uma excelente opção para ser consumida em dias de gripe. Aprenda:
Ferva por 5 minutos 2 dentes de alho e 2 pedaços de gengibre sem casca. Depois, coe, adicione 1 limão espremido e 1 colher de sobremesa de mel de folha de laranjeira. Basta beber em seguida antes de dormir ou ao acordar.


quarta-feira, 20 de maio de 2020

5 dicas para armazenar seus remédios de forma segura


Manter as medicações em local correto e protegido evita riscos à saúde

Não é de hoje que muitas pessoas têm o hábito de manter um estoque de medicamentos em casa. Seja quem precisa tomar remédios de forma periódica ou quem apenas tenha uma precaução para os casos de dor de cabeça e cólica, o hábito de conservar uma "mini farmácia" caseira é algo que vem de gerações e acontece em toda parte.

Porém, é preciso ter cuidado e atenção ao realizar essa prática. Alguns locais da casa podem não só comprometer a eficácia dos medicamentos, como gerar uma contaminação dos mesmos, colocando a saúde em risco. Portanto, confira algumas dicas para armazenar os remédios da forma correta:

1- Mantenha a embalagem original
O farmacêutico homeopata Jamar Tejada explica que guardar os medicamentos em sua embalagem original mantém a integridade e ajuda a conservá-los. "A embalagem foi projetada para evitar grandes variações de temperatura, umidade, exposição à luz, poeira e microrganismos que contaminam os mesmos. Além disso, nelas, você pode identificar o nome correto, o lote, a validade do produto e ler a bula", explica o especialista.

2- Escolha locais frescos e arejados
Guardar um medicamento na cozinha ou no banheiro pode não ser uma boa ideia. Por serem locais com grande mudança de temperatura e umidade, a conservação dos remédios pode ser prejudicada, aumentando as chances de proliferação de bactérias e de desintegração de suas propriedades.
Por isso, é indicado que os medicamentos sejam guardados em locais frescos, arejados, secos e que não sofram mudanças térmicas, longe da exposição à luz solar. Os especialistas também recomendam que os remédios sejam mantidos separados dos produtos de limpeza.

3- Evite estojos de armazenamento
Muitas pessoas guardam os medicamentos em estojos ou caixinhas que separam os comprimidos que devem ser tomados durante a semana. Apesar de parecer uma forma de organizar a rotina, essa prática pode ser muito perigosa.
Jamar explica que, além de prejudicar a identificação dos medicamentos, isso pode levar a confusão e erros no momento do uso, trazendo consequências como a superdosagem, por exemplo.
"A estabilidade do medicamento pode sofrer alterações, uma vez que essas caixinhas não possuem vedação como a da embalagem original, além de sofrer ações diretas da luz, já que a maioria das caixinhas ou estojos são transparentes", conta o farmacêutico.

4- Cuidados durante viagens
Durante as férias ou viagens a trabalho, o modo de se guardar medicações também deve ter a atenção e cuidados necessários. "O mais indicado é utilizar embalagens térmicas, pois pode ser necessário o uso de algum resfriamento no medicamento, caso houver muita variação de temperatura entre meio externo e interno", explica Jamar.
De acordo com o especialista, quando a viagem for feita de carro, também é indicado o uso de gelo reutilizável para preservação do remédio, pois não há derretimento, já que são acondicionados em embalagens plásticas. Assim, é possível manter a medicação em sua embalagem original e garantir uma boa temperatura, sem riscos de umidade.

5- Cuidado com as crianças
Além dos cuidados para a preservação dos medicamentos, também é preciso se atentar com a segurança das crianças na hora de guardar os remédios. Dê preferência a ambientes que estejam fora de alcance dos pequenos, garantindo que apenas adultos possam ter acesso ao local.

Outros cuidados com medicamentos
Algumas outras orientações também devem ser seguidas ao se manter medicamentos em casa. É importante lembrar que cada pessoa pode apresentar uma reação diferente para cada remédio, logo, a automedicação nunca é indicada. Procure um médico para saber quais são os tipos de comprimidos mais indicados para o seu quadro e sua condição de saúde.

Leia a bula e respeite sempre o prazo de validade para cada medicação, evitando complicações adversas na hora de ingerir os remédios. Caso seja necessário o descarte desses produtos, nunca os jogue em lixos ou privadas, pois essas práticas podem causar a contaminação do solo e da água. Logo, a maneira correta de descartar um medicamento é procurar por farmácias, drogarias e postos de saúde que façam esse serviço de forma segura.


terça-feira, 19 de maio de 2020

8 alimentos para comer hoje e desinchar amanhã


Incluir alguns alimentos no cardápio ajudarão você a parar de sofrer com o inchaço

Sabe quando estômago fica pesado, a calça parece estar mais apertada e até a respiração fica um pouco diferente? Esse conjunto de sensações incômodas também é conhecido como inchaço. E esse problema pode ser ocasionado por maus hábitos alimentares.

Um dos principais causadores do inchaço temporário são os alimentos ricos em sódio, portanto se você está querendo fugir desse incômodo é essencial deixar de consumir embutidos (salame, mortadela, presunto), queijos amarelos, enlatados e reparações temperadas excessivamente com sal.

Além disso, esse problema pode ocorrer em consequência da retenção de líquidos, provocada pelo acúmulo excessivo de água no organismo, o que leva ao inchaço principalmente na barriga, pés, mãos, coxas, tornozelos e mamas. Contudo, a rapidez nos resultados poderão depender de cada organismo, por isso é importante manter uma alimentação saudável diariamente.

Para combater o problema, existem alguns alimentos que podem ajudar você a desinchar no dia seguinte. Confira:

1. Melancia e melão
A melancia e o melão possuem uma fama -injusta- de serem indigestos, contudo isso apenas irá depender do organismo de cada indivíduo. Na verdade, a digestão da melancia é fácil, já que ela é composta basicamente por água. Ambas as frutas são ricas em fibras e água, ajudando a desinchar o corpo e também limpar nosso organismo.
"A melancia e o melão pertencem à mesma família, das cucurbitáceas. Popularmente, são conhecidas por seus efeitos diuréticos e, por isso, teoricamente ajudariam na eliminação de líquidos", comentou a nutricionista da rede de centros médicos dr.consulta, Mariana Maciel.
De acordo com a nutricionista, as duas frutas riquíssimas em água e, uma vez que se aumente hidratação do indivíduo, aumenta-se também a sua excreção e o bom funcionamento dos rins.

2. Iogurte
Além de delicioso, o iogurte possui diversos benefícios para saúde. Sendo rico em probióticos, esse alimento ajuda a melhorar o funcionamento do intestino. O consumo regular desse alimento, poderá diminuir as chances de sofrer de prisão de ventre e outras complicações decorrentes da digestão.
"O controle da função intestinal passa pelo equilíbrio das bactérias que nele habitam. O desequilíbrio delas é chamado disbiose e leva a alterações imunológicas e inflamatórias que geram sintomas relacionados ao trânsito intestinal (diarreia ou constipação), dor abdominal e flatulência", disse a Dra. Mariana Maciel
"Ao consumir alimentos fontes de probióticos estamos contribuindo para o equilíbrio dessas bactérias e diminuição desse quadro de disbiose. Assim, pode-se notar melhoria do trânsito intestinal e diminuição da distensão abdominal", afirma a nutricionista.

3. Gengibre
O gengibre apresenta vários benefícios terapêuticos: tem ação bactericida, é desintoxicante e ainda melhora o desempenho do sistema digestivo, respiratório e circulatório. Além disso, é muito conhecido por sua ação termogênica, que pode ser capaz de acelerar o metabolismo e favorecer a queima de gordura corporal.
"O gengibre é mais reconhecido pelos seus efeitos anti-inflamatórios e digestivos. Por isso, pode ajudar a diminuir a percepção de "estômago estufado". Com o uso crônico, pode ajudar a diminuir o inchaço provocado pelas reações inflamatórias", revelou a nutricionista. Mariana Maciel.

4. Pimenta
Adicionar determinados temperos nas comidas, além de torná-las mais saborosas ainda pode contribuir para a perda de peso. As pimentas proporcionam muitas vantagens para nosso organismo porque possuem atividades antimicrobiana, anti-inflamatória, anticancerígena, melhoram a digestão e diminuem os níveis de colesterol. Por terem efeito termogênico, ou seja, acelerarem o metabolismo, as pimentas também ajudam no emagrecimento.
"A pimenta vermelha é rica em capsaicina, um composto bioativo que tem ação anti-inflamatória, capaz de reduzir o inchaço provocado pelas reações inflamatórias do organismo", disse a nutricionista.

5. Chá de hibisco
Apostar nessa bebida é uma excelente escolha, O chá de hibisco conta com diversas substâncias antioxidantes, como os flavonoides, especialmente as antocianinas, que contribuem para evitar o acúmulo de gorduras. Segundo especialistas, beber chá de hibisco após as refeições vai ajudar a reduzir a absorção de carboidratos, o que gradualmente levará à perda de peso.
"É rico em compostos bioativos antioxidantes, vitamina C, tem propriedades diuréticas e levemente laxativa, podendo ajudar a diminuir a sensação de inchaço", revelou Mariana Maciel.

6. Mamão
O mamão é um alimento rico em fibras e vitaminas que auxiliam no funcionamento do intestino, melhorando o trânsito intestinal. De acordo com a nutricionista, a fruta também contém papaína, uma enzima que digere proteínas, podendo ajudar, no processo digestivo e consequentemente no bom trânsito gastrointestinal, além de possuir efeito anti-inflamatório

7. Água
Consumir água de forma regular durante o dia ajuda o corpo a funcionar melhor e previne problemas de saúde. Ao contrário do que muitos acreditam, quando temos aquela sensação de inchaço é ainda mais importante manter-se hidratado, isso porque a água irá estimular a ação diurética reduzindo o problema.
"A água pode ajudar no bom funcionamento dos rins, aumentando a eliminação de líquidos e toxinas. Além disso, é fundamental para a boa hidratação do bolo fecal, interagindo com as fibras e tornando -o mais macio, volumoso e auxiliando no peristaltismo (movimento natural do intestino)", comentou a nutricionista Mariana Maciel.

8. Farelo de aveia
O farelo de aveia é um alimento riquíssimo em fibras, capaz então de promover maior sensação de saciedade, regular o trânsito intestinal e auxiliar na digestão e absorção de nutrientes.
"O farelo de aveia é rico em betaglucanas, fundamental para o trânsito intestinal e com propriedades estimulantes dos sistema imunológico e anti-inflamatório potente", afirma Mariana.


segunda-feira, 18 de maio de 2020

Existem hábitos de vida que ajudam a prevenir o coronavírus?


É sempre bom manter hábitos que ajudem nosso sistema imune, mas mesmo pessoas saudáveis podem contrair o vírus e transmiti-lo sem manifestar sintomas.

Tirando as medidas de prevenção direta, como lavar as mãos com frequência e usar máscara se estiver com sintomas, manter um estilo de vida saudável ajuda na medida em que reforça nossa imunidade.

Ainda assim, vale destacar que o novo coronavírus é um agente infeccioso que se transmite muito facilmente. Quem tem o sistema imunológico saudável e não tem doenças crônicas como diabetes e hipertensão nem se enquadra no grupo de pessoas imunodeprimidas (como pacientes oncológicos e transplantados), provavelmente terá somente sintomas leves, ou pode até mesmo não desenvolver a doença. No entanto, isso não garante que essas  pessoas não contrairão o vírus.

Nessa situação, você será uma pessoa saudável, mas que carrega o vírus e pode transmiti-lo; ou seja, até a pandemia passar, valem as orientações de restringir a circulação para evitar a propagação do vírus. Pelo mesmo motivo, evite sair e tente encontrar formas de se exercitar dentro de casa até o período crítico passar.

De qualquer forma, dicas gerais, que valem para a manutenção da saúde como um todo, continuam valendo:

Mantenha uma dieta equilibrada, com muitos vegetais e pouca gordura;
Faça atividade física regularmente, pelo menos 150 minutos por semana, buscando alternativas dentro de casa (existem aplicativos que podem ajudá-lo);
Beba bastante água, cerca de 2 litros por dia;
Tenha uma boa noite de sono (a maioria precisa dormir entre 7 e 8 horas por noite).


domingo, 17 de maio de 2020

Aprenda a diferenciar sintomas do coronavírus, gripe, resfriado e alergia


Ficou doente? Descubra a diferença entre as principais enfermidades do outono e evite ir ao hospital desnecessariamente

A chegada do outono/inverno marca o aparecimento de enfermidades respiratórias como gripes, resfriados e alergias. Afinal, as temperaturas ficam mais baixas e o tempo bem mais seco. E com a pandemia de COVID-19 este ano, fica mais difícil identificar essas doenças e até diferenciá-las dos reais sintomas do coronavírus.

Saber analisar o que você realmente está sentindo é muito importante para evitar idas desnecessárias ao hospital e até uma sobrecarga no sistema de saúde. Sem contar que, se percebidos rapidamente, você evita que os sinais se agravem e pode fazer o tratamento adequado para seu caso. Saiba mais:

1. Qual a diferença entre gripe e resfriado?
Resfriado: contagioso durante os primeiros 3 dias, é mais leve, dura menos tempo e não costuma causar febre, exceto em crianças. Os principais sintomas são coriza, tosse seca, espirros, dor na garganta e indisposição, e costuma durar de 5 a 7 dias, porém alguns sintomas podem perdurar por duas semanas. “Dificilmente evolui para um quadro mais grave”, diz Horácio Cardoso Salles, pneumologista e gerente da área de Medicina Ambulatorial do Seconci-SP (Serviço Social da Construção).
Gripe: causa febre, normalmente acima de 38ºC, principalmente nas crianças e deixa a pessoa prostrada, com dor de cabeça, dores pelo corpo, mal estar e perda o apetite. Pode durar duas semanas, mas o período de contágio, em geral, perdura por 1 a 2 dias após o final da febre. É causada pelo vírus Influenza e pode evoluir para pneumonia. “Em qualquer um dos casos, a hidratação é muito importante, já que a água contribui para fluidificar as secreções e tem função expectorante”, recomenda Salles.

2. Como evitar gripes e resfriados?
O resfriado e a gripe são causados por vírus altamente contagiosos. “Cultivar hábitos simples de higiene, como lavar as mãos com frequência e usar álcool-gel, evitar ambientes com pouca circulação de ar e muita concentração de pessoas são atitudes eficientes para a prevenção de ambas”, garante o especialista. Do mesmo modo, é importante evitar o contato próximo com enfermos, mantendo uma distância de pelo menos dois metros. A vacina, no caso da gripe, é a melhor forma de prevenção.

3. Muitos dizem que nunca tiveram gripe e depois da vacina começaram a ter frequentemente. Isso pode acontecer?
De acordo com Salles, trata-se de um mito. Aproximadamente 10% dos subtipos do vírus Influenza não são cobertos pelas vacinas, por isso alguns pacientes, mesmo sendo imunizados, podem pegar gripe. “É comum as pessoas apresentarem resfriados e acabarem confundindo com gripe”, explica.

4. Quais os principais problemas alérgicos que surgem durante o inverno?
São as doenças como amidalite, asma, bronquite, faringite, meningite e sinusite, além das alergias de pele, chamadas de dermatite tópica, que ocorrem com muito mais frequência devido ao tempo seco

5. Quais os principais agentes causadores de alergias no inverno?
Os ácaros (presentes no pó ou poeira) e os pelos e penas de animais são os principais causadores do problema. Ao entrarem no sistema respiratório ou em contato com os olhos ou outra mucosa podem desencadear a hipersensibilidade. O pneumologista recomenda evitar tapetes e cortinas em casa, além de utilizar panos úmidos para a limpeza dos ambientes, uma vez que vassoura e espanador levantam pó. Outra dica é lavar as roupas guardadas há muito tempo antes de colocá-las em uso.

6. Quais os principais sintomas do coronavírus e quando procurar ajuda médica?
De acordo com o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a COVID-19 é uma doença respiratória nova que foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na China. Os sintomas do coronavírus mais comuns são febre, cansaço e tosse seca. Já os considerados mais graves são febre alta e dificuldade de respirar. “Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente”, afirma o relatório.
Como existem pouquíssimos estudos a respeito da enfermidade, outros problemas também podem ser sinais da doença, mas a ciência ainda não conseguiu comprovar a relação. É o caso da perda de olfato e paladar, bem como tonturas e dores de cabeça.
Em todo caso, o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) recomendam que só deve ir ao hospital quem estiver se sentindo muito mal, com os sintomas mais graves (febre alta e dificuldade para respirar).

7. Como evitar o contágio do coronavírus?
De acordo com a OMS:

Lave as mãos com água e sabão ou higienizador à base de álcool, para matar vírus que podem estar nas suas mãos;
Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando. Quando alguém tosse ou espirra, pulveriza pequenas gotas líquidas do nariz ou da boca, que podem conter vírus. Se você estiver muito próximo, poderá inspirar as gotículas – inclusive do vírus da COVID-19 se a pessoa que tossir tiver a doença;
Evite tocar nos olhos, nariz e boca. As mãos tocam muitas superfícies e podem ser infectadas por vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí, o vírus pode entrar no corpo da pessoa e deixá-la doente;
Certifique-se de que você e as pessoas ao seu redor seguem uma boa higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com a parte interna do cotovelo ou lenço quando tossir ou espirrar (em seguida, descarte o lenço usado imediatamente). Gotículas espalham vírus. Ao seguir uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra vírus responsáveis por resfriado, gripe e COVID-19;
Fique em casa se não se sentir bem. Siga as instruções da sua autoridade sanitária nacional ou local, porque elas sempre terão as informações mais atualizadas sobre a situação em sua área;
Pessoas doentes devem adiar ou evitar viajar para as áreas afetadas por coronavírus. Áreas afetadas são países, áreas, províncias ou cidades onde há transmissão contínua – não áreas com apenas casos importados;
Os viajantes que retornam das áreas afetadas devem monitorar seus sintomas por 14 dias e seguir os protocolos nacionais dos países receptores; e se ocorrerem sintomas, devem entrar em contato com um médico e informar sobre o histórico de viagem e os sintomas.

Fonte: https://boaforma.abril.com.br/saude/gripe-resfriado-ou-alergia-saiba-identificar-os-sintomas/ - Por Mariana Amorim (colaboradora) - Matthew Henry, Unsplash/Reprodução

sábado, 16 de maio de 2020

13 melhores exercícios para glúteos


Veja os exercícios para glúteos mais indicados para quem quer endurecer e aumentar o bumbum

Quer exercícios para glúteos realmente eficazes? Para aumentar o bumbum é importante trabalhar o músculo do glúteo máximo, o maior do bumbum. Para conseguir esse aumento do glúteo máximo é preciso investir na musculação.

"Nesta modalidade uma das adaptações do treinamento é justamente a hipertrofia muscular, ou seja, o aumento do tamanho dos músculos que além de influenciar na melhora da força também têm um impacto estético bem significativo. Um programa de treinamento com um cardápio generoso de exercícios para o treinamento da força dos glúteos é uma excelente opção para quem quer dar uma empinadinha no bumbum", diz o educador físico Níkolas Chaves.

Mas se você busca uma mudança muito específica no bumbum, saiba que não é possível apontar atividades que vão agir rigorosamente da maneira que a pessoa quer.

"Afinal, temos três músculos no bumbum, o glúteo mínimo, o médio e o máximo, e todos os exercícios agem um pouco em cada um desses músculos, de modo que não é possível assegurar que realizar mais um ou outro exercício vai trazer algum impacto estético diferente", explica o educador físico Givanildo Matias.

O educador físico Níkolas Chaves aponta os melhores exercícios para glúteos, focados em quem quer aumentar o bumbum. Confira!

1.Glúteo três apoios com borracha e joelhos flexionados
Os exercícios de três apoios são ótimos para obter um bom resultado estético no bumbum. "O músculo glúteo máximo é o ator principal do movimento de extensão de quadril. Com a praticante em três apoios o exercício é realizado de forma unilateral. Existe a possibilidade de escolha de diferentes implementos para serem utilizados", diz o educador físico Níkolas Chaves.
Ao fazer o glúteo três apoios com borracha e joelhos flexionados, quanto mais a praticante estender o quadril, maior será a intensidade oferecida pela borracha na posição final.
Da mesma forma, quando a borracha não estiver esticada, próximo da posição inicial, a intensidade do exercício será menor.
Este implemento é uma boa opção para quem viaja muito e não quer quebrar a sequência dos treinos, pois pode ser transportado na bolsa, diferentemente das caneleiras. Manter os joelhos flexionados durante a execução garante um poderoso acionamento dos músculos do bumbum.

2. Glúteo três apoios com caneleira e com os joelhos flexionados
Neste exercício clássico para o treinamento da força do bumbum, uma boa dica é tentar realizar o movimento em uma amplitude onde o músculo do bumbum nunca descanse totalmente. Por isso, para fazer uma série intensa, não desça totalmente a coxa.
O glúteo três apoios cruzado é uma forma alternativa de executar este exercício, muito comum nas academias, que consiste em combinar o movimento de extensão com a rotação externa do quadril. Essa é uma boa opção para variar o exercício e fazer com que o recrutamento do músculo do bumbum seja modificado.

3. Glúteo três apoios com caneleira e com os joelhos estendidos
O glúteo 3 apoios com caneleira e com os joelhos estendidos é outra boa opção para desenvolver a musculatura do bumbum.
"Quando a aluna faz a extensão de quadril com os joelhos estendidos, os músculos posteriores da coxa aumentam a sua participação na tarefa, o que não quer dizer que o exercício não seja um excelente meio para o treinamento do bumbum", conta Chaves.
Fazer o exercício sobre um banco proporciona uma condição favorável para que a execução seja feita com maiores amplitudes de movimento quando comparada com a execução no solo.

4. Subida no banco
Realizar exercícios com o peso do corpo tem um aspecto positivo que é a praticidade.
"Um bom exercício para desenvolver o bumbum utilizando o peso do corpo é a subida no banco. Como pode ser visto na imagem, na posição inicial a praticante coloca os pés sobre um banco e realiza a subida com a ação dos músculos do bumbum e da coxa", explica Chaves.
Com o tempo de prática e com o aumento da força é provável que seja necessário adicionar mais peso para que a força continue melhorando.

5. Agachamento com borracha
Quem quer aumentar o tamanho do bumbum não pode deixar de fazer o exercício de agachamento. "Além de auxiliar na hipertrofia do bumbum também ajuda na conquista de coxas bem firmes. O agachamento pode ser feito com o peso do corpo ou utilizando diferentes implementos", diz Chaves.
No agachamento com borracha, como pode ser visto na imagem na posição inicial, a praticante segura uma das extremidades da borracha com as mãos e pisa sobre a outra. O movimento de extensão de quadris e de joelhos acontece simultaneamente até a posição final. Os músculos do bumbum são bem exigidos durante este exercício.

6. Agachamento com barra
Este exercício tem alto nível de exigência da musculatura do bumbum e das coxas. O praticante deve ter um nível mais avançado na musculação para realizar este exercício.
A execução com o tronco mais inclinado na posição inicial como no exemplo da imagem, favorece o recrutamento dos músculos do glúteo em detrimento do músculos das coxas.
Entretanto, deve-se ter cuidado, pois esta forma de execução também aumenta a carga mecânica sobre as vértebras da coluna.

7. Avanço com barra e avanço com halteres
No avanço com a barra sobre os ombros o aluno dá um passo à frente e retorna para a posição inicial. Uma boa variação do avanço com a barra é a utilização de halteres para a execução do exercício.
"O uso dos halteres para realizar o avanço é bem comum nas academias devido à praticidade. Basta pegar os pesos e realizar a passada à frente e retornar à posição inicial. A vantagem do avanço com halteres comparado ao avanço com barra é um menor desconforto na região da cintura escapular", destaca Chaves.

8. Abdutor
Neste tradicional exercício de musculação, a posição dos pés faz com que o recrutamento dos músculos abdutores seja diferente nas três formas de execução, como demonstrado na foto.
À esquerda a praticante coloca seus pés mais superiormente, fazendo com que o ângulo de flexão de joelhos fique mais agudo e, com isso, diminua a participação do músculo tensor da fáscia lata e aumente a exigência dos músculos glúteo médio e mínimo.
"O reforço dos músculos glúteo mínimo e glúteo médio são sempre bem-vindos uma vez que estes músculos abdutores do quadril são muito importantes para estabilizar a pelve durante a marcha, o trote e em alguns exercício de musculação como o agachamento", observa Chaves.
Na imagem do meio a praticante posiciona os pés mais pra baixo e com isso o ângulo dos joelhos fica mais obtuso. Com isso o músculo tensor da fáscia lata tende a ter uma ativação aumentada em relação a primeira forma de execução.
Na parte direita da imagem, a praticante flexiona seu quadril alterando o comprimento das fibras dos músculos abdutores fazendo que o recrutamento também seja diferente das duas outras formas de execução. O exercício abdutor é um aliado para reduzir o culote.

9. Abdução de quadril com borracha
Outro bom exercício para o fortalecimento dos músculos abdutores é a abdução de quadril unilateral com a borracha. Neste caso a maior tensão exercida nos músculos acontece na posição final onde os músculos têm uma menor capacidade de produzir força. Pode ser uma boa estratégia para desenvolver a força.

10. Elevação da pelve unilateral
A elevação da pelve unilateral consiste no movimento de extensão de quadril com a barriga voltada para cima.
O músculo do bumbum é o principal responsável em elevar a pelve e freia-la até o retorno à posição inicial. Este exercício é muito prático e simples e pode ser feito em casa.

11. Glúteo coice na máquina
Este exercício é excelente para o músculo glúteo máximo. Além de desenvolver o bumbum, ele também fortalece as coxas.
A máquina oferece um apoio na região abdominal, o que é legal para ajudar na estabilização da coluna lombar durante a execução do exercício - tornando a sua prática mais segura.

12. Glúteo na máquina
Poderoso exercício que serve como meio de treinamento para desenvolver a musculatura do glúteo máximo. Os músculos posteriores da coxa também são bem solicitados neste exercício.

13. Stiff
O Stiff é um exercício de musculação que serve como uma boa opção para quem quer desenvolver o bumbum. A parte de trás da coxa também é bem exigida nesta atividade.
Para fazê-lo sem riscos é importante que o praticante tenha um ritmo lombo-pélvico normal. Esse aspecto deve ser tratado em avaliações físicas feitas por profissionais.

Fonte: https://www.minhavida.com.br/fitness/materias/17858-13-melhores-exercicios-para-gluteos -  Escrito por Bruna Stuppiello - to: Shutterstock